Perguntar
Fechar

Libido e Sexualidade

Problemas com desejo sexual, ereção ou ejaculação!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Estes assuntos são cuidados por um médico chamado Urologista, que inclui problemas em Pênis, Testículos, Bolsa Escrotal, Próstata, ou seja tudo relacionado ao aparelho reprodutor masculino e o urologista também cuida de tudo que esteja relacionado ao aperelho urinário tanto masculino como feminino.

1 - Tenho dificuldade de ereção, o que é? O que devo fazer?

Dificuldade com ereção é a chamada impotência sexual, que na maioria das vezes em jovens e adultos está relacionado com problemas de ordem emocional (existem outras causas, mas essa é a principal). Nestes casos deve procurar ajuda de um Urologista.

2 - Tenho falta de desejo sexual, o que é? O que devo fazer?

Resposta 1

3 - Tenho dificuldade de ereção somente com minha esposa ou namorada, se me masturbo ou fora de casa é normal, o que é? O que devo fazer?

Resposta 1

4 - Tenho facilidade para ejacular, não consigo segurar é muito rápido, o que é? O que devo fazer?

Isso chama-se ejaculação precoce, geralmente está relacionado com problemas de ansiedade e falta de auto-controle. Deve procurar um Urologista. Treinamento, psicoterapia e/ou remédios controlam isso muito bem.

5 - Quanto tempo é o normal levar para ejacular?

Não existe um tempo específico, porque tudo depende do tempo que a mulher leva para se satisfazer.

6 - Tenho dor na hora de ejacular, o que é? O que devo fazer?

Isso chama-se ejaculação dolorosa, existem muitas causas, deve procurar um Urologista.

Tenho dores na relação e não sinto prazer...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pela sua descrição seu problema está relacionado, provavelmente, com o lado emocional e psicológico do sexo. A relação sexual para a mulher é muito mais complexa que para o homem, existem muitos fatores que interferem no desejo sexual feminino (aspectos culturais, religiosos, filhos, o parceiro, suas experiências anteriores em relação ao sexo, traumas de infância e assim por diante). Precisa de ajuda especializada: um ginecologista e um psicólogo.

Estou sem ânimo para o sexo qual é o melhor remédio?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Essa é uma pergunta difícil, porque existem muitas resposta, o ideal é você resolver a causa do problema e não, somente o problema em si. Causas (vou citar só as que eu lembrar, com certeza existem outras): depressão, estresse, ansiedade, filhos, desgaste da relação, seu marido é ruim de cama, estímulo inadequado, você não gosta mais dele, horários inadequados, muito serviço, falta de dinheiro, problemas sexuais, problemas emocionais, ambiente inadequado (privacidade), culpa religiosa ou outras questões relacionadas a esfera sexual, doenças físicas... Acredito que o Jesus Luz (aquele da propaganda de cuecas) seria um bom estímulo para você (brincadeirinha...). Isso que escrevi aqui é só para você ter um idéia da amplitude do problema, de nada adianta você procurar um remédio se a cura para esse seu problema é outra.

Amor e sexo – um dos caminhos para a felicidade
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A libido é algo emblemático, é energético, é o fogo que alimenta o caldeirão de emoções do sexo. Amor, libido e sexo nem sempre andam juntos. O homem que é um ser naturalmente pobre emocionalmente falando consegue separar o sexo de seus sentimentos (um homem pode discutir com sua parceira e mesmo assim, meia hora depois estar louco de vontade de ter relação com ela).

A mulher que é um ser naturalmente rico emocionalmente falando. Não consegue (a maioria delas) separar o sexo do amor, separar o sexo dos seus sentimentos. O sexo é para a mulher um caldeirão de emoções e sentimentos. Inconscientemente toda mulher tem sua receita de ingredientes especiais para colocar nesse caldeirão: uma porção infinita de amor, uma porção generosa de paixão, porções de carinho e carícias, misture tudo e acrescente um pouco mais de toque e prazer; mexa novamente a acrescente dedicação, atenção e elogios à vontade, e para finalizar: bom humor a gosto. Mas aquele que quiser experimentar essa deliciosa receita vai ter que acender o fogo.

