Perguntar
Fechar

Tontura

O que pode ser dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Dor na nuca, enjoo e tontura são sintomas inespecíficos, que podem acontecer em diversas situações, desde situações específicas simples, como jejum prolongado, gravidez ou exposição solar por muito tempo, até doenças mais preocupantes, que geram riscos, como crise de hipertensão, doenças infecciosas, aneurisma, tumores, entre outras.

Portanto, no caso de sentir esses sintomas, mesmo que não seja frequente, os mesmos devem ser sempre investigados, evitando piora do quadro ou complicações.

Durante uma consulta médica, com adequada história clínica e exame físico, o profissional já será capaz de suspeitar de algumas situações, solicitando os exames propícios para definir o diagnóstico. Porém dentre as causas mais frequentes na nossa população, já podemos citar:

  • Hipertensão arterial, ou hipotensão arterial;
  • Diabete mellitus descompensado;
  • Gestação;
  • Jejum prolongado;
  • Desidratação;
  • Distúrbios visuais;
  • Cefaleia, crises de enxaqueca;
  • VPPB (vertigem posicional paroxística benigna);
  • Uso inadequado dos óculos de grau;
  • Meningite, aneurisma, tumores cerebrais, entre outros.

Se houver por exemplo, apenas dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura, sem mais sintomas, e com história de enxaqueca na família, as hipóteses mais prováveis serão de cefaleia tensional ou migrânea (enxaqueca). Nessas duas primeiras possibilidades, a tontura e o enjoo costumam vir juntos com a dor.

No caso da tontura ser o sintoma mais incômodo, podemos pensar em doenças do labirinto, ou VPPB (vertigem posicional paroxística benigna).

Problemas de visão, como o uso inadequado de óculos, também é uma causa bem comum de dores de cabeça e enjoo, com a particularidade de ser mais frequente no final do dia, quando a vista já foi muito "forçada".

Contudo, a dor de cabeça, o enjoo e a tontura, quando associados a outros sintomas, como febre, mal-estar, vômitos, inapetência ou rigidez de nuca (dificuldade em encostar o queixo no peito), sinalizam maior gravidade, devendo ser descartado com urgência casos como meningite, aneurismas ou tumores cerebrais, condições que oferecem risco de morte ao paciente.

Portanto, para chegar a um diagnóstico, é fundamental uma boa avaliação médica com detalhada história clínica, exame médico e exames complementares.

Nesses casos, um/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família deve ser consultado.

Relembrando que nos casos de dor na nuca, enjoo e tontura, associados a febre, vômitos, inapetência, ou rigidez de nuca, deverá procurar um serviço de urgência imediatamente!

Pode lhe interessar também:

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza podem ser labirintite?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza não são propriamente sintomas de labirintite, uma vez que alguns deles não são característicos dessa patologia. Os sintomas clássicos da labirintite podem ser:

  • Tonturas (sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão);
  • Vertigens (sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando);
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Perda de equilíbrio;
  • Zumbidos no ouvido;
  • Perda de audição.

A labirintite normalmente ocorre em crises pontuais transitórias e que podem ser recorrentes. As crises podem durar apenas alguns minutos ou virem em episódios frequentes.

Veja também: O que é Labirintite e quais seus sintomas?

No entanto, tanto os sintomas da labirintite como aqueles citados no início do texto podem ser indicadores de outras doenças mais graves, como anemia, tumores, acidente vascular cerebral ("derrame"), entre outras.

Qualquer pessoa que esteja sentindo tonturas e vertigens deve procurar um/a médico/a o mais rápido possível, pois, como já foi visto, pode ser sinal de doenças graves.

Saiba mais em: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?

Aqui no site não fazemos diagnósticos. Por isso, se está com tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza, deve visitar um/a clínico/a geral ou médico/a de família para que seja feito um diagnóstico adequado.

Leia também: Mal-estar, tontura, náuseas, fraqueza, dor de cabeça. Posso estar grávida?

Sinto uma tontura constante. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Existem muitas causas para a tontura. A tontura constante pode ter origem em doenças da visão, doenças neurológicas, doenças do labirinto, traumas na cabeça, diabetes, uso de medicamentos, anemia, pressão baixa ou alta, ansiedade, entre tantas outras.

Dentre as doenças oculares que podem causar tontura estão a catarata, o glaucoma, a miopia e a hipermetropia. Algumas das doenças neurológicas que podem estar na origem das tonturas constantes são os derrames (AVC), Mal de Parkinson, Mal de Alzheimer e os tumores cerebrais.

O diabetes pode causar tontura devido à perda da sensibilidade em pernas e pés, gerando desequilíbrio e tontura. Os traumatismos cranianos podem causar lesões na região cerebral responsável pelo equilíbrio, causando tontura. 

Há ainda medicamentos que podem afetar o equilíbrio e causar tontura, como Diazepam, Fenobarbital, Metoclopramida, entre outros.

Já as doenças do labirinto na realidade causam vertigem. Enquanto que a tontura caracteriza-se pela sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão, as vertigens dão a sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando. Neurite vestibular, doença de Ménière e vertigem posicional paroxística posicional benigna (VPPB) são algumas dessas doenças.

