Perguntar
Fechar

Tontura

O que pode ser dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura?

Dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura são sintomas muito inespecíficos e podem ocorrer nas mais diversas doenças (ou mesmo em pessoas perfeitamente saudáveis, na gravidez ou desidratação, entre outras causas).

Geralmente, nestes casos, quando não há quaisquer outros sintomas de gravidade, o tratamento é sintomático (dos sintomas), sendo a investigação feita em casos recorrentes ou sem melhora clínica com uso de remédios. É fundamental saber a sua idade, sexo, antecedentes pessoais e características específicas da dor de cabeça (onde exatamente dói (aponte)? qual o tipo da dor - pontada, peso, pulsação, aperto, queimação? é de um lado da cabeça, cabeça toda ou só na nuca mesmo? é intensa? quão intensa (dê uma nota de zero a dez - zero é a dor mais fraca da vida e dez é a pior)? é a mais forte da vida? chega a despertar do sono ou vomitar nas crises? irradia ("espalha") para algum lugar ou é restrita a essa região específica? há quanto tempo está com dor? ela é cíclica (vai e volta) ou contínua, durando dias? quando vem a dor dura quanto tempo? você já teve antes? é comum? tem algum horário do dia ou do mês em que acontece com mais frequência? piora com luz, som ou determinados alimentos? melhora com alguma coisa? está piorando, ao longo do tempo, ou apresentando novos sintomas concomitantes? e na família? é frequente? a tontura e o enjoo vêm juntos com a dor, ou são independentes dela? etc.), início dos sintomas, concomitância dos sintomas com febre ou outros sinais/sintomas de gravidade, etc.

Se houver apenas os sintomas citados na pergunta, simultaneamente, pode ser cefaléia tensional, migrânea (enxaqueca) - nestas duas primeiras possibilidades, a tontura e o enjoo viriam junto com a dor, labirintopatia ("labirintite"), problemas de visão ou uso de óculos inadequados ao seu grau, mas também podem ser condições muito mais graves, como meningite, aneurismas / tumores cerebrais, se houver outros sintomas concomitantes, enfim; é impossível dar o diagnóstico apenas com esses dados.

Também pode lhe interessar: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?

Neste caso, um médico clínico deverá ser consultado para avaliação (com anamnese completa, e exame físico detalhado) e exames complementares se julgar necessário. Com base nas informações obtidas, poderá fazer o diagnóstico e tratamento corretos, caso a caso.

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza podem ser labirintite?

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza não são propriamente sintomas de labirintite, uma vez que alguns deles não são característicos dessa patologia. Os sintomas clássicos da labirintite podem ser:

  • Tonturas (sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão);
  • Vertigens (sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando);
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Perda de equilíbrio;
  • Zumbidos no ouvido;
  • Perda de audição.

A labirintite normalmente ocorre em crises pontuais transitórias e que podem ser recorrentes. As crises podem durar apenas alguns minutos ou virem em episódios frequentes.

Veja também: O que é Labirintite e quais seus sintomas?

No entanto, tanto os sintomas da labirintite como aqueles citados no início do texto podem ser indicadores de outras doenças mais graves, como anemia, tumores, acidente vascular cerebral ("derrame"), entre outras.

Qualquer pessoa que esteja sentindo tonturas e vertigens deve procurar um/a médico/a o mais rápido possível, pois, como já foi visto, pode ser sinal de doenças graves.

Saiba mais em: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?

Aqui no site não fazemos diagnósticos. Por isso, se está com tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza, deve visitar um/a clínico/a geral ou médico/a de família para que seja feito um diagnóstico adequado.

Leia também: Mal-estar, tontura, náuseas, fraqueza, dor de cabeça. Posso estar grávida?

Sinto uma tontura constante. O que pode ser?

Existem muitas causas para a tontura. A tontura constante pode ter origem em doenças da visão, doenças neurológicas, doenças do labirinto, traumas na cabeça, diabetes, uso de medicamentos, anemia, pressão baixa ou alta, ansiedade, entre tantas outras.

Dentre as doenças oculares que podem causar tontura estão a catarata, o glaucoma, a miopia e a hipermetropia. Algumas das doenças neurológicas que podem estar na origem das tonturas constantes são os derrames (AVC), Mal de Parkinson, Mal de Alzheimer e os tumores cerebrais.

