Perguntar
Fechar
Quanto tempo posso tomar medicamento vencido?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não se deve tomar medicamentos vencidos, o principal motivo é de que os medicamentos vencidos podem perder a sua eficácia após a data de validade e assim atrapalha-se o tratamento médico, já que se está tomando algo que apresenta um efeito reduzido ou mesmo não apresenta mais efeito algum.

Após a data de validade não há nenhuma garantia do efeito do fármaco no organismo. Por isso, além da possível diminuição na eficácia do fármaco também podem haver efeitos inesperados com a sua utilização, sendo que é possível haver toxicidade ao organismo.

Os medicamentos não são estudados após o seu prazo de validade, por isso, não se sabe o que pode acontecer após esse período.

O que acontece se tomar antibiótico fora do prazo de validade?

Os antibióticos após a sua data de vencimento tendem a diminuir gradativamente a sua eficácia e a capacidade de atuar contras as bactérias e agentes infecciosos nocivos. Se o remédio for tomado após esse prazo o seu efeito pode ser menor, não sendo suficiente para combater todas as bactérias, esse processo pode induzir a resistência bacteriana. Por isso, não se deve tomar antibióticos vencidos.

Como descartar medicamentos vencidos?

Caso tenha em casa cartelas de comprimidos que se venceram sem serem utilizados não os descarte no lixo comum, pois os medicamentos possuem substâncias químicas que podem contaminar e prejudicar o meio ambiente, ou podem ser consumidos por animais e causa-lhes danos.

O ideal é devolver os medicamentos em um posto de saúde ou em uma farmácia para o descarte correto.

Caso tenha dúvidas consulte a equipe do seu posto de saúde mais próximo.

Qual a diferença entre os remédios "originais" e genéricos?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Remédios originais são geralmente vinculados à uma marca e, portanto, apresentam um nome original que apenas essa determinada marca possui. Como a marca possui a propriedade da medicação, o remédio é vendido a um preço superior comparado ao remédio genérico. 

Remédios genéricos são cópias dos remédios originais apresentando um preço mais acessível. O medicamento genérico possui o mesmo princípio ativo do remédio original, contendo os mesmos ingredientes na fórmula. Sendo assim, ele faz o mesmo efeito programado

No Brasil, o rótulo do medicamento genérico vem marcado com uma tarja amarela e a letra G maiúscula identificando que aquele medicamento trata-se de um medicamento genérico. 

Nem toda medicação possui uma correspondente genérica. No momento da compra, vale a pena solicitar ao farmacêutico a medicação genérica pois assim reduzirá o seu gasto. 

O remédio genérico apresenta a mesma dose do remédio original e faz o mesmo efeito. Por isso, dentro do prazo de validade, o remédio genérico pode ser usado normalmente. 

Remédios que ajudam e pioram a gastrite
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

O ácido do estômago é necessário para a digestão, mas quando você tem gastrite ele aumenta a inflamação e pode ser o responsável pelas lesões no estômago. Por isso, os remédios indicados para a gastrite agem diminuindo o ácido do estômago. Eles ajudam na recuperação das lesões e a diminuir a inflamação, aliviando os sintomas.

Por outro lado, o uso de medicamentos que aumentam o ácido do estômago pode piorar ou até causar a gastrite. Tomar muitos comprimidos diariamente também pode ter o mesmo efeito.

Remédios para alívio dos sintomas da gastrite

Os remédios mais importantes para o tratamento são os que diminuem a produção de ácido do estômago. São exemplos o omeprazol, o pantoprazol ou o lansoprazol (inibidores da bomba de prótons). O alívio dos sintomas começa assim que você iniciar o tratamento.

São medicamentos considerados seguros, mas que raramente podem causar problemas nos rins (omeprazol), hepatite (omeprazol e lansoprazol) e distúrbios visuais (pantoprazol e omeprazol). Eles também aumentam o risco de ter pneumonia.

É importante que sejam usados apenas durante o tempo indicado pelo médico, para evitar que causem problemas de saúde. Além disso, para parar de tomar é necessário diminuir a dose lentamente. Não ter esse cuidado pode causar a piora dos sintomas.

O uso prolongado pode causar problemas relacionados com a diminuição de absorção de cálcio e vitamina B12, principalmente em idosos. Você pode ter maior fragilidade dos ossos e anemia, por exemplo.

