Perguntar
Fechar
Formigamento nas mãos, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A sensação de formigamento nas mãos pode ser causada por diversas doenças ou condições, como:

  • Compressão dos nervos mediano ou ulnar
  • Má circulação sanguínea
  • Acidente vascular cerebral (AVC) - "derrame"
  • Ansiedade e depressão
  • Doenças da coluna cervical - Hérnia de disco
  • Siringomielia
  • Síndrome do desfiladeiro torácico
  • Tumor
  • Artrite reumatoide
  • Neurite, polineurites
  • Hanseníase
  • Obesidade
  • Infecções
  • Esclerose múltipla
  • Gravidez
  • Efeitos colaterais de medicamentos.
Compressão de nervo

Uma das causas mais comuns de formigamento nas mãos é pela compressão do nervo mediano ou nervo ulnar, responsáveis pela inervação da mão. O uso excessivo das mãos, como trabalhos manuais, digitação, entre outras, é uma causa comum. A compressão prolongada da região, por exemplo quando adormecemos por cima do braço ou da mão, também podem causar esse sintoma.

O tratamento varia de acordo com a causa, se for um sintoma passageiro, como devido a compressão prolongada, a melhora é espontânea aliviando a pressão.

Quando a causa for uma compressão fixa, por uso contínuo, levando a chamada Síndrome do túnel do carpo, pode ser tratada com fisioterapia ou cirurgia.

Síndrome do túnel do carpo

Entre as doenças relacionadas à compressão de nervos, a mais conhecida é a síndrome do túnel do carpo, que acontece principalmente em mulheres por volta dos 40 anos de idade, mas pode aparecer também em homens e pessoas mais jovens. Está relacionada à compressão dos nervos do punho.

Essa compressão pode aparecer por inchaço do punho, que pode ocorrer no período da menopausa, durante a gravidez, no hipotireoidismo ou por consequência de traumas (pancadas) ou compressão na região.

Compressão do nervo ulnar

O nervo ulnar é responsável pela inervação da face medial da mão. O nervo segue o trajeto do osso ulnar do antebraço. Esse nervo é bem superficial na região do cotovelo, sendo ele o responsável pela sensação de "choque" ao bater com o cotovelo.

O formigamento e a dormência nas mãos também podem surgir ao ficar apoiado sobre o cotovelo fletido. Nesses casos, o formigamento costuma ocorrer nos dedos mínimo ou anelar.

LER - Lesão por esforços repetitivos

A compressão causada por esforços repetitivos é muito frequente, em especial nas pessoas que utilizam demais os dedos para trabalhar, como por exemplo quem trabalha com computador e pianistas.

Má circulação sanguínea

Com relação à alteração da circulação, doenças como hipertensão, diabetes e outras doenças crônicas, costumam causar inflamação nos vasos, a vasculite, podendo levar ao sintoma.

A diminuição do fluxo sanguíneo no local pode causar formigamento, dor, mudança na cor dos dedos, que ficam mais pálidos devido à diminuição da irrigação sanguínea.

AVC - Acidente Vascular Cerebral (“derrame”)

Formigamentos de início súbito, especialmente quando associados a outros sintomas também de início súbito, como dor no peito, fraqueza, alterações visuais, alterações da fala, alterações de comportamento, dificuldade para andar, desmaio entre outros, pode ser sinal de infarto ou AVC (derrame). Nesse caso, um pronto-socorro deve ser procurado imediatamente.

Ansiedade e Depressão

Durante as crises de ansiedade e depressão, neurotransmissores são liberados, levando a diversos sintomas adrenérgicos, sendo um deles o formigamento nas mãos, na face, entre outras localizações.

Doença na coluna cervical - Hérnia de disco

Outra situação de compressão nervosa não relacionada ao túnel do carpo é a hérnia de disco. Nesse caso, a raiz do nervo, que é localizada na coluna vertebral, acaba sendo "beliscada" pelos ossos vertebrais toda vez que o indivíduo vira o pescoço ou fica em determinada posição. Esse "beliscão" pode ser sentido como um formigamento intenso e súbito, que melhora quando o corpo volta à posição anterior.

O pinçamento da raiz nervosa também pode ocorrer em casos de bico-de-papagaio e tensão muscular.

