Perguntar
Fechar
Sai do umbigo uma secreção com mau cheiro, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Sair uma secreção com mau cheiro do umbigo pode ter várias causas, desde uma inflamação local, uma infecção (foliculite), uma reação a um corpo estranho (piercing), até a persistência do úraco, que é uma estrutura embrionária em forma de tubo que liga o umbigo à bexiga.

Durante a formação do nosso corpo, ainda dentro do útero materno, várias estruturas se formam e se modificam até o desenvolvimento estar completo. Após o nascimento, o úraco se fecha e forma um ligamento entre o umbigo e a bexiga. Quando isso não ocorre, forma-se uma espécie de canal entre abexiga e o umbigo. Durante o crescimento, podem se formar secreções dentro dele que são eliminadas pela cicatriz umbilical, principalmente quando ocorrem infecções locais.

Outra problema raro que pode estar presente no umbigo é um foco de endometriose, que é o desenvolvimento das células do endométrio (camada interna do útero) fora da cavidade uterina.

Como as causas e os tratamentos podem ser muito variados, deve-se sempre consultar um médico nessas situações. O clínico geral é o profissional indicado para tratar ou realizar o encaminhamento a outros especialistas.

Leia também:

Dor no umbigo: o que pode ser?

Umbigo inflamado: o que pode ser?

Dor e sangramento no umbigo: o que pode ser e o que fazer?

Corrimento esverdeado sem cheiro e sem coceira, o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Corrimento vaginal esverdeado pode ser infecção por um protozoário chamado Trichomonas vaginallis, chamada tricomoníase. Usualmente está associado a coceira intensa e odor desagradável, porém estes podem estar ausentes. Também pode apresentar-se como corrimento amarelado, pastoso ou grosso e, muitas vezes, bolhoso.

A mulher pode apresentar ainda, dor nas relações sexuais e ao urinar.

O diagnóstico da tricomoníase é realizado através do exame de papanicolau ou após análise do líquido vaginal (Swab). É importante frisar que a tricomoníase é considerada uma doença sexualmente transmissível e o parceiro deve ser examinado e tratado em conjunto, para não haver recontaminação.

Há algumas fases da vida em que é mais comum a ocorrência dos corrimentos vaginais, como no período que antecede a primeira menstruação e na menopausa. Outra época em que o corrimento é mais comum é no verão, porque o calor favorece a proliferação de bactérias e fungos. Ambientes abafados, quentes e úmidos, como a vagina, propiciam crescimento desses germes.

Na gravidez, corrimento esverdeado também é possivelmente causado pela tricomoníase e não traz prejuízo ao bebê. O tratamento é feito usualmente com antibiótico, de preferência o metronidazol, e não costuma deixar sequelas.

O diagnóstico e tratamento devem ser feitos por médico ginecologista.

Veja também:

Urina com mau cheiro, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Urina com mau cheiro e odor fétido pode ser sinal de infecção por bactérias ou de desidratação por pouca ingestão de água. Muita concentração de ureia deixa a urina com mau cheiro e odor forte. Normalmente, isso ocorre quando a urina está pouco diluída devido à desidratação, o que se nota facilmente na sua cor, que fica amarela forte ou até marrom.

Se a urina estiver bem diluída, ou seja, com uma cor amarela bem clara ou incolor, mas ainda assim tiver um odor forte, pode ser indicativo de presença de bactérias que metabolizam a amônia.

Por isso, se a urina com mau cheiro vier acompanhada de outros sinais e sintomas como febre, calafrios e ardência ao urinar, pode indicar a presença de uma infecção urinária. Infecções da uretra também podem causar mau cheiro na urina, principalmente se este vier acompanhado de um corrimento uretral.

O que pode alterar o cheiro da urina?