A perda da libido – do desejo sexual é muito mais comum entre as mulheres. É difícil para uma mulher entregar-se para um homem por quem ela alimenta sentimentos negativos e uma das piores coisas que pode ocorrer entre um casal é o homem não perceber essa situação. Forçar uma relação quando a mulher não está adequadamente receptiva para o sexo, leva a mulher a sentir-se violada, isso gera uma bola de neve de sentimentos ainda mais negativos culminado com o nojo ao toque do seu parceiro e ao sexo.

Outro ponto muito relevante é o tempo. O homem e a mulher possuem um “time” diferente. Par o homem parece haver um neurônio altamente especializado que liga diretamente a retina de seus olhos ao seu órgão sexual. É um reflexo condicionado, extinto puro, o cérebro no homem parece não participar do processo de controle do desejo sexual masculino. Esse “time” para as mulheres é bem diferente. Tem que haver um cortejo, toda uma preparação. O toque e as carícias são imprescindíveis. É o mais importante de tudo: qual é a estória que aqueles dois têm, e quais sentimentos essa mulher nutre por esse homem? Qual o grau de comprometimento do parceiro em oferecer prazer para sua companheira?

E você mulher tem realmente sua receita, conhece seus ingredientes? Onde gosta de ser tocada, como gosta de ser tocada? O que realmente te dá prazer? Quais são suas fantasias? Você sabe a resposta para essas perguntas? Se souber ótimo, caso contrário está mais do que na hora de descobrir. Para as mulheres que já tem essas respostas e para aquelas que ainda vão descobrir, uma ultima questão: já contaram para seus companheiros? Não fique esperando que ele vá descobrir sozinho. A maioria dos homens é incapaz de descobrir sozinho. Nós (os homens) estamos mais preocupados é com nosso próprio umbigo (para não dizer outra palavra). Seu companheiro não notou quando você mudou o cabelo e se notou esqueceu de te elogiar, você acha que ele é capaz de perceber seus sentimentos?

Converse com seu amado e conte para ele o que é bom para você e o que não é bom também. Ele deve te respeitar e pelo menos tentar mudar a ponto que você note mudanças reais no relacionamento. Ensine o teu companheiro a alimentar o fogo, a libido é o fogo que vai completar a sua receita especial e exclusiva de sexo, amor e fecilcidade.

Nasci com onfalocele gigante, tenho 21 anos, sinto-me mal...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Todos estes sentimentos são perfeitamente aceitáveis frente ao defeito físico que você tem, o mais importante e grave é que não está conseguindo lidar com essa situação, esconder com um top ou camisola não deixa que os outros vejam, mas você vê (e sente), provavelmente tem mais repúdio de si mesma do que as outras pessoas tem repúdio de você. Vou te dar um exemplo da situação que quero que você entenda: algum rapaz alguma vez já deixou de transar com você por causa disso? Eu duvido. Precisa começar a aceitar seu problema como uma benção, se não fosse uma cicatriz talvez você nem estaria viva. Aparência física não é o principal de uma relação, se fosse não existiriam pessoas bonitas solteiras, sozinhas, separadas e infelizes. Procure um psicólogo e comece a fazer terapia, precisa "trabalhar" isso.

Depois que usei pomada para infecção diminuiu desejo sexual?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

É bem estranho, isso normalmente não é causado por pomadas para tratamento de infecção, geralmente as causas são outras, mas neste caso precisa retornar ao ginecologista, para averiguar o que aconteceu e tratar adequadamente seu problema.

Ninfomaníaca: o que é, como identificar e tratar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Ninfomaníaca é o termo utilizado para designar um tipo de transtorno psiquiátrico, aonde ocorre um aumento excessivo, frequente e incontrolável do desejo e da atividade sexual feminina, na ausência de problemas físicos ou hormonais que justifiquem.

Uma mulher ninfomaníaca é viciada em sexo e sente uma necessidade constante de ter gratificação sexual. Nos homens, o distúrbio é denominado satiríase.