Doenças inflamatórias e medicamentos

Doenças inflamatórias crônicas como a artrite reumatoide e o uso de alguns medicamentos também podem favorecer ao aparecimento desse sintoma.

O que fazer em caso de formigamento nas mãos?

Para tratar o formigamento nas mãos, é necessário identificar a causa, que, na maioria dos casos, é provocada por compressão nervosa. O tratamento nesses casos pode ser feito através de cirurgia para aliviar a pressão no nervo, além de medicamentos anti-inflamatórios. A fisioterapia pode ser indicada em alguns casos.

Se o formigamento for causado por tensão muscular, bico de papagaio ou hérnia de disco, o formigamento pode ser aliviado com exercícios de alongamento para o pescoço. Ao alongar a musculatura cervical, a pressão sobre os discos intervertebrais diminui, aliviando a compressão da raiz nervosa e, consequentemente, o formigamento.

Alongamento para formigamento nas mãosExercício 1

1. Na posição sentada ou em pé, puxe a cabeça para o lado com uma das mãos, tentando encostar a orelha no ombro; 2. Mantenha a posição por 30 segundos; 3. Repita o mesmo movimento do lado oposto; 4. Repita os alongamentos até completar 3 séries (3 vezes de cada lado).

Exercício 2

1. Na posição sentada ou em pé, entrelace os dedos atrás da nuca e puxe a cabeça para frente, até encostar o queixo no peito; 2. Mantenha a posição por 30 segundos; 3. Repita o alongamento por 3 vezes.

Em todo caso, para ter o diagnóstico mais preciso em cada situação, é fundamental procurar um/a médico/a da família ou clínico/a geral para definir o tipo de tratamento mais adequado.

Leia também:

Dormência no rosto, o que pode ser?

Dormência nas mãos, quais são as causas?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Várias doenças e condições podem levar à dormência nas mãos. Cito-as abaixo:

  • Síndrome do túnel do carpo: é a causa mais frequente. Decorre de uma compressão do nervo mediano no punho, quando ele atravessa um túnel juntamente com os tendões flexores da mão. Acontece inicialmente dormência, seguida de dor e mais tardiamente atrofia de parte dos músculos da mão. É importante investigar diabetes, obesidade e hipotiroidismo, pois podem estar associados. Os sintomas são insidiosos e vão aumentando lentamente. Predominam nas mulheres e pioram muito à noite. Os sintomas não afetam o dedo mínimo, pois esse dedo e metade do dedo anelar são inervados por outro nervo (o nervo ulnar). O tratamento é cirúrgico, quando é feita a descompressão do nervo pelo médico ortopedista.
  • Hérnia de disco cervical.
  • Costela cervical.
  • Síndrome do desfiladeiro torácico: quando ocorre compressão de vasos que irrigam os nervos e músculos da mão.
  • Artrite reumatóide: doença em que há ataque às articulações.
  • Hanseníase.: doença infecciosa que afeta os nervos, conhecida antigamente como "lepra".
  • Esclerose múltipla: doença auto-imune, em que há ataque aos nervos.
  • gravidez.
  • Depressão e estados de ansiedade.

O médico neurologista ou ortopedista deverá avaliá-lo para adequados diagnóstico e tratamento.

Saiba mais em: Sinto dormência nos pés, o que pode ser?

Dor nas costas ao respirar, o que pode ser?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

Dor nas costas ao respirar pode ter várias origens, mas a maioria destas é de origem muscular, ou seja, relacionada a algum mau jeito, a carregamento de peso excessivo ou postura inadequada. Dor que aparece somente ao respirar pode ainda ser sintoma de uma lesão das costelas, desde que haja história de alguma pancada intensa na região do tórax.

Além disso, as pessoas costumam associar esse tipo de sintoma a doenças pulmonares como a pneumonia. Essa relação até pode ser verdadeira, mas em geral o paciente vai apresentar não somente a dor isolada, mas também outros sintomas, como por exemplo febre, tosse e falta de ar.

De qualquer modo, somente um médico poderá examinar e determinar a causa exata e o tratamento necessário para o alívio dessa dor.

Também pode lhe interessar: O que pode causar dor nas costas?

