Perguntar
Fechar
É normal ter dor lombar durante a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. É normal ter dor lombar durante a menstruação.

Durante a menstruação, a região pélvica é mais irrigada e a mulher pode sentir um leve inchaço nessa região. Em decorrência disso, a dor lombar é frequente nesse período mas tende a melhorar com o fim da menstruação.

A dor lombar pode ser mais intensa no momento das cólicas menstruais e melhorar com repouso ou uso de medicação para alívio.

No momento da dor, o uso de compressas mornas na região lombar pode favorecer o alívio.

Como tratamento a longo prazo, a atividade física regular como natação, bicicleta, caminhada, pilates e yoga podem fortalecer a musculatura e evitar a dor lombar constante durante a menstruação. Massagens, osteopatia e acupuntura são outras técnicas que ajudam no alívio da dor.

Caso a sua dor seja de alta intensidade, é recomendado procurar o/a médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação pormenorizada.  

Tive relação no último dia da minha menstruação...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Até pode estar grávida, mas é muito difícil que seja dessa relação, pois estava menstruada e toma anticoncepcional, além de que os sintomas de gravidez somente surgem a partir do final do primeiro mês de gravidez.

Posso fazer exame ginecológico dois dias após a menstruação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Normalmente são necessários 3 dias sem menstruação para fazer o exame, principalmente se for colher o Preventivo. Mas tudo depende de quem vai realizar o exame ginecológico e quais critérios o profissional usa.

Pomada vaginal pode atrasar a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. Pomada vaginal não atrasa a menstruação.

A pomada vaginal geralmente contém medicações para tratar possíveis infecções vaginais. Essas medicações não causam atraso menstrual. A mulher que está em uso de pomada vaginal, normalmente, apresentará sua menstruação no período habitual.

Leia também:

Para que serve a pomada vaginal?

Caso você esteja com atraso menstrual, procure um serviço de saúde para uma consulta de avaliação das possíveis causas do atraso e consequente acompanhamento.

É normal a menstruação atrasar depois de uma curetagem?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. É normal a menstruação atrasar depois de uma curetagem

Em geral, a menstruação ocorre entre 4 e 6 semanas após o procedimento.

A curetagem é um procedimento cirúrgico de raspagem da camada interna do útero por diversas razões, entre elas, abortamento.

Até alguns dias após o procedimento, a mulher pode apresentar sangramento discreto.

Se o sangramento for de grande quantidade ou se a menstruação não ocorrer até seis semanas após a curetagem, procure o/a ginecologista para uma avaliação.

Mioma atrasa a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. Mioma não atrasa a menstruação

A mulher que apresenta mioma normalmente é assintomática, ou seja, não apresenta sintoma específico. Entretanto, há possibilidade de alguns sintomas serem percebidos como, por exemplo, a dor pélvica e o prolongamento do período menstrual com sangramento menstrual mais intenso e mais duradouro

Todos esses sintomas serão dependentes da quantidade de miomas no útero, do tamanho deles e da localização na cavidade uterina. 

O atraso da menstruação pode ser decorrente de outras situações que devem ser devidamente investigadas. 

Caso sua menstruação não veio na data prevista e, portanto, você está com atraso menstrual, procure o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma investigação pormenorizada.

Saiba mais em: Quais são os sintomas de mioma?

Minha menstruação não desce já faz dois dias. Posso estar grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim você pode estar grávida, porém 2 dias ainda não é um atraso menstrual relevante. Os médicos apenas consideramos atraso menstrual um atraso superior a 15 dias para efeito de suspeitar de uma gravidez.

O ideal é que você espere completar 15 dias de atraso e se continuar sem descer a menstruação procure um ginecologista.

Antidepressivo pode atrasar a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Antidepressivo pode atrasar a menstruação. Alguns medicamentos psiquiátricos e neurológicos podem tem como efeito colateral a desregulação do ciclo menstrual.

As alterações no ciclo menstrual incluem aumento ou redução no sangramento, amenorreia (ausência de menstruação), irregularidades no ciclo com sangramentos pontuais e menstruação fora do período.

Os efeitos colaterais do antidepressivo ou outra medicação devem ser comunicados ao/à médico/a que avaliará a continuidade ou alteração do tratamento.

Antibiótico e corticoide podem atrasar a menstruação?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. Corticoides podem atrasar a menstruação, mas os antibióticos normalmente não provocam atraso menstrual, raras exceções. Em geral, a infecção para a qual o antibiótico foi prescrito é que pode atrasar o ciclo, não o medicamento em si.

Os principais medicamentos que podem atrasar a menstruação são os psiquiátricos e neurológicos, sobretudo quando são usados em doses muito elevadas ou por tempo prolongado, pois podem aumentar a secreção do hormônio prolactina e interferir no ciclo menstrual.

Alguns exemplos são os neurolépticos, como Risperidona, Haldol, Melleril e Equilid, com destaque para a Risperidona e o Equilid, que podem atrasar a menstruação mesmo em doses baixas.

Os tranquilizantes benzodiazepínicos normalmente só provocam atraso em doses muito altas e depois de um tempo prolongado de uso.

Já os medicamentos antidepressivos raramente atrasam a menstruação.

Leia também: Antidepressivo pode atrasar a menstruação?

Outros medicamentos que podem interferir no ciclo menstrual são os antipsicóticos, medicamentos quimioterápicos, imunossupressores e anti-hipertensivos.

