Perguntar
Fechar

Desenvolvimento Infantil

Bebê não defeca, o que fazer?

Se o bebê não defeca por algum tempo pode ser resultado de uma fase normal de adaptação do seu intestino ao leite ou a outros alimentos e, geralmente, não é preciso fazer nada

Bebês que são alimentados com outros leites, como o de vaca e leite em pó (fórmulas lácteas) ou que já comem outros tipos de alimentos, têm geralmente mais dificuldades para evacuar.

É frequente ficarem 1 ou 2 dias sem defecar e depois quando o fazem, o cocô sai pastoso ou liquido.

Nesses casos pode-se ajudar o bebê fazendo massagens suaves em sua barriga e dobrando gentilmente suas pernas e coxas sobre o abdômen.

Quantos dias o bebê pode ficar sem fazer cocô?

A frequência com que o bebê faz cocô varia muito desde o seu nascimento até cerca de 1 ano de idade.

Isso ocorre porque o seu intestino está se adaptando ao leite e a outros alimentos que vão sendo introduzidos na sua dieta. As cólicas até os 3 meses de idade também são resultado dessa fase.

Geralmente, nos primeiros 14 dias de vida, o bebê evacua de 2 a 7 vezes por dia. Essa frequência vai reduzindo até chegar ao 5º mês, para 1 a 3 vezes ao dia, podendo mudar até 1 ano de idade.

Existem situações, que são consideradas normais, em que o bebê alimentado somente com o leite materno pode ficar períodos de 4 a 10 dias, ou até mais, sem evacuar, mas quando evacua seu cocô sai normal (pseudoconstipação).

Porém, é importante observar as seguintes características para saber se o bebê está realmente tendo obstipação, para que sejam tomados os cuidados necessários: 

  • Faz cocô duro e ressecado;
  • Faz esforços para evacuar, às vezes ficando vermelho;
  • Tem dor e dificuldade para evacuar;
  • Há presença de sangue no cocô;
  • Não ganha peso.

Essa situação deve ser analisada pelo pediatra, que possivelmente orientará mudanças nos hábitos alimentares, como a ingestão de líquidos e fibras alimentares, alterações no leite em pó e até o uso de medicamentos laxantes.

Leia também:

Para que serve e como usar o supositório de glicerina?

Cólicas no bebê: o que fazer?

Até que idade uma pessoa cresce?

Não é possível determinar até que idade cada indivíduo irá crescer. Ele irá crescer enquanto seus ossos tiverem cartilagens de crescimento não calcificadas, independentemente da idade cronológica que ele apresente. O amadurecimento e a calcificação destas cartilagens está diretamente relacionado ao período em que se iniciou a puberdade.

Quanto mais avançada estiver a puberdade, maior a probabilidade de que as cartilagens já tenham se fechado. O grau de "amadurecimento" das cartilagens pode ser avaliado por uma radiografia das mãos e dos punhos (idade óssea). Aos 18 anos, em média, as cartilagens já estão fechadas.

O crescimento é um processo bastante dinâmico, que começa na concepção e se prolonga até à vida adulta, com intensidades que variam nas diferentes fases da vida da criança e do adolescente, sendo diferente entre os sexos.

Nos homens, a puberdade e o estirão de crescimento começa em média 2 anos mais tarde do que nas mulheres. Essa diferença prolonga o crescimento antes da puberdade, que associado com um estirão mais intenso e um período de crescimento mais prolongado no sexo masculino, resulta que os homens sejam em média 13 cm mais altos que as mulheres.  

Uma criança cresce, em média, mais de 4 cm por ano. Porém, na puberdade, esse valor sobe para 12 cm ou 13 cm por ano. Se o crescimento for menor que 4 cm ou 6 cm na puberdade, o um médico endocrinologista ou endocrinologista pediátrico deve ser consultado.

Em algumas situações, como na Síndrome de Turner, em crianças nascidas pequenas para a idade gestacional, nos portadores da Síndrome de Prader-Willi, em crianças com insuficiência renal crônica e em outras doenças que cursam com baixa estatura, pode ser necessário tratamento com reposição de GH, o hormônio do crescimento. Este hormônio só deverá ser utilizado se for prescrito pelo médico endocrinologista.

Saiba mais em: Nanismo: o que é e quais são as causas?

Qual remédio pode ser usado para aumentar a altura?

Após o fechamento dos núcleos de crescimento não é mais possível crescer, geralmente isto ocorre bem antes dos 20 anos nas mulheres, não adianta tomar remédio para crescer com 21 anos de idade, a não ser que você faça uma radiografia e ainda tenha núcleos de crescimento abertos ai sim o remédio faria algum efeito, mas tudo isso precisa ser feito com a avaliação de um especialista em crescimento ou endocrinologista.

Não tome medicamentos sem orientação médica, hormônios de crescimento são muito perigosos quando usados sem orientação e acompanhamento médico.

Quanto tempo demora para fechar a moleira do bebê?

