Perguntar
Fechar

Otorrinolaringologia

Grávida pode usar remédio para desentupir o nariz?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, grávida pode usar remédio para desentupir o nariz, desde que sejam soluções salinas, como o Rinossoro ou o próprio soro fisiológico no nariz. Os descongestionantes nasais (Afrin, Sorine, Aturgyl) devem ser evitados na gravidez, pois não há estudos que demonstrem a segurança para o feto durante a gestação. Podem ser usados se os benefícios superarem os possíveis riscos, mas pelo menor período possível. 

Mesmo fora do período da gestação o uso de descongestionantes por longos períodos é desestimulado por conta do efeito rebote, ou seja, eles podem piorar a congestão nasal levando a uma rinite medicamentosa, além disso podem provocar insônia, inquietação e taquicardia. Caso seja necessário utilizar um desses medicamentos para desentupir o nariz, a gestante não deve ultrapassar o limite de uso a cada 8 horas e utilizar o remédio durante no máximo 3 dias.

Já o Rinossoro e outras soluções salinas podem ser usadas à vontade durante a gestação. Antialérgicos como a Loratadina também são seguros na gestação. 

Também pode ser do seu interesse: Quais remédios posso tomar na gravidez?

Existe algum remédio caseiro para desentupir o nariz na gravidez?

Sim, a lavagem nasal com soro é um bom remédio caseiro para desentupir o nariz durante a gravidez, pois não oferece nenhum risco à saúde da gestante e do bebê. A lavagem do nariz pode ser feita da seguinte forma:

  1. Dissolva uma colher rasa (café) de sal em 1 copo de água à temperatura ambiente ou utilize 1 copo de soro fisiológico;
  2. Coloque a solução em um bule;
  3. Introduza o bico do bule na narina entupida;
  4. Incline o tronco ligeiramente para frente e rode um pouco a cabeça para o lado do bule;
  5. Deixe a água entrar por uma narina e sair pela outra naturalmente, sem forçar o fluxo;
  6. Espere que toda a água saia da narina e não assoe o nariz depois da aplicação.

Leia também: Como desentupir o nariz?

Algumas outras medidas, como realização de atividade física e elevação da cabeceira do leito a 30 ou 45 graus, também são eficazes na melhora da obstrução nasal. 

Antes de tomar qualquer medicamento a gestante deve primeiro falar com o seu médico obstetra ou médico de família. A automedicação na gravidez pode trazer sérios riscos à saúde da mãe e do bebê.

Zumbido no ouvido: o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Zumbido no ouvido pode ser decorrente de diversas causas. Pode ser sintoma de perda de audição, problemas no ouvido, estresse, doenças cardiovasculares ou diabetes ou ainda ter como causa o uso de medicamentos e doenças neurológicas.

As causas do zumbido no ouvido são muitas, mas já se sabe que a maioria dos casos é provocada por algum grau de perda auditiva.

Parece que, como o som deixa de entrar através dos ouvidos, o cérebro sofre disfunções nas áreas relacionadas ao processamento da audição, podendo gerar o zumbido no ouvido. Por isso, o zumbido pode ter inúmeras outras causas, tais como:

  • Problemas no ouvido, como inflamação e excesso de cera;
  • Envelhecimento;
  • Diabetes, anemia;
  • Doenças cardiovasculares, como pressão alta e insuficiência cardíaca;
  • Estresse, ansiedade, depressão;
  • Tabagismo, consumo de bebida alcoólica;
  • Consumo excessivo de cafeína;
  • Uso de medicamentos, como alguns diuréticos e anti-inflamatórios;
  • Exposição constante a ruídos altos, uso constante de fones de ouvido;
  • Disfunções na mandíbula (saiba mais em: Zumbido e pressão na cabeça: o que pode ser?);
  • Esclerose múltipla, traumatismo craniano, sequela de meningite.

O zumbido no ouvido tem tratamento, e ele incide sobre a causa do problema, sempre que for possível detectá-la.