Veja quais são os sintomas mais comuns da gastrite e quais são os remédios usados para tratá-los:

Sintomas

Remédios

Dor na parte superior da barriga

Diminuidores da produção de ácido

Antiácidos

Sentir-se inchado ou cheio após comer

uma pequena quantidade de comida

Antiflatulentos (para gases)

Náusea ou vômito Antieméticos

Exemplos desses medicamentos são:

  • Ranitidina (Label): para diminuir a produção de ácido
  • Hidróxido de magnésio, hidróxido de alumínio, bicarbonato de sódio, carbonato de cálcio (Mylanta Plus, Maalox, Leite de Magnésia de Phillips e Sal de Frutas Eno são alguns exemplos): antiácidos
  • Dimeticona ou simeticona (Luftal é um exemplo): para gases
  • Metoclopramida, dimenidrinato, bromoprida, domperidona (Plasil, Dramin, Digesan, Motilium são alguns exemplos): para enjoo e náuseas

Os antiácidos e os medicamentos para gases não precisam de receita para serem comprados.

Os remédios para náuseas / enjoo e os antiácidos podem diminuir ou aumentar o efeito de outros medicamentos. Medicamentos para náuseas podem estar contra-indicados se você tem algumas doenças (glaucoma e prolactina alta são alguns exemplos). Por isso, não utilize por muito tempo sem o conhecimento do seu médico.

Alguns efeitos indesejados dos antiácidos são:

  • Prender o intestino (hidróxido de alumínio)
  • Soltar o intestino (hidróxido de magnésio)
Por que antibióticos são usados para gastrite?

A gastrite pode ser causada por uma infecção. O agente infeccioso mais comum que pode causar gastrite é a bactéria Helicobacter pylori. O tratamento se baseia em antibióticos para acabar com a infecção e outros medicamentos que controlam os sintomas.

Somente o médico pode dizer qual o melhor antibiótico para o seu caso. Ele vai avaliar os exames e algumas características suas para escolher o medicamento que tenha o efeito desejado e que não traga outros problemas para sua saúde.

Alguns exemplos de medicamentos prescritos são:

  • Claritromicina associada a amoxicilina e a algum medicamento para diminuir o ácido do estômago (omeprazol ou pantoprazol são exemplos). Normalmente os medicamentos são tomados 2 vezes ao dia, por 14 dias.
  • O metronidazol é o medicamento que substitui a amoxicilina nos casos de alergia à penicilina.
  • Outros antibióticos também podem ser prescritos, como o levofloxacino, o tinidazol ou metronidazol.

O diagnóstico e tratamento adequados são muito importantes, porque a bactéria também pode causar úlceras (feridas no estômago) e câncer de estômago.

Os medicamentos devem ser tomados no horário certo e pelo período indicado, conforme a receita, para garantir que a infecção acabe.

Os probióticos podem ajudar a controlar a infecção e reduzir os efeitos negativos do uso dos antibióticos. Alguns alimentos que contêm probióticos são os iogurtes, queijos como o gouda e cottage e conservas de legumes (como os picles).

A gastrite também pode ser causada por outras bactérias, vírus, parasitas e fungos. O agente causador da doença precisa ser identificado para iniciar o tratamento adequado.

Remédios que pioram a gastrite

Você pode ter gastrite ou sentir que ela piora por usar certos medicamentos. Os anti-inflamatórios como o ibuprofeno, naproxeno, cetoprofeno, diclofenaco, nimesulida e o AAS, são os mais comuns. Por isso, você precisa evitar tomar esses medicamentos quando tem gastrite.

Quando o problema é o uso prolongado dos anti-inflamatórios, dependendo do motivo para o qual você os utiliza pode ser necessário substitui-los por outros métodos terapêuticos.

Você pode querer ler também:

Alimentos que quem tem gastrite deve comer

Quem tem gastrite deve evitar comer o quê?

Quem tem gastrite pode comer chocolate?

Gastrite crônica tem cura? Qual o tratamento?

Gastrite pode evoluir para câncer?

Referências:

Thomson ABR, Sauve MD, Kassam N, Kamitakahara H. Safety of the long-term use of proton pump inhibitors. World J Gastroenterol. 2010; 16(19): 2323-30

UpToDate

Pode tomar sulfato ferroso quando se está com suspeita de dengue?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. O sulfato ferroso pode ser utilizado por pessoas que estejam com dengue ou com suspeita da doença.

O sulfato ferroso é uma medicação utilizada no tratamento e prevenção de anemia por deficiência de ferro. A medicação deve ser utilizada adequadamente seguindo a orientação médica. Na suspeita de dengue, a pessoa pode continuar normalmente seu tratamento com o sulfato ferroso, não havendo necessidade de interrupção.

