Perguntar
Fechar

Falta de Ar

Tosse com falta de ar, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Tosse com falta de ar pode ter causas variadas uma vez que a tosse é um mecanismo de proteção do organismo, ou seja, uma reação à algum estímulo irritativo nas vias aéreas. Quando a tosse é muito intensa e persistente pode causar falta de ar e, até mesmo, vômitos. 

Como pode ocorrer nas tosses alérgicas, no refluxo gastroesofágico, nas gripes fortes, sinusites, na tosse provocada por ansiedade, e ainda por medicamentos para baixar a pressão (anti-hipertensivos) como o captopril, enalapril e propanolol. 

Outros distúrbios que podem apresentar tosse com falta de ar são: asma brônquica, enfisema, derrame pleural, insuficiência cardíaca descompensada.

É importante procurar o atendimento médico sempre que a tosse permanecer por um período maior que 10 a 15 dias ou se for acompanhada de febre, suores noturnos, falta de ar, falta de apetite e eliminação de secreção com sangue.

Leia também:

Tosse persistente: o que fazer?

Tosse com catarro: o que fazer?

O clínico geral pode diagnosticar e indicar o tratamento ou encaminhamentos necessários no caso de tosse com falta de ar.

Também pode lhe interessar: Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Sinto coração acelerado e falta de ar, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Coração acelerado e falta de ar, sem motivo aparente, podem ser sintomas de doenças cardíacas ou respiratórias, como arritmia, insuficiência cardíaca, bronquite, asma, entre outras. Contudo, o aumento da frequência cardíaca e a falta de ar podem ter diversas causas e nem sempre indicam a presença de alguma doença ou problema de saúde.

O coração pode bater mais acelerado devido ao estresse, ansiedade, emoções fortes, uso de medicamentos, consumo de bebidas alcoólicas ou estimulantes, fumo, desidratação, exercício físico, entre outras situações. 

Já a falta de ar pode ser decorrente de ansiedade, angústia, síndrome do pânico, falta de condicionamento físico ou ainda fraqueza muscular.

No entanto, existem várias doenças e condições que podem causar aumento da frequência cardíaca (taquicardia), tais como arritmias, fatores genéticos, desidratação, falta de açúcar no sangue (hipoglicemia), febre, anemia, hipertireoidismo, infecções, entre outras. Nesses casos, o coração pode disparar mesmo quando a pessoa está em repouso, sem estímulos internos ou externos.

Se não estiver relacionada a fatores emocionais ou esforço físico, a falta de ar pode ser um sintoma de doenças cardíacas ou respiratórias, como insuficiência cardíaca, gripe, bronquite, asma, enfisema pulmonar, rinite, sinusite.

Veja também: Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Portanto, sentir falta de ar e o coração batendo acelerado pode ser uma reação normal do corpo a determinados estímulos. Todavia, é importante observar se a falta de ar e o aumento do ritmo cardíaco ocorrem em repouso, na ausência de estímulos ou vêm acompanhados de outros sintomas.

Saiba mais em: Como saber se os batimentos cardíacos estão normais?

Os sinais de alerta que podem indicar a presença de algo mais grave incluem dificuldade para falar, aumento da frequência respiratória, esforço respiratório, interrupções do sono, cansaço ao executar tarefas simples, lábios roxos, tosse, chiado no peito ou dor no tórax.

Procure um médico de família ou um clínico geral na presença desses sintomas ou se sentir falta de ar e o coração acelerar sem motivo aparente.

Também podem lhe interessar:

Tenho dificuldade para respirar, o que pode ser?

Coração acelerado: o que pode ser e o que fazer?

Batimentos cardíacos baixos: o que pode ser?

Tosse, falta de ar e um catarro branco que parece cola. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tosse, falta de ar e catarro podem ser sintomas de asma, pneumonia ou ainda outro problema respiratório de origem alérgica ou viral.

A asma é uma doença inflamatória crônica que atinge as vias áreas. Também conhecida como bronquite alérgica, a asma deixa as vias respiratórias inchadas e mais estreitas, dificultando a passagem do ar.

Os principais sintomas da asma são:

  • Tosse que piora à noite ou após esforço físico;
  • Chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Respiração curta.

Veja também: Como identificar uma crise de asma?

