Perguntar
Fechar

Criança

Criança piscando sem parar, o que pode ser? O que fazer?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A criança piscando sem parar pode acontecer devido à um tique nervoso, uma irritação ou falta de umidade no olho. As crianças podem piscar mais em situações de concentração como quando ficam por muito tempo diante da televisão, do computador ou do videogame e tendem a sentir um ressecamento nos olhos. O ato de piscar tem como objetivo lubrificar o olho, espalhando a lágrima pela superfície ocular

Uma irritação no olho causada por um cisco ou sujeira (corpo estranho) também pode estimular o ato de piscar mais.

Uma outra causa do aumento da frequência das piscadas, que atinge cerca de 10% das crianças em idade escolar, é o tique nervoso, que é um movimento independente da vontade da pessoa, que ajuda a aliviar a tensão. Geralmente, os tiques acabam desaparecendo com o tempo, conforme a criança for superando as situações de ansiedade e tensão.

O pediatra ou o oftalmologista poderão orientar o tratamento adequado nas situações em que a criança pisca mais frequentemente que o normal.

Criança com dor na nuca, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Dor na nuca em criança pode ter muitas causas como um torcicolo, uma lesão por queda ou, até mesmo, uma meningite. Na suspeita de meningite, somente a dor na nuca não é suficiente para identificar o problema, sendo importante observar se existem outros sintomas como febre, enjoo, vômitos, dor de cabeça, dificuldade ou dor para movimentar o pescoço e inclinar a cabeça.

Leia também: O que é meningite?

Deve-se procurar o pediatra ou o serviço de saúde se a criança tiver dores na nuca sem causa aparente ou na suspeita de meningite.

Criança está há três dias sem fazer xixi, o que pode ser? O que fazer?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A criança que está há três dias sem fazer xixi pode estar com uma insuficiência renal aguda e deve ser levada imediatamente à um serviço médico de urgência. Nesse caso, antes de parar totalmente de fazer xixi, a criança apresenta uma diminuição da sua quantidade de xixi por alguns dias. Além disso, outros sinais e sintomas podem acompanhar a falta de xixi, como dores, febre, mudança de coloração da urina, enjoos, vômitos e diarreias.

A insuficiência renal aguda é um problema grave e pode ter várias causas como:

  • hemorragias, desidratações graves e queimaduras,
  • cardiopatias, septicemia e choques,
  • lesões e doenças nos rins.

A falta total de urina (anúria) ou a diminuição do seu volume (oligúria) na criança são considerados problemas graves sendo necessária avaliação médica com urgência.

É comum nódulo em peito de criança?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Bebês pequenos que amamentam no peito da mãe tem frequentemente nódulos em mamas que não representam nada de preocupante, geralmente duram poucos dias e podem resolver mais rápido se você fizer compressas mornas. Para as outras crianças ou se o nódulo já tem muitos dias o ideal é ir ao médico.

Criança pode tomar omeprazol?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Criança pode tomar omeprazol.

Assim como em adultos, o omeprazol é usado em crianças para tratar algumas doenças gastrointestinais.

A contraindicação é quando a criança apresenta alguma hipersensibilidade (choque anafilático, coceira, broncoespasmo e nefrite aguda) ao medicamento, devendo assim parar imediatamente de tomar.

Cuidados especiais são necessários quando se usa a medicação por um período prolongado, devendo, em alguns casos, tomar outras medicações ou vitaminas associadas ou mesmo interromper o tratamento por um tempo.

Assim como outras medicações, o omeprazol só deve ser usado com indicação médica.

Criança evacuando sangue sem sentir dor o que é?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Evacuar sangue nessa idade sem sentir nenhuma dor pode ser que houve o rompimento de alguma veia na região próxima ao ânus decorrente de algum esforço para defecar, principalmente se ela sofre de intestino preso com fezes muito duras. Mas é só uma suposição. O ideal é você procurar um médico para avaliar melhor sua filha e ver se não é realmente nada mais sério.

Qual é o risco quando a criança tem "golf ball"?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Na maioria dos casos, a presença de "golf ball" não oferece risco algum para o bebê. Isoladamente, o "golf ball" é um achado sem importância, que não tem significado clínico. Contudo, ele pode estar associado a anomalias genéticas, como as síndromes de Down (trissomia do 21), Patau (trissomia do 13), Edwards (trissomia do 18) e síndrome de Turner.

Por essa razão, quando o "golf ball" é identificado na ultrassonografia do coração do feto, o médico complementa com exames fetais mais específicos, a fim de detectar sinais de doença cromossômica. Se o feto não apresentar nenhuma alteração estrutural, o "golf ball" deixa de ter importância clínica e deve ser apenas acompanhado.

O médico irá relatar o achado e acompanhá-lo até o seu desaparecimento, o que na grande maioria dos casos ocorre entre a 22ª e a 25ª semana de gravidez.

Caso haja sinais de anomalias, como aumento da translucência nucal, o médico poderá recomendar uma amniocentese. Trata-se de um exame que permite analisar os cromossomos do bebê e detectar com precisão presença de síndrome de Down e outras alterações cromossômicas. 

