Perguntar
Fechar
Quais as chances de contrair HIV se a camisinha estourar e ocorrer lesão no pênis?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

As chances de se contrair HIV se a camisinha estourar existem sempre, independentemente, de haver ou não uma lesão visível no pênis. Porém, no caso específico do seu amigo, se houve uma lesão visível no pênis, mesmo que não tenha sangrado, o risco de contrair HIV aumenta.

O mais indicado nessas situações é procurar um médico o mais rápido possível (máximo 72 horas) para iniciar o PEP (profilaxia pós-exposição), que evita a infecção definitiva pelo HIV.

Mesmo assim, o risco de ser infectado pelo HIV numa relação sem preservativo ou em que o mesmo se rompa, não é de 100%. Esse risco depende de vários fatores. Primeiro, se a outra pessoa tem ou não o vírus. Se ela não tiver HIV, a chance de infecção é de 0%.

Por outro lado, se a outra pessoa for portadora do vírus HIV e a camisinha se romper, o risco de contaminação depende muito da carga viral (quantidade de vírus) que ela tem no organismo. Quanto mais alta, maior é a chance de contrair o HIV. Além disso, hoje já se sabe que pessoas em tratamento com carga viral indetectável por mais de 6 meses praticamente não transmitem o vírus.

Vale ainda lembrar que o risco de transmissão é maior no sexo anal, principalmente se for receptivo, do que no sexo vaginal. Sexo oral apresenta risco de transmissão baixíssimo, sendo que para a pessoa que recebe sexo oral não há risco.

Caso tenha dúvidas sobre a transmissão do HIV, ou tenha entrado em situação de exposição ao vírus consulte um médico.

Saiba mais sobre o que é PEP?

É possível pegar HIV na primeira relação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. É possível pegar HIV na primeira relação.

A transmissão do HIV pode ocorrer através de relações sexuais desprotegidas com quem tenha o vírus HIV. Ou seja, numa relação sexual desprotegida, mesmo que seja na primeira vez, é possível ocorrer a transmissão do vírus HIV.

As outras formas de transmissão podem ser consultas aqui.

A melhor forma de se prevenir do HIV é usando preservativo em todas as relações sexuais, inclusive na primeira.

O teste de HIV e o preservativo são oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em casos de dúvidas, procure uma Unidade de Saúde mais próxima de você.

Também pode lhe interessar:

Estou com medo de ter pego HIV?

É possível pegar HIV através de uma mordida de pessoa infetada?

Meu namorado tem HIV (soropositivo), tive relação sexual com ele e a camisinha estourou. Posso ter contraído o vírus?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, é possível contrair o vírus HIV se a camisinha estourar.

Porém, há vários fatores que podem influenciar a contaminação nesse caso. Uma delas é a carga viral do seu namorado, ou seja, a quantidade de vírus HIV que ele tem circulando no organismo.

Também já se sabe que o HIV pode não ser transmitido numa única relação, embora exista o risco. Por isso, o melhor a fazer é procurar um médico o quanto antes, para que ele prescreva as medicações que reduzem a risco da infecção, chamada PEP (profilaxia pós-exposição).

Esse tratamento utiliza os mesmos medicamentos usados para tratar a AIDS, mas com o objetivo de tentar impedir que a infecção se estabeleça.

Para ser eficaz, o PEP tem que ser feito em até 72 horas após o contato com o vírus. Se já passou esse tempo, procure um médico infectologista para avaliação do seu caso e demais orientações médicas.

Pode lhe interessar também:

Será que estou com sintomas de HIV agudo?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os sintomas do HIV agudo caracterizam-se por:

  • Febre persistente;
  • Calafrios;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Dores musculares;
  • Manchas na pele;
  • Gânglios ou ínguas nas axilas, pescoço ou virilha, que podem demorar muito tempo para desaparecer.

Esses sintomas geralmente aparecem depois de 2 a 4 semanas em que houve contato com vírus.

Nem todas as pessoas manifestam os sintomas de uma infecção aguda do HIV. Entre 10 a 60% das pessoas podem ficar até 6 meses sem apresentar nenhum sintoma da infecção.

Embora o risco seja pequeno, é possível contrair o vírus HIV quando o preservativo rompe em uma relação sexual com uma pessoa soropositiva.

A melhor forma de saber se esses sintomas foram da infecção aguda do HIV é fazendo uma consulta detalhada com o/a clínico/a geral, médico/a de família ou infectologista. Na consulta, o/a profissional irá recolher os dados da sua história clínica sobre os sintomas que apareceram, examinar seu corpo e solicitar exames, caso seja necessário.

Leia também:

Quais os sintomas do HIV?

HIV tem cura?

Como é feito o exame do HIV?

Portador do vírus hiv pode não apresentar sintomas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A pessoa portadora do vírus HIV pode não apresentar sintomas

Entre 10 a 60% das pessoas que portam o vírus HIV no sangue podem não apresentar nenhum sintoma da doença. 

HIV é o vírus que afeta o sistema imune das pessoas podendo causar a AIDS, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Nem toda pessoa que tem o vírus HIV irá desenvolver a AIDS. Isso pode ser manejado com o controle e acompanhamento do tratamento. 

A infecção inicial ou aguda pode iniciar entre 2 e 4 semanas após o contato com o vírus e é caracterizada por sintomas comuns a outras síndromes virais, podendo passar despercebida.

Portanto, é possível uma pessoa ser portadora do vírus por vários anos sem apresentar nenhuma reação. Esse período em que a pessoa ficará sem sintomas irá depender de cada organismo e da competência de cada sistema imune em combater a infecção, por isso ele é muito variável.

Também pode lhe interessar: Existem doenças com sintomas parecidos com HIV?

