Perguntar
Fechar
Para que serve erva-cidreira e quais são os seus benefícios?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A erva-cidreira, de nome científico Melissa officinalis, é uma planta com propriedades calmante, sedativa, digestiva, carminativa (contra gases) e antiespasmódica (contra cólicas). Pode ser consumida sob a forma de chá, extrato, tintura e óleos essenciais. Devido aos seus benefícios, a Melissa, como também é conhecida, serve para auxiliar o tratamento de casos leves de ansiedade, insônia, má digestão, distúrbios estomacais e cólicas abdominais e menstruais.

Os benefícios da erva-cidreira são devidos aos compostos presentes na Melissa officinalis, como óleos essenciais, glicosídeos, ácido rosmarínico, flavonoides e triterpenos. Dentre eles, destaca-se o ácido rosmarínico.

As propriedades sedativa, ansiolítica, carminativa e antiespasmódica da erva-cidreira são comprovadas por estudos científicos. Por isso, o benefícios da Melissa são reconhecidos pela medicina e a planta faz parte da lista dos fitoterápicos reconhecidos pela ANVISA.

É importante não confundir a erva-cidreira com o capim-limão ou capim-cidreira (Cymbopogon citratus) que, apesar de terem propriedades semelhantes, são plantas diferentes.

Quais são os benefícios da erva-cidreira?Ação ansiolítica e sedativa

A erva-cidreira é muito conhecida e usada pelas sua leve ação calmante e sedativa, ajudando a combater o nervosismo o estresse, a ansiedade e a insônia. Para ajudar a dormir melhor, recomenda-se tomar a chá de erva-cidreira uma hora antes de se deitar.

Ação antiespasmódica

A erva-cidreira tem ação antiespasmódica. Isso significa que a Melissa inibe os espasmos dos músculos lisos presentes em órgãos como intestino, estômago, bexiga, esôfago e útero, aliviando cólicas e desconfortos digestivos.

Ação carminativa

Outro benefício da erva-cidreira é o seu efeito carminativo, ou seja, diminui a formação de gases no estômago e no intestino. Por isso, a erva-cidreira também é indicado para aliviar e prevenir eructação (arrotos) e gases intestinais.

Ação antimicrobiana, anti-inflamatória e analgésica

De acordo com alguns estudos, o óleo essencial e o extrato de raiz da Melissa officinalis têm propriedades antimicrobianas, anti-inflamatórias e analgésicas. Dessa forma, a erva-cidreira também pode ser usada para combater inflamações, dores e infecções causadas por vírus e bactérias.

Como fazer chá de erva-cidreira?

Ingredientes (receita 1):

  • 2 colheres de sopa de erva-cidreira seca ou 4 g de folhas frescas picadas da planta;
  • 150 ml (1 xícara de chá) de água.

Ingredientes (receita 2):

  • 30 g de folhas frescas picadas de erva-cidreira;
  • 1 litro de água.

Como fazer:

1. Leve a água ao fogo até levantar fervura;

2. Quando começar a ferver, desligue o fogo, adicione a erva-cidreira e deixe tapado por 15 minutos;

3. Beba 2 a 3 xícaras de chá de erva-cidreira por dia.

Quais as contraindicações da erva-cidreira?

A erva-cidreira é contraindicada para pessoas com pressão baixa (hipotensão) e hipotireoidismo, pois a Melissa inibe a função da glândula tireoide e pode baixar a pressão arterial. Mulheres grávidas ou que estão amamentando só devem tomar o extrato, a tintura ou o chá de erva-cidreira com orientação médica.

Posso tomar homeopatia sem que corte o efeito do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Remédios homeopáticos não cortam efeito dos anticoncepcionais.

Você pode tomar homeopatia e continuar tomando o seu anticoncepcional normalmente. Sempre é importante informar ao/à médico/a quais os remédios que você faz uso. Isso inclui o anticoncepcional.

Durante a consulta, tanto o/a médico/a homeopata quanto o/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologista poderão informar as interações possíveis que podem acontecer com o uso do anticoncepcional.

