Perguntar
Fechar

Quais as causas da icterícia neonatal e como é o tratamento?

A icterícia neonatal é causada pelo excesso de bilirrubina no corpo do recém-nascido. A bilirrubina é uma substância amarela proveniente do metabolismo da hemoglobina. Por isso, a pele e os olhos do bebê com icterícia ficam amarelados.

Essa concentração alta de bilirrubina no recém-nascido ocorre devido ao número elevado de glóbulos vermelhos presentes no sangue do bebê e também à imaturidade do seu fígado, que ainda não consegue metabolizar quantidades tão grandes de bilirrubina.

A bilirrubina é processada pelo fígado para depois ser eliminada. Contudo, como o fígado do recém-nascido ainda é muito imaturo, há um atraso na eliminação da bilirrubina, que se acumula no corpo, causando a icterícia neonatal.

Icterícia neonatal
Recém-nascido com icterícia neonatal

Quais são os sintomas da icterícia neonatal?

A icterícia neonatal costuma surgir entre o 2º e o 4º dia após o nascimento e tende a desaparecer progressivamente a partir do 10º dia de vida.

No início, a pele fica amarelada na face. A coloração amarelada se espalha depois para o tronco, abdômen, braços e pernas.

Os sinais da icterícia são mais intensos entre o 2º e o 3º dia depois do nascimento, o que permite que o tratamento seja feito já na maternidade. Após os primeiros 15 dias de vida, a icterícia neonatal tende a desaparecer.

É importante salientar que a icterícia neonatal não é considerada uma doença, mas uma adaptação do metabolismo do recém-nascido.

Em geral, a icterícia neonatal não oferece riscos ao bebê. Contudo, há casos em que a icterícia neonatal tem como causas doenças e incompatibilidades sanguíneas entre a mãe e a criança.

Nesses casos, a quantidade de bilirrubina no corpo do recém-nascido pode estar muito alta e a icterícia pode estar presente no 1º dia de vida. Em situações muito raras, a quantidade de bilirrubina acumulada é tão alta que pode causar danos no sistema nervoso do bebê.

Qual é o tratamento para icterícia neonatal?

O tratamento da icterícia neonatal consiste na aplicação de luzes fluorescentes azuis na pele do recém-nascido. A fototerapia, como é conhecido o tratamento, favorece o metabolismo e a excreção da bilirrubina, auxiliando o organismo ainda frágil do bebê.

As mamadas devem ser frequentes e sem restrições. São indicadas cerca de 10 mamadas por dia (24 horas). Essa recomendação durante o tratamento da icterícia neonatal serve sobretudo para aumentar o aporte calórico e o volume ingerido, o que favorece a eliminação da bilirrubina pelas fezes e pela urina.

Quando a icterícia tem origem em alguma doença ou incompatibilidade sanguínea, a fototerapia deve ser mais intensa e as sessões mais longas. Em alguns casos, o recém-nascido pode precisar receber transfusão de sangue.

Contudo, em grande parte dos bebês, o excesso de bilirrubina acaba por ser eliminado aos poucos e a icterícia fica resolvida.

O tratamento da icterícia neonatal é da responsabilidade do médico pediatra.