Algumas condições que podem alterar o cheiro da urina incluem:

  • Fístula da bexiga;
  • Infecção da bexiga;
  • Falta de líquido no corpo (a urina concentrada pode cheirar a amônia);
  • Diabetes mal controlado (urina com cheiro doce);
  • Insuficiência e doença hepáticas, certos distúrbios metabólicos (cheiro de mofo na urina);
  • Corpos cetônicos na urina (comum em casos de diabetes);
  • Alguns alimentos e medicamentos, incluindo vitaminas.

Pessoas saudáveis e que bebem quantidades adequadas de líquido geralmente não apresentam urina com mau cheiro. Nesses casos, a maioria das alterações no cheiro da urina não é sinal de doença e desaparece com o tempo.

Contudo, se após aumentar a ingestão de água (pelo menos 2 litros por dia) a urina continuar com mau cheiro, o mais indicado é procurar um/a clínico/a geral ou médico da família para investigação.

Tenho um corrimento branco sem odor. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os corrimentos vaginais estão em sua grande maioria associados com infecções vaginais, no entanto, o corrimento branco e sem odor, pode ser uma lubrificação natural da vagina.

Em casos menos frequentes, podem estar relacionados com alergias alimentares, uso crônico de medicamentos e problemas emocionais, como ansiedade e estresse.

1. Corrimento branco sem cheiro e sem coceira

Durante o ciclo menstrual normal, a oscilação de hormônios que ocorre para preparar o óvulo e a parede uterina para receber o embrião, apresenta sinais e sintomas como sensibilidade nas mamas, cólicas e modificação natural da lubrificação vaginal.

O corrimento claro, branco ou esbranquiçado, sem cheiro e sem outros sintomas, como vermelhidão, coceira ou ardência ao urinar, é normal.

2. Corrimento branco com grumos

Se o corrimento vaginal for branco e espesso, semelhante a leite coalhado ou queijo tipo cottage, sem ou com pouco odor, sugere candidíase, uma infecção vaginal provocada por fungos.

Nesses casos, o corrimento vem acompanhado de coceira intensa, vermelhidão no local e ardência ao urinar. O tratamento deverá ser feito com medicações antifúngicas.

3. Corrimento branco com cheiro forte

O corrimento vaginal relacionado a infecção bacteriana, geralmente tem coloração acinzentado, amarelado ou esverdeado, porém, pode também ter coloração branca espessa. Quando vier acompanhado de vermelhidão, ardência, dor e ou coceira, a infecção deve ser investigada.

A vaginose é mais comum em mulheres sexualmente ativas.

4. Corrimento abundante com odor fétido

Corrimento vaginal em grande quantidade, com odor forte, espumoso, de coloração acinzentada, amarelada ou esverdeada, pode ser um sinal de tricomoníase, uma doença sexualmente transmissível (DST).

5. Corrimento amarelado

Na vaginite atrófica, o corrimento é amarelado, aquoso, apresenta odor forte e, eventualmente, pode vir acompanhado com sangue. Trata-se de uma inflamação provocada pela atrofia da musculatura da vagina. Pode surgir depois da menopausa, após o parto, na amamentação ou quando há uma redução dos níveis de estrogênio.

6. Corrimento branco com presença de pus ou sangue

Quando o corrimento vaginal é purulento, as causas podem incluir clamídia e gonorreia. A clamídia é uma doença sexualmente transmissível, que não provoca sintomas na maior parte dos casos. Porém, além do corrimento, pode manifestar sangramentos após relação sexual ou fora do período menstrual, dores abdominais e dor nas relações sexuais.

Já a gonorreia é uma DST (doença sexualmente transmissível), que muitas vezes não provoca sintomas nas mulheres. Contudo, em alguns casos, pode causar o aparecimento de corrimento vaginal espesso e com pus.

O que fazer em caso de corrimento vaginal?

O tratamento do corrimento vaginal é realizado de acordo com a sua causa. Pode incluir o uso de medicamentos orais e cremes vaginais, além de cuidados com a higiene íntima e evitar relações durante o período do tratamento.

Para receber um diagnóstico e tratamento adequados, consulte um ginecologista.