Dor nas costas do lado esquerdo, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A maior parte dos casos de dor nas costas, seja do lado esquerdo ou direito, é de origem muscular, normalmente causada por algum mau jeito, excesso de peso carregado ou postura ruim. A dor costuma ser mais frequente na região lombar (parte inferior das costas).

Algumas dores nas costas, entretanto, podem ser sintomas de problemas de coluna, problemas no pulmão, cálculo renal, herpes zoster, ou certos tipos de câncer, embora seja muito mais raro.

As alterações posturais da gravidez e o próprio envelhecimento natural da coluna também podem provocar dor nas costas.

Outras causas comuns de dor nas costas são:

  • Excesso de peso,
  • Traumatismos,
  • Estresse, ansiedade, depressão,
  • Trauma, fraturas,
  • Artrite, artrose, entre outras.

A dor nas costas pode ter início súbito, depois de um esforço por exemplo, ou ser crônica. Um caso comum de dor crônica é o desgaste da coluna devido a idade e sedentarismo.

E um caso comum de dor aguda é a hérnia de disco, quando acontece a compressão de uma raiz nervosa, desencadeando a dor irradiada para o glúteo ou membros inferiores.

Dor nas costas por um problema muscular

A dor muscular é localizada, piora com a movimentação, é do tipo aperto ou "dolorimento" e na maioria das vezes tem uma história prévia de pancada, esforço físico ou treino esportivo intensificado.

Dor nas costas por problemas pulmonares

A dor nas costas relacionada a problemas pulmonares costuma vir associada a outros sintomas como: tosse, seca ou com catarro, dor que piroa com a respiração profunda ou quando tosse, febre e mal-estar.

Dor na lombar pode ser cólica renal?

Sim. A dor lombar, no lado direito ou esquerdo, pode ser um sintoma de cólica renal, chamada também de cólica renal.

A dor devido uma cólica renal é intensa e contínua, não melhora com o repouso, com analgésicos simples, nem com alguma posição específica. Ela se mantém e se localiza na região do dorso, de um lado, podendo ser irradiada para a virilha ou abdômen.

Dor nas costas de origem nervosa

A dor de origem nervosa, por compressa de uma raiz como na hérnia de disco, problemas crônicos de coluna e artroses, por exemplo, desencadeia uma dor intensa, mas não contínua, descrita como "choques" ou fisgadas, que seguem o trajeto do nervo que está sendo comprimido.

Como a coluna lombar costuma ser a localização mais comum, a dor frequentemente se inicia na região lombar e segue para o glúteo, coxa, face lateral da perna podendo alcançar o pé, do mesmo lado.

No caso de herpes zoster, doença causada pelo mesmo vírus da catapora, o vírus é reativado e agride um trajeto do nervo, mais comum na região do dorso, causando uma dor intensa em queimação, vermelhidão, bolhas e sensibilidade aumentada na região.

Qual o tratamento para dor nas costas, do lado esquerdo?

O tratamento deve ser direcionado para a causa da dor.

Na dor nas costas por problemas musculares, o tratamento não medicamentoso com yoga, osteopatia e meditação, por exemplo, muitas vezes resolve por completo os sintomas, reduzindo a necessidade de medicamentos. Além disso, promove fortalecimento muscular e oriento quanto a reeducação postural e medidas para controle de ansiedade, diminuindo os episódios de crises de dor.

No entanto, quando não for suficiente, o médico deve incluir medicamento relaxante muscular e antiinflamatórios, se não houver contraindicação ou alergia a composição destes.

Os problemas pulmonares devem ser avaliados e tratados pelo pneumologista. Nos casos de pneumonia, é preciso iniciar antibioticoterapia o mais precoce possível para evitar complicações, como a infecção generalizada. Nos problemas de pleura (película que recobre os pulmões), pode ser preciso intervenção cirúgica.

Já nos casos de dor nas costas por problemas renais, o tratamento é mais específico. Para infecção de via urinária, é preciso iniciar antibióticos. Nos casos de cálculo renal, pode ser preciso intervenção cirúrgica e retirada do cálculo além das medicações para alívio da dor. Cabe ao médico urologista avaliar caso a caso.

