Pergunte ao Médico
Como Funciona

Vagina

Estou com caroços dentro da vagina em um dos lados...

Caroço nos grandes lábios da vagina pode ser característico de vários acometimentos como:

  • Bartolinite;
  • Foliculite;
  • Hematoma;
  • Linfogranuloma venéreo;
  • Cisto sebáceo e outro tipos de cistos;
  • Lipoma, etc.

Com as características apresentadas, pode tratar-se de uma inflamação no pelo da região, situação conhecida como foliculite.

Neste caso, não é indicado apertar, espremer ou estourar. Deve-se fazer a higiene local no momento do banho com água e sabão, sem a necessidade de usar nenhum outro produto de limpeza específico.

Caso a inflamação infeccione e transforme em abscesso com dor local, presença de pus, vermelhidão e inchaço, é necessária a drenagem para que o pus saia e alivie a dor, juntamente com uso de antibiótico.  

Se o caroço não regredir em alguns dias e vir acompanhado desses sintomas, a mulher deve procurar o/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para o diagnóstico e tratamento adequado.

Usando pomada vaginal posso ter relação?

Não pode ter relações enquanto usar a pomada, se tiver o tratamento pode não funcionar.

Só vai saber se a inflamação melhorou com esse tratamento se melhorar dos sintomas que fizeram você procurar o seu médico (caso não melhore ou o diagnóstico está errado, ou o tratamento está errado ou o tratamento é ineficiente contra seu tipo de inflamação, ou você não fez o tratamento de forma adequada).

Estou com um caroço nos grandes lábios da vagina: o que pode ser e qual o tratamento?

Caroço nos grandes lábios da vagina pode ser característico de vários acometimentos como:

  • Bartolinite;
  • Foliculite;
  • Hematoma;
  • Linfogranuloma venéreo;
  • Cisto sebáceo e outro tipos de cistos;
  • Lipoma, etc.

A causa mais comum de caroço na região da entrada da vagina é a inflamação da glândula de Bartholin. A bartolinite geralmente ocorre em apenas um lado dos grandes lábios e a mulher não apresenta dor nem nenhum outro sintoma além do caroço. Caroço de grande tamanho pode gerar desconforto para andar, sentar ou durante a relação sexual. Em mulheres com menos de 40 anos essa inflamação resolve sozinha, sem necessitar de drenagem ou biópsia.

Caso a inflamação infeccione e transforme em abscesso com dor local, presença de pus, vermelhidão e inchaço, é necessária a drenagem para que o pus saia e alivie a dor, juntamente com uso de antibiótico.  

Se o caroço não regredir em alguns dias e vir acompanhado desses sintomas, a mulher deve procurar o/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para o diagnóstico e tratamento adequado.

É possível perder a virgindade com o dedo?

Sim, é possível "perder a virgindade" com o dedo, se perder a virgindade nesse caso significa o rompimento do hímen. Qualquer objeto introduzido na vagina, inclusive os dedos, pode romper o hímen, o que usualmente está associado à perda da virgindade.

O hímen é uma película localizada na entrada da vagina e que normalmente se rompe quando a mulher perde a virgindade de fato, ou seja, durante a primeira relação sexual.

Porém, nem sempre acontece dele se romper na primeira vez, pois há hímens que são mais elásticos (complacentes) e a ruptura pode ocorrer só depois de várias relações. 

O rompimento do hímen provoca um pequeno sangramento e pode ou não causar alguma dor, dependendo do tipo de hímen.

Para tirar a dúvida de que o hímen pode ter se rompido com o dedo, consulte um médico ginecologista, pois ele pode facilmente ver se o hímen ainda está intacto no exame ginecológico.

Também pode lhe interessar:

Absorvente interno tira a virgindade?

Como saber se o hímen foi rompido?

Tem como o ginecologista saber quando perdi a virgindade?

Irritação na vagina tipo assadura com coceira e sangramento: o que é?