Vale lembrar que em mais de 90% dos casos, o "golf ball" desaparece espontaneamente, sem riscos ou consequências para o bebê. 

Para maiores informações, fale com o seu médico obstetra ou responsável pelo acompanhamento pré-natal.

Leia também: 

O que é "golf ball"?

Ultrassom obstétrico com alteração da translucência nucal? O que pode ser?

Casal com o mesmo tipo de sangue a criança nasce com problema?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. Quando o casal tem o mesmo tipo sanguíneo não existe nenhum risco para o bebê, em relação a este fator. 

A complicação mais temida durante uma gestação, quando os pais têm tipos sanguíneos diferentes, ocorre quando a mãe é RH negativo e o pai RH positivo, porque assim o bebê pode ser RH positivo como o pai, e o organismo da mãe pode produzir anticorpos que ultrapassam a placenta e causam destruição das células sanguíneas do feto. Esses anticorpos são produzidos por não conhecer o fator RH, o qual não existe no organismo da mãe.

Como consequências pode ocorrer anemia, icterícia ou até complicações cardíacas para o bebê no nascimento. Entretanto, quando a mulher está dentro de um programa adequado de pré-natal, esse quadro é facilmente evitado, ou controlado porque já existe tratamento específico.

Portanto, quando o casal tem o mesmo sangue não correm esse risco, embora toda gravidez tenha riscos quando não é devidamente acompanhada.

Se estiverem planejando uma gestação ou se estiver grávida, o mais importante é que mantenha as consultas com seu médico ginecologista/obstetra, e siga as orientações dadas para que sua gestação se desenvolva da maneira mais saudável e prazerosa possível.

Leia também:

Quando a criança começa a ter firmeza nas pernas?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Nenhuma criança nesta idade (6 meses) deve ter força suficiente para ter firmeza nas pernas, no máximo ficar sentada com o corpo ereto. A idade ideal para a criança começar a ficar firme de pé e apoiada é entre 9 a 12 meses. Mas eu já tive crianças que eram perfeitamente normais e ficaram com as pernas firmes muito depois de um ano de idade. Cada criança tem seu tempo certo, esteja sempre atenta ao desenvolvimento de sua filha e qualquer dúvida consulte o pediatra.

De quanto em quanto tempo a criança deve ir ao pediatra?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A criança deve ir ao pediatra logo na primeira semana de vida, quando ainda é recém-nascida. Depois, uma vez por mês, até completar 6 meses.

Dos 6 aos 18 meses, as consultas de pediatria passam a ser trimestrais. Daí em diante, a criança deve ir ao pediatra a cada 6 meses (até completar 2 anos) e uma vez por ano (até aos 18 anos).

Veja na tabela a frequência das consultas de pediatria, de acordo com a idade da criança:

Idade da CriançaNúmero de Consultas
1ª semana (5 dias)1
1 mês1
2 meses1
3 meses1
4 meses1
5 meses1
6 meses1
9 meses1
12 meses1
15 meses1
18 meses1
2 - 4 anos1 consulta a cada 6 meses
4 - 18 anos1 consulta por ano

Lembrando que existem casos em que o pediatra precisa solicitar uma maior frequência de visitas, devido alguma alteração que deve ser acompanhada. A tabela acima se refere ao mínimo de consultas preconizadas pelas sociedades de pediatria.

Por que a criança deve ir ao pediatra com tanta frequência?

As consultas de pediatria (puericultura) são fundamentais para acompanhar o desenvolvimento da criança, além de prevenir e diagnosticar precocemente doenças da infância.

Essas consultas com o pediatra incluem:

  • Análise do estado nutricional;
  • Análise da história alimentar;
  • Avaliação da curva de crescimento;
  • Calendário de vacinas que fazem parte do calendário oficial do Ministério da Saúde;
  • Avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor;
  • Análise do desempenho escolar;
  • Avaliação do padrão de atividade física diária;
  • Exame de capacidade visual;
  • Observação dos cuidados domiciliares dispensados à criança;
  • Avaliação do desenvolvimento da sexualidade;
  • Análise da qualidade e quantidade do sono;
  • Avaliação da audição;
  • Avaliação da saúde bucal.

É importante lembrar que a criança deve ir ao pediatra mesmo que não esteja doente. Substituir as consultas de pediatria pelas consultas convencionais coloca em risco a saúde do bebê e da criança.

Meu noivo tem problema desde criança: ele urina toda hora...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

É algum problema neurológico irritativo dos nervos que controlam a bexiga, dificilmente nestes caso se encontra a causa a não ser em serviços especializados (hospital universitário ou parecido), pode ser também causado por problemas emocionais.

Com que idade criança pode comer chocolate?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A criança pode comer chocolate preferencialmente após os dois anos de idade. O chocolate e outros alimentos com açúcar são desnecessários à alimentação da criança porque são muito calóricos e favorecem o ganho excessivo de peso. Deve-se dar preferência aos alimentos como legumes, verduras, frutas e cereais, ajudando a criança identificar e gostar de outros sabores antes de introduzir na sua dieta os sabores dos alimentos industrializados como doces e chocolates.

A nutricionista e o pediatra são os profissionais mais indicados para a orientar os pais a respeito da alimentação da criança.