Perguntar
Fechar

Joelho

Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Joelho estalando ao agachar, subir escadas, dobrar ou esticar a perna, está relacionado principalmente com o atrito entre a patela (rótula) e o fêmur. Em geral, quando o joelho estala ou range, mas não há dor, não há nenhuma doença ou outro problema grave associado. Porém, se o ruído no joelho estiver associado a dor, inchaço, desconforto ou se o joelho ficar bloqueado, ou seja, impossibilitado de se movimentar, algumas causas precisam ser avaliadas, entre elas temos:

  • Excesso de peso
  • Esforço excessivo, sobrecarga;
  • Pancadas sofridas 
  • Lesões
  • Artrose
  • Desgaste da cartilagem;
  • Condromalacia patelar (amolecimento da cartilagem da patela);

O joelho também pode estalar quando há algum problema nas suas estruturas internas, como em:

  • Alterações na cartilagem;
  • Lesões no menisco;
  • Sinovite (inflamação da membrana que recobre a articulação);
  • Lesões nos ligamentos do joelho

O tratamento vai depender da origem do problema e pode incluir:

  • Medicamentos anti-inflamatórios;
  • Medicamentos para reparar a articulação;
  • Fisioterapia;
  • Exercícios específicos para fortalecimento e alongamento adequado de musculaturas acessórias;
  • Infiltrações;
  • Cirurgia.

Para uma avaliação mais completa e orientação adequada do tratamento, deve-se procurar um médico.

Saiba mais em: O que pode causar dor no joelho?Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?

Joelho estalando e doendo, o que fazer?

Se o joelho estiver estalando e houver dor, é essencial consultar um médico para avaliar o caso e determinar o melhor tratamento.

Além disso, é importante ter alguns cuidados para não agravar o problema, tais como:

  • Diminuir ou interromper a prática de esportes de impacto, como corrida, vôlei, futebol, ou outra atividade que possa estar associada à lesão; Se mantiver alguma atividade física, lembrar de usar calçado confortável e adequado à prática esportiva.
  • Fortalecer os músculos da coxa e do quadril com exercícios leves e de baixo impacto;
  • Evitar sobrecargas no joelho;
  • Fazer alongamentos da parte posterior da coxa;
  • Aplicar gelo durante 20 minutos no joelho (esticado) depois de exercícios físicos;
  • Evitar subir e descer escadas;
  • Evitar ficar sentado por muito tempo com o joelho flexionado mais de 90 graus;
  • Evitar ficar com as pernas cruzadas por muito tempo;
  • Usar calçados confortáveis, evitando sapatos com salto e bico fino;
  • Se estiver acima do peso buscar orientações para emagrecimento.

Saiba mais em: 

Água no joelho: Quais os sintomas e como tratar?

Como aliviar dor no joelho?

Joelho inchado: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Joelho inchado é um sinal de extravasamento ou acúmulo de líquido na articulação. O inchaço pode ser decorrente de lesões no menisco ou ligamentos, tendinite, entorse, derrame articular (água no joelho), pancadas, sobrecarga por excesso de peso ou treino, artrose, entre outras causas.

Quando o joelho está inchado devido a traumas, lesões ou processos inflamatórios, é comum haver também dor, vermelhidão e aumento da temperatura local, que são os sinais clássicos de uma inflamação. 

Se o edema surgir após atividade física, sem um motivo aparente (traumas, entorses), e o joelho não estiver doendo, pode não ter ocorrido nada de grave e o inchaço tende a diminuir com o repouso. O joelho inchado nesses casos pode ser um sinal de uso excessivo da articulação.

Joelho inchado e doendo também pode indicar uma lesão de ligamento. As pancadas são as principais causas de lesões nos ligamentos mais externos; já os mais internos, sobretudo o cruzado anterior, são frequentemente lesionados nas torções de joelho em que o pé fica fixo no chão.

A ruptura parcial ou total de um ligamento dói intensamente e praticamente impede a pessoa de movimentar o joelho devido à dor.

Há também as lesões no menisco, que atua como uma espécie de amortecedor dos impactos entre os ossos do joelho. Esse tipo de lesão normalmente acontece por causas degenerativas relacionadas com a idade ou entorses de joelho durante a prática desportiva.