O sulfato ferroso, ao contrário de outras medicações contendo ácido acetil salicílico, não apresentará prejuízos para a pessoa que está com dengue.

O uso de sulfato ferroso é contraindicado para pessoas alérgicas ao sulfato ferroso e em casos de doenças que provocam acúmulo de ferro no organismo, como inflamações crônicas, insuficiência renal e em certas anemias que não são decorrentes da falta de ferro.

Quais são os sintomas da dengue?

A dengue é caracterizada por sintomas como:

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dores musculares e nas articulações;
  • Presença de manchas vermelhas pelo corpo que podem coçar;
  • Dores abdominais intensas;
  • Vômito;
  • Diarreia.

A pessoa que apresenta esses sintomas deve procurar um serviço de saúde para uma avaliação, diagnóstico e orientação de como proceder, bem como de quais medicações tomar ou evitar.

Para que serve o sulfato ferroso?

O sulfato ferroso serve para tratar anemias causadas por falta de ferro decorrente de alimentação inadequada, perdas crônicas de ferro ou problemas na absorção de ferro pelo organismo.

O ferro, presente no sulfato ferroso, é essencial no tratamento das anemias provocadas por deficiência desse mineral no organismo. Essas anemias podem ser provocadas por sangramentos agudos ou crônicos, má absorção de ferro pelo organismo ou ainda devido à falta de ferro na alimentação.

Os resultados do tratamento com sulfato ferroso podem ser notados depois de dias ou semanas.

Posso tomar sulfato ferroso na gravidez?

O sulfato ferroso também é usado para prevenir e tratar a anemia durante a gravidez, bem como na prevenção da anemia por falta de ferro em recém-nascidos que nasceram abaixo do peso e em bebês que não são amamentados com leite materno.

O sulfato ferroso é ainda utilizado como suplemento alimentar durante a gravidez, amamentação, períodos de rápido crescimento e também em bebês recém-nascidos com baixo peso e naqueles que são amamentados com mamadeiras.

Lembrando que o sulfato ferroso, assim como outros medicamentos, não devem ser usados sem indicação médica.

O propranolol engorda?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Em teoria não. Tenho muitos pacientes que usam propranolol e nenhum deles teve esse efeito adverso, precisa ver se não há outras causas para o aumento de peso. Talvez como uma reação rara (idiossincrasia - não esperada e diferente do habitual) até possa ocorrer.

Predsim: para que serve e como tomar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O Predsim é um medicamento corticoide, portanto trata-se de um hormônio sintético, cujo princípio ativo é a prednisolona, que possui fortes propriedades anti-inflamatórias, antirreumáticas e antialérgicas. O Predsim está disponível sob a forma de gotas e comprimidos.

O Predsim serve para tratar diversos tipos de doenças, como as doenças endócrinas, reumáticas, osteoarticulares, osteomusculares, doenças do colágeno, alergias, doenças dermatológicas, respiratórias, oftalmológicas, doenças do sangue, câncer, entre outras patologias cujo uso de corticoides está indicado.

Como tomar Predsim?

As doses de Predsim variam de pessoa para pessoa, conforme a gravidade e o tipo de doença e a resposta individual ao tratamento com o medicamento.

Adultos

Para adultos, a dose inicial pode ir dos 5 mg aos 60 mg por dia. Nos casos menos graves, as doses são menores, enquanto que nos mais graves podem ser necessárias doses mais altas de Predsim. A dose diária máxima é de 80 mg.

A dose inicial de Predsim prescrita pelo médico deve ser mantida ou reajustada, até serem observadas melhorias dos sintomas. Se depois de um certo período de tratamento com Predsim, que deve ser determinado pelo médico, não ocorrer uma resposta satisfatória, o seu uso deve ser suspenso e outro tratamento deve ser indicado.

Crianças

Para crianças, a dose de Predsim varia de 0,14 mg/kg a 2 mg/kg por dia, com uma a quatro tomas diárias.

O uso de Predsim em crianças e bebês deve seguir as mesmas orientações indicadas para adultos. As doses podem variar e não precisam necessariamente ser rígidas no que tocam à idade e ao peso corporal.

Depois do paciente apresentar uma resposta positiva ao tratamento, é então determinada uma dose de manutenção, com redução gradual da dose inicial. O objetivo é chegar à menor dose possível capaz de proporcionar uma melhora adequada do quadro.

