Perguntar
Fechar

Mesigyna

Amamentação e Remédios
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade
A maioria das medicações é permitida durante a amamentação. Porém, algumas devem ser evitadas ou são proibidas. Para confirmar se a medicação a ser usada é permitida, informe ao/à profissional de saúde que você está amamentando para que ele/ela avalie e indique ou contra-indique o uso.1 - Quais os remédios permitidos na Amamentação?
  • Amoxicilina;
  • Amoxicilina-Clavulanato;
  • Ampicilina;
  • Penicilina (Benzetacil);
  • Cefalexina;
  • Contracep;
  • Diclofenaco;
  • Metoclopramida;
  • Ibuprofeno;
  • Paracetamol;
  • Aceclofenaco (Proflam);
  • Ciprofloxacino;
  • Omeprazol;
  • Loratadina;
  • Hidroxizine;
  • Dexclorfeniramina (Polaramine);
  • Sertralina;
  • Fluoxetina;
  • Amitriptlina;
  • Citalopram;
  • Clonazepam.

2 - Quais os remédios proibidos na Amamentação?

  • Nimesulida;
  • Bromazepam;
  • Mesigyna;
  • Perlutan;
  • Sibutramina;
  • Nefazodona;
  • Tranilcipromina.
3 - Estou amamentando, posso tomar a pílula do dia seguinte?

Sim, seis semanas após o parto a mulher já pode fazer uso da pílula do dia seguinte.

Leia mais em:

Estou amamentando e tomei pílula do dia seguinte, devo suspender a amamentação?

Mesigyna engorda?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

O Mesigyna é um anticoncepcional hormonal injetável que pode contribuir para a retenção de líquidos em algumas pessoas e, com isso, levar à um aumento do peso. Embora outras causas para o ganho de peso com o uso do Mesigyna estejam sendo investigadas sem comprovação científica ainda, na prática, isso é observado com frequência.

Mesigyna deve ser aplicado mensalmente, por injeção intramuscular profunda, de preferência nas nádegas. Sua ação hormonal impede a ovulação da mulher e a gravidez.  A primeira aplicação deve ser realizada no 1º dia da menstruação e depois, a cada mês, do 27º dia do ciclo até o 33º dia, no máximo.

O ginecologista deve ser consultado sempre que houver problemas em relação ao uso dos anticoncepcionais, como no caso do ganho de peso.

Mesigyna atrasa a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Mesigyna® pode atrasar a menstruação

A Mesigyna causa redução do sangramento menstrual, inclusive a supressão da menstruação.

Porém, com o uso contínuo da medicação, sempre é válida uma reavaliação com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para identificar se há outras causas para o atraso da menstruação.

A Mesigyna®  é um anticoncepcional injetável que deve ser utilizado todo mês. Os efeitos colaterais geralmente são presentes nos primeiros meses de administração, porém depois desse período de adaptação ela é bem aceitável pelas mulheres. Os efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres são alterações no ciclo menstrual, dor e sensibilidade nas mamas, instabilidade no humor, dores de cabeça e aumento do peso.

Apesar da ausência da menstruação ser um dos efeitos provocados pela Mesigyna®, você pode consultar um/a desses/dessas profissionais citados para uma avaliação detalhada.

Tomo anticoncepcional injetável (Mesigyna) e meu rosto...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode ser efeito do anticoncepcional, se for realmente do anticoncepcional precisa parar de usar. O diagnóstico definitivo da causa das suas lesões de pele deve ser feito pelo seu médico, a suspensão ou troca do anticoncepcional (se for necessário) deve ser feita pelo seu médico.

Tomo anticoncepcional comprimido, quero trocar para injeção!
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não, a princípio não tem problema em optar pela troca de anticoncepcionais, mas deverá ser feita com a orientação e prescrição médica.

A avaliação médica deve ser feita antes do início de qualquer medicação, principalmente para descartar possíveis contraindicações e para orientar a forma de uso correta da nova medicação.

O Mesigyna® é um anticoncepcional injetável, produzido pela empresa Bayer, composto por 50 mg/ml enantato de noretisterona + 5 mg/ml valerato de estradiol, indicado para prevenir a gravidez.

Como usar o Mesigyna®?

