Perguntar
Fechar

Anemia

Qual é o risco da mulher grávida ter anemia profunda?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A anemia na gravidez aumenta o risco de complicações como parto prematuro, baixo peso ao nascimento, problemas cognitivos no bebê e morte do feto ou do recém-nascido. Uma grávida com anemia profunda também tem mais chances de ter hemorragias antes e depois do parto, o que eleva o risco de morte materna. 

A anemia diminui a resistência da gestante a infecções e aumenta em até 3 vezes a ocorrência de complicações na gravidez e no parto. Se não for tratada, durante o pós-parto a anemia pode causar ainda uma diminuição dos níveis cognitivos e das habilidades físicas da mulher, além de aumento do estresse e da instabilidade emocional.

O ferro participa no desenvolvimento cerebral do feto e é importante para as funções cognitivas do recém-nascido. A falta de ferro pode danificar permanentemente o cérebro do bebê e prejudicar a sua inteligência, cognição e comportamento, não só na infância como também na fase adulta.

Cerca de 40% das mulheres grávidas apresentam algum grau de anemia, sendo que em mais da metade dos casos a anemia é causada por deficiência de ferro. 

Isso acontece porque, durante a gestação, as necessidades de ferro da mulher aumentam cerca de 6 vezes. Se a grávida não conseguir obter ferro suficiente proveniente da alimentação, o seu organismo irá buscar nas suas reservas, instalando-se a anemia.

O tratamento e a prevenção da anemia durante a gravidez são importantes para prevenir possíveis complicações e proteger assim a saúde e a vida da mãe e do bebê.

Para maiores informações sobre os riscos e as formas de tratamento para a anemia na gestação, fale com o/a médico/a responsável pelo acompanhamento pré-natal.

Saiba mais em:

Como saber se tenho anemia?

Que alimentos são indicados para quem tem anemia?

Anemias Causas, Sintomas e Tratamentos – Anemia Ferropriva

Quais são os tipos de anemia e seus sintomas?

Posso usar sulfato ferroso junto com ácido fólico?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. Podem ser usados juntos, mas somente se o seu médico receitou dessa forma.

O sulfato ferroso está indicado para tratamento de casos de anemia ferropriva, para prevenção de anemia na gestante e prevenção de malformação fetal no pré-natal.

O ácido fólico é uma vitamina do grupo do complexo B, indicado para tratamento de certas anemias e prevenção de defeitos na formação do tubo neural no feto, durante o primeiro trimestre da gestação.

Por isso a medicação é tão importante durante o período pré-natal.

Qual a melhor maneira de usar o sulfato ferroso?

Algumas orientações são fundamentais para o uso correto desse e outros medicamentos.

No caso do sulfato ferroso, o uso conjunto de ácido fólico, comprovadamente aumenta sua absorção no organismo, por isso pode sim usar as duas medicações juntas e inclusive já é encontrado no mercado, uma formulação combinada dessas duas substâncias.

Enquanto isso, outras medicações como a cimetidina, omeprazol, levodopa e metildopa não devem ser usadas ao mesmo tempo que o sulfato ferroso, ou devem ser ajustadas as doses, porque sua interação causa a redução da absorção e ação do ferro.

Por esses motivos é tão importante manter o médico informado de todos os medicamentos que faz uso regularmente.

Outras recomendações para o uso correto de sulfato ferroso é que seja tomado sempre com água, o seu uso associado a leite e derivados, reduz seu efeito. Assim como o café e o chá preto, que também parecem inibir a reabsorção do ferro.

Outras indicações de sulfato ferroso

O sulfato ferroso também é usado para prevenir e tratar a anemia durante a gravidez, como suplemento alimentar durante a gravidez, amamentação, cuidados com o bebê recém-nascido de baixo peso e naqueles que por algum motivo não recebe aleitamento materno exclusivo.

Siga sempre as orientações do médico que o acompanha. Para maiores esclarecimentos pode agendar uma consulta com médico da família ou clínico geral.

Pode lhe interessar também: Pode tomar sulfato ferroso quando se está com suspeita de dengue?

O que é anemia megaloblástica e qual é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anemia megaloblástica é um tipo de anemia macrocítica caracterizada pela presença de células vermelhas maiores que o tamanho normal.

As causas da anemia megaloblástica podem ser:

  • Deficiência de vitamina B12;
  • Deficiência de folato;
  • Deficiência de cobre;
  • Uso de certas medicações.
  • Os sintomas da anemia megaloblástica podem ser:
  • Cansaço;
  • Palidez;
  • Diarreia;
  • Taquicardia;
  • Fraqueza.

O tratamento da anemia megaloblástica é realizado a partir da detecção da causa específica. Por isso, o tratamento será orientado após o reconhecimento da situação que está ocasionando a anemia megaloblástica. Isso poderá incluir:

  • Reposição de vitaminas, em especial a vitamina B12 e B9 (folato), vitamina C;
  • Uso de ácido fólico;
  • Suspensão de certas medicações;
  • Uso de suplementos alimentares;
  • Dieta equilibrada com o consumo de feijão, ovos, leite, carnes, peixes, vegetais de folha verde escura, fígado, leveduras, etc;
  • Transfusão sanguínea.