O diagnóstico precoce é muito importante para o sucesso do tratamento, por isso o paciente deve consultar um médico clínico geral, médico de família ou ir diretamente a um otorrinolaringologista se o zumbido persistir.

Como saber se estou com o ouvido inflamado?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os principais sintomas de um ouvido inflamado ou infeccionado são: dor intensa, diminuição da audição, febre, agitação, perda de apetite, tontura e vertigem. Se ocorrer perfuração do tímpano, pode haver secreção no ouvido. Em crianças e bebês, uma inflamação ou infecção no ouvido pode causar também irritabilidade, choro fácil, vômitos e diarreia.

As inflamações e infecções no ouvido, conhecidas como otites, são as principais causas de dor de ouvido. De acordo com a localização, a otite pode ser média (interna) ou externa.

O ouvido pode ficar inflamado ou infeccionado após gripes, infecções de garganta e doenças respiratórias, já que a garganta, as vias respiratórias e os ouvidos estão interligados. O acúmulo de água no ouvido também pode causar infecções e deixar o ouvido inflamado.

As inflamações na parte mais externa do ouvido (otite externa) também podem ser causadas por traumatismos provocados por cotonete ou outros objetos.

O tratamento do ouvido inflamado é feito com remédios analgésicos e anti-inflamatórios. Em casos de infecção causada por bactérias, podem ser utilizados antibióticos. A medicação pode ser de uso tópico (gotas ou pomadas) ou administrada por via oral, conforme o tipo de otite.

Saiba mais em: Como tratar dor de ouvido?

Procure o médico de família, ou clínico geral ou o pediatra em casos de sintomas sugestivos de otite. Em casos de complicações pode ser necessário a avaliação de um otorrinolaringologista.

Também pode lhe interessar:

Otite pode causar surdez ou perda de audição?

Uma otite pode virar meningite?

Estou com bolinhas brancas na garganta. O que pode ser e o que fazer?
Dra. Juliana Guimarães
Dra. Juliana Guimarães
Doutora em Saúde Pública

As bolinhas brancas que se acumulam nas amígdalas e possuem odor fétido se chamam cáseos amigdalianos ou caseum amigdaliano. São formados por células descamadas (mortas), bactérias e, em menor quantidade, por resíduos alimentares. Podem provocar o mau hálito.

Os cáseos amigdalianos não têm nenhuma relação com as amigdalites ou outras infecções de garganta.

8 Dicas para prevenir os cáseos1.Beber muita água

Ao ingerir, pelo menos, 2 litros de água ao dia, a saliva se torna mais fluida e evita a formação de cáseos. Ao contrário, a saliva mais viscosa, favorece que as células mortas grudem umas nas outras e formem os cáseos.

2. Ingerir frutas ácidas

A ingestão de frutas ácidas como limão, laranja, kiwi, morango e abacaxi, estimulam as glândulas salivares a produzir maior quantidade de saliva prevenindo a formação dos cáseos.

3. Limpar a língua

As células mortas também se acumulam na superfície da língua. Por este motivo, recomenda-se limpar a língua, com um limpador específico para língua, após a escovação dos dentes. Isto evita que estas células migrem para as amígdalas e formem os cáseos.

4. Gargarejar com bicarbonato de sódio

Coloque uma colher de café em meio copo de água e faça o gargarejo após a escovação dos dentes. A vibração causada pelo gargarejo faz com que os cáseos se soltem das criptas da amígdalas e também previne a formação de novos cáseos.

5. Mastigar alho

O alho tem ação antibacteriana. Mastigar um dente de algo ao dia pode tratar os cáseos já existentes e prevenir a deposição de outros cáseos.

6. Inserir cebola na alimentação

A cebola, assim  como o alho, tem ação antibacteriana. Por este motivo deve ser adicionada à alimentação. Além de ajudar a evitar os cáseos, traz diversos benefícios à saúde.

7. Gargarejar com vinagre de maçã orgânico

Faça gargarejos com meio copo de água morna e meio copo de vinagre de maçã orgânico por 2 ou 3 vezes ao dia. O vinagre tem função adstringente e também é antibacteriano.