Em geral, a moleira do bebê demora de 15 a 18 meses para fechar completamente. O fechamento da moleira ou fontanela, como é conhecida pelos médicos, começa por volta dos 8 meses, podendo permanecer aberta até os 2 anos de idade em algumas crianças. Durante esse período, é fundamental que a fontanela permaneça aberta para permitir o crescimento do cérebro.

A moleira é o espaço existente entre os ossos cranianos do bebê. Com o passar do tempo, os ossos da cabeça vão crescendo até que se encostam e "colam" uns nos outros, fechando a fontanela quando a criança tem cerca de 1 ano e meio de idade. Quando a moleira fecha antes do tempo (geralmente antes dos 6 meses), pode ser necessário fazer uma cirurgia para abrir espaços no crânio, de maneira que o desenvolvimento neurológico não seja prejudicado.

Uma das funções da moleira é permitir que o crânio do bebê se contraia para facilitar a passagem pelo canal do parto. Após o nascimento, sua principal função é fornecer espaço para o encéfalo se desenvolver, além de proteger o cérebro.

O toque na moleira deve ser sempre suave, pois trata-se de uma região da cabeça que ainda não tem osso. Também é importante ter atenção ao estado da fontanela: moleira alta pode ser sinal de doenças ou problemas cerebrais, enquanto que moleira baixa pode indicar desidratação. Qualquer alteração na moleira do bebê deve ser comunicada ao médico pediatra.

Saiba mais em: 

Moleira baixa no bebê: o que pode ser?

Moleira alta no bebê: o que pode ser?

Quando a criança começa a ter firmeza nas pernas?

Nenhuma criança nesta idade (6 meses) deve ter força suficiente para ter firmeza nas pernas, no máximo ficar sentada com o corpo ereto. A idade ideal para a criança começar a ficar firme de pé e apoiada é entre 9 a 12 meses. Mas eu já tive crianças que eram perfeitamente normais e ficaram com as pernas firmes muito depois de um ano de idade. Cada criança tem seu tempo certo, esteja sempre atenta ao desenvolvimento de sua filha e qualquer dúvida consulte o pediatra.

Quais os efeitos colaterais da utilização do hormônio do crescimento (GH)?

hormônio do crescimento (GH) ​geralmente causa poucos efeitos colaterais e é bem tolerado, desde que seja utilizado corretamente, segundo a prescrição médica. São raras as reações locais da aplicação, mas podem ocorrer dor no local da aplicação e vermelhidão.

Nos adultos, os principais efeitos colaterais do GH relacionam-se com a retenção de água que o hormônio do crescimento pode promover, levando a:

  • Inchaço;
  • Dores articulares ou musculares;
  • Formigamentos de extremidades, normalmente relacionados com a síndrome do túnel do carpo.

O uso de GH pode causar, raramente, hipertensão intracraniana benigna (“síndrome do pseudotumor cerebral”), que provoca dor de cabeça, vômitos, alterações da visão, agitação ou alterações no ato de caminhar.

O hormônio do crescimento GH está presente em todas as pessoas e é produzido pela glândula hipófise, localizada na base do crânio, sendo muito importante para o crescimento a partir dos primeiros anos de vida.

O tratamento de reposição com GH é indicado para todo indivíduo com deficiência da produção de GH pela hipófise. Na infância, o GH pode ser benéfico para meninas com Síndrome de Turner devido à baixa estatura das mesmas, em bebês com tamanhos pequenos para a idade gestacional, portadores da Síndrome de Prader-Willi, crianças com insuficiência renal crônica, entre outros.

O hormônio de crescimento (GH) deve ser prescrito pelo médico endocrinologista.

Moleira baixa no bebê: o que pode ser?

Moleira baixa no bebê pode ser sinal de desidratação. Se a moleira estiver um pouco mais funda que o normal, trata-se de uma desidratação moderada. Moleira muito funda pode indicar uma desidratação grave.

Nesses casos, além da moleia baixa, o bebê também irá apresentar outros sinais, que podem variar conforme o grau de desidratação, tais como: agitação ou prostração, muita sede, não dormir, não chorar, boca muito seca, lábios arroxeados, olhos fundos, mãos e pés frios, elasticidade da pele diminuída, ausência de lágrimas ao chorar.

A desidratação em bebês pode ser causada por diarreia, vômitos ou falta de ingestão de leite ou líquidos. Contudo, para os bebês que ainda mamam, uma desidratação desproporcional a um quadro de diarreia e que não é possível corrigir com o tratamento habitual pode ser indício de diabetes.

Em caso de moleira baixa, o bebê deve ser visto imediatamente por um médico pediatra.

Leia também: Moleira alta no bebê: o que pode ser?

Tenho 16 anos e 1,61m o que preciso fazer para crescer mais?

Precisa ir ao médico (endocrinologista ou neuroendocrinologista ou pediatra ou qualquer médico) que possa começar uma investigação para apurar as causa de sua baixa estatura e a partir do diagnóstico planejar um tratamento.