Perguntar
Fechar

Exame de Urina

Leucócitos altos na urina, o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Leucócitos altos na urina (leucocitúria) pode ter várias causas, sendo a mais comum delas a infecção do trato urinário. Pode ou não cursar com sintomas, inclusive quando não há sintomas, é chamada de bacteriúria assintomática.

Os leucócitos podem chegar ao trato urinário através de qualquer órgão ou estrutura do sistema urinário, como rim e uretra. Por isso, níveis de leucócitos altos na urina podem ser observados em quase todas as doenças inflamatórias que afetam os rins e o sistema urinário.

É considerada leucocitúria quando é observado número de leucócitos acima de 10.000 células/mL ou 10 células por campo. O nível de leucócitos pode ficar alto em situações, como:

  • Infecção do trato urinário, geralmente causada pela bactéria Escherichia coli. A infecção pode afetar a bexiga (cistite), o rim (pielonefrite) ou a uretra (uretrite);
  • Tuberculose do trato urinário;
  • Febre;
  • Após atividade física intensa;
  • Presença de corpo estranho no trato urinário;
  • Tumor de bexiga;
  • Infecção por outros micro-organismos, como fungos, clamídia, leptospira, gonococo, Haemophilus, vírus;
  • Nefrite intersticial e glomerulonefrite (inflamação dos rins);
  • Litíase renal (pedras nos rins);
  • Rejeição de transplante renal;
  • Contaminação por leucócitos da vagina;
  • Câncer.
Por que os leucócitos podem estar aumentados na urina?

Os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, são células de defesa que protegem o organismo contra agentes infecciosos, como fungos, vírus, bactérias, parasitas, entre outros. Portanto se encontram aumentados na urina, quando o organismo precisa de auxílio por alguma problema na defesa do sistema urinário.

Durante a infecção do trato urinário, por exemplo, ocorre um processo inflamatório que tem por objetivo destruir o agente agressor. Esse processo inflamatório gera alterações na circulação sanguínea local, com migração de leucócitos e alterações no calibre dos vasos, aumentando a permeabilidade dos vasos e o extravasamento de leucócitos (sobretudo neutrófilos), para fora dos vasos sanguíneos. Por isso são encontrados no exame de urina.

Vele lembrar que a leucocitúria não significa obrigatoriamente a presença de infecção urinária. Nesses casos, além de leucócitos, também estão presentes bactérias na urina.

A presença de pedra no rim (cálculo renal) e tumor de bexiga também elevam os níveis de leucócitos na urina, por produzirem uma resposta inflamatória no organismo. Além disso, o cálculo renal obstrui o fluxo de urina, favorecendo a proliferação de micro-organismos e o maior risco de infecção urinária de repetição.

Embora o diagnóstico de infecção urinária seja basicamente definido pela avaliação clínica, pode ser necessário em alguns casos, a coleta de urocultura com antibiograma, para determinar a bactéria e o perfil de sensibilidade aos antibióticos.

Se você apresentar sintomas, como ardência para urinar, sensação de bexiga cheia e dor no baixo ventre, deve procurar um pronto atendimento para confirmar o quadro de infecção urinária, e iniciar o devido tratamento com antibióticos.

Na presença de alterações no exame de urina, você deve procurar o médico que solicitou o exame, um médico de família ou clínico geral, que avaliará a necessidade de tratamento e se necessário investigação complementar.

Foram detectados cristais de oxalato de cálcio na minha urina. O que é possível fazer para eliminá-los do organismo?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Primeiramente, é importante frisar que o fato de você apresentar cristais de oxalato de cálcio no exame de urina não significa que você terá cálculo renal, ou que haverá prejuízo a sua saúde.

Algumas pessoas tem predisposição a ter cálculos renais de repetição e nestas pessoas é necessária a investigação para afastar doenças metabólicas.

Nos pacientes que apresentam cálculos renais de repetição, normalmente sintomáticos (levando à cólica renal), é necessária a investigação radiológica (com tomografia ou ultra-som) para determinar a quantidade e tamanho dos cálculos, pois pode ser necessária abordagem cirúrgica, e também investigação sobre distúrbios metabólicos que podem estar associados à predisposição para formação de cálculos. Estes distúrbios estão associados a presença aumentada de cálcio, ácido úrico ou oxalato, ou a diminuição de citrato na urina, e devem ser dosados em exame de urina de 24 horas.