Conheça mais sobre esse assunto, nos artigos:

Corrimento branco e sem cheiro durante gravidez é normal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, o corrimento vaginal branco e sem cheiro durante a gravidez, pode ser normal.

O corrimento vaginal na gravidez é bastante comum e muitas vezes está relacionado com as alterações fisiológicas que ocorrem nesse período.

Porém, a grávida deve estar atenta a corrimentos vaginais de coloração diferente, amarelada, esverdeada, com pus, mau cheiro, e que causem prurido (coceira) ou dor abdominal. Neste caso é fundamental sempre investigar uma causa secundária, como a infecção vaginal.

Na presença de infecção, é indicado tratamento com antibióticos, para prevenir complicações na gravidez, tanto para a mãe quanto para o bebê.

A mulher grávida deve comparecer às consultas de rotina do pré-natal e relatar ao/à profissional sobre essas alterações como a característica do corrimento, para identificar o problema, o mais rápido possível.

Conheça mais sobre esse assunto nos artigos:

Antibiótico muda a cor e o cheiro da urina e das fezes?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Alguns antibióticos podem mudar a cor e o cheiro da urina, mas dificilmente irão alterar a aparência ou o cheiro das fezes.

Entre os remédios antibióticos que podem alterar a coloração da urina, e deixá-la com uma cor avermelhada ou rosa, destaca-se a rifampicina.

Já os medicamentos antibióticos da família da penicilina (amoxicilina, ampicilina, dicloxacilina, penicilina benzatina, entre outros) podem deixar a urina com cheiro forte e desagradável.

Em relação às fezes, o efeito colateral mais comum dos antibióticos é a diarreia. Vários antibióticos podem provocar essa reação, porque acabam destruindo também as bactérias benéficas que formam a flora intestinal.

Leia também: Quais podem ser os efeitos colaterais dos antibióticos?

Se você estiver tomando antibiótico e notar qualquer mudança no seu organismo, fale imediatamente com o médico que receitou o medicamento ou procure um médico de família ou clínico geral.

Também pode lhe interessar:

Fezes escuras, fezes claras, esverdeadas ou fezes com sangue, o que pode ser?

Urina escura: o que pode ser?

Sai do meu umbigo um líquido pastoso com um odor forte. O que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Umbigo vazando líquido pastoso com odor forte ou a presença de mau cheiro no umbigo e secreção podem ser sinais de umbigo inflamado ou infeccionado. Sujeira, bactérias, fungos podem ficar alojados dentro do umbigo e começar a se multiplicar ou acumular. Isso pode causar uma infecção ou inflamação no umbigo.

Nesses casos, é observada uma secreção com mau cheiro no umbigo. A secreção de odor desagradável pode ter coloração branca, amarela, marrom ou vermelha.

A presença de secreção com mau cheiro no umbigo pode ter ainda como causas a realização de cirurgia e a presença de cistos.

Um umbigo com mau odor pode ser sinal de uma condição que precisa de atenção médica, como uma infecção ou um cisto. Por isso, deve-se procurar outros sinais e sintomas que acompanham essas condições, como:

  • Secreção branca, amarela ou verde saindo do umbigo;
  • Inchaço e vermelhidão;
  • Coceira;
  • Dor;
  • Formação de crosta ao redor do umbigo;
  • Febre;
  • Presença de caroço no abdômen.
Quais as possíveis causas de secreção com mau cheiro no umbigo? Infecção bacteriana

O umbigo é o lar de quase 70 tipos diferentes de bactérias. Se a pessoa não souber como limpar o umbigo adequadamente, essas bactérias podem causar uma infecção. Piercings no umbigo também podem ser infectados.

Infecção por fungos

A candidíase é uma infecção por fungos causada por Candida, um tipo de fungo que normalmente cresce em áreas úmidas e escuras do corpo. Pode ocorrer entre as dobras da pele, como na região da virilha e nos braços. O fungo também pode habitar o umbigo, principalmente se a pessoa não secar e limpar o umbigo adequadamente.