A tendinite é outra causa comum de inchaço no joelho. Trata-se de uma inflamação no tendão que ocorre principalmente devido ao esforço muscular contínuo e frequente, sobrecarga ou ainda desgaste articular.

No caso do joelho, os tendões mais afetados são o patelar, localizado logo abaixo da patela, na parte anterior do joelho, o quadricipital, que fica logo acima da patela, e o tendão da pata de ganso, localizado na parte medial anterior da tíbia (osso da canela).  

Os principais sintomas de tendinite no joelho incluem dor, inchaço, espessamento do tendão afetado, vermelhidão, aumento da temperatura local, dificuldade em movimentar a articulação e diminuição da força.

Veja também: Quais são os sintomas da tendinite?

O derrame articular, também conhecido como "água no joelho", deixa o joelho inchado devido ao acúmulo de líquido sinovial no interior da articulação. Esse líquido, semelhante a um gel, é produzido pelo organismo e serve para lubrificar, proteger e fornecer nutrientes à cartilagem.

Contudo, quando o líquido sinovial é produzido em excesso ou deixa de ser reabsorvido pela articulação, ele fica acumulado, causando inchaço no joelho. Dentre as principais causas de derrame articular no joelho estão as pancadas, sobrecargas articulares por uso excessivo, infecções e sinovite (inflamação da membrana que produz e absorve o líquido sinovial na articulação).

Leia também: Derrame articular, o que é?

Por fim, a artrose também pode ser colocada entre as principais causas de edema no joelho. Trata-se de uma doença que provoca uma perda progressiva da cartilagem da articulação, o que aumenta o atrito direto e o impacto entre os ossos. Os principais sintomas de artrose no joelho são dor, inchaço, rigidez, dificuldade em movimentar e deformidades articulares.

Em caso de joelho inchado, consulte o/a médico/a ortopedista para investigar a causa do inchaço e indicar o tratamento adequado.

Saiba mais em:

Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?

Água no joelho: Quais os sintomas e como tratar?

O que pode causar dor no joelho?

Como aliviar dor no joelho?

O que é artrose e quais os sintomas?

Água no joelho: Quais os sintomas e como tratar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os principais sinais e sintomas de água no joelho são o inchaço e a dor, podendo haver ainda vermelhidão local e dificuldade de movimentos. O início dos sintomas pode ser lento e evoluir aos poucos com o tempo, ou ser agudo e de evolução rápida.

O acúmulo de água no joelho é chamado de derrame articular. Ocorre devido a um aumento da produção de líquido sinovial, um fluido que está presente no interior da articulação e que serve para nutrir, proteger e lubrificar a cartilagem.

Dentre as causas mais comuns de água no joelho estão as lesões de estruturas internas, artrite, artrose, gota e sinovite. Algumas doenças infecciosas como salmonelose, parasitoses intestinais e gonorreia também podem levar a um quadro de artrite com derrame articular. Lembrando que o aumento da produção de líquido sinovial é decorrente de processos inflamatórios dentro da articulação.

O tratamento para água no joelho depende da sua causa e pode incluir o uso de medicamentos anti-inflamatórios e antibióticos, drenagem do líquido acumulado através de uma agulha, cirurgia, repouso e perda de peso. Quando o problema é causado por alguma doença, esta também precisa ser tratada.

Veja também: Derrame articular, o que é?

Em caso de joelho inchado e doendo, procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial. Em muitos casos pode ser necessário o seguimento por reumatologista ou ortopedista, a depender da causa.

Saiba mais em:

Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?

O que pode causar dor no joelho?

Joelho inchado: o que pode ser?

Joelho valgo tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, também conhecido por geno valgo, ou genu valgo, o joelho valgo na grande maioria das vezes tem cura.

É fundamental a avaliação médica, pois existem casos de geno valgo fisiológico, ou seja, que não representa doença, não sendo necessário um tratamento; e existem casos associados a doenças específicas, como síndromes genéticas, o que conduz a um tratamento multidisciplinar.

Qual é o tratamento para geno valgo?