A dieta é muito importante no tratamento dos cálculos renais de repetição e algumas orientações devem ser seguidas:

  • ingestão de líquidos de no mínimo 2,5 litros ao dia. Chás mate e preto devem ser evitados, por conterem oxalato. Sucos de limão e laranja devem ser consumidos por serem ricos em citratos (considerados inibidores da formação de cálculos);

  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Estas bebidas são ricas em purinas, que devem ser evitadas por pacientes com hiperexcreção de ácido úrico.

  • não restringir da dieta alimentos ricos em cálcio, como leites, queijos e iogurtes. Vegetais verdes escuros também devem ser consumidos;

  • aumentar o consumo de hortaliças e frutas, pois a baixa ingestão de potássio é fator de risco para litíase renal;

  • diminuir o consumo de produtos industrializados, em conserva e embutidos, pelo excesso de sódio presente nestes alimentos;

  • evitar a ingestão de carboidratos simples, pois estes aumentam a excreção de cálcio na urina;

  • evitar consumo excessivo de carnes, pois tem alto teor de purinas, aumentando a excreção na urina de ácido úrico;
  • incluir na dieta alimentos ricos em fitatos, como cereais integrais, leguminosas e oleaginosas, pois estes diminuem a chance de formação de cálculos;
  • evitar suplemento de vitamina C, por aumentar a excreção de oxalato.

Os pacientes com cálculos renais de repetição devem ser seguidos por médico nefrologista e urologista.

Fiz exame de urina e o resultado dos leucócitos está elevado. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Leucócitos altos no exame de urina geralmente é sinal de infecção urinária. Os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, são células de defesa do sistema imunológico.

Níveis elevados de leucócitos na urina normalmente indicam que há alguma inflamação no trato urinário, que pode ou não ser causada por algum agente infeccioso.

Algumas possíveis causas de leucócitos altos na urina:

  • Infecção urinária, causada na maioria das vezes pela bactéria Escherichia coli;
  • Febre;
  • Atividade física muito intensa;
  • Tuberculose do trato urinário;
  • Infecção por outros micro-organismos, como fungos e vírus;
  • Nefrite e glomerulonefrite (inflamação dos rins);
  • Cálculos renais (pedra nos rins);
  • Uso de substâncias irritantes;
  • Câncer.

Os valores normais de leucócitos no exame de urina devem estar abaixo de 10.000/ml. Acima desse valor é considerado leucocitúria (nível de leucócitos alto na urina).

Se a leucocito-esterase e o nitrito estiverem positivos, é provável que seja infecção urinária.

A presença de hemácias (glóbulos vermelhos) e proteína na urina pode indicar inflamação nos rins ou cálculos renais.

A maioria dos casos de leucocitúria caracteriza-se pelo aumento do número neutrófilos, um tipo de leucócito, e tem como causa uma inflamação no trato urinário.

Os leucócitos podem chegar ao sistema urinário através de qualquer uma das suas estruturas, desde à uretra aos rins. Os leucócitos podem estar altos, temporariamente, em quase todas as doenças dos rins e do sistema urinário, quando são acompanhadas de inflamação.

Os leucócitos são células de defesa, sendo mobilizados pelo sistema imune em casos de infecção, gerando um processo inflamatório que tem o objetivo de destruir o agente invasor. A circulação sanguínea sofre alterações, com mudanças no calibre e na permeabilidade dos vasos sanguíneos, que levam ao extravasamento de leucócitos.

O número de leucócitos também pode estar elevado em quadros de febre e após exercícios físicos intensos.

Porém, a principal causa de leucócitos altos na urina é a infecção urinária, que pode ser causada por diferentes micro-organismos, mas principalmente por bactérias.

Algumas doenças e condições que podem causar inflamação do trato urinário também podem aumentar o número de leucócitos presentes na urina, como cálculos renais, câncer de bexiga e presença de corpo estranho. No caso dos cálculos renais, também ocorre obstrução da urina, o que favorece a proliferação de micro-organismos que podem provocar infecção urinária.

Apesar do aumento dos leucócitos ter como principal causa infecções urinárias agudas, a verificação da presença dessas células na urina e o teste de leucocito-esterase são úteis para diagnosticar outras doenças urinárias.