O diabetes pode causar tontura devido à perda da sensibilidade em pernas e pés, gerando desequilíbrio e tontura. Os traumatismos cranianos podem causar lesões na região cerebral responsável pelo equilíbrio, causando tontura. 

Há ainda medicamentos que podem afetar o equilíbrio e causar tontura, como Diazepam, Fenobarbital, Metoclopramida, entre outros.

Já as doenças do labirinto na realidade causam vertigem. Enquanto que a tontura caracteriza-se pela sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão, as vertigens dão a sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando. Neurite vestibular, doença de Ménière e vertigem posicional paroxística posicional benigna (VPPB) são algumas dessas doenças.

Veja também: Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

Na anemia, a tontura é causada pela falta de oxigênio no cérebro. A baixa quantidade de hemoglobina (proteína que se liga ao oxigênio para transportá-lo através do sangue) diminui a oxigenação cerebral, causando tontura.

Já a pressão arterial alta ou baixa pode interferir na irrigação sanguínea do cérebro ou labirinto, o que pode gerar tontura e desequilíbrio.

Uma vez que a tontura constante pode ser sintoma de doenças graves, é muito importante procurar um médico de família ou clínico geral para receber um diagnóstico adequado.

Saiba mais em:

O que pode ser dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura?

Tonturas, náuseas, dores de cabeça, sonolência e fraqueza podem ser labirintite?

Sinusite dá tontura?

Apesar de não ser um sintoma principal, a tontura pode estar presente na sinusite.

A sinusite é caracterizada principalmente por:

  • Presença de secreção nasal espessa amarelada ou esverdeada;
  • Dor na região dos dentes (maxilar);
  • Congestão nasal e
  • Dor associada à pressão na face.

Outros sintomas podem aparecer juntamente, como:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Dor de cabeça;
  • Alteração no olfato;
  • Dificuldade para respirar e
  • Cansaço.

A tontura pode ser provocada pela intensa dor de cabeça advinda da sinusite. Nesse momento, é recomendado que o/a paciente permaneça em repouso sentado ou deitado até a melhora do sintoma.

Leia também:

O que é sinusite e quais as causas?

Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado

Se você não observou a melhora dos sintomas e há intensificação destes, é recomendado procurar um serviço de saúde para uma avaliação adequada da situação.

Saiba mais em:

Quais são os sintomas da sinusite crônica?

Quais os sintomas da sinusite bacteriana?

O que é sinusite alérgica e quais os sintomas?

O que é Labirintite e quais seus sintomas?

Labirintite é como as pessoas popularmente chamam qualquer doença que afete o labirinto, órgão do corpo humano responsável pelo equilíbrio. Os principais sintomas da labirintite são perda do equilíbrio, sensação de vertigem ou tontura, zumbido no ouvido, náusea, dor de cabeça, dificuldade em fixar a visão, dificuldade em caminhar em linha reta e de ficar em pé com os olhos fechados.

O labirinto é uma estrutura óssea muito pequena que se localiza dentro do ouvido. Ele possui um líquido em seu interior e, a partir do movimento desse líquido, ele consegue transmitir ao cérebro informações como posição do corpo, direção e velocidade do movimento.

É por esse mecanismo que conseguimos sentir, por exemplo, quando estamos deitados ou de ponta-cabeça, e para que lado nosso corpo está girando.

Na presença de qualquer problema que afete esse sistema, podemos ter a sensação de estarmos caindo, ou de que a cabeça está girando, chamado de vertigem.

Como saber se tenho labirintite?

A labirintite é uma doença pouco comum, apesar de muito conhecida, os sintomas começam a se manifestar entre os 40 e os 50 anos de idade. As tonturas, principal sintoma da doença, se caracteriza pela sensação de perda de equilíbrio, como se o indivíduo deixasse de sentir o chão e fosse cair.

Sensação de vertigem

Já as vertigens são as sensações de que tudo está rodando ou inclinando para um lado. Também são comuns a presença de zumbido e perda de audição

As crises de labirintite tendem a acontecer em episódios pontuais e passageiros. O tempo de duração pode ser de apenas alguns minutos ou durar horas e até mesmo dias. 

Na gravidez, a labirintite pode ocorrer como consequência das alterações hormonais dessa fase. A própria retenção de líquido e o consequente inchaço, também comuns na gestação, podem alterar o funcionamento do ouvido interno e seus fluidos, gerando labirintite.

Quais as causas da labirintite?