Pessoas que realizam tratamento prolongado com Predsim podem tomar a medicação em dias alternados, sempre conforme orientação médica.

Leia também: Prednisolona: o que é, para que serve e como tomar?

Predsim pode ser usado na gravidez?

O uso de Predsim durante a gravidez deve ser avaliado pelo médico, que levará em conta os riscos e os benefícios para a gestante e para o bebê. Por ser excretado no leite materno, o uso de Predsim durante a amamentação não é recomendado.

Quais são os efeitos colaterais do Predsim?

Os efeitos colaterais do Oredsim considerados comuns ocorrem em até 10% das pessoas que tomam o medicamento. Dentre eles estão:

  • Aumento do apetite, indigestão, úlcera, inflamação do pâncreas, inflamação do esôfago com formação de úlcera;
  • Nervosismo, cansaço, insônia;
  • Reações alérgicas localizadas;
  • Catarata, aumento da pressão intraocular, glaucoma, olhos saltados, infecções oftalmológicas;

Os efeitos colaterais do Predsim podem ser anulados ou reduzidos com uma diminuição da dose do medicamento. Muitas vezes essa acaba por ser a opção, ao invés de suspender de imediato a medicação.

Vale ressaltar que o uso prolongado de corticoides pode aumentar o risco de diversos problemas, por isso, o uso desse tipo de medicação deve ser feito apenas sob supervisão médica.

Entre os principais efeitos do uso a longo prazo são:

  • Aumento da pressão arterial;
  • Hiperglicemia (aumento dos níveis de glicose no sangue);
  • Catarata;
  • Osteonecrose;
  • Psicopatias e outros distúrbios do humor;
  • Insuficiência da glândula suprarrenal;
  • Síndrome de Cushing;
  • Osteoporose;
  • Aumento do risco de trombose;
  • Úlceras.

O aparecimento de qualquer efeito secundário deve ser relatado ao médico que receitou o Predsim. O uso desse medicamento só deve ser feito com prescrição médica.

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que receitou a medicação ou consulte um médico clínico geral ou médico de família.

Não sabia que estava grávida e tomei remédios. O que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O uso de medicação durante a gravidez deve ser feito apenas com indicação médica. Caso você ficou sabendo recentemente que está grávida, você deve parar o uso das medicações e iniciar o pré natal. Na consulta de pré natal, o/a médico/a vai orientar quais medicações devem ser continuadas e quais devem ser evitadas.

Algumas medicações são proibidas durante a gestação devido aos efeitos adversos que elas podem provocar.

Leia também:

Quais remédios posso tomar na gravidez?

Tomo Microvlar certo e sempre regulada, só que atrasou?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O anticoncepcional pode falhar, mas isso é raro de acontecer para quem toma certo. O mais provável no caso dela é um atraso menstrual devida a alterações hormonais (muito comum) como está para descer e não desce ela acaba sentindo todas essas dores, provavelmente a menstruação deve descer nos próximos dias.

Bepantol Derma Creme: para que serve e como usar a pomada?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A pomada Bepantol Derma Creme serve para hidratar a pele e prevenir o seu ressecamento e a sua descamação. Sua fórmula possui grandes quantidades de pró-vitamina B5 (dexpantenol), além de lanolina e óleo de amêndoas doces, substâncias com forte ação hidratante.

O principal princípio ativo do Bepantol Derma Creme é a pró-vitamina B5, também conhecida como dexpantenol. A substância acelera a regeneração das células, promovendo a renovação natural da pele.

O dexpantenol também é um poderoso hidratante, que evita a perda excessiva de água pela pele, além de estimular a produção de colágeno, ajudar na cicatrização, auxiliar no controle de inflamações e melhorar a função de proteção da pele.

Assim, o Bepantol pomada hidrata, cicatriza, fortalece e renova a pele, deixando-a mais macia, firme e resistente.

Como o Bepantol Derma Creme funciona?

A pró-vitamina B5 ou dexpantenol, presente em grandes concentrações no Bepantol Derma Creme, é transformada rapidamente em ácido pantotênico nas células da pele e das mucosas.

O ácido pantotênico está relacionado com a regeneração e a cicatrização da pele e das mucosas.

O ácido pantotênico estimula a replicação das células das camadas basais da pele, que irão compor a camada superficial da pele. A substância também estimula a multiplicação dos fibroblastos, que produzem colágeno, fundamental para a firmeza e resistência da pele.