A candidíase deixa o umbigo vermelho e provoca coceira no umbigo, que pode ficar vazando uma secreção espessa e branca.

Diabetes

Pessoas com diabetes têm maior probabilidade de contrair infecções fúngicas, inclusive no umbigo. Isso ocorre porque o fungo se alimenta de açúcar e o alto nível de açúcar no sangue é um sinal característico de diabetes mal controlado.

Cirurgia

Quem passou por cirurgia abdominal recentemente, como reparo de hérnia, pode notar a presença de pus no umbigo. A presença desse tipo de secreção pode ser sinal de infecção, que precisa ser tratada.

Cisto de úraco

Durante o desenvolvendo do bebê dentro do útero, a sua bexiga é conectada ao cordão umbilical por um pequeno tubo chamado úraco. É assim que a urina é drenada do corpo do feto. Normalmente, o úraco fecha antes do nascimento. Porém, às vezes não fecha corretamente.

Em alguns casos, pode ocorrer o crescimento de um cisto, que é uma bolsa cheia de líquido, no úraco. O cisto pode ser infectado. Um sinal dessa infecção é a presença de um líquido cinzento ou sanguinolento que vaza do umbigo.

Outros sinais e sintomas dos cistos de úraco incluem: dor abdominal, febre, caroço no abdômen e dor ao urinar.

Cisto sebáceo

O cisto sebáceo se forma a partir das glândulas que liberam óleo na pele, chamadas glândulas sebáceas. Se o cisto estiver infectado, libera uma secreção espessa, amarela e com mau cheiro. O umbigo também pode ficar vermelho e inchado devido à presença do cisto.

Qual é o tratamento para secreção com mau cheiro no umbigo?

O tratamento depende da causa da secreção e do mau cheiro no umbigo. Para tratar uma infecção, recomenda-se manter a pele do umbigo limpa e seca.

Para tratar uma infecção causada por fungo, é indicado o uso de um pó ou creme antifúngico. Também recomenda-se limitar o açúcar da dieta. Para uma infecção bacteriana, pode ser usada uma pomada com antibiótico.

Quem tem diabetes deve falar com o endocrinologista para garantir que o nível de açúcar no sangue esteja bem controlado.

Em caso de cisto de úraco, pode ser necessário tratar primeiro a infecção com antibióticos. O cisto pode precisar ser drenado. Depois que a infecção desaparece, o tratamento envolve a remoção do cisto com cirurgia laparoscópica, realizada através de uma pequena abertura no abdômen.

Para tratar um cisto sebáceo, podem ser injetados medicamentos no cisto para diminuir o inchaço ou pode ser feito um pequeno corte no cisto para drenar o líquido. Outra opção é remover o cisto inteiro com cirurgia ou laser.

Consulte um médico clínico geral ou médico de família se tiver algum sinal e sintoma de infecção, como vermelhidão, inchaço e secreção com mau cheiro no umbigo.

Tem algum remédio para mau cheiro na vagina?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Deve procurar um ginecologista para verificar se existe uma infecção que cause esse mau cheiro e para fazer o tratamento. Não é esperado que a vagina apresente um mau cheiro, portanto não há um remédio ou pomada vaginal específicos para isso.

O odor vaginal normal pode incomodar algumas mulheres, no entanto, se a mulher não apresenta nenhuma doença vulvovaginal apenas alguns cuidados com a higiene local são necessários para manter um ambiente vaginal saudável e assim evitar o mau cheiro. Os principais cuidados são:

  • Não utilizar sabonetes e cremes vulvovaginais que não respeitem o pH vaginal;
  • Não utilizar sabonetes perfumados ou com substâncias irritativas;
  • Lavar a região de mucosas interna da vulva apenas com água;
  • Usar sabonete apenas na região externa da vulva, ou seja onde há pele;
  • Evitar a realização de duchas vaginais;
  • Evitar o uso de calcinhas e calças de tecidos sintéticos;
  • Minimizar o uso de cosméticos na zona íntima.
O que pode causar mau cheiro na vagina?