No entanto, a ninfomania não é propriamente uma busca desenfreada pelo prazer, mas sim uma tentativa de aliviar o desconforto e a tensão emocional que a pessoa sente. Trata-se de um vício, uma dependência sexual.

Os vícios caracterizam-se por mudanças no comportamento e no funcionamento do cérebro que visam buscar compulsivamente sensações de recompensa ou de alívio de algum desconforto emocional.

No caso de uma mulher ninfomaníaca, a sua hipersexualidade e preocupação com o sexo ocupam a maior parte do seu tempo, prejudicando o funcionamento normal da sua vida pessoal, social e profissional. Além de aumentar o risco de doenças sexualmente transmissíveis, pelo número elevado de parceiros, e risco de se ferir, pelo uso exagerado de objetos de prazer.

Quais as causas da ninfomania?

As causas da ninfomania ainda não estão bem estabelecidas, entretanto parece estar relacionada com a atividade da dopamina, um neurotransmissor cerebral associado à sensação de prazer.

A ninfomania também pode ser consequência do uso de medicamentos agonistas da dopamina, como os usados para tratar a doença de Parkinson, além de lesões cerebrais nas áreas responsáveis pela regulação dos impulsos sexuais.

Muitas vezes, a ninfomania é um sintoma de outras doenças e transtornos, como autismo, demência, transtorno de personalidade borderline, transtorno bipolar, entre outros. O vício em álcool e outras drogas também pode favorecer o desenvolvimento da ninfomania.

Quais os sintomas da ninfomania?

Os principais sintomas da ninfomania são o excesso de masturbação e atividade sexual. A mulher passa boa parte do seu tempo em busca de gratificação sexual e não consegue abandonar esse comportamento compulsivo, mesmo que prejudique a sua vida pessoal e ou profissional.

Uma ninfomaníaca deixa de lado as suas obrigações e responsabilidades para satisfazer o seu vício, o que interfere de forma muito negativa no seu funcionamento normal.

Em geral, uma mulher ninfomaníaca tende a ser infiel repetidamente ou tem dificuldade em se ligar de forma íntima aos seus parceiros.

Qual é o tratamento para a ninfomania?

Por se tratar de um vício, o tratamento para uma ninfomaníaca é semelhante ao que é realizado para outros tipos de dependência, tendo como principais objetivos a abstinência (mesmo que temporária) e a mudança de comportamento.

O tratamento da ninfomania inclui psicoterapia, participação em grupos de apoio, terapia de casal e uso de medicamentos.

Psicoterapia

A terapia cognitivo-comportamental é um dos métodos de psicoterapia mais usado para tratar vícios, entre eles a ninfomania. O tratamento baseia-se na relação entre comportamento, pensamento e emoções, aumentando a motivação para mudanças e atividades recompensadoras. A terapia tem o objetivo de levar a mulher a compreender o porquê do seu comportamento e aprender a controlar os seus impulsos.

Grupos de apoio

Os grupos de apoio podem ser liderados por psicoterapeutas ou mulheres que se recuperaram da ninfomania. Esses grupos são úteis para a partilha dos problemas em comum e das possíveis estratégias para lidar com eles. Também é um ótimo local para a paciente confrontar as suas negações e racionalizar sobre a sua dependência sexual.

Terapia de casal

A terapia de casal pode ajudar a melhorar a satisfação sexual, a ligação e a comunicação entre a paciente e o seu parceiro ou companheiro.

Medicamentos

Quando a ninfomania é consequência de sofrimento emocional, podem ser indicados medicamentos antidepressivos. Se a ninfomania for decorrente de transtorno bipolar, são usados estabilizadores de humor. Nos casos de alterações hormonais, é indicada terapia hormonal, especialmente antiandrogênica.

O diagnóstico e tratamento da ninfomania é da responsabilidade do médico psiquiatra, preferencialmente um especialista em sexualidade.

E sempre que possível, a participação de uma equipe multidisciplinar, com psicoterapeutas, psicólogos, educadores físicos e terapeuta ocupacional.

Saiba mais sobre o assunto em: Fazer sexo em excesso causa algum mal?