Por isso, os resultados desses exames devem ser avaliados sempre em conjunto com outros exames e as manifestações dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa.

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretar os resultados, de acordo com os sinais e sintomas apresentados, além de outros exames que podem ter sido solicitados.

Células epiteliais na urina: O que isso significa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A presença de células epiteliais na urina não é sinal de doença. Trata-se apenas de uma observação do resultado do exame de urina, sem relevância clínica. A presença delas na urina é considerada normal, sendo mais comum ocorrer em mulheres.

As células epiteliais são as células do trato urinário. O fato delas estarem presentes na urina significa apenas que essas células descamaram e foram levadas pela urina ao passar pelo canal urinário.

Portanto, células epiteliais na urina são apenas o resultado da descamação natural que ocorre no trato urinário, assim como acontece na pele, por exemplo. A presença delas só é relevante quando se agrupam em forma de cilindro (cilindros epiteliais).

As células epiteliais também podem vir acompanhadas por cristais e leucócitos acumulados, formando muco na urina.

A presença de cristais na urina também não têm importância clínica. Porém, em alguns casos, a presença de certos tipos de cristais pode ser sinal de alguma doença.

Já os leucócitos são glóbulos brancos, ou seja, são as células de defesa do organismo. A presença deles na urina normalmente indica alguma inflamação nas vias urinárias, geralmente infecção urinária, mas também podem estar presentes em diversas situações, como traumas, utilização de substâncias irritantes ou qualquer inflamação que não seja causada por um agente infeccioso.

Saiba mais em: Leucócitos altos na urina, o que pode ser?

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretá-lo, uma vez que os resultados devem ser analisados em conjunto com a história clínica, os sintomas e o exame físico do paciente.

Também pode lhe interessar:

Corpos cetônicos positivo no exame de urina: O isso significa?

Nitrito na urina: O que isso significa?

O que são piócitos na urina?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?

Hemoglobina na urina é grave? O que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Hemoglobina na urina (hemoglobinúria) pode ser consequência potencialmente grave de diversas condições. É importante diferenciá-la da presença de glóbulos vermelhos na urina (hematúria). Apenas o exame de urina (urina I) pode diferenciá-las.

O sintoma da hemoglobinúria, quando presente, é alteração na coloração da urina, que se torna avermelhada.

As causas de hemoglobinúria são várias e estão listadas a seguir.

  • Glomerulonefrite aguda;
  • Queimaduras extensas;
  • Malária;
  • Doenças hematológicas, como hemoglobinúria paroxística noturna, em que a hemoglobinúria ocorre à noite; púrpura trombocitopênica trombótica (TTP); anemia falciforme;
  • Síndrome hemolítico-urêmica, doença infecciosa causada por um tipo de bactéria Escherichia coli;
  • Pielonefrite;
  • Reação transfusional;
  • Tuberculose do trato urinário;
  • Envenenamento por chumbo.

É necessária um avaliação de urgência, pois pode ocorrer insuficiência renal em virtude da hemoglobinúria, sendo necessária hidratação endovenosa vigorosa e uso de manitol e bicarbonato. Dependendo da gravidade e da causa da hemoglobinúria, é necessária internação em unidade de terapia intensiva.

Também pode lhe interessar: 

Nitrito na urina: O que isso significa?

Corpos cetônicos positivo no exame de urina: O isso significa?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?

É preciso estar em jejum para fazer o exame Beta HCG?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Para coleta do beta-HCG no sangue o jejum não é obrigatório, embora alguns laboratórios recomendam jejum de 4 horas. O mais adequado é confirmar no laboratório onde será feita a coleta.

Se for feita a detecção do beta-HCG na urina (teste de farmácia), deverá ser coletada a urina da manhã, ou após quatro horas de retenção urinária. Leia a bula com as orientações, pois podem haver alterações conforme o teste.

O médico que solicitou o exame de beta-HCG é quem deve interpretar o resultado. Se o teste de farmácia der positivo, procure uma Unidade Básica de Saúde ou um médico ginecologista para confirmar a gravidez e iniciar o pré-natal.

Saiba mais em: Resultado do Exame de Gravidez - Beta-HCG

Muco na urina, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Muco na urina, geralmente, é sinal de células epiteliais com cristais e leucócitos acumulados. Trata-se apenas de uma observação no resultado do exame de urina, sem relevância clínica, ou seja, não é sinal de alguma doença.