Veja também: Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

Na anemia, a tontura é causada pela falta de oxigênio no cérebro. A baixa quantidade de hemoglobina (proteína que se liga ao oxigênio para transportá-lo através do sangue) diminui a oxigenação cerebral, causando tontura.

Já a pressão arterial alta ou baixa pode interferir na irrigação sanguínea do cérebro ou labirinto, o que pode gerar tontura e desequilíbrio.

Uma vez que a tontura constante pode ser sintoma de doenças graves, é muito importante procurar um médico de família ou clínico geral para receber um diagnóstico adequado.

Saiba mais em:

O que pode ser dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura?

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza podem ser labirintite?

Sinusite dá tontura?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Apesar de não ser um sintoma principal, a tontura pode estar presente na sinusite.

A sinusite é caracterizada principalmente por:

  • Presença de secreção nasal espessa amarelada ou esverdeada;
  • Dor na região dos dentes (maxilar);
  • Congestão nasal e
  • Dor associada à pressão na face.

Outros sintomas podem aparecer juntamente, como:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Dor de cabeça;
  • Alteração no olfato;
  • Dificuldade para respirar e
  • Cansaço.

A tontura pode ser provocada pela intensa dor de cabeça advinda da sinusite. Nesse momento, é recomendado que o/a paciente permaneça em repouso sentado ou deitado até a melhora do sintoma.

Leia também:

O que é sinusite e quais as causas?

Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado

Se você não observou a melhora dos sintomas e há intensificação destes, é recomendado procurar um serviço de saúde para uma avaliação adequada da situação.

Saiba mais em:

Quais são os sintomas da sinusite crônica?

Quais os sintomas da sinusite bacteriana?

O que é sinusite alérgica e quais os sintomas?

O que é Labirintite e quais seus sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Labirintite é como as pessoas popularmente chamam qualquer doença que afete o labirinto, órgão do corpo humano responsável pelo equilíbrio. Os principais sintomas da labirintite são perda do equilíbrio, sensação de vertigem ou tontura, zumbido no ouvido, náusea, dor de cabeça, dificuldade em fixar a visão, dificuldade em caminhar em linha reta e de ficar em pé com os olhos fechados.

O labirinto é uma estrutura óssea muito pequena que se localiza dentro do ouvido. Ele possui um líquido em seu interior e, a partir do movimento desse líquido, ele consegue transmitir ao cérebro informações como posição do corpo, direção e velocidade do movimento.

É por esse mecanismo que conseguimos sentir, por exemplo, quando estamos deitados ou de ponta-cabeça, e para que lado nosso corpo está girando.

Na presença de qualquer problema que afete esse sistema, podemos ter a sensação de estarmos caindo, ou de que a cabeça está girando, chamado de vertigem.

Como saber se tenho labirintite?

A labirintite é uma doença pouco comum, apesar de muito conhecida, os sintomas começam a se manifestar entre os 40 e os 50 anos de idade. As tonturas, principal sintoma da doença, se caracteriza pela sensação de perda de equilíbrio, como se o indivíduo deixasse de sentir o chão e fosse cair.

Sensação de vertigem

Já as vertigens são as sensações de que tudo está rodando ou inclinando para um lado. Também são comuns a presença de zumbido e perda de audição

As crises de labirintite tendem a acontecer em episódios pontuais e passageiros. O tempo de duração pode ser de apenas alguns minutos ou durar horas e até mesmo dias. 

Na gravidez, a labirintite pode ocorrer como consequência das alterações hormonais dessa fase. A própria retenção de líquido e o consequente inchaço, também comuns na gestação, podem alterar o funcionamento do ouvido interno e seus fluidos, gerando labirintite.

Quais as causas da labirintite?

Existem várias causas possíveis para a labirintite, desde o simples envelhecimento do órgão em função da idade avançada ou a presença de pequenos cristais que se formam dentro do labirinto, além de infecções, inflamações, traumas (pancadas) e outras origens.

Veja também: Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

Como tratar a labirintite?

O tratamento da labirintite vai depender da causa e da gravidade dos sintomas. Pode incluir repouso, fisioterapia, manobras de reposicionamento (movimentos feitos com intenção de remover os cristais), medicações anti-inflamatórias ou que melhoram a circulação sanguínea (vasodilatadores), bem como anticonvulsivantes e antidepressivos.

O paciente que possui esse tipo de sintoma deve procurar um médico clínico geral, geriatra, otorrinolaringologista ou neurologista para avaliação, confirmação do diagnóstico e tratamento.

Tontura, ânsia de vomito e dormência...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A probabilidade de serem sintomas associados a algum problema de ordem emocional é grande. Pode procurar um clínico geral mesmo, caso haja necessidade ele te encaminhará a um especialista.

Tontura, enjoo e fico estressada, qual especialista procurar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se você sente tontura, enjoo e fica estressada, deve primeiro procurar o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para que a causa da tontura e dos enjoos seja identificada. Se o médico achar necessário, poderá lhe encaminhar para um outro especialista.