A medicação deve ser injetada em músculo profundo, de preferência no glúteo, no primeiro dia do ciclo menstrual.

No caso de troca, o fabricante orienta a iniciar o uso de Mesigyna® ainda junto com o comprimido ativo do anticoncepcional em uso, por pelo menos sete dias.

Nós sugerimos sempre consultar seu médico, porque existem formulações de anticoncepcionais, aonde os últimos são inativos, podendo comprometer a eficácia do medicamento e com isso, a sua proteção.

Contraindicações absolutas de Mesigyna®

As contraindicações absolutas da medicação, segundo o fabricante são:

  • História prévia de trombose, tromboembolismo ou doença vascular;
  • História familiar de doenças tromboembólicas;
  • História prévia de ataque cardíaco ou derrame cerebral;
  • Episódio de Isquemia transitória ou um pequeno derrame sem efeitos residuais;
  • História atual ou anterior de Enxaqueca hemiplégica ou hemiparética (enxaqueca associada a sintomas neurológicos focais, como sintomas visuais, dificuldades para falar, fraqueza ou adormecimento em qualquer parte do corpo);
  • Diabetes mellitus mal controlado ou de longa data;
  • História atual ou anterior de doença do fígado;
  • História atual ou anterior de câncer que pode se desenvolver sob a influência de hormônios sexuais (por exemplo, câncer de mama ou dos órgãos genitais);
  • Presença ou história familiar de tumor no fígado (benigno ou maligno);
  • Presença de sangramento vaginal sem explicação;
  • Estar grávida ou com suspeita de gravidez;
  • Hipersensibilidade (alergia) aos hormônios da composição do medicamento (enantato de noretisterona ou, valerato de estradiol ou a qualquer um dos componentes de Mesigyna®.
Contraindicação relativa ao uso de Mesigyna®

Algumas situações devem ser avaliadas caso a caso, analisando relação de risco x benefício ao uso regular de hormônios, são elas:

  • Hábitos de vida ruins, como o fumo; excesso de peso, sedentarismo;
  • Diabetes, pressão alta;
  • Alteração na válvula cardíaca ou alteração do batimento cardíaco;
  • Inflamação das veias (flebite superficial); veias varicosas;
  • Enxaqueca;
  • Epilepsia;
  • Colesterol aumentado;
  • Familiar próximo com história de câncer de mama;
  • Doença do fígado ou da vesícula biliar;
  • Doença de Crohn ou colite ulcerativa (doença inflamatória crônica do intestino);
  • Lúpus eritematoso sistêmico; Síndrome hemolítico-urêmica; Anemia falciforme, Porfiria (doença metabólica), Herpes gestacional (doença de pele) e coreia de Sydenham (doença neurológica);
  • Mulheres que já apresentaram cloasma (pigmentação marrom-amarelada da pele, especialmente a do rosto). Neste caso, deve evitar a exposição excessiva ao sol ou à radiação ultravioleta;
  • Angioedema hereditário (estrogênios exógenos podem induzir ou exacerbar os seus sintomas).

Pra mais esclarecimentos fale com seu/sua médico/a ginecologista.

Tomar injeção de Mesigyna® pode diminuir vontade de ter relações sexuais e causar dor nas pernas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tomar injeção de Mesigyna® ​pode diminuir a vontade de ter relações sexuais (libido), embora esse efeito secundário seja incomum, ou seja, atinge entre 1 e 10 em cada 1.000 usuárias do anticoncepcional.

É importante lembrar que existem muitos fatores que interferem no desejo sexual feminino. Deve-se levar em consideração fatores psicológicos, como estresse, problemas que estão interferindo no momento da relação afetiva, fatores físicos, como inflamações, infecções ou outras doenças, além do uso de medicamentos.

Há poucas evidências científicas de que o uso de anticoncepcionais hormonais interfere no desejo sexual das mulheres.

Assim, o fator hormonal deve ser considerado em último caso, depois de esgotados todos os outros possíveis fatores que possam estar interferindo na libido.

Já a dor nas pernas não é um efeito secundário que se possa esperar, embora não seja impossível de ocorrer.