A homeopatia está enquadrada dentro da Medicina Integrativa ou Completar. Ela aplica a teoria de que as mesmas substâncias naturais capazes de desenvolver sintomas e doenças também têm o poder de curá-las. Com isso, é possível utilizar as mesmas substâncias que causam os sintomas das doenças para tratá-las. Essas substâncias são bem diluídas em água, até que fique uma quantidade que seja o suficiente para aliviar esses sinais, em vez de intensificá-los.

A homeopatia pode ser indicada para diversos tratamentos que podem incluir: alergias, infecções virais, doenças ginecológicas, respiratórias, dermatológicas e de trato gastrointestinal. Ela também pode ser indicada como um tratamento complementar à depressão, quando a pessoa já está incluída em um tratamento multidisciplinar com psicoterapia.

Lembre-se de utilizar medicamentos apenas com indicação médica e na dosagem, frequência, e período indicados na receita médica.

Óleo de Copaíba: quais os seus benefícios e riscos para a saúde?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O óleo de Copaíba é bastante usado na medicina popular, como um bom anti-inflamatório e antisséptico fitoterápico, embora sem comprovação científica.

Já foi registrado e, portanto, aceito pela agência nacional de vigilância sanitária (ANVISA), como fitoterápico da classe de anti-inflamatórios, porém seu registro encontra-se cancelado atualmente.

Além disso, alguns trabalhos indicam presença de substâncias tóxicas no óleo, que sugere riscos à saúde, como distúrbios gastrointestinais, metabólicos e reações alérgicas. Sendo assim, deve ser utilizado apenas sob orientação de profissional de saúde especializado ou um/a fitoterapeuta.

Propriedades do óleo de copaíba

Os estudos descrevem benefícios ainda escassos do óleo de copaíba para a saúde. As pesquisas que mencionaram a sua ação anti-inflamatória, antisséptica, antitumoral, entre outras, foram feitas com testes em animais ou in vitro e isto não garante que o mesmo efeito possa ser observado em seres humanos.

Ação anti-inflamatória

Os hidrocarbonetos e os sesquiterpênicos, especialmente o β-bisaboleno e β-cariophileno, têm sido apontados como os compostos envolvidos no efeito anti-inflamatório do óleo de copaíba. Entretanto, o mecanismo de ação dessas substâncias ainda precisa ser mais bem esclarecido.

Ação antisséptica

O potencial antisséptico do óleo de copaíba se deve ao alto teor de betacariofileno. Esta substância parece bloquear a ação nociva de vírus, bactérias, fungos e protozoários.

Auxilia no combate ao câncer

Um estudo preliminar feito por pesquisadores do Instituto de Química e do Centro de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), mostrou que substâncias sintetizadas a partir de elementos isolados do óleo de copaíba podem ser aliadas no combate ao câncer. Nove tipos de câncer foram testados com a substância inibindo ou mesmo matando as células cancerígenas.

Proteção ao sistema nervoso central

O uso do óleo de copaíba pode ajudar na proteção às células do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) contra lesões. A pesquisa que alcançou este resultado foi efetuada com animais na Universidade Federal do Pará.

Todos estes efeitos precisam ser replicados em outros estudos, e principalmente feitos em seres humanos para comprovação efetiva.

Riscos do uso óleo de copaíba

O óleo de copaíba possui toxinas que podem trazer riscos à saúde. Isto exige cuidados em relação ao seu consumo. As reações adversas mais comuns são:

  • Enjoos
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Reações alérgicas
  • Quebra de cromossomos
Contraindicações do uso óleo de copaíba

O óleo é contraindicado para:

  • Mulheres grávidas ou que estão amamentando
  • Pessoas com sensibilidade ou distúrbios gástricos

Para usar o óleo de copaíba com segurança é preciso uma indicação adequada, consulte um/a nutrólogo/a, nutricionista ou fitoterapeuta.

Leia também

Plantas medicinais são seguras para a saúde?

Açúcar demerara é bom para a saúde? Engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Nenhum tipo de açúcar (mascavo, demerara, cristal, refinado) é benéfico para a saúde. Embora passe por um processo de refinamento leve no qual não são utilizados aditivos químicos, o uso sem moderação de açúcar demerara pode sim levar ao aumento de peso.