Para maiores informações sobre o atraso menstrual causado por medicamentos, fale com o médico que receitou a medicação ou com o seu médico ginecologista.

Pode lhe interessar também:

Menstruação abundante pode ser sinal de menopausa?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, menstruação abundante pode ser sinal de que a menopausa (última menstruação) está mais próxima. Um dos sintomas que antecedem a menopausa é a irregularidade menstrual, com ciclos mais longos ou mais curtos e com alteração do fluxo.

A pré-menopausa começa aos 40 anos de idade e caracteriza-se por alterações da menstruação e sintomas como mudanças de humor, distúrbios do sono, falta de interesse sexual, entre outros. No final desse período, mais de 80% das mulheres começam a ter as conhecidas ondas de calor.

Por volta dos 45 anos de idade, tem início a perimenopausa. Essa fase antecede a chegada da menopausa, que em média ocorre entre os 48 e 50 anos, e se estende por até 12 meses depois da última menstruação. É marcada pelos mesmos sintomas da pré-menopausa, porém mais intensos.

Um dos principais sinais que indicam o início da perimenopausa é a alteração dos ciclos menstruais, que tornam-se mais irregulares (mais curtos ou mais longos), com variações também no fluxo, que pode ser mais abundante. Há mulheres que chegam inclusive a ter hemorragias.

Todos esses sintomas estão relacionados com o desequilíbrio na produção dos hormônios estrogênio e progesterona que ocorre nos ovários.

A menstruação deixa de existir após a menopausa e os demais sintomas desaparecem 2 ou 3 anos após a última menstruação, por volta dos 52 ou 53 anos de idade.

Informe o seu médico de família ou ginecologista sobre as suas alterações menstruais e esclareça as suas dúvidas sobre os sintomas da menopausa.

Pode lhe interessar também:

Quais os sintomas da menopausa?

As 8 principais causas de menstruação prolongada e como parar o sangramento

Posso tomar injeção 2 vezes ao mês já que desce 2 vezes ao mês?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. Deve tomar a injeção (Perlutan®) apenas uma vez ao mês, mantendo 28 a 30 dias de intervalo entre cada injeção.

O uso de contraceptivos, pode ter como efeito colateral, um sangramento no meio do ciclo, que não é considerado "normal", mas é comum. Esse sangramento não é uma nova menstruação, mas um sangramento de "escape", e ocorre por questões hormonais de adaptação ao medicamento. Inclusive se esse efeito for recorrente, acaba por ser uma indicação de troca de contraceptivo.

Se sua menstruação acontece duas vezes ao mês independente do uso do contraceptivo, deve ser avaliada por um/a médico/a ginecologista, antes de iniciar qualquer contraceptivo hormonal.

Indicações de Perlutan®

O medicamento é indicado como contraceptivo injetável mensal, ou ainda, para casos de irregularidade menstrual.

Como usar o Perlutan®?

O Perlutan® deve ser aplicado via intramuscular, por um profissional da saúde, apenas 1x ao mês de preferência no 8º dia do ciclo, podendo ser usado entre o 7º e 10º dia. O primeiro dia do ciclo é o primeiro dia da menstruação.

Recomenda-se ainda, não massagear o local após a aplicação e manter uma compressa limpa por um tempo, para evitar perda da medicação.

Outros efeitos colaterais do Perlutan®

Os efeitos mais comuns relatados pelo uso do medicamento são: cefaleia, dor abdominal, desconforto nas mamas, menstruação irregular.

Outros efeitos menos comuns, são a alterações de peso, distúrbios de humor, tontura, náusea e vômitos. Ainda menos frequente, porém relatados, são a doença cerebrovascular (AVC), comprometimento da visão, comprometimento da audição, tromboses, infarto do miocárdio, neoplasias, acne, coceiras, reação alérgica de pele, edema, ondas de calor, reações no local da injeção (como dor, sangramento, nódulo, coceira, secreção e/ou inchaço) e diminuição da libido.

Cuidados que deve ter com o anticoncepcional

Mulheres tabagistas, com sobrepeso, hipertensas e com história prévia ou familiar de trombose, tromboembolismo e doenças cerebrovasculares, devem evitar o uso de anticoncepcionais hormonais, seja oral ou injetável, a não ser sob avaliação e critério médico.

Leia também: Sangramento de escape pode ser considerado menstruação?

Sangramento que não é menstruação: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A menstruação é o sangramento que ocorre dentro do ciclo menstrual de 24 a 35 dias e em geral dura de 2 a 7 dias. Fora desse padrão, o sangramento vaginal que não é menstruação pode ter diversas causas, entre elas:

  • Uso de anticoncepcionais hormonais;
  • Transição para a menopausa;
  • Uso de terapia de reposição hormonal;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Pólipo no útero;
  • Mioma uterino;
  • Câncer no útero;
  • Atividade física de extrema intensidade;
  • Doença inflamatória pélvica;
  • Distúrbios endocrinológicos: hipo ou hipertireoidismo, Síndrome de Cushing, etc;
  • Distúrbios na hipófise e hipotálamo;
  • Ruptura de cisto de ovário;
  • Úlcera vaginal.

A investigação da causa específica do sangramento para cada mulher pode ser feita pelo/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral levando em consideração a história pessoal de uso de medicamentos, o tempo de duração do sangramento, os sintomas clínicos e o exame físico. É importante a mulher observar com atenção o padrão desse sangramento que não é menstruação para explicar com mais dados durante a consulta médica.