No entanto, é preciso estar atenta aos seguintes sintomas:

  • Inchaço de apenas uma perna;
  • Dor ou sensibilidade na perna sentida apenas quando se está em pé ou andando;
  • Sensação de calor, vermelhidão ou mudança na coloração da pele da perna.

Esses sintomas podem ser sinal de uma trombose venosa profunda e sabe-se que existe uma correlação entre o uso de contraceptivo hormonal combinado e o risco aumentado de coágulos principalmente no primeiro ano de uso.

A Mesigyna® é um anticoncepcional injetável que deve ser utilizado todo mês. Os efeitos colaterais geralmente são presentes nos primeiros meses de administração, porém depois desse período de adaptação ela é bem aceitável pelas mulheres. Os efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres são alterações no ciclo menstrual, dor e sensibilidade nas mamas, instabilidade no humor, dores de cabeça e aumento do peso.

Se você está usando a injeção de Mesigyna® e apresenta algum desses ou outros sintomas procure o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação.

Quanto tempo a injeção mensal fica no corpo da mulher?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Em teoria 30 dias, na prática pode durar um pouco mais.

O Mesigyna é uma composição de dois hormônios, que são liberados aos poucos durante um mês na corrente sanguínea da mulher. Após os 30 dias da última injeção, em poucos dias o restante da medicação será eliminada pelo seu organismo e termina seu efeito.

Quando a mulher decide parar o uso das injeções de anticoncepcionais, imediatamente o organismo inicia uma readaptação hormonal, para retornar os ciclos ovulatórios normais. Essa readaptação depende muito de cada mulher.

Inclusive é esperado que aconteça uma irregularidade menstrual ou atrasos durante esse período, pela readaptação hormonal, e não mais por efeitos da injeção. De qualquer forma, é importante resultar que após esses 30 dias da última injeção, já pode haver ovulação normal e o risco de gravidez, caso haja relação sem outro método de contraceptivo.

Já no caso de anticoncepcional injetável trimestral, estudos referem um tempo mais prolongado para eliminação de toda a medicação, podendo levar de 6 a 8 meses após a última injeção. Em mulheres com excesso de peso essa eliminação do anticoncepcional pode ser ainda mais lenta.

Portanto, se deseja trocar a medicação contraceptiva, sugerimos agendar uma consulta com seu médico ginecologista para essa avaliação e orientações adequadas, antes de interromper o uso.

Veja também: Posso trocar de anticoncepcional sem ir ao ginecologista?

Se a decisão tomada tem como objetivo planejar uma gestação, sugerimos da mesma forma uma avaliação médica prévia, para realização de exames pré-natais, início de vitaminas e ácido fólico, conforme necessidade, visando um preparo adequado e saudável para a mãe e o bebê.

Pode lhe interessar também: 9 Coisas que Você Deve Fazer Antes de Engravidar

Tomo a injeção Mesigyna há quatro anos e nunca menstruei?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Mesigyna® pode causar redução do sangramento menstrual, inclusive a supressão da menstruação.

Porém, com o uso contínuo da medicação, sempre é válida uma reavaliação com o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para identificar se há outras causas para a ausência da menstruação.

A Mesigyna®  é um anticoncepcional injetável que deve ser utilizado todo mês. Os efeitos colaterais geralmente são presentes nos primeiros meses de administração, porém depois desse período de adaptação ela é bem aceitável pelas mulheres. Os efeitos colaterais mais relatados pelas mulheres são alterações no ciclo menstrual, dor e sensibilidade nas mamas, instabilidade no humor, dores de cabeça e aumento do peso.

Apesar da ausência da menstruação ser um dos efeitos provocados pela Mesigyna®, você pode consultar um/a desses/dessas profissionais citados para uma avaliação detalhada.

Tem problema em tomar a injeção 2 dias após a data?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Deve evitar ao máximo postergar a tomada da injeção para um período superior a 7 dias, sob o risco de engravidar. Tomar a injeção 2 dias após a data prevista não interfere na sua eficácia. No entanto, se esse período for superior a 7 dias, o risco de gravidez aumenta, caso tenha tido relações sexuais desprotegidas.

A mulher pode aplicar a injeção anticoncepcional até 1 semana antes ou 1 semana depois da data prevista para a nova aplicação.