O tratamento da asma é feito com broncodilatadores (“bombinhas”), fisioterapia respiratória e com o afastamento dos alérgenos que desencadeiam as crises.

Já a pneumonia é uma inflamação dos pulmões de causa infecciosa, que pode ser causada por vírus, bactérias, fungos ou parasitas.

Os sintomas mais frequentes da pneumonia são:

  • Febre;
  • Tosse com ou sem catarro;
  • Dificuldade para respirar;
  • Respiração acelerada;
  • Dor no tórax.

Saiba mais em: Quais são os sintomas de uma pneumonia?

O tratamento da pneumonia inclui:

  • Fornecer oxigênio, quando necessário;
  • Hidratação;
  • Medicamentos antibióticos, antivirais, antifúngicos ou antiparasitários, dependendo da origem da infecção;
  • Medicações anti-inflamatórias ou ainda outras, dependendo do caso.

Para saber a causa da sua tosse e falta de ar, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral ou pneumologista para receber um diagnóstico e tratamento adequados.

Também pode lhe interessar: Tenho dificuldade para respirar, o que pode ser?

Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Falta de ar constante pode ser sinal de ansiedade, doenças cardíacas ou doenças pulmonares. Pode ainda ser apenas falta de condicionamento físico e fraqueza muscular. A falta de ar caracteriza-se por dificuldade ou desconforto respiratório, criando a sensação de que a pessoa não consegue inalar a quantidade suficiente de ar.

A falta de ar decorrente de problemas cardíacos ocorre quando o coração não consegue bombear o sangue adequadamente para todo corpo, como por exemplo na insuficiência cardíaca. Nesses casos, o sangue não sai completamente do coração, que fica "inchado", provocando um extravasamento de líquido para o pulmão. A falta de ar também pode ser um sintoma de hipertensão arterial (pressão alta), embora não seja muito comum.

Doenças que afetam os pulmões ou as vias respiratórias, como gripe, resfriado, bronquite, enfisema pulmonar e asma dificultam a respiração e podem gerar a sensação de falta de ar.

A falta de condicionamento físico ou a fraqueza muscular também provocam falta de ar, já que a pessoa precisa fazer um esforço maior que o normal para realizar as tarefas.

Ansiedade, angústia (sensação de peso no peito) e síndrome do pânico estão entre as causas psíquicas de falta de ar. 

Leia também: Crises de falta de ar e formigamento no corpo. O que pode ser?

É importante ter atenção a alguns sinais que podem acompanhar a falta de ar, pois podem indicar problemas mais graves. Os sinais de alerta incluem: dificuldade para falar, respiração ofegante, esforço no pescoço ou no tórax para conseguir inspirar, interrupção do sono durante a noite, cansaço ao realizar tarefas do dia-a-dia, lábios roxos, tosse, chiado ou dor no peito.

Também pode lhe interessar: Tosse com falta de ar, o que pode ser?

Na presença desses sinais, a pessoa deve procurar um médico clínico geral ou médico de família para uma investigação mais apurada da causa da falta de ar.

Saiba mais em: Sinto coração acelerado e falta de ar, o que pode ser?

Crises de falta de ar e formigamento no corpo. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Falta de ar e formigamento no corpo podem ser sintomas de crises de ansiedade ou síndrome do pânico. Esses sinais podem ocorrer sem um motivo aparente ou podem ser uma reação exagerada a algum problema específico.

Outros sinais e sintomas que podem estar presentes nesses transtornos de ansiedade incluem:

  • Sensação de aperto no peito;
  • Taquicardia ("batedeira");
  • Boca seca;
  • Dificuldade de engolir ("bolo na garganta");
  • Suor nas mãos;
  • Tremores;
  • Tonturas;
  • Estado de alerta constante;
  • Medo de morrer ou medos sem razão aparente;
  • Irritabilidade;
  • Insônia;
  • Déficit de memória;
  • Náuseas.

Leia também:

Quais os sintomas dos transtornos de ansiedade?

Quais são os sintomas da síndrome do pânico?

A ansiedade é uma reação natural do corpo para proteger a pessoa de algum risco iminente ou situações que ainda estão por vir, sintomas que preparam o indivíduo para uma situação de "luta ou fuga", o que é necessário e até saudável, quando não é exagerado ou incontrolável. 

