Perguntar
Fechar
Otite pode causar surdez ou perda de audição?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, otite pode causar surdez ou perda de audição. Isso pode ocorrer quando há acúmulo de catarro ou secreção no ouvido, rompimento do tímpano ou imobilização de um ou mais ossinhos do ouvido.

Dentre as otites que causam surdez ou perda de audição estão a infecção da pele do canal do ouvido (otite externa) e a infecção da membrana do tímpano ou ouvido médio (otite média secretora ou serosa, otite média aguda, otite média crônica).

Outra forma de surdez causada pela otite é a imobilização de alguns ossinhos do ouvido que são responsáveis por captar as vibrações do ar e transmiti-las ao cérebro, para serem traduzidas em som.

Surdez na otite média secretora ou serosa

A otite média secretora ou serosa ocorre quando permanece catarro ou secreção no ouvido médio. A otite média serosa é uma infecção no ouvido causada por uma coleção de líquido ou catarro dentro do ouvido médio. A doença pode ser aguda ou crônica.

Pode acontecer por um mau funcionamento da tuba auditiva, quando se está resfriado ou gripado e vai catarro para o ouvido e não sai, ou quando o ouvido é submetido a grandes diferenças de pressão.

A tuba auditiva é um canal de aproximadamente 2 cm que comunica o ouvido médio e a rinofaringe (comunicação entre nariz e garganta), por onde passa o ar que respiramos.

A obstrução da tuba provoca uma retração da membrana do tímpano, que é muito fina e mole, dando uma sensação de desconforto ou de pressão no ouvido (por exemplo, quando há mudanças bruscas de altitude ou em casos de gripe).

Essa sensação pode provocar uma diminuição da audição que pode ou não vir acompanhada por um barulho, tipo chiado, dentro do ouvido.

Caso esse "entupimento" da tuba permaneça, a secreção que é formada no ouvido não pode ser drenada e fica dentro do ouvido médio, causando otite secretora ou otite serosa.

Surdez na otite serosa aguda

A otite serosa aguda normalmente é decorrente de um bloqueio da tuba auditiva provocado por gripe ou crise de alergia. Caso essa secreção seja infectada por uma bactéria ou vírus, pode se tornar uma otite média aguda.

Se não houver infecção, esse líquido ou catarro pode ser absorvido ou drenado pela tuba auditiva para a garganta e a situação fica resolvida.

Surdez na otite serosa crônica

A otite serosa crônica é causada por um bloqueio permanente ou um engrossamento do líquido, que se transforma numa espécie de "cola" e deixa de ser absorvido ou drenado pela tuba. Isso geralmente leva a uma diminuição da audição.

A otite também pode provocar uma ruptura da membrana do tímpano e levar à surdez. Nestes casos, pode haver vazamento de pus através do ouvido.

A perfuração da membrana do tímpano e a otite média crônica tem tratamento cirúrgico. Cabe ao/à médico/a otorrinolaringologista orientar a forma de tratamento mais adequada, de acordo com o caso.

Secreção endurecida e fedida na garganta, o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Essa secreção dura e fétida que sai da garganta chama-se Caseo ou Caseum. Ela consiste numa mistura de muco, células mortas e material acumulado em pequenos orifícios das amídalas, que eventualmente são expelidos. O ideal é procurar um Médico Otorrinolaringologista que vai examinar a sua garganta e dizer o que precisa ser feito, porém na maioria das vezes a conduta é expectante e paliativa.

Para que servem as amígdalas?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

As amígdalas (tonsilas palatinas) têm como função principal a produção de anticorpos para o combate aos micro-organismos causadores de doenças, agindo, dessa forma, como grandes aliadas do sistema imunológico.

São extremamente ricas em linfócitos (células que atuam na defesa do organismo) e estão localizadas em uma posição estratégica (entre a boca, o nariz e a garganta). Portanto, as amígdalas entram em contato direto com os micro-organismos que invadem o organismo pelo ar ou pelos alimentos.