Na maioria dos casos não é preciso utilizar nenhum tratamento para corrigir o geno valgo, pois a deformidade começa a regredir gradualmente e espontaneamente a partir dos 4 anos de idade. Por volta dos 7 ou 8 anos, o joelho costuma estar mais alinhado ou com leve desvio para dentro (valgo), o que é esperado, especialmente em meninas.

Quando a deformidade permanece além do período considerado normal para a idade, e sem histórico familiar que responda a deformidade encontrada, após os 8 anos de idade, o tratamento deve ser considerado, caso a caso, junto a um/a médico/a ortopedista.

O tratamento considerado com melhor resultado é o tratamento cirúrgico. Existem algumas técnicas para correção do geno valgo.

Uma das técnicas indicada, é a colocação de um grampo ou parafuso em um dos lados da placa de crescimento do osso do joelho. Assim, o procedimento inibe o crescimento de um lado, enquanto o outro cresce normalmente, corrigindo a deformidade. Outra, mais comum na idade adulta, é a osteotomia corretiva, um tipo de dissecção cirúrgica do osso.

O tratamento de casos acentuados de joelho valgo ou varo é necessário, pois a deformidade pode aumentar o impacto na coluna, quadril ou tornozelo, resultando em artroses precoces, dor crônica e incapacidade funcional.

O uso de órteses (aparelhos ortopédicos) para corrigir a deformidade, é discutido. Grupos demonstram melhora importante e por vezes prevenção de cirurgia, outros acreditam não haver resultado eficaz além de causar problemas no desenvolvimento psicológico na criança.

O uso da órtese é indicado durante a noite porque é nesse período do dia que o crescimento é maior. Em casos mais graves de geno valgo, o aparelho ortopédico precisa ser usado durante todo o dia.

Contudo, é importante lembrar que é normal e esperado ter alguns graus de geno varo ou valgo, sem que isso signifique necessariamente uma doença ou problema ortopédico.

O/A médico/a ortopedista é o/a responsável pelo acompanhamento e tratamento desses desvios.

Leia também: O que é joelho valgo e quais os sintomas?

O que pode causar dor no joelho?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dor no joelho pode ser um sintoma de falta de condicionamento físico, excesso ou prática incorreta de atividade física, sobrepeso, sedentarismo, pouca flexibilidade, falta de força muscular, lesões internas na articulação, artrose, hérnia de disco, entre outras causas.

Quando a dor no joelho é decorrente de excesso de peso, falta de condicionamento físico e prática incorreta de exercícios, ela normalmente não está relacionada com nenhuma lesão. Nesses casos, as estruturas internas da articulação mostram-se intactas nos exames de imagem, como raio-x e ressonância magnética.

Lesões internas no joelho

Quando a dor no joelho está relacionada com lesões internas, outros sinais e sintomas podem estar presentes, como inchaço, vermelhidão, instabilidade, dor e alteração nos movimentos dos joelhos. Essas lesões geralmente são causadas por traumas agudos ou pequenos traumas repetitivos e contínuos.

Nesses casos, a lesão pode ocorrer nos ligamentos, nos tendões, na bolsa sinovial, nos ossos ou na cartilagem.

Ligamento cruzado anterior

Esse ligamento exerce um importante papel na estabilidade do joelho. As lesões são mais comuns em pessoas que praticam esportes com movimentos bruscos de joelho, como futebol, por exemplo.

Menisco

O menisco é formado por tecido fibrocartilaginoso e tem a função de amortecer o impacto entre os ossos da articulação do joelho. Quando se rompe, provoca dor intensa e bloqueia os movimentos do joelho.

Bursite

A dor no joelho também pode ser causada por bursite, uma inflamação das bursas, que são uma espécie de bolsa com líquido que têm a função de proteger a articulação, amortecendo o impacto entre os tendões e os ossos.

Tendinite

A tendinite é uma inflamação do tendão. No caso do joelho, um tendão que costuma inflamar com frequência em pessoas que praticam esportes com salto é o tendão patelar, localizado logo abaixo da patela, antes chamada rótula.

Artrite reumatoide

Trata-se de uma doença auto-imune que provoca uma inflamação crônica da articulação. Além de dor, a artrite reumatoide provoca deformidades e incapacidade com o tempo.

