Perguntar
Fechar

Azia

Ardência no estômago depois de comer: o que pode ser?

Ardência no estômago depois de comer pode ser sintoma de doença do refluxo gastroesofágico, que muitas vezes é confundida com gastrite, azia ou má digestão.

A doença do refluxo caracteriza-se pelo retorno do conteúdo ácido do estômago para o esôfago, devido ao mau funcionamento de uma válvula que separa os dois órgãos chamada esfincter.

Como resultado, o conteúdo gástrico, que inclui também o ácido que ajuda na digestão, volta para o esôfago, que não está preparado para recebê-lo.

Se não for devidamente tratado, o refluxo pode causar esofagite (inflamação do esôfago), podendo ainda provocar um estreitamento do órgão e o aparecimento de úlcera. Esses casos mais graves podem estar relacionados com câncer de esôfago.

Veja também: Refluxo tem cura? Qual o tratamento?

A sensação de ardência ou queimação sobe do estômago em direção à garganta, com regurgitação do ácido estomacal quando chega à boca.

O refluxo é mais comum quando a pessoa bebe em excesso ou come alimentos gordurosos ou muito condimentados, pois relaxam o esfincter e permitem o refluxo gástrico.

Os medicamentos antiácidos apenas aliviam os sintomas de ardência ou queimação, mas não curam o problema.

Sentir ardência no estômago depois de comer deixa de ser normal se o paciente tiver azia e regurgitação duas vezes por semana ou mais. Nesses casos, deve-se consultar o/a médico/a gastroenterologista para avaliar a situação e indicar o tratamento adequado.

Também pode lhe interessar: O que é dispepsia?

Omeprazol: para que serve e quais os efeitos colaterais?

O omeprazol é uma medicação que serve principalmente para tratar ou prevenir úlceras no estômago e intestino, doença do refluxo gastroesofágico, azia e síndromes causadas pelo aumento de ácido no estômago. Ele pode ter outras funções que seu médico poderá explicar em consulta.

A eficácia do omeprazol no tratamento das úlceras duodenais (porção inicial do intestino) é de quase 100%, sendo mais eficiente nesses casos do que quando comparado com o seu uso nas úlceras gástricas (estômago). Os resultados podem ser notados em até 4 semanas após o início do tratamento com o medicamento.

Sabe-se, através de estudos, que o omeprazol também é eficaz para tratar úlceras de estômago e intestino que são resistentes a outros tipos de medicação.

Já o tratamento do refluxo é mais prolongado, embora as taxas de cura nesses casos ultrapassaram os 80% depois da quarta semana de uso de omeprazol.

O omeprazol também serve para auxiliar no tratamento de erradicação a bactéria Helicobacter pylori, que pode causar gastrite, úlcera e até câncer de estômago.

O omeprazol pode servir ainda como protetor da mucosa do estômago contra os danos provocados por medicamentos anti-inflamatórios.

Quais os efeitos colaterais do omeprazol?Efeitos colaterais comuns

Os efeitos colaterais do omeprazol considerados comuns, ou seja, que ocorrem em até 10% dos casos, incluem dor de cabeça, diarreia, prisão de ventre, dores abdominais, náuseas, vômitos, gases intestinais, regurgitação, infecções respiratórias, tosse, tontura, aparecimento de manchas vermelhas na pele e dor nas costas.

Efeitos colaterais pouco comuns

Outros efeitos secundários do omeprazol foram observados em menos de 1% das pessoas que tomaram o medicamento. Dentre essas reações estão formigamentos, alterações no sono (insônia ou sonolência), vertigem, coceiras pelo corpo e mal-estar.

Efeitos colaterais raros

Já as reações adversas consideradas raras, que ocorrem em menos de 0,1% dos casos, incluem agitação, depressão, confusão mental, agressividade, alucinações, crescimento das mamas em homens, boca seca, diminuição das plaquetas, hepatite, insuficiência hepática, dores articulares e musculares, fraqueza muscular, sensibilidade à luz, febre, aumento da transpiração, inchaço em mãos e pés, visão turva, alterações no paladar, entre outras.

O omeprazol pode causar ainda encefalopatia hepática em pessoas com insuficiência hepática grave. Trata-se de uma perda das funções cerebrais devido à não eliminação das toxinas do sangue pelo fígado.

É importante ressaltar que o uso prolongado do omeprazol pode ter várias consequências à saúde. Por isso, apenas tome medicação com indicação e receita médica.

Caso você tenha alguma dessas reações descritas acima, pare de tomar o omeprazol e procure um/a médico/a.

Também podem lhe interessar:

O que fazer para aliviar azia?

O que é H. pylori?

O que é refluxo e quais os sintomas?

O que é úlcera gástrica e quais os sintomas?