Ao desenvolver anticorpos para combater micro-organismos específicos, torna o corpo capaz de conseguir se defender rapidamente e crie imunidade caso seja atacado pelo mesmo vírus ou bactéria numa próxima vez. Trata-se de um órgão de defesa de extrema importância no corpo humano, uma das primeiras barreiras de nosso organismo contra agressões do sistema ambiente.​

Por causa da sua localização privilegiada, porém ao mesmo tempo vulnerável, as amígdalas são contaminadas com frequência e inflamações e infecções são bastante comuns, principalmente nas crianças.

Durante muito tempo, acreditava-se que as amígdalas não tinham função no organismo e por isso, os médicos recomendavam a sua retirada por meio de uma cirurgia simples (amigdalectomia).

Hoje, sabendo da função imunológica das nossas tonsilas palatinas, a sua retirada só é recomendada em casos mais graves, quando elas são muito grandes (hiperplasia) e atrapalham a respiração e alimentação, halitose crônica ou infecções bacterianas agudas e muito frequentes.

Quais são os sintomas da sinusite?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os principais sintomas da sinusite são dor e sensação de peso ou pressão no rosto.

Dependendo da causa, pode haver também outros sintomas associados, como: espirros, tosse, obstrução nasal, coriza (nariz escorrendo), dor de cabeça, mau hálito, cansaço, diminuição do paladar e do olfato, febre e sensação de muco na garganta.

Os sintomas da sinusite são muito semelhantes com os sintomas de gripes e resfriados. Porém, nas sinusites, o tempo de duração é superior a 10 dias e o quadro não melhora. Além disso, a dor na face é localizada sobretudo ao redor do nariz e atrás dos olhos e piora ao andar ou inclinar a cabeça para baixo.

Os sintomas da sinusite aguda desaparecem em até 4 semanas, enquanto na sinusite crônica os sintomas permanecem por mais tempo.

Quais são os sintomas da sinusite bacteriana?

Na sinusite bacteriana, pode haver tosse, febre, mau hálito, cansaço, secreção nasal purulenta e falta de apetite. Durante a noite, a tosse pode piorar bastante, sobretudo nas crianças.

Outro sinal característico da sinusite bacteriana é a presença de mais secreção em uma das narinas, que pode ainda sair misturada com pus. O inchaço e a vermelhidão nas pálpebras também podem estar presentes, bem como vômitos e alterações na visão.

Os sintomas desse tipo de sinusite podem ser graves desde o início ou serem leves e piorar progressivamente em dias.

Quais são os sintomas da sinusite crônica?

Os sintomas da sinusite crônica são os mesmos da sinusite aguda. A diferença está na duração e na gravidade dos mesmos. Na sinusite crônica, os sintomas persistem por mais de 12 semanas consecutivas, mesmo que a pessoa esteja fazendo algum tipo de tratamento. Por outro lado, a sinusite aguda pode curar-se espontaneamente em poucos dias.

O seu sintoma mais característico, assim como a aguda, é a dor na face (atrás dos olhos e ao redor do nariz). A dor facial surge principalmente quando a pessoa anda ou abaixa a cabeça.

Geralmente, a sinusite crônica está associada a desvio de septo ou à presença de pólipos nasais. Tanto um como o outro obstrui a comunicação entre os seios paranasais, o que torna a cura da sinusite mais difícil, contribuindo assim para que a doença fique crônica.

O que é sinusite?

A sinusite é a inflamação dos seios paranasais, que são cavidades aeradas localizadas no rosto. Essa inflamação pode ser de causa infecciosa (num quadro gripal, por exemplo), alérgica (nas rinites ou rinossinusites) ou traumática (em caso de diferenças de pressão, como em viagens de avião ou mergulhos).