Contudo, quando esse estado de alerta deixa de ser momentâneo e a preocupação passa a ser constante, a ansiedade torna-se crônica e passa a atrapalhar as atividades básicas do seu dia a dia, sendo então considerada uma doença, as mais frequentes na nossa população são o Transtorno da ansiedade generalizada (TAG), ou a Síndrome do pânico.

Por se tratar de uma doença que não é "visível", como feridas, infecções ou fraturas, nem o paciente nem seus familiares se preocupam como deveriam no início dos sintomas, porém trata-se de uma doença que pode trazer até mais prejuízo para sua vida social e profissional. A grande maioria quando procura o médico, já apresenta os sintomas de ansiedade por pelo menos 6 meses, ou mais. É comum se queixarem de insônia, dificuldade de concentração, déficit de memória, distúrbios intestinais, "nervos à flor da pele", irritabilidade, entre outros.

Por isso o mais indicado no seu caso é consultar um médico clínico geral ou médico de família para descartar outras causas, ou confirmar as doenças aqui citadas, iniciando o quanto antes o seu tratamento. Se achar necessário, o médico poderá te encaminhar para um especialista.

Também pode lhe interessar:

Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Sinto falta de ar constante. Pode ser problemas de pulmão?

Formigamento nas mãos, o que pode ser?

Falta de ar, tontura, dor de cabeça e sensação de cansaço?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Tanto doenças físicas como algumas doenças da esfera emocional podem causar os mesmo sintomas descritos. Todos são sintomas muito genéricos e não chamam a atenção para nenhuma doença em específico. Precisa ir a um médico, talvez fazer alguns exames.

Falta de ar, dor no peito, coração está apertado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Procure um médico, somente um médico na consulta médica e com exames pode te dar o diagnóstico correto, porém pela sua descrição para ser alguma coisa relacionada ao emocional.

Resposta Psicóloga:

Ideal seria atrelar essa ajuda a um acompanhamento terapêutico, pois pode ser a somatização do seu estado emocional.

Minha filha está com dor no peito, costas e falta de ar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Assim sem ver, examinar, ou acompanhar sua filha fica difícil dizer qualquer coisa, estranho é o diagnóstico de ataque cardíaco, o que na verdade isso significa? Ataque cardíaco é um diagnóstico de qual doença? A maioria absoluta desse casos com sintomas semelhantes ao de sua filha está relacionado com sintomas de esfera emocional, mas com essa história o ideal é voltar ao médico.

Leia também: O que fazer no caso de dor no peito?

O que é dispneia e quais são as causas?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A "falta de ar" ou dispneia é a sensação de dificuldade para respirar. Geralmente ocorre por causas cardíacas e pulmonares, mas pode ser causada por diversas outras condições. A dispneia pode acontecer por vários mecanismos, como por exemplo:

  • Quando a concentração de oxigênio no ar está baixa, como nas grandes altitudes;
  • Quando algo obstrui as vias aéreas;
  • Quando o coração está fraco ou há alguma obstrução ao fluxo sanguíneo e não é possível levar sangue oxigenado para os tecidos;
  • Quando há algum problema no pulmão que impede a troca dos gases (gás carbônico e oxigênio);
  • Quando o sangue não consegue transportar oxigênio adequadamente, como nos casos de anemia grave ou hemácias (glóbulos vermelhos) malformadas.

Quais são as causas da dispneia?

Obstrução das vias aéreas: Asma; bronquite e agravamento para bronquite crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), fibrose cística, enfisema, síndrome de Loëffler (causada por algumas verminoses, pela passagem da larva para o pulmão, os brônquios e a laringe), câncer de laringe ou faringe, obstrução nasal e edema da laringe.

Doenças da pleura e do parênquima pulmonar:

  • Doenças contagiosas: pneumonia, tuberculose, outras infecções pulmonares;
  • Doenças não contagiosas: fibrose pulmonar, atelectasia, pneumonite por hipersensibilidade (alveolite alérgica extrínseca, pneumonite alérgica intersticial), trombose nas artérias dos pulmões, doença pulmonar intersticial, câncer de pulmão, derrame pleural volumoso, pneumoconiose, pneumotórax, edema pulmonar não cardiogênico ou síndrome do desconforto respiratório, sarcoidose.