Gota

A gota é causada pelo acúmulo de ácido úrico na articulação, provocando dor e inchaço. Pode afetar os pés, os tornozelos, as mãos, os punhos e os joelhos.

Artrose no joelho

Outra causa comum de dores nos joelhos é a artrose. Trata-se de uma doença crônica que provoca a degeneração da cartilagem articular. Com o tempo, começa a haver maior atrito entre os ossos e a articulação também perde a capacidade de absorver impacto, causando dor e inflamação.

Saiba mais em: O que é artrose e quais os sintomas?

Hérnia de disco

A dor no joelho também pode ter origem em outro local e irradiar para o joelho. É o que pode acontecer, por exemplo, em casos de hérnia de disco na coluna lombar. A raiz do nervo sofre uma compressão pela hérnia na coluna vertebral, gerando uma dor irradiada para o joelho.

Artroses e inflamações na articulação do quadril também podem causar dor irradiada para o joelho e coxa.

Se a dor no joelho surgir após um trauma, como uma torção durante algum exercício, o mais indicado é consultar o/a médico/a ortopedista.

Casos de dor crônica acompanhada de vermelhidão, inchaço, aumento da temperatura local e dificuldade de movimento, devem ser avaliados preferencialmente pelo/a reumatologista.

Artrose no joelho tem cura? Qual é o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Artrose no joelho não tem cura. Trata-se de uma doença crônica, sem medicamentos ou tratamentos específicos capazes de curá-la definitivamente. Contudo, com o tratamento adequado, é possível controlar a evolução da artrose, aliviar os sintomas e melhorar as funções do joelho.

Os tratamentos atuais para a artrose no joelho, podem ser:

  • Uso de medicamentos
  • Controle e manutenção do peso
  • Fisioterapia
  • Exercícios com devido acompanhamento
  • Períodos estipulados de repouso
  • Uso de órteses e palmilhas especiais
  • Cirurgias, em casos mais complicados.
Medicamentos

As medicações usadas para tratar a artrose no joelho servem para controlar a inflamação e a dor. Os medicamentos podem ser aplicados diretamente no joelho, tomados por via oral ou injetados dentro da articulação (infiltração).

A aplicação de anti-inflamatórios não hormonais tópicos no joelho, como o ibuprofeno, se mostra muito eficaz para amenizar a dor.

Há ainda medicações de ação prolongada, como o sulfato de glucosamina, administrado por via oral, que é especialmente indicado no caso de artrose no joelho. Para infiltrações, o ácido hialurônico está entre os mais usados.

Controle e manutenção do peso

É fundamental a manutenção do peso adequado para evitar sobrecarga nos joelhos. Portanto, se estiver acima do peso deverá procurar ajuda profissional, com endocrinologista, nutrólogo e ou nutricionista, para traçar um tratamento adequado e com acompanhamento.

Fisioterapia e Exercícios físicos

A atividade física e a fisioterapia representam o tratamento de maior benefício a longo prazo para o portador de artrose e que deverá ser mantido para sempre.

O principal objetivo será promover o fortalecimento da musculatura das pernas, e principalmente dos joelhos, evitando maior desgaste articular. Com o fortalecimento da musculatura é possível melhorar a sustentação, reduzir o atrito entre as estruturas internas (ossos, cartilagem e tendões), reduzindo os sintomas de dor e dificuldade na movimentação do membro.

É também na fisioterapia que são definidas as indicações de uso e tipos de órteses e palmilhas especiais, para tratamento conjunto e melhores resultados.

Repouso

Alguns casos necessitam de períodos de repouso, especialmente no início do tratamento e em situações de inflamação importante, para que a articulação se restabeleça, ou ao menos evite a piora do desgaste.

Cirurgias

Quando os demais tratamentos falham e a artrose no joelho evolui, comprometendo a independência da pessoa para realizar as suas atividades diárias, a cirurgia é indicada.

Dentre os tratamentos cirúrgicos mais usados para casos de artrose no joelho estão as artroplastias. O procedimento consiste em substituir a articulação por uma artificial, diminuindo consideravelmente a dor e melhorando as funções do joelho.

Lembrando que as formas de tratamento escolhidas dependem das características do paciente, do nível de dor e do grau de comprometimento da articulação.

O reumatologista é o especialista responsável pelo tratamento das artroses.