Consumo de açúcar demerara e saúde

Quando comparamos o açúcar demerara ao açúcar branco, podemos dizer que o açúcar demerara é menos prejudicial à saúde. Os principais motivos para isto são:

Não contém aditivos químicos

Quanto mais branco for açúcar, mais aditivos químicos foram adicionados ao seu processo de produção. As toxinas ingeridas diariamente com os alimentos, entre elas os aditivos químicos, causam danos à saúde. Deste modo, o consumo moderado de açúcares mais escuros reduz os danos provocados ao organismo.

Possui minerais e vitaminas

Por passar por refinamento leve, algumas vitaminas e minerais presentes no açúcar demerara são preservados. Os minerais presentes em maior concentração em 100 g açúcar demerara são: potássio (346 mg), cálcio (85 mg), ferro (42 mg), o magnésio (29 mg) e o fósforo (22 mg).

Entre as vitaminas, apesar de se apresentarem em baixas quantidades, encontra-se: vitamina B1 (0,01 mg), vitamina B2 (0,01 mg) e vitamina B3 (0,03 mg). Estas concentrações de vitaminas estão presentes em 100 g açúcar demerara.

Açúcar demerara e ganho de peso

Pessoas que desejam emagrecer e preservar sua saúde não devem ingerir nenhum tipo de açúcar e nem alimentos doces. Mesmo sendo menos prejudicial, o açúcar demerara é bastante calórico. Em 100 g de demerara encontramos um total de 377 Kcal.

O consumo de açúcar estimula o aumento dos níveis sanguíneos de glicose (glicemia). Este aumento, além de ampliar o risco para o desenvolvimento de diabetes, estimula a produção de gordura pelo corpo.

Se você não consegue se manter sem consumir açúcar, o demerara é uma opção melhor para o seu organismo. Entretanto, atente sempre para as quantidades de açúcar que você ingere e procure consumir sempre menos.

O que é o açúcar demerara?

O açúcar demerara é produzido a partir do suco de cana-de-açúcar. No processo de fabricação, este suco é fervido e evaporado o que faz com que a maior quantidade de água seja retirada e fique somente os grãos de açúcar.

Por passar por uma etapa de refinamento leve e sem aditivos químicos, o açúcar demerara é composto por cristais de coloração marrom-claro e alguns de seus nutrientes são preservados. Seu sabor é delicado e mais suave que o sabor do açúcar mascavo.

O açúcar demerara, assim como o açúcar mascavo, são boas alternativas ao uso de açúcar cristal ou refinado. O açúcar demerara é também uma boa opção para quem não consegue se adaptar ao açúcar mascavo.

Pessoas diabéticas ou que apresentam resistência à insulina devem evitar consumir qualquer tipo de açúcar.

Ginseng: para que serve e quais são os benefícios?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O ginseng é uma raiz com propriedades medicinais que serve para prevenir e diminuir o cansaço e o estresse físico e mental. O ginseng atua na circulação sanguínea e no sistema nervoso central como um tônico e adaptógeno, ajudando o organismo na recuperação de situações estressantes e melhorando o funcionamento do corpo e da mente.

O ginseng é indicado para casos de esgotamento físico e mental, irritabilidade, insônia, dificuldade de concentração, falta de memória, entre outras condições relacionadas à fadiga do corpo e da mente. A raiz também ajuda a melhorar o bem estar geral.

Das 3 espécies de ginseng, a mais estudada e comercializada é o Panax ginseng, também conhecido como ginseng coreano. A raiz é consumida e vendida sob a forma de cápsulas e chá.

Ginseng

O ginseng tem como princípios ativos as saponinas, também conhecidas como ginsenosídeos. O ginseng atua na produção de hormônios que agem sobre o sistema nervoso central.

As propriedades adaptogênicas do ginseng possuem ação estimulante e tônica, aumentando a capacidade do corpo em realizar esforços e melhorando a resistência do organismo de um modo geral.

Quais são os benefícios do ginseng? Combate o estresse

Por ser um adaptógeno, o ginseng ajuda organismo a se adaptar ao estresse, melhorando as capacidades de defesa contra agentes físicos e mentais. Dessa forma, o Panax ginseng aumenta a resistência ao estresse e reduz o cansaço do corpo e da mente.