Os seios da face normalmente produzem uma quantidade de muco, que é constantemente drenada através de canais que desembocam na cavidade nasal. Esse muco serve para proteger as vias respiratórias.

Durante o quadro de sinusite, essa quantidade de muco aumenta muito, o que pode obstruir a drenagem, deixando os seios bloqueados e cheios de muco. Isso pode provocar infecção, dor e sensação de peso no rosto.

Com o passar do tempo, o muco pode se infectar, levando à sinusite bacteriana, que exige tratamento específico com antibióticos.

A sinusite também pode ser uma complicação da rinite alérgica, uma vez que a alergia deixa a mucosa nasal inflamada, o que obstrui os seios paranasais, dificultam a drenagem, oferecendo uma condição propícia para a proliferação de bactérias.

Quais as causas da sinusite?

Em geral, qualquer condição que dificulte a drenagem da secreção nasal, favorecendo o seu acúmulo, pode causar infecção e obstrução dos seios paranasais, levando à sinusite.

As alergias de origem respiratória são uma causa frequente de sinusite. Muitas vezes, as reações alérgicas são causadas por pó, polens e pelos de animais.

Outras causas desencadeantes de sinusite podem incluir clima frio, umidade, traumatismos do nariz, mudanças bruscas de pressão, poluição, fumaça de cigarro, higiene inadequada do nariz, desvio do septo nasal, uso de descongestionantes nasais em excesso e natação.

Qual é o tratamento para sinusite?

O tratamento da sinusite depende da sua causa, podendo incluir o uso de medicamentos orais, como os antibióticos, anti-inflamatórios ou analgésicos, ou tópicos como os descongestionantes nasais, além de sprays nasais com solução salina.

A cirurgia pode ser indicada quando o tratamento medicamentoso não é eficaz ou quando não é possível tratar a obstrução dos seios paranasais de outra maneira.

O tratamento da sinusite crônica é importante para prevenir lesões nos seios nasais. Isso pode incluir: cessação do tabagismo, uso de spray nasal contendo corticoide, lavagem nasal com solução salina ou uso de corticoide oral.

A definição da melhor proposta terapêutica deve ser feita e acompanhada pelo/a médico/a de família, clínico/a geral, pediatra ou otorrinolaringologista.

Saiba mais em:

Sinusite tem cura?

Sinusite crônica tem cura? Qual é o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sinusite crônica pode ter cura. O tratamento vai depender das características de cada pessoa, podendo ser com uso de medicamentos orais e tópicos, ou através de uma cirurgia corretiva.

Para casos de sinusite crônica por problemas físicos de obstrução, como um desvio importante de septo, por exemplo, a correção cirúrgica pode ser a medida principal no tratamento definitivo. Nos casos de doença por alergia crônica, viroses ou exposição a temperaturas extremas, o tratamento deve se basear em aplicação de spray nasal, medicamentos orais e mais raramente, indicação de cirurgia. Além das orientações gerais pelo médico otorrinolaringologista.

Por vezes, o principal objetivo do tratamento da sinusite crônica será de prevenir novas crises.

Enquanto a sinusite aguda, na maioria das vezes, resolve-se de maneira espontânea, a sinusite crônica exige maiores cuidados e apresenta pior resposta ao tratamento, nem sempre é alcançada a cura definitiva. Contudo, mesmo que apenas para aliviar os sintomas e manter a doença sob controle, já representa importante melhora na qualidade de vida dessas pessoas.

A sinusite aguda deve ser tratada por 10 a 14 dias. O tratamento da sinusite crônica geralmente é mantido por 3 a 4 semanas, ou mais.

Qual remédio posso usar para tratar sinusite crônica?

Nos casos de sinusite crônica de causa alérgica, o tratamento pode ser feito com vacina antialérgica específica, associada a spray nasal à base de antialérgicos e corticoides.

Se a sinusite crônica for causada por infecção fúngica, o tratamento inclui medicamentos antifúngicos. Contudo, a maioria das sinusites decorrentes de infecções provocadas por fungos necessita de cirurgia.