O teste de detecção do HIV é simples e oferecido gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). A pessoa que apresenta o teste positivo, deve ser acompanhada pela equipe de infectologia em ambulatório especializado com o devido monitoramento dos sintomas e realização de exames complementares com frequência. 

Leia também: 

Como pode ocorrer a transmissão do HIV?

Quais os sintomas do HIV?

Como é feito o diagnóstico do HIV?

Como pode ocorrer a transmissão do HIV?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A transmissão do HIV pode ocorrer através de:

  • Relações sexuais desprotegidas com quem tenha o vírus HIV;
  • Transfusão de sangue contaminado com o vírus;
  • De mãe para filha/o durante gestação, parto ou pós parto;
  • Compartilhar agulhas contaminadas;
  • Acidente de trabalho com material cortante contaminado.

HIV é o vírus que afeta o sistema imune das pessoas podendo causar a AIDS, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Nem toda pessoa que tem o vírus HIV irá desenvolver a AIDS. Isso pode ser manejado com o controle e acompanhamento do tratamento.

As formas de prevenção do HIV consistem em:

  • Uso de preservativo em todas as relações sexuais;
  • Realização do pré-natal;
  • Uso de seringas e agulhas descartáveis;
  • Uso de equipamentos de proteção em ambientes de trabalho.

O vírus HIV NÃO é transmitido através de:

  • Talheres ou pratos;
  • Picadas de inseto;
  • Abraço ou aperto de mão;
  • Vasos sanitários;
  • Piscina;
  • Praia;
  • Doação de sangue;
  • Beijo;
  • Masturbação.

Também pode lhe interessar: É possível pegar HIV através de uma mordida de pessoa infetada?

O preservativo é fornecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), bem como o teste de HIV. Em caso de dúvidas, procure uma Unidade de Saúde mais próxima de você.

O que é janela imunológica do HIV?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A janela imunológica do HIVé o período compreendido entre a data da infecção pelo vírus HIV, causador da AIDS, e a data em que os anticorpos específicos contra o HIV produzidos pelo organismo são detectáveis em exames de sangue (soroconversão).

Os testes para verificar se alguém tem HIV são geralmente feitos através da detecção de anticorpos contra o vírus HIV no sangue da pessoa. Portanto, no período da janela imunológica, uma pessoa pode fazer o teste e o resultado dar falso negativo, ou seja, ela tem a doença, está com o vírus HIV na corrente sanguínea, mas ainda não produziu anticorpos específicos contra o HIV.

No caso do HIV, a janela imunológica varia muito, de 2 semanas a 120 dias. Daí o teste ser mais confiável se for realizado 3 meses após a suposta infecção (comportamento de risco, como por exemplo relação sexual desprotegida). O ideal é que o exame seja repetido depois de 6 meses. 

O teste anti-HIV conhecido como ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay​) é considerado altamente sensível e específico (próximo de 100%) para a detecção dos anticorpos contra o vírus HIV.

Saiba mais em: Para que serve o exame ELISA?

Entretanto, a janela imunológica de 3 a 6 meses deve ser respeitada, já que nesse período pode haver falsos negativos frequentes. Também podem ocorrer falsos negativos em AIDS no estágio final e agamaglobulinemia.

Já os falsos positivos (teste para HIV positivo, mas a pessoa não está infectada com o vírus) pode ocorrer em multíparas (mulheres que tiveram muitas gestações), vacinação recente contra hepatite B ou Influenzae, múltiplas transfusões sanguíneas e doenças autoimunes, entre outras condições.

Em caso se suspeita de HIV, por qualquer motivo, um médico clínico geral, médico de família ou um infectologista deverá ser consultado para avaliação, diagnóstico, tratamento e acompanhamento.

Também pode lhe interessar:

Como é feito o diagnóstico do HIV?

Como é feito o exame do HIV?

Qual o tempo de incubação do HIV?

Relação sexual sem proteção: quais os riscos?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Quando é praticada uma relação sexual sem proteção (especificamente sem camisinha - seja porque rasgou ou porque não foi usada na relação), existe o risco de ocorrer:

  • Gravidez não planejada;
  • Infecções por doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A camisinha (especialmente a masculina) é um excelente método de barreira contra agentes infecciosos de doenças sexualmente transmissíveis. Embora não seja 100% eficiente, pode chegar a um valor muito próximo disto para a maioria das doenças e também para a prevenção da gravidez.

Depois da prática sexual desprotegida, podem ser tomadas algumas medidas de prevenção em alguns casos particulares. Isso inclui, em relação ao HIV, o uso de medicamentos específicos até no máximo 72 horas após o contato sexual. Esses casos devem ser avaliados de acordo com determinados critérios, sendo assim, a pessoa deve se dirigir aos Serviços Ambulatoriais de Atenção Especializada em HIV e AIDS (SAE) ou aos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). Os endereços desses serviços em cada região podem ser encontrados no site do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde ou na página de serviços da Agência de Notícias da AIDS.

No que refere à prevenção da gravidez após relação sem proteção, existe a possibilidade do uso da "pílula do dia seguinte", método anticoncepcional de emergência que age de várias formas para impedir a gestação, em situações de emergência (estupro, falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, a já citada eventual relação sem proteção, etc). Idealmente, deve-se utilizar outros métodos contraceptivos seguros e eficazes a longo prazo.

Leia mais em:

Pílula do dia seguinte causa aborto?

Como saber se a pílula do dia seguinte funcionou?

e tomar a pílula do dia seguinte muitas vezes, ela perde o efeito?

A eficácia deste medicamento é maior quando é tomado até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%.

Portanto, para realizar uma relação sexual sem riscos, a pessoa deve se proteger utilizando, principalmente, o preservativo(camisinha) feminino ou masculino.