Melhora a resistência física

Estudos indicam que o uso de ginseng pode melhorar o desempenho durante exercícios físicos, ajudando a aumentar a resistência e a capacidade do corpo diante de esforços. Pessoas que tomam ginseng antes de praticar atividade física sentem um menor esgotamento de energia do que aquelas que não tomam.

Esses benefícios do ginseng são devidos à sua capacidade de melhorar a oxigenação dos músculos e, consequentemente, aumentar a produção de energia através do uso de gordura corporal e carboidratos.

Como resultado, os músculos obtêm mais energia para realizar esforços, melhorando a performance durante o exercício e a recuperação após a atividade física.

Melhora circulação sanguínea

Alguns estudos sugerem que o Panax ginseng ajuda a melhorar a circulação sanguínea no cérebro, sendo especialmente benéfico para pessoas idosas e pacientes com arteriosclerose, uma doença que caracteriza-se pelo endurecimento das artérias.

Fortalece as defesas do organismo

Estudos realizados em ratos revelaram que o ginseng pode melhorar a resistência sobre bactérias e produtos químicos, aumentando a capacidade de resposta do organismo a produtos tóxicos e micro-organismos em geral. Alguns pequenos estudos clínicos também apontam resultados semelhantes.

Melhora a memória e a concentração

O ginseng ajuda a melhorar a memória, a concentração, os reflexos e a capacidade de reação. Na prática, esses benefícios do Panax ginseng podem ser observados na realização de atividades que requerem atenção, como nos estudos e no trabalho.

Quais são as contraindicações do ginseng?

O ginseng é contraindicado em casos de diabetes, gravidez e doenças cardíacas. Nessas situações, o ginseng deve ser usado apenas com orientação médica.

É importante ressaltar que o Ginseng pode interagir com outros fármacos como com anticoagulantes orais como a varfarina, antiagregantes plaquetários como o AAS e o clopidogrel, anticoncepcionais que contém estrógenos, insulina e alguns anti-hipertensivos como nifedipina e IECAS.

Nessas situações o uso do ginseng pode acarretar riscos, por isso converse com o seu médico caso faça uso dessas medicações.

Também é recomendável que o uso de ginseng não seja superior a 3 meses, o seu uso excessivo se relaciona a vários sintomas como crises de nervosismo, aumento da pressão arterial, insônia, diarreia, alterações na coagulação sanguínea.

Quais são os efeitos colaterais do ginseng?

O ginseng pode baixar as taxas de glicose (açúcar) no sangue, por isso pessoa com diabetes devem estar atentos ao risco de hipoglicemia.

Os demais efeitos colaterais do ginseng são decorrentes do seu uso em excesso, tais como aumento da pressão arterial, nervosismo, surgimento de erupções na pele, insônia e diarreia.

Para maiores esclarecimentos sobre o uso de ginseng, consulte um médico de família ou um clínico geral.

Sucupira tem ação analgésica e anti-inflamatória? Quais os riscos para a saúde?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A sucupira (Pterodon emarginatus) é uma árvore do cerrado brasileiro bastante utilizada na medicina popular como analgésico e anti-inflamatório. Entretanto, estas propriedades da planta ainda não são cientificamente comprovadas.

Existem compostos bioativos diferentes em cada parte da sucupira. Estudos mostram que nas folhas e na casca da árvore estão presentes os alcaloides e, nas sementes e nos frutos se encontram isoflavonas e alguns triterpenos.

Sementes de sucupira: ricos em isoflavonas e triterpenos Sucupira possui ação analgésica?

A propriedade analgésica da sucupira ainda está sendo estudada. As pesquisas já realizadas indicam que o efeito analgésico pode estar no extrato de sucupira. Entretanto, estes estudos foram feitos em camundongos e não necessariamente os efeitos observados nestes animais serão observados nos seres humanos.

Os estudos não conseguiram esclarecer até o momento seu mecanismo da ação analgésica, embora se possa deduzir que os flavonoides presentes na sucupira auxiliam na redução das dores provocados por inflamação devido à diminuição na produção de prostaglandinas.

Deste modo, mais pesquisas são necessárias no sentido de esclarecer e comprovar o efeito analgésico da sucupira.

Sucupira possui ação anti-inflamatória?