A pomada também forma uma fina camada protetora e transparente, que protege a pele dos agentes agressores externos e impermeabiliza a pele, evitando a perda de água e consequente desidratação e ressecamento.

Quando usar Bepantol Derma Creme?

O Bepantol Derma Creme é indicado para peles que precisam de hidratação e locais que necessitam de cuidados especiais e hidratação intensiva, como tatuagens, pés, cutículas, calcanhares, cotovelos e joelhos, deixando a pele mais macia e saudável.

Quando aplicado no rosto e na região abaixo dos olhos, a ação hidratante da pomada deixa a pele com um aspecto mais saudável. Porém, a pomada não serve para clarear a pele ou eliminar manchas.

O Bepantol pomada promove uma hidratação profunda da pele, estimulando a sua regeneração naturalmente e prevenindo a sua descamação.

Contudo, devido às propriedades cicatrizantes, regenerativas e anti-inflamatórias do dexpantenol, o Bepantol Derma Creme também é indicado no tratamento de:

  • Assaduras;
  • Fissura anal;
  • Fissuras nos mamilos;
  • Ferimentos e queimaduras leves;
  • Rachaduras em pele e mucosas;
  • Escaras (úlceras de pressão);
  • Fissuras nos lábios.
Como usar Bepantol Derma Creme?

Aplique uma camada de Bepantol Derma na pele e espalhe suavemente, uma vez ao dia. Aplique novamente a pomada sempre que for preciso hidratar ou tratar a pele de forma mais intensa.

Para prevenir e tratar assaduras, recomenda-se aplicar uma camada de Bepantol sempre que houver mudança de fralda, depois de limpar o bebê.

No tratamento e na prevenção de fissuras nos mamilos, deve-se aplicar uma camada de pomada no local após cada mamada.

Para maiores esclarecimentos sobre o uso de Bepantol Derma Creme, consulte um médico dermatologista ou fale com o médico que receitou o medicamento.

Também pode lhe interessar: Posso usar Bepantol Derma Solução para hidratar o cabelo?

Bromoprida: para que serve, como tomar e quais os efeitos colaterais?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A bromoprida serve para tratar distúrbios na motilidade gastrointestinal, refluxo gastroesofágico, náuseas e vômitos.

A bromoprida aumenta a amplitude e a força das contrações da musculatura lisa do estômago, além de relaxar o esfíncter que separa o estômago da porção inicial do intestino. Como resultado, ocorre esvaziamento do estômago e aumento do trânsito intestinal.

Além disso, a bromoprida também possui propriedades que servem para evitar e controlar vômitos.

Como tomar bromoprida?

Os comprimidos de bromoprida devem ser tomados com meio copo de água. A dose pode variar conforme prescrição médica. A dose máxima não deve ultrapassar os 60 mg por dia, ou seja, 6 cápsulas.

Quais são os efeitos colaterais da bromoprida?

Os efeitos colaterais mais comuns da bromoprida ocorrem em até 10% das pessoas que tomam a medicação e incluem agitação, sonolência, cansaço, falta de energia e desinteresse.

Se em algumas pessoas a bromoprida dá sono, em outras pode causar insônia, além de dor de cabeça, tonturas, náuseas, movimentos involuntários, produção de leite pelas mamas, aumento das mamas nos homens, erupções cutâneas, urticária e distúrbios intestinais. Contudo, esses efeitos colaterais da bromoprida são pouco comuns.

Os movimentos involuntários caracterizam-se por contrações musculares irregulares e involuntárias e ocorrem com mais frequência em crianças e adultos jovens. Em idosos, que utilizam bromoprida por tempo prolongado, podem ocorrer anormalidades ou perturbação dos movimentos.

Quais são as contraindicações da bromoprida?

A bromoprida não deve ser usada por pessoas alérgicas aos componentes da fórmula do medicamento, pessoas com epilepsia ou com feocromocitoma (tumor na glândula suprarrenal).

O medicamento também é contraindicado quando o estímulo do esvaziamento gástrico é perigoso, como em casos de hemorragias, obstrução mecânica, perfuração do estômago ou intestino.

O uso de bromoprida em mulheres grávidas, crianças, pessoas idosas ou com glaucoma, diabetes, Parkinson, insuficiência renal ou pressão alta deve ser cauteloso.

Em caso de gravidez, cabe ao médico avaliar os riscos benefícios do uso do medicamento. Por ser excretada no leite materno, a bromoprida não deve ser usada durante a amamentação, exceto por indicação médica, quando os benefícios para a mão superam os eventuais riscos para o bebê.