Irritação na vagina, tipo assadura, com coceira e sangramento é muito comum nas infecções vaginais tipo vaginose bacteriana ou infecção por fungo (como a candidíase).

No caso da candidíase, outro sintoma comumente observado é a presença de corrimento vaginal esbranquiçado ou amarelado. Os sintomas geralmente pioram antes da menstruação e melhoram no início do período.

A candidíase é bastante comum e não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST), embora o fungo causador da doença possa ser disseminado através do contato oral-genital.

O fungo causador da candidíase, a cândida, está naturalmente presente no canal vaginal, juntamente com várias outras bactérias. Os lactobacilos (um tipo de bactéria) contrabalanceiam a proliferação dos fungos no interior da vagina. Quando há um desequilíbrio na proliferação de cândida, temos um quadro de candidíase vaginal.

Alguns dos principais fatores de risco para candidíase:

  • Uso de antibiótico;
  • Gravidez;
  • Diabetes mellitus descontrolada;
  • Obesidade;
  • Uso de glicocorticoides e imunossupressores;
  • Uso de roupas de lycra e mal ventiladas;
  • Doenças autoimunes ou imunidade alterada;
  • Uso de ducha ou sabonete íntimo diário.

O tratamento da candidíase vaginal pode incluir:

  • Aplicação única ou aplicações diárias de cremes antifúngicos, supositórios ou óvulos;
  • Uso de antibióticos orais.

Outra situação em que pode haver irritação na vagina, parecida com uma assadura, com coceira e sangramento, é na vaginose bacteriana, sendo esta a principal causa de corrimento vaginal em mulheres na idade reprodutiva.

A vaginose caracteriza-se por um crescimento anormal de bactérias anaeróbias como Gardnerella vaginalis, Mobiluncus, entre outras, associado a uma diminuição de lactobacilos da flora vaginal normal.

Relações sexuais frequentes, uso de duchas vaginais ou período pré-menstrual favorecem a alteração da flora bacteriana vaginal, podendo desencadear a vaginose.

A vaginose bacteriana também não é considerada uma DST, embora a sua ocorrência seja maior em mulheres com número elevado de parceiros sexuais, sendo rara naquelas sexualmente inativas.

O tratamento da vaginose bacteriana inclui:

  • Uso de pomada ou creme vaginal;
  • Medicamentos antibióticos orais.

Para um diagnóstico e tratamento adequado, a mulher deve consultar o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral.

Coceira na vagina, o que é?

A coceira na vagina pode ocorrer devido à candidíase que é uma infecção vaginal muito frequente. Ela é causada por um fungo (Candida albicans) que está presente normalmente na vagina sem causar algum problema ou sintoma. Porém, em algumas situações, como períodos de muito estresse ou queda da imunidade, a quantidade desse fungo presente na vagina pode sofrer um aumento causando coceira intensa na vagina e na região próxima à ela, corrimento claro, esbranquiçado e sem cheiro, dor para urinar, dor na relação sexual e ardência. O seu tratamento baseia-se no uso de medicamentos antifúngicos por via oral ou vaginal.

A coceira ou prurido vaginal pode também ser causada por alergia à produtos, como no caso do sabão em pó usado para lavar a calcinha, ao sabonete e outros produtos usados para higiene íntima, ducha vaginal, ou ainda, ao próprio tecido da calcinha. As calcinhas que não são de algodão (material sintético) e o uso constante de calça jeans, principalmente em dias quentes podem levar à irritação das regiões próximas à vagina (vulva) causando coceira e também contribuindo para o aparecimento da candidíase. 

Leia também: Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

A menopausa é uma outra causa possível para a coceira vaginal que ocorre devido à redução da produção do estrógeno que ocorre nessa fase.O uso de lubrificantes locais ajudam a amenizar o problema.

O ginecologista é o profissional indicado para diagnosticar a causa para a coceira na vagina e indicar o tratamento adequado.

O que significa ter sangramento durante a relação sexual?