A sucupira é há muito tempo popularmente utilizada para tratar gota, artrite e problemas músculo esqueléticos. Porém, o seu efeito anti-inflamatório ainda não foi comprovado em seres humanos.

Os estudos que demonstraram que o extrato de sucupira pode reduzir as inflamações músculo esqueléticas, a exemplo da artrite, foram realizados em animais.

Formas de consumo e cuidados ao consumir sucupira

A sucupira pode ser consumida em forma de chá feito com a semente de sucupira, extrato, tintura, óleo e cápsulas. É importante que o uso de qualquer uma destas formas seja orientado por um profissional de saúde, pois a plantas possuem princípios ativos (bioativos) que podem interagir entre si e com medicamentos, o que pode provocar efeitos colaterais.

Pelo de fato de ainda não ter sido efetuado nenhum estudo com sucupira em seres humanos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária não pode garantir a segurança do seu uso. Por este motivo a utilização da sucupira como fitoterápico em tratamentos para dor e inflamação, bem como outras aplicações deve ser indicada por médico/a ou nutricionista especializado em fitoterapia.

Quais os riscos do consumo de sucupira para a saúde?

O emprego das plantas medicinais para tratamentos em saúde é popularmente difundido em função das suas propriedades terapêuticas. Entretanto, a maior parte das pessoas desconhece sua toxicidade, o que pode provocar reações adversas e trazer riscos à saúde. A escassez de estudos sobre a sucupira não possibilitam indicar os riscos do seu uso para a saúde, o que exige cautela quanto ao seu consumo. Mais estudos precisam ser realizados para garantir a segurança da sucupira na promoção da saúde e tratamento de doenças.

Contraindicações da Sucupira
  • Mulheres grávidas ou que estão amamentando;
  • Crianças menores de 12 anos;
  • Pessoas com doença renal;
  • Portadores de distúrbios hepáticos.

Antes de iniciar o uso de sucupira converse com um/a médico/a ou nutricionista especializado em fitoterapia.

 Ginko biloba: para que serve? Seu uso corta o efeito do anticoncepcional?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O Ginko Biloba é um dos fitoterápicos mais utilizados no mundo por ter efeitos antioxidantes. Seu uso é popularmente associado às alegadas propriedades benéficas, principalmente, para o tratamento de problemas de memória, demência de Alzheimer e outras funções cognitivas.

É também utilizado para reduzir a falta de concentração e energia, melhorar a impotência sexual, labirintopatias (zumbidos e vertigens) e dores de cabeça. Sua utilização não afeta o efeito de anticoncepcionais.

Os flavonoides e os terpenos são as substâncias que provocam os efeitos comumente associados ao Ginko Biloba no nosso organismo.

Embora tenha efeito antioxidante, a ação do ginko biloba sobre o Alzheimer, perda de memória e outras condições de perda da função cognitiva, ainda não foram comprovadas por meio de pesquisas.

Folhas de Ginko Biloba

Em casos de impotência sexual, o uso de ginko biloba pareceu melhorar a função sexual. Em pessoas com problemas de vertigem observou-se uma redução dos sintomas. Para esclarecer e assegurar estes resultados outros estudos maiores precisam ser feitos.

Não há evidências de que a interação do ginko biloba com medicamentos anticoncepcionais diminuam seus efeitos. Portanto, pode ser usado por mulheres que usam drogas contraceptivas.

A baixa taxa de efeitos colaterais é uma característica importante do ginko biloba. Náuseas, diarreia, dor abdominal e dor de cabeça são os mais comuns. Também podem ser observados:

  • Aumento do risco de sangramento: o ginko biloba pode interferir na coagulação sanguínea, o que pode favorecer sangramentos em algumas situações. Deste modo, não deve ser usado por pessoas com elevados riscos de hemorragias. Em pessoas que se submeterão a procedimento cirúrgico, seu uso deve ser suspenso pelo menos 36 horas antes da cirurgia;
  • A combinação do ginko biloba com outras ervas como gengibre, alho e ginseng, deve ser evitada, pois podem aumentar sangramentos;
  • Não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estão amamentando;
  • Pessoas com histórico de crise convulsiva ou epilepsia não devem usar ginko biloba. Há relatos de que seu uso pode desencadear crises convulsivas.
  • Não deve ser utilizado por pessoas que fazem uso de medicamentos anticonvulsivantes: o ginko biloba pode interagir com estes medicamentos e reduzir os seus efeitos.

