Perguntar
Fechar

Caroços pequenos nos grandes lábios, o que é?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A presença de caroços ou bolhas nos grandes lábios pode ser desencadeada por diferentes situações, sendo as mais comuns:

  • HPV (papilomavirus humano);
  • Herpes genital;
  • Bartolinite;
  • Alergia;
  • Inflamação (foliculite).

O HPV e a herpes, fazem parte do grupo de infecções sexualmente transmissíveis (IST), antigamente chamada de DST (doença sexualmente transmissível), mais frequentes na população.

O HPV se apresenta como bolinhas ou verrugas na vagina, nos pequenos, grandes lábios ou na vulva, que pode não coçar nem causar qualquer sintoma, além do desconforto da mulher coma aparência íntima.

No herpes, pode haver sintomas como uma gripe, dias antes das vesículas (bolhas), na vagina, períneo ou ânus, que se rompem e formam feridas com crostas posteriormente. Neste caso pode haver dor e ardência no local das feridas.

A bartolinite é a inflamação da glândula de Bartholin. Essa glândula tem a função de lubrificar a vagina. Na presença de uma inflamação, além dos carocinhos, é comum a queixa de dor e vermelhidão local.

A alergia, situações mais comuns em pessoas que tem tendência a reações alérgicas, pode ocorrer por um tecido da roupa íntima que desencadeie essa reação e apresentar diversas bolinhas que coçam e deixam o local mais avermelhado.

A foliculite, inflamação de pelos ou "cabelo encravado", pode causar também a formação de bolinhas, principalmente nos grandes lábios por ser uma região com muito pelo. Situação comum nas mulheres que fazem depilação com cera ou com lâminas, nessa região.

O que fazer no caso de nódulos ou caroços na vagina?

O tratamento deve variar um pouco de acordo com a causa desse problema, porém é importante seguir algumas recomendações:

  • Procure realizar a higiene íntima com sabonete adequado;
  • Faça uso de camisinha ou outro método contraceptivo de barreira, em todas as relações. É a única forma de evitar IST;
  • Faça a sua depilação com profissionais ou com material bem limpo, lâminas novas ou cera morna, para evitar a inflamação dessa região;
  • No caso de alergias frequentes, evite roupa íntima de material quente ou que não permita a transpiração da pele. Prefira roupas de algodão e confortáveis;
  • Durante o período menstrual faça trocas regulares dos absorventes.

Se mesmo com todos esses cuidados as bolinhas não desaparecerem entre 5 a 7 dias, procure um ginecologista para uma avaliação mais criteriosa. No caso de infecção, seja sexualmente transmissível ou não, pode ser preciso iniciar um remédio específico, como os antibióticos.

Quando procurar um médico?

No caso de bolinhas que não desaparecem dentro de poucos dias, que causem muito desconforto ou no caso de febre e ardência ao urinar, procure um médico, pois deve ser preciso iniciar um tratamento mais específico e evitar que o problema evolua ainda mais.

Para maiores esclarecimentos, converse com o seu ginecologista.

Saiba um pouco mais sobre as ISTs no seguinte artigo: Quais são os tipos de DST e seus sintomas?

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.