As células epiteliais são as próprias células do trato urinário que descamam. A presença delas na urina é normal. Apenas são relevantes quando se agrupam em forma de cilindro (cilindros epiteliais).

A presença de cristais na urina também não têm importância clínica, nem indica maiores chances da pessoa ter pedras nos rins, apesar dos pacientes geralmente associarem os cristais a uma maior propensão à formação de cálculos renais (pedras nos rins). No entanto, em alguns casos, a presença de certos tipos de cristais pode ser sinal de alguma doença.

Os leucócitos (glóbulos brancos) são as células de defesa do organismo. A sua presença na urina normalmente indica alguma inflamação nas vias urinárias, geralmente infecção urinária, mas também podem estar presentes em diversas situações, como traumas, utilização de substâncias irritantes ou qualquer inflamação que não seja causada por um agente infeccioso.

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretá-lo, uma vez que os resultados devem ser analisados em conjunto com a história clínica, os sintomas e o exame físico do paciente.

Também pode lhe interessar: Urina muito amarela: o que pode ser?

Quanto tempo leva para exames de gravidez darem positivos?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame de gravidez pode dar positivo após 7 dias da fecundação, ou seja, em torno de uma a duas semanas após a relação sexual. Como o espermatozoide pode ficar viável na vagina por até 5 dias após a relação sexual e o óvulo disponível por 24 horas, a fecundação pode ocorrer em um prazo de até 6 dias após uma relação sexual.

Após a fecundação, o ovo (junção do óvulo com o espermatozoide) é transportado para o útero e inicia o processo de implantação. Apenas após a implantação do ovo é que inicia a produção do hormônio hCG, que só é produzido durante a gravidez. Esse hormônio pode então ser detectado pela urina ou sangue da mulher.

Em geral, os testes de gravidez podem ser feitos logo no primeiro dia de atraso menstrual ou cerca de 14 dias depois da ovulação.

Quando fazer o teste de gravidez de farmácia?

O teste de gravidez de farmácia feito com urina demora um pouco mais para acusar positivo, uma vez que a concentração do hormônio na urina é bem menor que no sangue.

Em geral, os testes de gravidez de farmácia mais caros costumam ser mais sensíveis e podem detectar uma gravidez alguns dias antes da menstruação atrasar. Contudo, alguns testes de farmácia são menos sensíveis, podendo dar resultados negativos quando na verdade a mulher está grávida.

O ideal é esperar pela menstruação e, em caso de atraso superior a 7 dias, fazer o teste de gravidez de farmácia. Recomenda-se fazer o teste com a primeira urina do dia, pois está menos diluída e possui uma concentração maior de beta-hCG.

Para que a gravidez seja detectada no teste, é necessário que os níveis de beta-hCG estejam suficientemente altos para que o hormônio, produzido apenas na gestação, seja detectado no teste.

Só 8 dias após a fecundação, ou seja, 8 dias depois da união do óvulo com o espermatozoide, é que o hCG pode ser detectado na urina.

Quando fazer o exame de gravidez beta-hCG?

O exame beta-hCG pode detectar uma gravidez cerca de 12 dias depois da ovulação. O exame qualitativo fornece resultados “positivo” ou “negativo”, como os testes de gravidez de farmácia.

Já o exames de beta-hCG quantitativos, feitos em laboratório a partir do sangue, são mais precisos. Esse exame indica a quantidade da subunidade "beta" do hCG presente no sangue, onde a concentração desse hormônio é bem maior que na urina.

Nesses casos, a gravidez é confirmada quando o valor de beta-hCG é igual ou superior a 25 IU/l. Esse tipo de exame é o mais indicado, pois ao analisar a quantidade de beta-hCG na circulação sanguínea, é possível determinar o tempo aproximado de gestação.

É possível que essa relação sexual desprotegida tenha causado uma gravidez, porém a gravidez pode ter sido por relações sexuais que ocorreram em outros dias.

Para isso, é preciso conversar com sua amiga e saber detalhes sobre essas situações. O mais importante é vocês conversarem e consultarem um/a profissional de saúde para se informarem melhor e avaliarem em conjunto a necessidade ou não de teste de paternidade.