Já o estresse e outros transtornos mentais podem ser investigados pelo/a médico/a psiquiatra.

O próprio estresse, o nervosismo e a ansiedade podem causar tontura e náuseas, mas só o/a médico/a poderá definir se existe ligação entre esses sintomas.

Além do estresse, as tonturas podem ser provocadas por:

  • Problemas no labirinto (labirintite)
  • Hipoglicemia (pouco açúcar no sangue);
  • Jejum prolongado;
  • Anemia;
  • Gripe;
  • Enxaqueca;
  • Pressão baixa;
  • Medicamentos;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas.

Já os enjoos podem ter como causas:

  • Distúrbios emocionais, como estresse, ansiedade, nervosismo, depressão;
  • Gastrite;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Inflamação no intestino;
  • Uso de medicamentos;
  • Gravidez;
  • Infarto;
  • Problemas no labirinto (labirintite).

São muitas as situações e doenças que podem provocar tontura e náuseas, sendo o estresse apenas uma delas. Porém, esses sintomas podem não estar necessariamente interligados e apenas o/a médico/a poderá detectar as suas causas, origens e se existe ou não ligação entre eles.

Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Vertigem constante é uma das queixas mais comuns atualmente nos consultórios médicos, e exige extensa investigação, porque pode sinalizar diversas doenças e de diferentes sistemas, por isso é muito importante agendar uma consulta para essa investigação o quanto antes.

O que pode causar vertigem frequentemente?
  • Alterações da pressão arterial, Hipertensão ou hipotensão postural;

  • Doenças que afetam o labirinto, como neurite vestibular, doença de Ménière e vertigem posicional paroxística benigna (VPPB);

  • Alterações nas estruturas do pescoço ou na coluna vertebral;

  • Problemas de visão, entre outros.

Popularmente, essas doenças são chamadas de "labirintite" e podem causar tonturas, vertigens, náuseas, vômitos, perda de equilíbrio, zumbidos no ouvido e perda de audição. Contudo, é importante lembrar que antes de definir o problema como labirintite, outras doenças devem ser investigadas.

Alterações de pressão arterial

Tanto a hipertensão, pelo efeito direto do aumento da pressão, quanto a hipotensão, pelo baixo fluxo de sangue no cérebro, podem causar tonteiras e vertigem. Especialmente quando essas ocorrem após movimento brusco ou o movimento de se levantar rapidamente.

Devido a alta frequência dessa doença na nossa população, e alto risco de complicações por doenças cardiovasculares, como AVC e infarto do coração, esta deve ser uma das primeiras causas a ser descartada.

Doenças do labirinto

Nas doenças do labirinto, é importante diferenciar tontura de vertigem. Enquanto a tontura se caracteriza pela sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão, as vertigens dão a sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando.

Em geral, as vertigens são causadas por problemas no labirinto, uma estrutura óssea muito pequena que se localiza dentro do ouvido. Esse órgão possui um líquido em seu interior e, a partir do movimento desse líquido, ele consegue transmitir ao cérebro informações sobre a posição do corpo, a direção e a velocidade dos movimentos.

Na presença de qualquer problema que afete esse mecanismo, podemos ter a sensação de estarmos caindo, ou de que a cabeça está girando, que é a vertigem.

Veja também: O que é Labirintite e quais seus sintomas?

Alterações nas estruturas do pescoço ou na coluna cervical

Algumas alterações encontradas nas estruturas do pescoço podem desencadear vertigem e tonteiras. Por exemplo obstrução de vasos do pescoço, por placas de gordura, levam a quadro de vertigem, devido a redução do fluxo de sangue e consequente redução de oxigênio no cérebro. Importante fator de risco para AVC ("derrame cerebral"), por isso também deve ser investigado.

As doenças na coluna cervical, como bico de papagaio ou hérnia de disco, causam os sintomas de vertigem, pela compressão direta do nervo ou cadeia de nervos nessa região.

Problemas de visão

Os problemas de visão, causam tonteiras, dores de cabeça e até náuseas com frequência. Portanto devem sempre ser considerados em uma investigação inicial de vertigens frequentes. Desde alterações comuns como astigmatismo, miopia, a presbiopia (vista cansada), degeneração macular ou até o glaucoma, todos podem iniciar seus sintomas com tonteira ou vertigens, especialmente ao final do dia.

Portanto, ter vertigens frequentes pode ser um sintoma de "labirintite" ou de outras diversas doenças e situações que estejam afetando o organismo. Além das causas citadas acima, devemos investigar outras várias causas possíveis, como anemia, diabetes, traumatismos, ansiedade, infeções, virais ou bacterianas, tumores, efeitos colaterais de medicamentos, doenças neurológicas específicas, como a esclerose múltipla, ou ainda presença de substâncias tóxicas no organismo.

Uma vez que as vertigens podem ser um sintoma de uma série de doenças (algumas delas graves), você deve procurar um/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para fazer uma avaliação. Se preferir ir direto a um especialista, os mais indicados para avaliar casos de vertigem são o otorrinolaringologista ou o neurologista.

Saiba mais em: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?