De uma forma geral, sangramento durante relação sexual está associado a algum tipo de lesão em colo uterino ou parede da vagina; em mulheres jovens as causas inflamatórias (inflamação, infecção e DSTs) são as mais comuns e em mulheres menos jovens as causas inflamatórias dividem espaço com lesões do tipo pré-cancerígena em colo uterino ou câncer de colo de útero.

Leia também: É normal o homem sangrar durante ou depois da relação sexual?

Minha vagina fica inchada e dolorida após a relação...

Não é normal, mas pode ocorrer sim. A relação do "ponto de vista" da vagina da mulher é uma agressão que machuca mesmo, a pele da vagina é muito fina e delicada e dependendo da relação (duração, lubrificação...) ela acaba inchando e ficando dolorida.

Inchaço, vermelhidão, coceira, irritação na vagina?

Inchaço, vermelhidão, coceira e irritação na vagina são sintomas de infecção vaginal, sendo a candidíase a mais provável. Caso não seja detectado nenhum micro-organismo causador de doenças, pode ser alguma irritação mecânica, química ou alérgica.

No caso da candidíase, trata-se de uma infecção da vulva e da vagina causada por um fungo (Candida albicans, Candida tropicalis, Candida glabrata, Candida parapsilosis) que habita a mucosa vaginal e a mucosa digestiva. Quando o ambiente torna-se favorável, o fungo se prolifera e ocasiona a candidíase.

Pode ser transmitido através de relações sexuais, embora essa já não seja considerada a principal forma de transmissão, uma vez que o fungo está naturalmente presente presente na flora vaginal das mulheres sem provocar nenhum sintoma.

Alguns fatores que favorecem o aparecimento da candidíase vaginal:

  • Diabetes;
  • Uso de antibióticos, contraceptivos orais, corticosteroides;
  • Gravidez;
  • Imunidade baixa;
  • Obesidade;
  • Roupas justas;
  • Clima quente.

O tratamento da candidíase é feito com medicamentos antifúngicos por via oral e também através de cremes vaginais.

Se for uma reação alérgica ou alguma irritação mecânica, é preciso investigar a causa e remover o agente agressor.

Cabe à/ao ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral diagnosticar a origem desses sintomas e prescrever um tratamento adequado. 

Estou com um corrimento marrom há duas semanas...

Deve ser somente algum tipo de infecção ou inflamação vaginal, deve ir a um ginecologista para tratar, mas fique tranquila, não deve ser gravidez. Se der atenção a tudo que as pessoas falam vai enlouquecer.

Corrimento marrom não é sinal de gravidez, ausência da menstruação depois de ter relação sexual desprotegida é sinal de gravidez.

Aquele lubrificante que sai do pênis pode engravidar?

É difícil engravidar nessa situação. não é impossível, mas as chances são muito pequenas. Mas respondendo especificamente sua pergunta: o lubrificante que sai do pênis pode conter espermatozoides e a mulher pode engravidar sim.

Estou sentindo muita coceira na minha vagina. O que pode ser?

Coceira na vagina pode ser indício de alguma infecção, baixa de imunidade, verruga genital ou alergia

A candidíase, em geral, é uma infecção vaginal frequente que causa coceira além de irritação e corrimento vaginal. 

Leia mais em: 

Inchaço, vermelhidão, coceira, irritação na vagina?

Irritação na vagina tipo assadura com coceira e sangramento, o que é?

Alguns produtos podem provocar reação alérgica na vagina, como por exemplo: sabonete, absorvente, duchas vaginais, perfume, desodorante, shampoo, condicionador, lenço umedecido, calcinha de nylon, látex, detergentes e amaciantes de roupa. 

Além da dermatite alérgica, outras doenças dermatológicas devem ser levadas em consideração no momento da avaliação da coceira vaginal. 

A mulher com coceira na vagina deve procurar  o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação. Além disso, ela deve observar a presença de outros sintomas como corrimento vaginal. 

Leia também: 

Corrimento vaginal é normal?

Nasceu uma verruga próximo à entrada da vagina, o que pode ser?