Doença vascular pulmonar: embolia pulmonar, hipertensão pulmonar e síndrome da veia cava superior.

Imobilização do diafragma: lesão do nervo frênico.

Restrição do volume do tórax: espondilite anquilosante, costelas fraturadas, cifose ou escoliose da coluna vertebral, obesidade, pectus excavatum grave (deformidade do tórax e osso esterno caracterizada por uma depressão do osso esterno e costelas na frente do tórax).

Desordens do sistema cardiovascular: dissecção aórtica (dissecção da aorta), cardiomiopatia, doença cardíaca congênita, arritmias cardíacas, Síndrome CREST (Esclerodermia Limitada), insuficiência cardíaca, cardiopatia isquêmica, hipertensão maligna, doenças do pericárdio (incluindo tamponamento cardíaco e pericardite constritiva), edema pulmonar, angina do coração (angina de peito ou angina pectoris), embolia pulmonar, doença cardíaca valvular (valvopatias ou valvulopatias).

Doenças do sangue e do metabolismo: anemia grave, hipotireoidismo, insuficiência adrenal, acidose metabólica, sepse ou septicemia, leucemia.

Distúrbios que afetam os nervos e músculos da respiração: esclerose lateral amiotrófica (doença de Lou Gehrig), Síndrome de Guillain-Barré ou polirradiculoneurite aguda, esclerose múltipla, miastenia grave ou miastenia gravis, Síndrome de Turner, Síndrome miastênica de Lambert-Eaton, Síndrome da Fadiga Crônica.

Doenças psicológicas: transtorno de ansiedade e ataques de pânico.

Medicamentos: Fentanil (fármaco do grupo dos opioides), entre outros.

Outras causas de dispneia: intoxicação por monóxido de carbono, gravidez, ferimentos internos no tórax, hemorragia súbita volumosa e aspiração de corpo estranho.

Quais são os sintomas da falta de ar?

A dispneia é um sintoma e não uma doença por si só. A falta de ar pode ser um sinal de que os tecidos do corpo não estão recebendo uma quantidade suficiente de oxigênio.

A dispneia se manifesta por desconforto ou dificuldade para respirar, além de poder causar outros sintomas como cansaço (mesmo ao realizar tarefas leves e simples) e sensação de aperto no peito.

Se as extremidades do corpo, como nariz, lábios ou dedos, ficarem com uma coloração azulada ou arroxeada, é um sinal de que está faltando oxigênio para os tecidos. Nesses casos, deve-se procurar atendimento médico com urgência.

Qual é o tratamento para dispneia?

O tratamento da dispneia depende da sua causa, podendo incluir o uso de medicamentos administrados por via oral, injeção ou inalação, uso de oxigênio, ventilação mecânica, em situações de maior gravidade intubação, entre outras formas de tratamento.

Em caso de dispneia, um médico clínico geral ou médico de família. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o diagnóstico correto, orientar e prescrever o melhor tratamento. Em algumas situações pode ser necessário o acompanhamento por outros especialistas como o cardiologista ou pneumologista.

Acordo todos os dias com dor no estômago, enjoo...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os primeiros sinais e sintomas de gravidez normalmente surgem a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação, sendo o principal deles o atraso menstrual. Os outros sintomas de gravidez podem ser:

  • Náuseas com ou sem vômitos;
  • Aumento do tamanho e da sensibilidade das mamas;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Desconforto pélvico ou dor abdominal ("pé da barriga");
  • Cansaço.

Esses sintomas que você está sentindo podem ser sintomas de gravidez, mas podem ser outros acometimentos. Por isso, é importante procurar um centro de saúde para uma avaliação detalhada da sua história e do seu quadro clínico para certificar ou descartar o diagnóstico de gravidez. 

Sensação que a garganta está fechando falta de ar...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Trate seus problemas emocionais que provavelmente sua garganta não vai mais incomodar.

Tenho 23 anos, quando tenho relação, devido ao esforço...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Em casos parecidos com o seu cabe uma detalhada investigação médica para descobrir a causa (claro que sempre as suspeitas recaem sobre o coração), mas inúmeras situações podem causar estes mesmo sintomas, você precisa ir ao médico e enquanto faz isso é melhor ir mais devagar na "relação" até saber o que realmente pode ser que esteja acontecendo com você.