Perguntar
Fechar

Pressão Alta

Posso tomar cerveja e remédios para pressão alta?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. Alguns fatores devem ser avaliados para responder a essa pergunta de forma segura, principalmente a quantidade de cerveja e a frequência com que tomaria a bebida. Porém de forma geral, se for em pequena quantidade (1 latinha de cerveja) e eventualmente (não todos os dias) não existe uma contraindicação formal.

A hipertensão arterial é uma doença muito prevalente no mundo inteiro e uma das doenças crônicas mais comum na população brasileira. Doença essa que contribui fortemente para a principal causa de morte no país, as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares. Portanto, é fundamental que qualquer alteração nos hábitos de vida do paciente hipertenso, seja conversado e de comum acordo com seu médico cardiologista.

A cerveja, ou outras bebidas alcoólicas, quando consumida de maneira rotineira e ou doses elevadas, reduz a eficácia de diversos medicamentos anti-hipertensivos, aumentando o risco para esse paciente. Primeiro por aumentar a diurese, com isso a medicação é eliminada na urina mais breve do que o planejado, depois devido a sobrecarga no fígado, órgão responsável por depurar as medicações e também agredido pela bebida alcoólica.

A bebida no caso de pacientes idosos pode reduzir a pressão pelo fato de aumentar a diurese, "ação diurética", com isso aumenta o risco de hipotensão e queda da própria altura, o que para um idoso é bastante perigoso. Sendo assim, a idade passa a ser mais um fator a ser avaliado quando pensar em associar a bebida com anti-hipertensivos.

A diabetes, colesterol aumentado e tabagismo são doenças que associadas ao consumo de bebida alcoólica, aumentam o risco de hipertensão e hiperglicemia, por isso não está recomendado, e ao contrário, deve ser evitado o consumo de bebidas alcoólicas nessas condições de saúde.

No entanto, mesmo sabendo que o consumo da cerveja não está contraindicado em absoluto, pelo uso regular de anti-hipertensivos, devido a todo o exposto, o médico cardiologista deverá ser consultado para avaliar com cautela caso a caso, definindo a segurança para o consumo mesmo que eventual, de cerveja.

O médico cardiologista é o responsável por avaliar os casos de hipertensão arterial, acompanhar a evolução e tratamento, além de esclarecer todas as dúvidas sobre esse assunto.

Tomo hidroclorotiazida, posso tomar sibutramina ou orlistat?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se o seu médico receitar para você não há nenhum problema em tomar esses medicamentos (só a sibutramina costuma causar aumento de pressão).

Quando a pressão está alta os meus batimentos ficam...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Normal é não ter nada. Normal é uma palavra muito difícil para se usar quando se está falando do ser humano. O que existe são situações aceitáveis dentro de certos critérios considerados "normais". A sua resposta depende da causa desses aumentos de pressão.

Qual o tratamento e prevenção para hipertensão arterial?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

O tratamento da hipertensão arterial sistêmica essencial (primária) é geralmente feito sem o uso de medicamentos, inicialmente. Os pacientes, uma vez diagnosticados, devem se submeter a uma mudança no estilo de vida, que inclua:

  • Praticar atividades físicas todos os dias, ou pelo menos 40 minutos, cinco vezes na semana;
  • Manter o peso ideal para a altura, evitar a obesidade;
  • Adotar uma alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes;
  • Reduzir o consumo de álcool. Se possível, não beber;
  • Parar de fumar;
  • Sempre seguir as orientações do seu médico ou profissional da saúde;
  • Dormir oito horas todas as noites, verificar se a qualidade do seu sono é boa (se acorda cansado ou revigorado);
  • Evitar o estresse. Reservar tempo para a família, os amigos e o lazer. Garantir pelo menos uma hora por dia, todos os dias, para fazer algo que realmente gosta.

A diminuição da pressão com essas alterações geralmente é pequena. Dificilmente uma pessoa com níveis pressóricos muito altos (maiores do que 160/100 mmHg) atinge o controle sem a ajuda dos remédios. Todavia, nos casos mais iniciais e leves, pode ser obtido o controle eficaz da pressão arterial.

No entanto, a maioria dos pacientes não aceita alterações nos hábitos de vida. Simplesmente são incapazes de mudar tão profundamente seus maus hábitos, e acabam tendo que tomar medicamentos para controlar a pressão.

Obviamente, os pacientes que já chegam ao médico com pressão alta e sinais de lesão de algum órgão alvo (insuficiência renal ou cardíaca, retinopatias, polineuropatias) devem iniciar tratamento medicamentoso imediato (ALÉM das mudanças no estilo de vida, que devem ser seguidas em todos os casos), uma vez que o fato indica hipertensão de longa data. Também devem iniciar tratamento farmacológico imediato doentes mais graves ou com doenças crônicas como diabetes.