Na dor nas costas por problemas neurológicos, de compressão de nervo, também é indicado inicialmente: repouso, relaxante muscular e fisioterapia. Se não for suficiente ou se o disco vertebral romper, pode ser preciso cirurgia de urgência para evitar a perda de força irreversível, naquele membro.

No herpes zoster, o tratamento é feito com uso de antiviral e analgésicos potentes, pela intensidade da dor.

Quando devo me preocupar?

Quando a dor nas costas estiver associada a sintomas como os relacionados abaixo, é preciso procurar um atendimento médico com urgência. Os sinais e sintomas são:

  • Febre
  • Tosse com catarro
  • Dificuldade de respirar
  • Urina com sangue ou com ardência
  • Emagrecimento sem motivo aparente

Para maiores esclarecimentos e avaliação criteriosa, procure um médico de família ou clínico geral.

Leia também:

O que pode ser dor na virilha e o que fazer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Dor na virilha esquerda ou direita pode ter várias causas. As causas mais comuns nas mulheres e nos homens incluem:

  • Distensão muscular;
  • Osteoartrose ou problemas articulares do quadril;
  • Hérnia inguinal;
  • Litíase renal (pedras nos rins);
  • Infecções e linfonodos aumentados (ínguas).

A virilha é a região localizada na dobra entre a coxa e o abdômen. A virilha não abrange apenas a parte interna da coxa, mas também a região inguinal e a articulação do quadril.

Por se tratar de uma região com muitas estruturas importantes, a dor na virilha pode ter diversas causas. Vejamos algumas causas frequentes:

Artrose do quadril e problemas articulares

Se a dor na virilha estiver localizada ou irradiar para a parte externa da coxa, pode estar relacionada com a articulação do quadril, formada pelo fêmur e o osso da bacia.

Nesses casos, a dor piora ao realizar movimentos de rotação ou flexão da coxa, como, por exemplo, entrar ou sair do carro, fletir a perna para colocar uma meia ou calçar um sapato ou ainda sentar-se num assento baixo.

Uma possível causa para a dor na virilha nesses casos é a artrose da articulação do quadril. Trata-se de um desgaste da cartilagem articular, que afeta sobretudo pessoas idosas. Quando ocorre em indivíduos mais jovens, geralmente está associada ao excesso de atividade física.

À medida que o problema evolui, aumenta a dificuldade em realizar determinados movimentos, que causa dor principalmente ao girar a perna ou flexionar a coxa.

Veja também: Dor no quadril, o que pode ser e o que fazer?

Distensão muscular

Quando a dor na virilha ocorre depois de praticar esportes, pode estar relacionada com uma lesão muscular, provavelmente uma distensão. Esse tipo de dor na virilha costuma ser facilmente identificada, porque a pessoa normalmente lembra-se bem do momento da lesão.

A dor na virilha nesses casos é bem localizada, situando-se na região da lesão muscular. A dor normalmente piora com o estiramento da musculatura que está lesionada, como ao abrir as pernas, por exemplo.

Leia também:Distensão muscular: o que é e quais os sintomas?

Hérnia inguinal

Se a dor na virilha piora ao fazer força, como tossir, evacuar ou levantar peso e se a pessoa notar alguma saliência na região inguinal, próxima à virilha, pode ser uma hérnia inguinal. Nesses casos, a saliência na virilha surge com o esforço e desaparece com o repouso.

Geralmente a dor da hérnia inguinal se localiza em um dos lados da virilha, ou a esquerda, ou a direita, nas mulheres a dor pode irradiar para os grandes lábios vaginais, já nos homens a dor pode irradiar para os testículos.

Litíase renal (pedras nos rins)

A dor que caracteriza a presença de pedras nos rins (cálculos renais), em geral, localiza-se na região inferior e lateral das costas, na região lombar.

Porém, à medida que a pedra se desloca pelo trato urinário, pode causar dor em diferentes partes do corpo. Quando chega à bexiga, pode provocar dor na virilha. Nos homens, a dor também pode atingir os testículos e, nas mulheres, a vagina.

A dor da litíase renal é em cólicas, ou seja, é uma dor que surge e vai aumentando de intensidade gradativamente, atinge um pico de dor e depois começa a passar gradualmente. É uma dor de moderada a forte intensidade.