Um copo de água ou leite alivia a azia?

Não. O leite pode aliviar momentaneamente a azia, pois o seu pH alcalino ajuda a neutralizar o ácido estomacal. Porém o alívio será temporário, porque o próprio leite ao ser digerido irá estimular a produção de mais suco gástrico. Já a água pura não possui nenhuma propriedade capaz de diminuir a acidez do estômago.

Durante a digestão, o estômago produz suco gástrico, que é bastante ácido, mas não o agredi por possuir uma camada protetora contra essa acidez, entretanto acima do estômago encontra-se o esôfago, órgão que não possui essa mesma camada, e quando o suco gástrico retorna para o esôfago, o chamado refluxo, acontece esse sintoma de queimação, ou azia.

A solução para acabar com a azia é diminuir a produção de suco gástrico. Para isso muitas medidas são recomendadas, como a alimentação balanceada, mais frequente e em menores quantidades. Uso de medicamentos bloqueadores de ácido estomacal, quando não houver contraindicação. Evitar frituras e bebidas alcoólicas.

Para maiores informações sobre as formas eficazes de aliviar e prevenir a azia, consulte um médico clínico geral, médico de família ou gastroenterologista.

Também pode lhe interessar o artigo: O que fazer para aliviar azia?

Porque sinto muita azia após comer qualquer alimento?

Existem muitas causas para azia, esofagite e gastrite são as mais comuns, precisa procurar um médico para tratamento e talvez até precise mesmo fazer uma endoscopia digestiva alta (um exame para ver o que está causando sua azia).

O que fazer para aliviar azia?

Para aliviar a azia você pode tomar um medicamento antiácido indicado pelo médico, que pode ser adquirido sem receita, ou tomar remédios que interrompem a produção de ácido ou ajudam a esvaziar o estômago. Porém, estes últimos só podem ser adquiridos com receita médica.

Além dos medicamentos, é possível melhorar a azia naturalmente seguindo algumas dicas:

  • Coma pão puro: O pão atua como uma esponja, absorvendo parte do ácido do estômago, além de ajudar a proteger o órgão;
  • Beba chá de hortelã: A hortelã auxilia a digestão e melhora a azia;
  • Beba suco de batata: O suco de batata pode ser obtido espremendo uma batata grande ralada com um pano e deve ser bebido puro.

Essas dicas também são válidas para aliviar a azia durante a gravidez. A grávida também deve ser orientada a dormir de lado, sobre o lado esquerdo do corpo, pois sabe-se que essa posição ajuda a combater a azia na gestação.

O que fazer para combater e evitar a azia?
  • Não fume. Além de azia, o cigarro também pode provocar diversos problemas no estômago;
  • Espere pelo menos 2 horas para ir dormir depois de jantar;
  • Diminua as doses das refeições, comendo mais vezes e em menor quantidade ao longo do dia;
  • Evite tomar bebidas gasosas, pois provocam uma distensão do estômago e estimulam a secreção de suco gástrico;
  • Evite comer alimentos gordurosos, pois dificultam e atrasam o esvaziamento do estômago;
  • Evite bebidas alcoólicas;
  • Se estiver acima do peso, emagreça;
  • Não use roupas apertadas;
  • Incline a cama, elevando a cabeceira cerca de 20 centímetros (coloque calços embaixo dos pés da cama). Usar travesseiros mais altos ou até mesmo vários travesseiros não resulta.

Se você tem azia constantemente, consulte um médico de família, um clínico geral ou um gastroenterologista para que a causa da azia seja identificada e o problema seja devidamente tratado.

O que é esôfago de Barrett? Quais os sintomas?

Esôfago de Barrett é uma condição caracterizada pela substituição de algumas células da última parte do esôfago antes do contato com o estômago. Com essa alteração, as células típicas dessa região, conhecidas como células escamosas, são substituídas por células típicas de outra região, as células intestinais.

O esôfago é o "tubo" que conecta a boca ao estômago. A substituição das células do esôfago ocorre em algumas circunstâncias devido à constante exposição ao ácido estomacal. Novas células mais preparadas para aguentar a exposição ao ácido se formam na região com a função inicial de proteção. A consequência negativa dessa substituição é a possibilidade de transformação em células cancerígenas.

O esôfago de Barrett por si só não causa nenhum sintoma. Porém, as pessoas procuram os serviços médicos pelos sintomas do refluxo esofágico:

  • Queimação;
  • Azia;
  • Regurgitação do conteúdo estomacal;
  • Dificuldade de engolir.

Continue a leitura em:

Esôfago de Barrett tem cura? Qual é o tratamento?

Sinto azia e quando durmo acordo na madrugada com gases...

É algum problema digestivo (gastrite ou hérnia de hiato são os mais prováveis).