Saiba mais em:

O que é artrose e quais os sintomas?

Como posso saber se tenho artrose? Quais são os sintomas?

Artrose tem cura? Qual o tratamento?

Como aliviar dor no joelho?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O alívio para a dor no joelho depende essencialmente da sua causa.

Pode ser indicado:

  • Imobilização da articulação (para evitar movimentos que agravam a dor)
  • Gelo local
  • Anti-inflamatórios, outros medicamentos específicos
  • Mudança de hábitos
  • Fisioterapia
  • Infiltrações
  • Cirurgia

Pode ser iniciado gelo e imobilização, mas em seguida deve ser agendada uma consulta com um/a médico/a ortopedista para fazer uma avaliação cuidadosa, se necessário, solicitar exames e definir o diagnóstico, dando início ao tratamento específico no seu caso.

Tratamentos

A imobilização pode estar indicada, mas é necessário a avaliação do/a médico/a, visto que existem casos em que é benéfico a mobilização do membro, e não o contrário; além do risco de tromboses, que devem ser prevenidas com orientações ou medicamentos orais, quando a perna é imobilizada.

A aplicação de gelo no joelho ajuda a aliviar a dor e o inchaço, quando presentes. A aplicação deve ser de pelo menos 20 minutos, pelo menos 3 vezes ao dia, sempre com cuidado com a pele, para evitar queimaduras, especialmente pessoas que apresentam menor sensibilidade, como é o caso de portadores de diabete mellitus.

Medicamentos orais como anti-inflamatórios, inibidores de reabsorção óssea, colágeno, corticoides, entre outros, são comumente utilizados, com bons resultados na maioria das vezes, principalmente em estágios iniciais da doença e nas doenças crônicas.

Mudanças de hábitos, nesse caso seriam principalmente "poupar" a articulação do joelho lesionado, evitando sobrecargas no joelho, como pegar peso, se agachar, atividades físicas extenuantes, atividades de impacto, como basquete, corrida, futebol ou vôlei; também é recomendado, reduzir o peso, caso esteja acima do esperado para sua idade e altura, e iniciar a fisioterapia, assim que liberado pela equipe médica.

A fisioterapia é de fundamental importância para a recuperação da articulação e retardo na evolução de algumas doenças. A terapia também é responsável pelo fortalecimento da musculatura acessória do joelho, fortalecimento dos músculos do quadril e da coxa, que ajudam a aliviar a dor e evitar piora do quadro.

Em alguns casos específicos, pode ser indicado infiltrações de anestésicos ou corticoides, na região lesionada, e em último caso,ou casos mais graves como lesão traumática, lesão de tendão, ou doenças muito avançadas, a cirurgia pode ser indicada.

Portanto, o tratamento vai depender da origem da dor, das condições do paciente e da experiência e avaliação da equipe médica.

O/A médico/a ortopedista é o/a especialista em joelhos, e deve ser consultado.

Saiba mais em:

O que pode causar dor no joelho?

Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?

Joelho inchado: o que pode ser?

Existe uma forma de regenerar cartilagem do joelho?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. Ainda não existe uma forma de regenerar a cartilagem do joelho, uma vez que a cartilagem articular praticamente não recebe irrigação sanguínea e não tem capacidade de regeneração e cicatrização como a pele, por exemplo.

No entanto, em alguns casos, podem ser utilizadas técnicas cirúrgicas capazes de reconstituir partes danificadas da cartilagem, reduzindo os sintomas, principalmente a dor.

Uma das mais utilizadas, em pacientes jovens, consiste em realizar pequenos furos no osso (microperfurações), na junção com a cartilagem, para que durante a cicatrização do osso, seja formado um tecido fibrocartilaginoso que acaba por reconstituir partes da cartilagem.

Outra técnica é o enxerto de fragmentos ósseos com cartilagem, retirados de uma área sadia do próprio joelho.

Há ainda o transplante autólogo de condrócitos, que são as células formadoras de cartilagem. A técnica consiste na retirada dessas células do paciente, que são cultivadas em laboratório para depois serem reimplantadas na parte lesionada da cartilagem.

