Perguntar
Fechar

Transtorno desintegrativo da infância: Quais os sintomas e como tratar?

Os sintomas do transtorno desintegrativo da infância começam a se manifestar antes dos 10 anos de idade, após um período em que a criança apresenta um desenvolvimento normal, pelo menos até os 2 anos de vida.

Crianças com transtorno desintegrativo da infância não apresentam atrasos no desenvolvimento durante os 2 primeiros anos de idade, comunicando-se por palavras, expressões e gestos, além de manifestarem comportamentos apropriados para a idade.

Contudo, antes de completar os 10 anos de idade, a criança manifesta uma perda significativa das habilidades que já foram adquiridas. Essa perda ocorre em pelo menos duas áreas: linguagem, habilidades sociais ou comportamentos, controle do intestino ou bexiga, brincadeiras e capacidades motoras.

Assim, uma criança com transtorno desintegrativo da infância pode apresentar os seguintes sinais e sintomas:

Prejuízo nas interações sociais, com alterações nos comportamentos não-verbais, dificuldade em desenvolver relacionamentos, pouca abertura social e emocional, falta de resposta diante de tentativas de carinho, contato visual breve;

Prejuízos na comunicação, com atraso ou ausência da fala, perda da capacidade de começar ou manter uma conversa, perda da capacidade de interpretar gestos, linguagem repetitiva, ausência de brincadeiras imaginárias variadas;

Comportamentos, atividades e interesses repetitivos, restritos e estereotipados, incluindo alterações nas habilidades motoras.

Tratamento

O tratamento do transtorno desintegrativo da infância deve começar o quanto antes para favorecer a adaptação da criança e compensar as suas limitações, diminuindo ou impedindo o aparecimento de novos atrasos.

Os tratamentos mais usados para tratar o transtorno desintegrativo da infância são os de abordagem psicológica, social e educacional.

O objetivo é melhorar a linguagem, a comunicação e as habilidades sociais da criança, bem como reduzir os comportamentos mal-adaptativos.

Saiba mais em: Transtorno desintegrativo da infância é grave?