Medicamentos para hipertensão arterial (anti-hipertensivos):

Há muitos remédios diferentes para controlar a pressão arterial. Não importa muito a medicação utilizada para tratar a pressão alta, desde que seja eficaz em reduzir os níveis da pressão arterial para baixo de 140/90 mmHg.

Em casos de hipertensão arterial secundária, isto é, causada por outra doença (como feocromocitoma, insuficiência renal crônica, glomerulonefrites, rins policísticos, estenose da artéria renal, etc) o tratamento é dirigido à causa e pode inclusive curar definitivamente a hipertensão, dependendo do caso.

Em caso de suspeita de HAS, um médico (preferencialmente um cardiologista) deverá ser consultado. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, se este é seu diagnóstico correto, orientá-lo e prescrever o melhor tratamento, caso a caso.

Leia também: Quais os sintomas da pressão alta?

Fiz cirurgia para extrair dentes siso e minha pressão subiu?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode ter haver mais com a ansiedade e nervosismo de ter que fazer a cirurgia, principalmente nos dias anteriores e no dia da cirurgia, pressão alta persistente pode ser hipertensão mesmo, continue medindo nos próximos dias e caso continuar com os valores alterados deve procurar um médico para começara tratar.

Meu sogro tomava Lozartana para pressão, foi internado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Propranolol e Losartana são muito diferentes, com ações muito diferentes, então o mais provável é que ele deve tomar os dois, porém precisam ir ao médico habitual dele o mais rápido possível para organizar essa medicação.

Pressão alta durante a gravidez é perigoso?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A pressão alta durante a gravidez é perigoso para a gestante e para o feto.

Os riscos da pressão alta durante a gravidez podem ser:

  • Infarto;
  • Danos nos rins e fígado;
  • Sangramento;
  • Prematuridade;
  • Parto antecipado;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Doença cardiovascular.

A pressão durante a gravidez pode ser expressa sob diversas formas:

  • Hipertensão arterial crônica: quando a mulher já tem pressão alta antes da gestação;
  • Hipertensão gestacional: desenvolvida durante a gestação;
  • Pré-eclâmpsia;
  • Eclâmpsia.

Todas elas podem ser identificadas com a realização adequada das consultas pré-natais.

Leia também:

Que cuidados mulher com pressão alta deve ter durante a gravidez?

Pressão baixa na gravidez é normal? Quais os sintomas e o que fazer?

Com a identificação precoce da pressão alta, a mulher poderá fazer os tratamentos indicados e evitar danos para ela e para o feto.

Fiz um teste de glicemia em jejum está em 112...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dietas no seu caso só com orientação do médico ou nutricionista, mas nada impede você de ter uma alimentação mais saudável que normalmente serve de base para todas as dietas.

Minha mãe teve dor de cabeça e perda dos movimentos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sempre há esse risco, no mesmo local ou em outro local, quem acabou de ter um AVC é uma pessoa muito propensa a ter outro, independente do que se faça. Claro que tudo depende agora do controle dos fatores de risco (controle da pressão no caso da sua mãe).

O remédio Belisato de Anlodipino é para tratamento de pressão alta?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, o Besilato de Anlodipino é um fármaco da classe dos bloqueadores do canal de cálcio, comumente utilizado no tratamento da hipertensão arterial (pressão alta). Pode ser utilizado de maneira isolada ou associado a outra medicamento anti-hipertensivo, como a losartana.

Apresenta alta eficácia no controle da pressão alta, por isso está entre os medicamentos considerados de primeira linha, ou seja, medicamentos que costumam ser a primeira escolha do médico no início do tratamento pelo fato de serem mais eficazes, principalmente quando indicada no tratamento de hipertensão em grupos de idoso ou negros. 

Leia também: Pode tomar Losartana Potássica com Besilato de Anlodipino?

O Anlodipino também é comumente utilizada no tratamento da angina estável, que é um quadro de dor no peito de origem coronariana, principalmente, em conjunto com medicamentos da classe dos beta-bloqueadores. 

É importante lembrar que o Besilato de Anlodipino é um fármaco que o uso está recomendado apenas sobre prescrição médica. Portanto, caso precise de mais informações consulte o seu médico de família ou clínico geral.

Pode também ser do seu interesse:

Quais os sintomas da pressão alta?

Qual o tratamento e prevenção para hipertensão arterial?

Posso substituir enalapril por amprax para baixar a pressão?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não é o ideal a fazer, mas pode "quebrar o galho", pelo menos por hoje. (pode tomar somente meio comprimido mesmo).

Grávida de 3 meses com picos de pressão alta e sangramento?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pressão alta é preocupante na gravidez, o sangramento pode ou não ser preocupante, deve procurar seu obstetra.