Na presença desses sintomas, procure uma unidade de saúde para uma avaliação.

Saiba mais em: Quais são os tipos de anemia e seus sintomas?

Anemia falciforme tem cura? Como é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A anemia falciforme não tem cura, porém, ao ser detectada é possível realizar um acompanhamento constante capaz de levar a uma boa qualidade de vida.

O objetivo do tratamento da anemia falciforme é controlar as crises dolorosas que a pessoa pode apresentar, além de prevenir possíveis infecções advindas em diversos órgãos.

Para isso, a pessoa deverá ter uma alimentação saudável, proteger devidamente os membros inferiores contra possíveis feridas fazendo uso de meias e sapatos adequados.

Além disso, é fundamental manter uma boa hidratação com a ingestão de água e outros líquidos.

Nos momentos de dor, é indicado uso de analgésicos e anti-inflamatórios para o controle da dor. Em algumas situações, poderá ser necessária a transfusão de sangue.

O transplante de medula óssea tem demonstrado uma via importante para o tratamento e cura da doença, porém, pela dificuldade em encontrar doadores compatíveis, essa opção não é válida para todas as pessoas portadoras de anemia falciforme.

Quero saber se que tem anemia pode fazer cirurgia?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Depende. Depende do grau de anemia, do médico que vai operar, do médico que vai anestesiar, da urgência da cirurgia, do estado do paciente...

O que é anemia falciforme?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anemia falciforme é uma doença hereditária que afeta os glóbulos vermelhos do sangue. Essas células, conhecidas como hemácias, são responsáveis pelo transporte do oxigênio para os diversos tecidos do corpo.

A pessoa com anemia falciforme apresenta um formato diferente de hemácia que fica em forma de foice. Com essa alteração no formato, o transporte do oxigênio fica limitado e a pessoa poderá apresentar certas complicações.

Ao nascer, a anemia falciforme pode ser diagnosticada pelo teste do pezinho. Nas demais idades, a anemia falciforme poderá ser investigada a partir do quadro clínico e confirmada por exames laboratoriais, como por exemplo, a eletroforese de hemoglobina.

Quais são os sintomas da anemia falciforme?

A anemia falciforme pode causar diversos sintomas, tais como crises dolorosas, dores articulares, palidez, cansaço, icterícia, atraso no crescimento e feridas nas pernas.

A partir do diagnóstico de anemia falciforme, a pessoa deverá ser acompanhada continuamente para manter uma qualidade de vida adequada, controlar as dores e prevenir infecções.

Qual é o tratamento para anemia falciforme?

O tratamento da anemia falciforme inclui o uso de medicamentos, medidas e cuidados especiais. O objetivo do tratamento é controlar as crises de dor e prevenir eventuais infecções que podem ocorrer em diversos órgãos.

Para aliviar a dor, são usados medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Em alguns casos de anemia falciforme, pode ser necessário realizar transfusão de sangue.

O transplante de medula óssea pode ser uma opção de tratamento para curar definitivamente a anemia falciforme. No entanto, por ser difícil encontrar doadores compatíveis, essa forma de terapia nem sempre é uma opção.

O tratamento da anemia falciforme inclui também a adoção de uma alimentação saudável, bem como a proteção adequada dos membros inferiores através do uso de meias e calçados adequados. Também é muito importante hidratar-se adequadamente.

A anemia falciforme não tem cura. Contudo, ao ser diagnosticada e tratada adequadamente, com um acompanhamento constante, a pessoa pode ter uma boa qualidade de vida.

O diagnóstico e tratamento da anemia falciforme é da responsabilidade do/a médico/a hematologista.

O que é anemia hemolítica e qual é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anemia hemolítica é uma anemia em decorrência da destruição prematura dos glóbulos vermelhos do sangue sem ser possível uma reposição em quantidade adequada pela medula óssea.

A anemia hemolítica pode ocorrer em determinadas situações como:

  • Uso de certas medicações;
  • Condições adquiridas geneticamente;
  • Processos crônicos e agudos;
  • Resposta errada do sistema imunológico;
  • Picada de cobra;
  • Distúrbios da coagulação;
  • Reação após transfusão sanguínea;
  • Malária.

O diagnóstico de anemia hemolítica é feito a partir da história clínica, exame físico e comprovação de exames de sangue laboratoriais.

O tratamento da anemia hemolítica é realizado a partir da detecção da causa específica. Por isso, o tratamento será orientado após o reconhecimento da situação que está acarretando a anemia hemolítica. Isso poderá incluir:

  • Suspensão de certas medicações;
  • Transfusão sanguínea;
  • Retirada do baço;
  • Uso de medicações.

Saiba mais em: 

Quais são os tipos de anemia e seus sintomas?

Hemácias normocíticas e normocrômicas é anemia?

O que é anemia perniciosa e qual é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anemia perniciosa é uma condição que acontece quando a pessoa é incapaz de absorver a vitamina B12 a partir da comida. Na anemia perniciosa, há falta de uma proteína localizada no estômago chamada fator intrínseco, que é responsável pela absorção da vitamina B12 pelo intestino. Sem absorver essa vitamina, o organismo apresenta déficit na quantidade de células vermelhas, caracterizando uma anemia.