Geralmente as sinusites crônicas não são causadas por infecções bacterianas, portanto o uso de antibióticos não é útil nesses casos. Os antibióticos podem ser prescritos para:

  • Crianças com corrimento nasal e tosse que não melhora após 2 a 3 semanas;
  • Febre superior a 39°C;
  • Dor de cabeça ou dor no rosto;
  • Inchaço ao redor dos olhos.

É preciso ter cuidado com o uso de descongestionantes nasais como oximetazolina® ou neo-sinefrina®. Eles podem ajudar no início da crise, mas usá-los por mais de 3 a 5 dias pode piorar a congestão nasal.

Quando a cirurgia é indicada para tratar sinusite crônica?

A cirurgia pode ser indicada nos casos de :

  • Problemas físicos (desvio de septo importante, presença de pólipos nasais);
  • Refratário ao medicamento oral e tópico, quando os sintomas não desaparecem depois de 3 meses de tratamento;
  • Casos com mais de duas ou 3 crises de sinusite aguda por ano.

A cirurgia consiste em aumentar a abertura dos seios paranasais, além de limpar e drenar os mesmos, quando houver secreção.

Veja também: Sinusite tem cura?

Contudo, mesmo após a cirurgia, a maioria dos pacientes necessita de tratamento de manutenção, para evitar o retorno da sinusite crônica.

O que posso fazer em casa para tratar a sinusite crônica?

Algumas medidas indicadas para diminuir a falta de ventilação nos seios paranasais:

  • Aplicar panos úmidos e quentes no rosto várias vezes ao dia;
  • Beber bastante líquido para diluir o muco;
  • Inspirar vapor 2 a 4 vezes por dia (pode ser feito no banho, ligando a água quente);
  • Usar solução nasal salina várias vezes ao dia;
  • Usar umidificador de ar nos ambientes.

Para aliviar a dor ou a pressão nos seios paranasais:

  • Evitar andar de avião quando enquanto os seios estiverem congestionados;
  • Evitar temperaturas extremas, mudanças bruscas de temperatura e inclinar a cabeça para frente e para baixo;
  • Fazer uso de anti-inflamatórios (sob orientação médica).
Como prevenir as crises de sinusite crônica?

A melhor maneira de prevenção é manter medidas de higiene ambiental, além de evitar fatores que sabidamente estimulam as crises, como: poeira, fumaça de cigarro, poluição, temperaturas extremas e corantes alimentares.

Podemos indicar como medidas de higiene ambiental:

  • Evitar contato com fumaça de cigarro e outros tipos de poluentes ambientais;
  • Manter o quarto bem ventilado;
  • Evitar ao máximo o acúmulo de poeira;
  • Usar colchão e travesseiro com capa protetora;
  • Remover o mofo do ambiente;
  • Evitar o frio, odores irritantes e corantes artificiais;
  • Beber bastante líquido para aumentar a hidratação do corpo e a umidade dos seios paranasais;
  • Tratar as alergias de forma adequada e rápida;
  • Usar um umidificador de ar para aumentar a umidade dos seios.

Seja qual for a causa da sinusite crônica, é mandatório o cuidado e a prevenção de crises.

O que é sinusite?

A sinusite ocorre quando a mucosa que reveste os seios paranasais fica inflamada devido a uma infecção por vírus, bactérias ou fungos.

Seios paranasais

Existem 2 tipos de sinusite:

Sinusite aguda: os sintomas estão presentes durante no máximo 4 semanas. É causada por bactérias que se proliferam nos seios paranasais.

Sinusite crônica: Ocorre quando o inchaço dos seios paranasais está presente por mais de 3 meses. Pode ser causada por bactérias, reação alérgica ou fungos.

Quais as causas da sinusite?