Outros sinais e sintomas que costumam estar presentes em caso de pedra nos rins incluem a presença de sangue na urina, náuseas e vômitos.

Infecções e formação de ínguas

Alguns processos infecciosos como pielonefrite, prostatites ou infecções ginecológicas como, a doença inflamatória pélvica também podem causar dor na virilha e na região pélvica.

Se houver alguma infecção nos membros inferiores, genitais ou órgãos da bacia, pode ocorrer um aumento dos gânglios linfáticos da virilha. Nesses casos, surgem nódulos ou caroços dolorosos na virilha (“ínguas”).

Algumas doenças sexualmente transmissíveis também podem causar aumentos dos gânglios linfáticos, como a sífilis, gonorreia ou linfogranuloma venéreo.

Diferenças entre as causas de dor na virilha em homens e mulheres

Algumas causas específicas de dor na virilha no homem são a prostatite (inflamação da próstata) e a presença de inflamação ou tumor no testículo.

Nas mulheres, gravidez (especialmente nos meses finais), gravidez ectópica, mioma, cisto no ovário e infecções ginecológicas também podem cursar com dor na virilha.

A presença de cisto no ovário, ou de gravidez ectópica pode ocasionar um quadro de dor na região da virilha, ou pelve, de um único lado, ou a esquerda, ou a direita.

Qual o tratamento para dor na virilha?

O tratamento depende da causa da dor na virilha. Quando a dor na virilha é provocada por distensões musculares, artrose, bursite e gestação, muitas vezes o tratamento é baseado no uso de analgésicos e anti-inflamatórios, além de fisioterapia ou acupuntura.

No caso de apendicite ou hérnia inguinal o tratamento é através da realização de cirurgia.

Se a dor na virilha for provocada por prostatite, infecção de urina, formação de ínguas ou outras infecções, o tratamento pode ser feito com medicamentos antibióticos.

Para o correto diagnóstico da causa de dor na virilha, deve-se procurar um clínico geral ou médico de família, para os casos mais crônicos (que duram semanas a meses), ou um pronto atendimento, se a dor for aguda e especialmente se estiver associada a febre ou outros sintomas como alterações urinárias ou intestinais.

Também pode ser do seu interesse:

Tenho um caroço na virilha, o que pode ser?

Dor lombar no lado direito, o que pode ser?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

A maioria das dores nas costas, independente do lado, é de origem muscular, ou seja, causada por algum esforço físico feito de maneira exagerada ou incorreta. Não existe nenhum órgão localizado no lado direito nas costas que exija alguma atenção ou preocupação especial.

As principais causas de dor muscular incluem carregar peso excessivo (inclusive o próprio peso, no caso de pessoas obesas), ter uma postura ruim e outros hábitos que acabam esforçando a musculatura.

Em alguns casos, entretanto, ela pode ser sinal de doenças mais sérias, como por exemplo inflamações dos ossos, tendões e músculos, além de infecções urinárias e de pele, ou até mesmo alguns tipos de câncer.

De maneira geral, a melhora na postura associada a alongamento e atividade física leve podem ajudar bastante no alívio dos sintomas, mas é sempre importante que a pessoa procure um médico para uma avaliação mais detalhada, principalmente nos casos em que as dores durarem muito tempo ou não melhorarem com analgésicos comuns.

Dor nas costas ao tossir e espirrar, o que pode ser?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

A maioria das dores nas costas é de origem muscular, ou seja, relacionada a algum mau jeito, carregamento de peso excessivo ou postura inadequada. Em quem está resfriado, com tosse ou espirros muito frequentes, o esforço que a pessoa faz para realizar esses movimentos pode cansar os músculos do tórax, e isso provoca a dor.

Além disso, as pessoas costumam associar esse tipo de sintoma a doenças pulmonares como a pneumonia. Essa relação até pode ser verdadeira, mas em geral o paciente vai apresentar não somente a dor isolada, mas também outros sintomas, como por exemplo febre, prostração e falta de ar.

De qualquer modo, somente um médico poderá examinar o doente e determinar a causa exata e o tratamento adequado ou a investigação necessária.

Saiba mais em: O que pode causar dor nas costas?