A presença de qualquer efeito colateral deve ser relatado ao médico que prescreveu a bromoprida. O uso desse medicamento só deve ser feito com indicação médica.

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico que prescreveu a medicação ou consulte um médico clínico geral, ou médico de família.

Plasil: para que serve e quais são os efeitos colaterais?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O Plasil ® é um medicamento comercializado sob a forma de gotas e comprimidos e que tem como princípio ativo o cloridrato de metoclopramida monoidratado. O

Plasil ® serve para tratar alterações dos movimentos peristálticos do aparelho digestivo, como em casos de náuseas e vômitos decorrentes de cirurgia ou não, doenças metabólicas e infecciosas, ou ainda causadas pelo uso de medicamentos.

O Plasil ® também é indicado para facilitar a realização de exames de raio-x do aparelho gastrointestinal.

Como funciona o Plasil ®?

O cloridrato de metoclopramida monoidratado, princípio ativo do Plasil ®, atua sobre órgãos do sistema digestivo, como estômago e intestinos, aliviando náuseas e vômitos.

Quais são os efeitos colaterais do Plasil ®?

Efeitos colaterais muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos casos): sonolência.

Efeitos colaterais comuns (ocorrem em 1% a 10% dos casos): sintomas extrapiramidais (sobretudo em crianças e adultos jovens), síndrome parkinsoniana, pressão baixa, inquietude, depressão, diarreia, fraqueza.

Efeitos colaterais incomuns (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos): movimentos involuntários, alteração do tônus de tecidos do corpo, alergia, redução do nível de consciência, choque, desmaio, diminuição da frequência cardíaca, alucinação, ausência de menstruação, produção excessiva do hormônio prolactina, responsável pela produção de leite, galactorreia (produção de leite fora do período da amamentação).

Efeitos colaterais raros (ocorrem em 0,01% a 0,1% dos casos): convulsões, confusão.

Posso tomar Plasil ® durante a gravidez e amamentação?

Durante o primeiro trimestre de gravidez, o uso de Plasil ® não está associado a malformações fetais nem a prejuízos na saúde do bebê após o nascimento. Mesmo quando usado nos outros trimestres de gestação, não foi observada toxicidade após o nascimento nesses bebês. Por isso, desde que com conhecimento médico, o Plasil ® pode ser usado na gravidez.

Contudo, o mesmo não ocorre durante a amamentação, uma vez que o Plasil ® é excretado no leite materno, o que pode causar efeitos colaterais no bebê. Por isso, se estiver amamentando, a mulher deve interromper a amamentação ou o uso de Plasil ®.

O uso de Plasil ® deve ser feito com orientação médica. Para maiores esclarecimentos sobre como tomar o medicamento, indicações e possíveis efeitos colaterais, consulte um médico clínico geral ou um médico de família.

Ibuprofeno ou metronidazol interferem nos anticoncepcionais?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não, nem o Ibuprofeno® nem o Metronidazol® interferem na eficácia dos anticoncepcionais.

Poucos medicamentos alteram a ação dos anticoncepcionais, entretanto, é importante que sempre informe ao médico todas as medicações que faz uso, para evitar a interação medicamentosa, que pode não só interferir na ação de um deles, como também causar efeitos colaterais indesejados.

Além de medicamentos, outras situações podem interferir com a eficácia dos anticoncepcionais, como episódios de vômitos logo após sua ingesta, diarreia e uso de substâncias ilícitas.

Saiba mais em: 5 Coisas que Podem Cortar o Efeito do Anticoncepcional

O médico ginecologista é o responsável por esclarecer as dúvidas em relação aos anticoncepcionais.

Quais medicamentos interferem na eficácia dos anticoncepcionais?

Os medicamentos que comprovadamente interferem na ação e portanto na eficácia dos anticoncepcionais, são principalmente os anticonvulsivantes e barbitúricos, como:

  • Carbamazepina®;
  • Topiramato®;
  • Fenitoína (Hidantal®);
  • Oxcarbazepina®;
  • Primidona®;
  • Barbitúricos
    • Fenobarbital®,
    • Tiopental®, e outros;

Assim como alguns antibióticos, são eles:

  • Rifampicina®;
  • Rifabutina®;

E anti-retrovirais como o Ritonavir®.

Para mais esclarecimentos fale com seu médico da família ou ginecologista.

Pode lhe interessar também: Metronidazol: o que é e para que serve?