Algumas infecções vaginais como a vaginose bacteriana podem causar mau cheiro, nesse caso existe tratamento com medicação específica que serve para tratar essa doença e consequentemente acabar com o mau odor.

A vaginose bacteriana é uma vulvovaginite causada por uma mudança na composição da flora vaginal, em que passa a haver o predomínio de bactérias anaeróbias nocivas como a Gardnerella Vaginalis, nessa situação pode haver a presença de um corrimento esbranquiçado de odor fétido, em alguns casos semelhante a peixe podre.

O tratamento da vaginose é feito com antibiótico tomado por via oral, como o metronidazol, ou pomada vaginal a base de clindamicina.

O uso excessivo de produtos cosméticos na região da vulva e da vagina, como sabonetes, cremes e desodorantes também podem alterar a flora bacteriana local normal e provocar alteração do odor natural da zona intima, portanto, é importante seguir as recomendação descritas.

Caso tenha mais dúvidas ou apresente outros sintomas além do mau cheiro como corrimento ou sangramento anormal procure um médico de família ou ginecologista para uma avaliação.

Conheça mais sobre o assunto no artigo:

É normal ter corrimento amarelo com mau cheiro?

Não sinto cheiro de nada, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Não sentir cheiros pode ser causado por obstruções nasais provocadas por infecções ou irritações no nariz como sinusites, rinites ou alergias crônicas.

A dificuldade para sentir cheiros pode ser parcial (hiposmia), mais frequente, ou completa (anosmia), que é rara. Além das inflamações, outros problemas podem dificultar que a pessoa sinta cheiros: alterações do osso e cartilagem do nariz (septo nasal), pólipos ou tumores nasais, doenças genéticas, lesões no sistema nervoso, envelhecimento e traumatismo craniano.

O médico clínico geral poderá avaliar o problema e, se for o caso, encaminhar para a especialidade mais adequada.

Sangramento acompanhado com um mau cheiro terrível?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sangramento ou corrimento com odor desagradável, geralmente, indica algum tipo de infecção ou inflamação vaginal, precisa procurar um médico para uma melhor avaliação e diagnóstico. Não é esperado que o uso do anticoncepcional injetável altere o odor da menstruação, portanto é importante investigar a causa desse odor.

O sangramento menstrual não costuma ter odor fétido, quando isso ocorre é importante avaliar qual o motivo do cheiro desagradável. Diversas situações podem ocasionar essa mudança no odor da menstruação, entre elas o sangramento excessivo e abundante e a presença de vulvovaginites como a vaginose bacteriana são as mais comuns.

A utilização de absorventes ou tampões por longos períodos também podem contribuir para a modificação do odor do sangue menstrual. Mais raramente a presença de tumores de colo uterino também podem ocasionar a presença de sangramento vaginal de odor pútrido.

O que é Vaginose bacteriana?

A vaginose bacteriana é uma vulvovaginite causa por uma bactéria, a Gardnerella vaginalis, essa bactéria causa um corrimento branco acinzentado com um forte odor semelhante a peixe.

Quando a mulher está com essa vulvovaginite é esperado que a sua menstruação também apresente um odor desagradável devido a mistura entre o sangue e a secreção vaginal infectada, no entanto, o cheiro fétido permanece mesmo na ausência de menstruação.

O tratamento da vaginose bacteriana é muito simples e fácil de ser realizado, é feito através do uso de creme vaginal ou de medicamento antibiótico.

Na presença de odor fétido menstrual consulte um médico ginecologista ou médico de família para uma avaliação.

Tenho corrimento constante com mau cheiro, dores, enjoo...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O que você tem são sintomas de uma infecção vaginal e colo do útero, precisa procurar um ginecologista que vai te solicitar os exames necessários e fazer o tratamento.

Líquido branco e gosmento com cheiro forte, pode ser DST?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se não teve relação sem camisinha dificilmente será uma DST, mas pode ser alguma inflamação ou infecção da uretra, deve procurar um médico.