Dor no cóccix: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dor no cóccix, principalmente ao sentar e levantar, pode ter várias causas. As mais comuns são: instabilidade do cóccix, espícula óssea no cóccix, cóccix desalinhado, cóccix rígido, espasmos musculares e cisto pilonidal sacrococcígeo. Outras possíveis causas de dor no cóccix incluem tumores na região, degeneração de discos lombares e aracnoidite de nervos sacrais.

O cóccix é um osso localizado no final da coluna vertebral, abaixo do sacro, formado por 4 ou 5 pequenos ossos bem superficiais, sobretudo em pessoas com pouca gordura e músculos no local.

Instabilidade do cóccix

É a principal causa de dor no cóccix, que faz com que o cóccix se desloque mais do que é normal quando a pessoa muda de posição, como se sentar ou levantar.

Essa instabilidade do cóccix por ter como causa: traumas (pancada), quedas, parto normal, acidentes de carro e ação do hormônio relaxina, produzido durante a gravidez.

Traumas

A dor no cóccix causada por traumas (pancadas) geralmente surge depois de uma queda com traumatismo no local. As dores nesses casos podem ou não estar associadas a fraturas.

Após o traumatismo, a dor tende a melhorar em duas semanas com analgésicos e proteção local. Quando há fratura, a dor pode demorar até 3 meses para passar. Quando a dor se torna crônica, pode necessitar de fisioterapia, infiltrações ou cirurgia.

Quando a causa da dor no cóccix não é traumática, normalmente está relacionada com distúrbios posturais ao sentar e mobilidade excessiva do cóccix.

Nesses casos, a dor pode surgir depois de viagens longas, períodos em que a pessoa ficou sentada por muito tempo em locais rígidos ou desconfortáveis ou ainda depois de algum exercício físico, uma vez que o local é um ponto importante de inserção de músculos e ligamentos.

Gravidez

Durante a gravidez, a ação dos hormônios provoca frouxidão dos ligamentos, o que aumenta a mobilidade do cóccix e a ocorrência de dor.

Parto normal

No caso do parto normal, principalmente se o parto for difícil e houver necessidade de usar o fórceps, a pressão no cóccix pode causar dor. Em geral, a dor no cóccix resultante do parto normal é causada por alguma contusão óssea ou lesão no ligamento.

Espícula óssea no cóccix

As espículas são redes finas de fibras com depósitos calcificados entrelaçados e só podem ser vistas em radiografias de boa qualidade ou exames de imagem com melhor definição.

Cóccix desalinhado

Se o cóccix estiver virado para um dos lados ao invés de estar na linha média do corpo, pode causar dor.

Cóccix rígido

Ao se sentar, o cóccix sofre uma ligeira flexão. Porém, se estiver rígido pode causar dor.

Espasmos musculares

Algumas disfunções musculares causam espasmos em determinados músculos do assoalho pélvico, provocando dor. Um deles é o anococcígeo, que está ligado ao cóccix.

Cisto pilonidal sacrococcígeo

Trata-se de um cisto ou abscesso na região do cóccix que pode conter restos de pelos. Se o cisto estiver inflamado, pode formar pus e vazar, causando bastante dor quando a pessoa está sentada. Se inflamar constantemente ou aumentar de tamanho, deve ser removido através de cirurgia.

Qual o tratamento para dor no cóccix?

O tratamento para dor no cóccix é feito com medicamentos anti-inflamatórios, banhos de assento com água quente, proteção almofadada para se sentar, fisioterapia, infiltrações com corticoide (quando os outros tratamentos não melhoram o quadro) ou remoção completa do cóccix através de cirurgia, se os restantes tratamentos falharem.

O tratamento inicial da dor no cóccix é feito com medicamentos, fisioterapia e proteção do local, que pode ser feita com almofadas especiais.

Quando o tratamento conservador não melhora a dor no cóccix, pode ser indicada infiltração com anestésico e corticoide no local e no gânglio que inerva a região. A infiltração alivia a dor no cóccix e reduz a inflamação no local. Ao sair da crise, a pessoa pode começar a reabilitação.

Em caso de dor no cóccix, você pode procurar o/a médico de família, clínico/a geral ou ortopedista.