O que fazer caso atrase a injeção mais de 7 dias?

Caso atrase a tomada da próxima injeção por mais de 7 dias é recomendado que se utilize algum método complementar de barreira como camisinha, diafragma ou espermicida até conseguir tomar a próxima injeção. Nessa situação a mulher também pode fazer uso da pílula seguinte caso não tenha usado nenhum método complementar.

O uso do método contraceptivo complementar deve permanecer por mais uma semana após a tomada da injeção em atraso.

As mulheres que deixaram de tomar a injeção por mais de 7 dias da data prevista e mantiveram relação sexual desprotegida precisam certificar-se de que não estão grávidas antes de retornar o uso do injetável, através da realização de um teste de gravidez.

Caso ela não tenha tido relações sexuais ou caso tenha usado algum outro método contraceptivo nesse período ela pode tomar a nova injeção imediatamente.

Mesigyna é eficaz?

A mesigyna é um contraceptivo injetável mensal composto de enantato de noretisterona e valerato de estradiol, ou seja, por um progestágeno e um estrógeno. É um método eficaz se usado corretamente, apresenta um índice de falha de 1%, ou seja, a cada 100 mulheres que fazem uso do método durante um ano ocorre uma gestação.

Para maiores orientações consulte o seu médico de família ou ginecologista.

Também pode lhe interessar:

Quem toma anticoncepcional injetável pode tomar pílula do dia seguinte?

Estou muito ansiosa, troquei a pílula para injeção...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não sei o que você quer saber e muito menos qual sua preocupação ou motivo para estar ansiosa, fique tranquila, se tomou a injeção não está grávida e seus sintomas são decorrentes do seu novo anticoncepcional; há grande chances de você não se adaptar a ele.

Uso Mesigyna e tomei Primosiston, corta o efeito da injeção?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, o Primosiston provalmente não corta o efeito do anticoncepcional, seja oral ou injetável, no entanto, não está indicado tomar os dois ao mesmo tempo, isto porque ambos são compostos por associações hormonais muito semelhantes, que podem levar a alterações hormonais e menstruais

A Mesigyna é um anticoncepcional injetável composto por noretisterona e valerato de estradiol, já o Primosiston é composto também pela noretisterona e pelo etinilestradiol. Não há estudos sobre essa associação, portanto não é possível afirmar com certeza o quanto há segurança na proteção contra a gravidez ou outros efeitos.

O Primosiston é um medicamento usado no tratamento de sangramento disfuncional, contudo o seu uso deve ser prescrito por um médico após uma avaliação da provável causa do sangramento. Existem diferentes motivos que podem levar uma mulher a apresentar sangramentos e muitos podem exigir outra forma de tratamento.

Além disso, o próprio uso do anticoncepcional já tende a regular esse tipo de sangramento se mesmo com o seu uso essa irregularidade persiste ainda é mais importante a avaliação médica.

Portanto, consulte o seu médico ginecologista ou médico de família para uma avaliação e maiores esclarecimentos.

Podem também lhe interessar:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Anticoncepcional injetável tem efeitos colaterais?

Tomo Mesygina e este mês veio muito fluxo, o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Provavelmente o que aconteceu foi uma irregularidade menstrual, fato comum entre as mulheres que fazem uso de anticoncepcionais regularmente. Não é motivo para troca da medicação, pelo menos não devido a um único episódio de sangramento anormal, dentro de 1 ano de uso.

O sangramento em períodos inesperados ou alteração de volume e coloração do fluxo, são efeitos colaterais comuns e esperados, de medicamentos anticoncepcionais, devido seu mecanismo de ação.

Qual o anticoncepcional mais aconselhável?

Não existe um remédio mais aconselhável, mas a medicação melhor a cada pessoa, de acordo com suas características, hábitos de vida e comorbidades. No seu caso parece ter sido uma boa indicação, e por isso sugerimos que aguarde mais um ou dois períodos, para ver se sua menstruação será normalizada.

Caso volte a acontecer algum tipo de irregularidade ou sangramento constante, procure seu médico ginecologista, que procederá uma avaliação mais criteriosa e possibilidade de troca do anticoncepcional.

Leia também: Vantagens e desvantagens do anticoncepcional injetável