Existem várias causas possíveis para a labirintite, desde o simples envelhecimento do órgão em função da idade avançada ou a presença de pequenos cristais que se formam dentro do labirinto, além de infecções, inflamações, traumas (pancadas) e outras origens.

Veja também: Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

Como tratar a labirintite?

O tratamento da labirintite vai depender da causa e da gravidade dos sintomas. Pode incluir repouso, fisioterapia, manobras de reposicionamento (movimentos feitos com intenção de remover os cristais), medicações anti-inflamatórias ou que melhoram a circulação sanguínea (vasodilatadores), bem como anticonvulsivantes e antidepressivos.

O paciente que possui esse tipo de sintoma deve procurar um médico clínico geral, geriatra, otorrinolaringologista ou neurologista para avaliação, confirmação do diagnóstico e tratamento.

Tontura, ânsia de vomito e dormência...

A probabilidade de serem sintomas associados a algum problema de ordem emocional é grande. Pode procurar um clínico geral mesmo, caso haja necessidade ele te encaminhará a um especialista.

Tontura, enjoo e fico estressada, qual especialista procurar?

Se você sente tontura, enjoo e fica estressada, deve primeiro procurar o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para que a causa da tontura e dos enjoos seja identificada. Se o médico achar necessário, poderá lhe encaminhar para um outro especialista.

Já o estresse e outros transtornos mentais podem ser investigados pelo/a médico/a psiquiatra.

O próprio estresse, o nervosismo e a ansiedade podem causar tontura e náuseas, mas só o/a médico/a poderá definir se existe ligação entre esses sintomas.

Além do estresse, as tonturas podem ser provocadas por:

  • Problemas no labirinto (labirintite)
  • Hipoglicemia (pouco açúcar no sangue);
  • Jejum prolongado;
  • Anemia;
  • Gripe;
  • Enxaqueca;
  • Pressão baixa;
  • Medicamentos;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas.

Já os enjoos podem ter como causas:

  • Distúrbios emocionais, como estresse, ansiedade, nervosismo, depressão;
  • Gastrite;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Inflamação no intestino;
  • Uso de medicamentos;
  • Gravidez;
  • Infarto;
  • Problemas no labirinto (labirintite).

São muitas as situações e doenças que podem provocar tontura e náuseas, sendo o estresse apenas uma delas. Porém, esses sintomas podem não estar necessariamente interligados e apenas o/a médico/a poderá detectar as suas causas, origens e se existe ou não ligação entre eles.

Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

Vertigem constante pode ser um sintoma de doenças que afetam o labirinto, como neurite vestibular, doença de Ménière e vertigem posicional paroxística benigna.

Popularmente, essas doenças são chamadas de "labirintite" e podem causar tonturas, vertigens, náuseas, vômitos, perda de equilíbrio, zumbidos no ouvido e perda de audição.

Contudo, é importante diferenciar tonturade vertigem. Enquanto que a tontura caracteriza-se pela sensação de perda de equilíbrio e queda, como se a pessoa deixasse de sentir o chão, as vertigens dão a sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando.

Em geral, as vertigens são causadas por problemas no labirinto, uma estrutura óssea muito pequena que se localiza dentro do ouvido.

Esse órgão possui um líquido em seu interior e, a partir do movimento desse líquido, ele consegue transmitir ao cérebro informações sobre a posição do corpo, a direção e a velocidade dos movimentos.

É graças ao labirinto que conseguimos saber quando estamos deitados ou de ponta-cabeça, e para que lado nosso corpo está girando. Na presença de qualquer problema que afete esse mecanismo, podemos ter a sensação de estarmos caindo, ou de que a cabeça está girando, que é a vertigem.

Veja também: O que é Labirintite e quais seus sintomas?

Portanto, ter vertigens frequentes pode ser um sintoma de "labirintite" ou de outras doenças e situações que estejam afetando o labirinto, como infeções virais ou bacterianas, tumores, pressão alta ou baixainflamação em nervos ou ainda presença de substâncias tóxicas no organismo.

No entanto, a vertigem pode ter ainda várias outras causas, como doenças e condições que afetam o cérebro, tais como enxaqueca, "derrame", isquemia e esclerose múltipla.

Uma vez que as vertigens podem ser um sintoma de uma série de doenças (algumas delas graves), você deve procurar um médico clínico geral ou médico de família para fazer uma avaliação. Se preferir ir direto a um especialista, os mais indicados para avaliar casos de vertigem são o otorrinolaringologista ou o neurologista.

Saiba mais em: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?