Os seios paranasais são espaços cheios de ar no crânio. Eles estão localizados atrás da testa, dos ossos do nariz, das bochechas e dos olhos. Seios saudáveis não contêm bactérias ou outros micro-organismos infecciosos. Além disso, a parede desses seios produz um muco para sua defesa, porém o ar passa livremente por essas cavidades, o ar pode circular através delas.

Quando os seios paranasais ficam bloqueados ou há excesso de muco, pela reação inflamatória ou reação alérgica, as bactérias e outros micro-organismos podem se multiplicar mais facilmente, dando origem à sinusite.

A sinusite pode ocorrer quando:

  • Os cílios dos seios paranasais não conseguem remover o muco adequadamente;
  • Ocorre excesso de produção de muco e obstrução dos seios paranasais em resfriados e alergias;
  • A abertura dos seios paranasais fica bloqueada em caso de desvio de septo nasal ou presença de pólipos nasais.

Os seguintes fatores podem aumentar o risco de sinusite em adultos e crianças:

  • Rinite alérgica;
  • Fibrose cística;
  • Frequentar creches (contaminação viral);
  • Mudanças de altitude ou pressão (voar ou mergulhar);
  • Adenoides grandes;
  • Tabagismo (ativo ou passivo);
  • Sistema imunológico enfraquecido por HIV ou quimioterapia;
  • Estruturas anormais dos seios paranasais.
Quais são os sintomas da sinusite aguda e crônica? Sintomas de sinusite em adultos
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Congestão nasal;
  • Coriza;
  • Dor semelhante à pressão, atrás dos olhos ou sensibilidade facial;
  • Mau hálito;
  • Perda do olfato;
  • Tosse que geralmente piora à noite (pelo gotejamento da secreção ao se deitar);
  • Fadiga e sensação de desconforto geral;
  • Dor de garganta.

Os sintomas da sinusite aguda em adultos geralmente surgem após um resfriado que não melhora ou piora, passados 5 a 7 dias. Já os sintomas da sinusite crônica tendem a ser mais leves que os da sinusite aguda e duram mais de 3 meses.

Sintomas de sinusite em crianças
  • Doenças respiratórias ou resfriados que estão melhorando e começam a piorar;
  • Febre alta associada à secreção nasal escura por pelo menos 3 dias;
  • Corrimento nasal, com ou sem tosse, por mais de 10 dias.

Embora sejam raros, alguns casos de sinusite podem evoluir com complicações como a formação de abscesso, infecção óssea (osteomielite), meningite e infecção cutânea ao redor dos olhos (celulite).

Em geral, as sinusites são curadas com o tratamento médico e os cuidados pessoais. Episódios recorrentes de sinusite devem ser avaliados por um otorrinolaringologista, para investigar causas secundárias, como pólipos nasais ou outros problemas, como alergias.

Casos de sinusite crônica também devem ser avaliados por um médico otorrinolaringologista, que irá indicar o tratamento mais adequado, de acordo com cada caso.

Sinusite é contagiosa?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, a sinusite não é contagiosa e não se transmite de pessoa para pessoa. Embora gripes e resfriados sejam contagiosos e estejam entre as causas da sinusite, a sinusite por si só não é transmissível.

A sinusite é uma inflamação da mucosa que recobre os seios paranasais, que são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz e atrás da maçã do rosto, da testa e dos olhos.

Dentro dos seios paranasais é produzido muco, que é escoado para o nariz através de pequenos túneis. Quando esses túneis ficam obstruídos por secreção, inchaço da mucosa ou outra causa qualquer, os seios da face perdem a comunicação com o nariz, ficando selados e sem ventilação.

Assim, o muco produzido pela mucosa fica acumulado e facilita a infecção por micro-organismos, dando origem à sinusite.

As causas mais comuns de sinusite são os distúrbios que provocam inchaço da mucosa, como rinite alérgica e infecções respiratórias causadas por vírus, pois o inchaço impede que o muco seja drenado normalmente para o nariz.