8. Usar probióticos: Kefir

O uso dos probióticos, especialmente o kefir, ajudam equilibrar a flora intestinal. Ao realizar este equilíbrio as boas bactérias presentes no intestino ajudam a eliminar a bactérias ruins que possam estar em todo o trato gastrointestinal. Isto ajuda a eliminar e prevenir os cáseos.

Se nenhuma destas medidas tiverem resultado positivo busque um médico de família ou um otorrinolaringologista para uma avaliação inicial. A retirada das amígdalas pode ser indicada mas, em último caso, após avaliação médica.

Saiba mais:

O que é caseum e quais os sintomas?

Caseum tem cura? Qual o tratamento?

Caseum pode ser transmitido pelo beijo e pela saliva?

Língua geográfica: o que é, quais os sintomas e como é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Língua geográfica, também conhecida como glossite migratória benigna, não é uma doença nem representa um problema de saúde. Trata-se de uma condição que deixa a língua com o aspecto de um mapa em alto-relevo, daí o nome "língua geográfica".

A língua geográfica caracteriza-se pela presença de áreas vermelhas bem delimitadas, com bordas brancas e irregulares. As lesões ocorrem sobretudo na parte de trás e na lateral da língua.

No início, surgem pequenas manchas brancas na língua. Depois, conforme elas aumentam ou migram, desenvolvem uma área vermelha no centro devido à perda das papilas nessa região.

Por isso, pessoas com glossite migratória benigna não possuem todas as papilas na língua, que são substituídas por essas áreas lisas e vermelhas.

Em geral, a língua geográfica não provoca sintomas. Contudo, algumas pessoas sentem ardência, aumento da sensibilidade e até dor, principalmente ao ingerir alimentos ácidos, quentes ou muito temperados.

A língua geográfica não precisa de um tratamento específico, uma vez que se trata de uma condição benigna e autolimitada. Quando a queimação ou a dor são muito intensas, é indicado um medicamento corticoide de uso tópico para aliviar os sintomas. O mais usado é a pomada triancinolona que pode ser aplicada uma vez ao dia, durante 7 a 10 dias.

As causas da língua geográfica ainda não estão totalmente esclarecidas. Alguns pesquisadores sugerem que a glossite migratória benigna ocorre com mais frequência em pessoas com psoríase, dermatite atópica e língua fissurada. Outros associam a condição a problemas hormonais, predisposição genética, alergias, síndrome de Down e até carências nutricionais.

O diagnóstico e o tratamento da língua geográfica podem ser realizados pelo/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família.

Também pode lhe interessar: Língua rachada o que pode ser? Qual o tratamento?

Tenho tonturas e acho que é labirintite. Qual médico procurar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

As tonturas são um dos sintomas da labirintite, mas podem estar relacionadas com muitas outras doenças. Você pode procurar o/a clínico/a geral ou o/a médico/a de família, visto se tratar de um sintoma inespecífico. Se preferir ir direto a um especialista, os mais indicados para avaliar casos de tontura são o/a otorrinolaringologista ou o/a neurologista.

Lembrando que a labirintite pode causar tonturas (sensação de perda de equilíbrio e queda), vertigens (sensação de que tudo ao redor está girando ou inclinando), náuseas, vômitos, perda de equilíbrio, zumbidos no ouvido e perda de audição.

Geralmente, a labirintite ocorre em crises pontuais transitórias que podem durar apenas alguns minutos ou se tornar frequentes.

Saiba mais em: O que é Labirintite e quais seus sintomas?

Contudo, como foi dito, sentir tonturas pode ser sinal de uma série de outros problemas de saúde. Consulte um/a dos/as médicos/as indicados no início do artigo para que seja feito um diagnóstico adequado.