A anemia perniciosa também pode ocorrer devido à falta de vitamina B12 na alimentação, uso de certos medicamentos, além de doenças no estômago e no intestino que prejudicam a absorção da vitamina.

Glóbulos vermelhos do sangue

A anemia é uma condição que ocorre quando o número de glóbulos vermelhos está baixo ou existe uma baixa concentração de hemoglobina dentro dessas células. A hemoglobina é uma proteína que se liga ao oxigênio, permitindo assim que os glóbulos vermelhos possam transportá-lo e distribuí-lo para o resto do corpo através do sangue.

Por quê a falta de vitamina B12 provoca anemia perniciosa?

A vitamina B12 é essencial para a produção de glóbulos vermelhos do sangue, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos. Por isso, a anemia perniciosa também é conhecida como anemia por deficiência de vitamina B12.

A vitamina B12 é proveniente da alimentação a partir de alimentos como ovos, carne vermelha, aves, peixes, leite e derivados. Porém, para que ela possa ser absorvida adequadamente pelo intestino, é necessário que as células localizadas na parede interna do estômago produzam uma proteína, que é o fator intrínseco. A ausência ou pouca quantidade de fator intrínseco causa anemia perniciosa.

Qual é o tratamento para anemia perniciosa?

O tratamento para anemia perniciosa é feito com a reposição de vitamina B12 de forma intensiva no momento do diagnóstico da doença e de forma mais espaçada após o controle dos sintomas.

A vitamina B12 normalmente é administrada através de injeções. No início do tratamento, a pessoa costuma receber injeções a cada 2 dias, durante duas semanas, ou todos os dias, durante uma semana. Depois desse período, a pessoa ainda recebe uma injeção por semana, durante 4 semanas.

Quando a anemia perniciosa tem como causa a falta de vitamina B12 na dieta, o tratamento também pode ser feito com comprimidos da vitamina.

Se a anemia perniciosa não for causada pela falta de vitamina B12 na alimentação, mas sim pela incapacidade do organismo em absorvê-la, pode ser necessário tomar injeções de vitamina B12 a cada 3 meses ou todos os meses, até o fim da vida.

Quais as causas da anemia perniciosa?

As principais causas de anemia perniciosa são a gastrite atrófica (enfraquecimento e inflamação da mucosa que reveste o estômago) e uma condição autoimune em que o sistema imunológico ataca e destrói o fator intrínseco ou as células do estômago que produzem a proteína.

A anemia perniciosa também pode ser causada pela falta de vitamina B12 na alimentação e uso de certos medicamentos, como metformina, omeprazol e ranitidina, que prejudicam a absorção do nutriente.

Em casos raros, a anemia perniciosa pode ser transmitida de pais para filhos (anemia perniciosa congênita). Nesses casos, o organismo do bebê não produz quantidades suficientes de fator intrínseco ou o seu intestino não é capaz de absorver adequadamente a vitamina B12.

Existem ainda alguns fatores de risco que favorecem o aparecimento da anemia perniciosa, tais como:

  • História anemia perniciosa na família;
  • Doença de Addison;
  • Doença de Graves;
  • Hipoparatireoidismo e hipotireoidismo;
  • Miastenia grave;
  • Mulheres com menos de 40 anos que perdem as funções dos ovários;
  • Diabetes tipo 1;
  • Disfunção testicular;
  • Vitiligo;
  • Síndrome de Sjögren;
  • Doença de Hashimoto;
  • Doença celíaca;
  • Pós-operatório da cirurgia de bypass gástrico.
Quais os sinais e sintomas da anemia perniciosa?

Os glóbulos vermelhos são responsáveis pelo transporte de oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo através do sangue. Com menos hemácias no sangue, menos oxigênio chega às células.

Os sintomas da anemia são consequência dessa diminuição da oxigenação dos órgãos e tecidos do corpo. No caso da anemia perniciosa, a pessoa poderá apresentar ainda sinais e sintomas da falta de vitamina B12.

Assim, uma pessoa com anemia perniciosa pode apresentar:

  • Dificuldades no pensamento, confusão mental;
  • Alterações de humor;
  • Dificuldade na memória;
  • Icterícia (pele e olhos amarelados);
  • Vermelhidão e dor na língua;
  • Feridas na boca;
  • Alteração ou diminuição da sensibilidade (dormência);
  • Perturbações visuais;
  • Irritabilidade;
  • Depressão;
  • Formigamento nas mãos e pés;
  • Alteração no equilíbrio;
  • Fraqueza;
  • Aceleração dos batimentos cardíacos;
  • Falta de ar;
  • Dor de cabeça;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Falta de apetite;
  • Dores musculares;
  • Desmaio;
  • Facilidade em adquirir infecções;
  • Aumento das chances de sangramento;
  • Palidez da pele e das mucosas.

Na presença desses sintomas, procure uma unidade de saúde para uma avaliação.

Saiba mais em: Hemácias normocíticas e normocrômicas é anemia?