Porém, é importante ressaltar que todos esses tratamentos são eficazes apenas para tratar pequenas áreas, não sendo indicados nos casos de artrose, ou lesões mais graves, aonde já houve desgaste total da cartilagem.

Para maiores informações e esclarecimentos sobre as formas de reconstituir a cartilagem do joelho e aliviar os sintomas da doença, consulte um/a médico/a ortopedista.

Leia também: Joelho estalando: o que pode ser e o que fazer?

Faz 5 dias que sinto leve vibração parte de trás perna...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Lembra mais algo ostemuscular que alguma coisa relacionada a trombose (não são estes os sintomas), precisa procurar um médico, preferencialmente um ortopedista para ver o que está acontecendo.

O que é joelho valgo e quais os sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Joelho valgo é o termo usado para se referir aos joelhos que são voltados para dentro, deixando as pernas com o formato de um "x", fazendo lembrar uma tesourinha. Trata-se de um desvio do membro inferior, também chamado de geno valgo, que é normal no desenvolvimento infantil entre 2 e 4 anos de idade.

Quando a criança começa a andar, por volta de 1 e 2 anos de idade, ela apresenta um pouco de joelho varo, quando os joelhos são arqueados e as pernas ficam parecidas com as de um "cowboy", ou seja, quando se juntam as pernas e os pés, os joelhos não se encostam.

Entre 2 e 4 anos de idade, o geno varo normalmente evolui para geno valgo. A partir dos 4 anos começa a haver uma redução gradual do valgo, até que por volta dos 7 anos o desvio tende a estar normalizado na maioria das crianças, embora em algumas ele persiste até à idade adulta. A razão por que essas deformidades permanecem em algumas pessoas ainda não está totalmente esclarecida.

Portanto, até os 2 anos de idade o joelho varo é fisiológico, ou seja, é normal e faz parte do desenvolvimento infantil, assim como é normal o joelho valgo entre 2 e 4 anos. Esses desvios acontecem porque os ligamentos das articulações das crianças são frouxos, o que diminui a estabilidade articular dos joelhos.

Durante a infância, o geno valgo e o geno varo normalmente não causam sintomas, como dor. Contudo, na idade adulta, um desvio muito acentuado pode provocar desgaste da articulação e causar dor. Esse desgaste articular pode levar ainda ao desenvolvimento de uma artrose precoce se a pessoa praticar atividade física de impacto regularmente.

Contudo, é importante lembrar que é normal e aceitável ter alguns graus de geno varo ou valgo, sem que isso signifique necessariamente uma doença ou problema ortopédico.

Para maiores esclarecimentos, consulte um/a médico/a ortopedista.

Leia também: Joelho valgo tem cura? Qual o tratamento?

Posso curar de uma tendinite no joelho, usando Torsilax?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Talvez, o Torsilax é um remédio composto por diclofenaco, um anti-inflamatório, paracetamol, um analgésico, além de relaxante muscular, o carisoprodol. Pode assim aliviar as dores, inchaço e desconforto causados pela tendinite, que é considerada uma inflamação do tendão, sendo muitas vezes suficiente para o tratamento se usado adequadamente pelo período correto.

No entanto, há muitos casos de dores, edema associados ao tendão que não são causados por uma tendinite, ou seja, podem não estar associados a processos inflamatórios, mas estão mais relacionados ao processo de deterioração do tendão, nesse caso tem-se uma tendinopatia, que pode ou não cursar com a inflamação.

Em muitos casos além do uso de analgésicos, pode estar recomendado o tratamento com fisioterapia, que propicia através de diferentes técnicas, como ultrassom e exercícios de alongamento e força, recuperar a funcionalidade do tendão e diminuir o risco de novos episódios de dor.

Veja também: O que é tendinite?

Para mais informações consulte o seu médico de família ou clinico geral para uma avaliação, eventualmente pode ser necessário o acompanhamento por um médico ortopedista. Evite usar medicamentos que contenham anti-inflamatórios sem prescrição médica.

Leia mais sobre o assunto em:

É possível curar uma tendinite? Qual é o tratamento?

Estou com tendinite no joelho, é uma inflamação no tendão?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Tendinite é uma inflamação no tendão. Talvez remédios caseiros te ajudem, assim como também podem piorar, tudo depende do que pretende fazer.