Quais são os sintomas da sinusite crônica?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os sintomas da sinusite crônica podem incluir dor facial, sensação de peso na face, dor de cabeça, congestão nasal com secreção, diminuição do olfato, tosse (geralmente piora à noite), espirros, inchaço e dor ao redor dos olhos, ouvido entupido e mau hálito. São os mesmos sintomas da sinusite aguda, porém mais leves e persistentes.

Quando os sintomas da sinusite persistem por mais de 12 semanas seguidas, mesmo com tratamento, ela é classificada como sinusite crônica.

A dor facial é um dos principais sintomas da sinusite crônica e ocorre principalmente ao abaixar a cabeça ou caminhar. Normalmente é sentida atrás dos olhos, ao redor do nariz ou ainda nos dentes, podendo ser mais forte em um lado do rosto. 

A sinusite crônica normalmente está relacionada com desvio de septo ou pólipos nasais. Ambos obstruem a comunicação entre os seios faciais e o nariz, dificultando a cura da sinusite e favorecendo a sua cronicidade.

A sinusite crônica também pode ter origem em sinusites causadas por fungos, doença do refluxo gastroesofágico, alergias, HIV, asma e fibrose cística.

Em geral, a sinusite aguda resolve-se espontaneamente em poucos dias, enquanto que a sinusite crônica exige maiores cuidados. Com o tratamento adequado, é possível aliviar os sintomas e manter a doença sob controle.

Casos de sinusite crônica devem ser avaliados por um médico otorrinolaringologista, que irá indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o caso.

Saiba mais em:

Sinusite crônica tem cura? Qual é o tratamento?

Quais são os sintomas da sinusite?

Sinusite faz o nariz sangrar?

Sinusite dá tontura?

Garganta inflamada, o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tratamento da garganta inflamada deve ser feito com medicamentos que aliviam os sintomas. Para quadros virais, visando melhora mais rápida da inflamação, podem ser prescritos anti-inflamatórios orais, porém nos casos de infecção bacteriana é necessário a associação de antibiótico. Em ambos os casos, os remédios devem ser receitados pelo médico.

Dentre os remédios usados no tratamento da dor de garganta estão a nimesulida, o diclofenaco e ou ibuprofeno, na classe de anti-inflamatórios e a benzetacil e amoxacilina, dentre os antibióticos mais prescritos.

As pastilhas para garganta inflamada têm ação analgésica e servem apenas para aliviar a dor, não sendo capazes de tratar a infecção. Vale ressaltar que alguns especialistas contraindicam pastilhas com mentol, limão ou agentes irritantes para a parede da orofaringe. 

Garganta inflamada (faringite e amigdalite)

Cirurgia para retirar as amígdalas só está indicado quando a garganta fica inflamada constantemente (5 a 7 vezes ao ano) ou ainda quando o inchaço causado pela infecção dificulta a respiração.

Se a dor de garganta for originada por uma infecção bacteriana, o tratamento é realizado com medicamentos antibióticos. A medicação pode ser administrada por via oral ou injeção, dependendo da gravidade do caso, em geral nos casos mais graves os médicos optam pela injeção devido a resposta mais rápida. 

O tratamento com antibióticos por via oral pode ter um tempo de duração de até 10 dias. Suspender o remédio antes do prazo determinado pelo médico pode provocar recaídas e deixar as bactérias resistentes ao antibiótico.

Existe algum remédio caseiro para garganta inflamada?

O gargarejo com água morna e sal (sem vinagre) é um remédio caseiro frequentemente indicado por médicos, pois alivia a dor de garganta, principalmente em casos de amigdalite. Porém, o gargarejo não trata a infecção e por isso não dispensa o uso dos medicamentos.

Como fazer: 

  1. Misturar uma colher (chá) de sal em um copo de água morna;
  2. Fazer o gargarejo com a mistura durante 5 minutos;
  3. Repetir o procedimento pelo menos 4 vezes por dia.

Veja também: Qual é o melhor tratamento para amigdalite?

Em caso de dor de garganta, a pessoa deve procurar um médico otorrinolaringologista, clínico geral ou médico de família.

Saiba mais em: Diferenças entre Amigdalite, Faringite e Laringite