Antes de iniciar o uso de ginko biloba, procure um médico para esclarecer suas dúvidas.

Quais os benefícios da couve para a saúde?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A couve é um alimento muito nutritivo e, por este motivo, traz diversos benefícios à saúde. É rica em proteínas, cálcio, ferro, vitamina C, betacaroteno e fibras. Por ser um vegetal crucífero, possui altas concentrações de vitaminas e minerais que são essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo.

1. Promove uma melhor digestão e funcionamento intestinal Folhas de couve

O consumo de couve auxilia na manutenção da saúde do estômago. O fitoterápico chamado sulforafano, presente nos vegetais crucíferos, protege o estômago e impede a proliferação e a infecção por bactérias Helicobacter pylori, responsáveis pelo desenvolvimento de gastrite, úlcera péptica e câncer de estômago.

As fibras presentes nas folhas de couve ajudam a manter o volume de água nos intestinos e a formar o bolo fecal. Deste modo, favorecem a motilidade, promovem a regularidade e o bom funcionamento intestinal.

2. Auxilia na redução do colesterol

As fibras, presentes em alta concentração nas folhas de couve, auxiliam no controle e redução do colesterol. Na medida em que estas fibras passam pelo intestino, a gordura ingerida com a alimentação é absorvida e, posteriormente, eliminada nas fezes.

A redução do colesterol ocorre também pela alta capacidade de ligação aos ácidos biliares no trato digestivo. Vale destacar que os ácidos biliares são constituídos a partir do colesterol e que a ligação adicional de colesterol aos ácidos biliares e a sua excreção provocam, portanto, uma redução efetiva dos níveis de colesterol no sangue.

Estudos demonstraram que as folhas de couve cozidas no vapor têm maior capacidade de se ligar aos ácidos biliares do que outros vegetais crucíferos como brócolis, repolho, couve de Bruxelas, mostarda e couve-flor.

3. Ajuda no controle da diabetes

Por ser rica em fibras, a ingestão regular de couve em um plano alimentar saudável pode auxiliar no controle dos níveis de insulina e, por consequência, no controle da diabetes. Estudos verificaram que pessoas portadoras de diabetes tipo 1 que consomem uma alimentação rica em fibras possuem reduzidos níveis de glicose.

Para quem tem diabetes tipo 2, a alimentação com alto teor de fibras tem a capacidade de reduzir os níveis de lipídios e de melhorar a concentração de insulina no sangue.

4. Atua na prevenção de câncer

Os glucosinolatos, compostos encontrados nos vegetais crucíferos (couve, couve de Bruxelas, brócolis, mostarda e couve-flor), têm sido estudados quanto ao seu poder de impedir a proliferação de câncer de pulmão, mama, próstata e colorretal em diferentes estágios.

Estas substâncias também estão sendo estudadas para o combate ao câncer de pele, esôfago e pâncreas. Entretanto, os resultados das pesquisas para estes tipos de câncer ainda são preliminares e necessitam ser mais bem estudadas.

5. Fortalece os ossos e protege as células nervosas

Por ser rica em vitamina K, a couve tem atuação importante para o aumento da massa óssea a para contenção de lesões dos neurônios.

A vitamina k atua como um importante modificador de proteínas da matriz óssea. Esta ação faz com que a absorção de cálcio aumente e a sua eliminação por meio da urina seja reduzida, o que propicia o aumento da massa óssea.

Além disso, a vitamina K é importante para pessoas com doença de Alzheimer uma vez que ela limita as lesões dos neurônios.

6. Benéfico para mulheres grávidas

A couve é rica em ácido fólico que tem como principal função a produção de novas células. Além de auxiliar na manutenção da saúde do sistema nervoso, o ácido fólico ajuda a fechar o tubo neural dos bebês durante a gestação. Alguns estudos demonstraram também que a vitamina K pode reduzir o risco de lábio leporino e distúrbios cardíacos em bebês.

Uma alimentação saudável é chave para a sua saúde. Priorize alimentos naturais como frutas, legumes, verduras e carnes magras e não faça dietas radicais sem orientação nutricional.