A sinusite pode ser causada por gripes e resfriados, alergia respiratória, desvio de septo nasal, rinite, asma, bronquite, amigdalite e faringite.

Qualquer situação que possa obstruir a comunicação entre os seios faciais e o nariz pode causar sinusite. Porém, uma vez com sinusite, o indivíduo não pode transmiti-a.

Consulte um médico de família ou clínico geral caso apresente sintomas de sinusite.

Saiba mais em:

O que é sinusite e quais as causas?

Sinusite tem cura?

Amigdalite caseosa tem cura? Qual o tratamento?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A amigdalite crônica caseosa tem cura, e o tratamento pode ser clínico ou cirúrgico (idealmente cirúrgico). 

No tratamento clínico, gargarejos com soluções higiênicas ou uma excelente higiene bucal podem atenuar o problema, mas não o solucionam. Anti-inflamatórios vão minimizar os sintomas, mas também não são a cura definitiva. Ficar mexendo nas amígdalas tentando tirar o caseum pode piorar ainda mais a situação: não vai resolver o problema e pode causar infecções. Depois de confirmado o diagnóstico, a remoção das amígdalas é o único jeito de resolver a situação de forma definitiva.

A indicação da cirurgia é feita pelo próprio paciente. A cirurgia não é obrigatória se o incômodo não for muito grande para o paciente. Se, no entanto, paciente quiser realmente resolver o problema porque o incômodo já é considerável, a orientação será a realização de amigdalectomia (retirada das amígdalas).

A amigdalectomia pode ser realizada de forma convencional ou assistida por laser. Tais procedimentos, embora façam parte da rotina cirúrgica em otorrinolaringologia, não são isentos de riscos, tanto sob o ponto de vista anestésico quanto cirúrgico propriamente dito, em especial os sangramentos.

Em caso de suspeita de amigdalite caseosa, um médico (preferencialmente um otorrinolaringologista) deverá ser consultado para confirmação diagnóstica, orientação e tratamento adequados.

O que é sinusite alérgica e quais os sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sinusite alérgica é uma inflamação dos seios paranasais causada por alergia respiratória.

Os sintomas mais comuns da sinusite alérgica incluem:

  • Dor na face;
  • Sensação de peso facial;
  • Dor de cabeça;
  • Tosse que piora à noite;
  • Secreção nasal;
  • Congestão nasal, sensação de nariz entupido;
  • Edema (inchaço) ao redor dos olhos.

Os seios paranasais são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz e atrás da maçã do rosto, atrás da testa e dos olhos. Os seios são revestidos por uma mucosa, que produz o muco, que é escoado para o nariz através de pequenos túneis.

Quando esses túneis ficam obstruídos por secreção, edema da mucosa ou outra causa, os seios paranasais perdem a comunicação com o nariz, ficando selados e sem ventilação. O muco fica então acumulado, facilitando inclusive a proliferação de vírus, bactérias ou fungos, por vezes originando quadro de sinusite infecciosa.

Os sintomas da sinusite alérgica também são encontrados nas rinites alérgicas. As alergias provocam com frequência uma reação na mucosa de edema, congestionando os seios, favorecendo a proliferação de germes e consequentemente infecções, ou seja, cria-se um círculo vicioso: a alergia causa sinusite e esta, por sua vez, piora a alergia.

Leia também: Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado

A sinusite alérgica não tem cura, uma vez que a alergia é uma herança genética. Por isso é fundamental identificar e afastar-se dos fatores que podem desencadear uma crise alérgica e manter acompanhamento médico regular.

O/A médico/a otorrinolaringologista é o responsável por acompanhar casos de sinusite alérgica.

Saiba mais em:

Sinusite faz o nariz sangrar?

Sinusite dá tontura?

Quais são os sintomas da sinusite?

Qual é o tratamento para sinusite alérgica?