Perguntar
Fechar

Vacina da gripe: quem pode ou não pode tomar?

Todas as pessoas com mais de 6 meses de idade podem tomar a vacina da gripe. Quem não pode tomar são os indivíduos alérgicos à proteína do ovo, que é usada na fabricação da vacina.

Pessoas que tiveram reações adversas a doses anteriores da vacina da gripe ou são alérgicas a algum dos seus componentes, devem consultar um médico para avaliar o risco benefício de se vacinar.

Apesar de praticamente todas as pessoas poderem tomar a vacina contra a gripe (salvo as exceções explicadas anteriormente), há determinados grupos de risco que têm preferência nas campanhas de vacinação.

Esses grupos, determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), apresentam risco de contraírem a forma mais grave da gripe, que pode evoluir para pneumonia e até mesmo provocar a morte. Fazem parte desse público-alvo:

  • Crianças com mais de 6 meses e menos de 5 anos;
  • Indivíduos com 60 anos ou mais;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Povos indígenas;
  • Grávidas;
  • Puérperas (mulheres no período de até 45 dias depois do parto);
  • Pessoas privadas de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Pacientes portadores de doenças crônicas não transmissíveis ou com condições clínicas especiais (problemas respiratórios, cardíacos, renais, hepáticos e neurológicos, diabetes, obesidade, baixa imunidade, transplantados).

Também podem lhe interessar os artigos: Posso tomar vacina da gripe se eu estiver gripado?; Vacina da gripe: quais as possíveis reações ou efeitos colaterais?; Existe algum medicamento que pode tirar o efeito da vacina da gripe?

O objetivo da vacina da gripe é evitar os casos graves e as mortes, e não eliminar a transmissão do vírus. Daí a prioridade em vacinar os grupos mais vulneráveis a complicações e óbitos.

A maioria dos casos de gripe são leves e resolvem-se espontaneamente, sem sequelas ou maiores problemas. Entretanto, nesses grupos de risco, o quadro pode complicar e evoluir para outras doenças graves, como a pneumonia bacteriana.

O médico de família ou um clínico geral poderá esclarecer maiores dúvidas e orientar o paciente quanto à necessidade de tomar ou não a vacina da gripe.