Perguntar
Fechar
Dor de cabeça na nuca durante a gravidez, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dor de cabeça durante a gravidez é um sintoma comum, e pode ser normal, quando causada pela ação dos hormônios da gravidez. Nesse caso é chamada de cefaleia fisiológica da gravidez.

Entretanto, outras situações podem levar a dores na nuca, e devem ser investigadas, especialmente a hipertensão arterial. Causa comum de dor de cabeça nessa região, além de ser um fator de risco para complicações na gestação.

A alimentação inadequada, desidratação, mudanças de hábitos de vida, cheiros fortes, problemas de visão, distúrbios do sono e transtornos de humor, também são causas comuns de cefaleia nessa fase.

Causas de dor de cabeça na gravidez1. Cefaleia fisiológica da gestação

A dor de cabeça pode ser localizada em qualquer região, mas é mais comum a dor por toda a cabeça, e é causada pelo aumento do hormônio estrogênio.

O hormônio estrogênio, tem como uma das suas funções, o aumento dos vasos sanguíneos, que apesar de ser benéfico e necessário para a evolução da gravidez, pode trazer efeitos indesejados como a cefaleia e o inchaço.

2. Aumento da pressão arterial

O aumento da pressão arterial é uma causa preocupante de dor de cabeça na gestação, e a localização mais comum para essa causa é a nuca.

Sendo assim, sempre que uma gestante apresenta esse tipo de dor, é importante que seja aferida a sua pressão e se estiver alta, entrar em contato imediatamente com o seu médico obstetra.

O pico hipertensivo é muito perigoso em qualquer fase da gestação.

3. Mudança de hábitos de vida

As mudanças de hábitos de vida, como alterações alimentares, tomar menos café e bebidas estimulantes, pode causar dores de cabeça.

As náuseas e vômitos tão comuns no início da gravidez, também pela ação dos hormônios, reduz consideravelmente o apetite, levando a quadro de dor de cabeça, fraqueza e mal-estar.

A desidratação, seja pelo descuido, ou pelos sintomas de náuseas, é mais uma causa de cefaleia.

Também é importante não ficar mais de 3 horas sem comer, já que o jejum prolongado reduz o aporte de glicose para o cérebro, causando ainda mais dores de cabeça.

4. Cheiros fortes

Usar perfumes muito fortes ou odores intensos podem causar dor de cabeça, porque durante a gravidez, a mulher tem os sentidos mais apurados, devido também à ação dos hormônios.

5. Problemas de visão

Os problemas de visão, estando ou não grávida, é uma causa frequente de dores de cabeça. Devendo ser investigada principalmente nos casos de dor na nuca, que pioram com o decorrer do dia, e de manhã está melhor.

Provavelmente pelo esforço feito durante todo o dia.

6. Distúrbios do sono

As alterações de sono, seja a insônia ou o hábito de dormir demais, são fatores desencadeantes de dores de cabeça.

Atualmente, é recomendado dormir de 7 a 8 horas por dia. A

7. Transtornos de humor

O estresse, a ansiedade e preocupações comuns nessa fase da vida da mulher, a ansiedade e a depressão, favorecem o aparecimento de dor de cabeça com mais frequência e intensidade.

Mais raramente, condições muito mais graves, como pré-eclâmpsia, meningite, aneurismas e tumores cerebrais, devem ser investigados se houver sinais e sintomas de hipertensão intracraniana, como: febre, náuseas, vômitos, rigidez de nuca, confusão mental ou mudança de comportamento.

Dicas para evitar as dores de cabeça na gravidez
  • Manter-se hidratada;
  • Se alimentar regularmente e de maneira saudável. Não passar mais de 3h em jejum, e comer frutas e legumes diariamente;
  • Evitar alimentos gordurosos, queijos amarelos, alimentos cítricos e embutidos;
  • Evitar o estresse;
  • Tente fazer drenagem linfática para gestantes ou experimente fazer massagens com um profissional; ajudam a diminuir a ansiedade e estimulam a circulação sanguínea;
  • Procurar fazer atividades físicas próprias para gestantes. Hidroginástica ou ioga são práticas recomendadas, mas sempre com orientação de um profissional;
  • Pratique outros exercícios de relaxamento ou acupuntura;
  • Evite ficar exposta à luz muito intensa, como ficar na praia, ao sol, especialmente sem usar proteção para a cabeça e olhos;
  • Evite cheiros fortes, exposição à fumaça de cigarro, perfumes fortes, cheiro de tinta, entre outros odores intensos;
  • Evite locais barulhentos;
  • Evite viajar para locais de grande altitude, devido a menor concentração de oxigênio, mais um fator que precipita dores de cabeça;
  • Tente manter um horário de sono regular;
  • Certas dores aliviam bastante após repouso, ou se a pessoa conseguir pelo menos relaxar. Compressas de água morna ao redor dos olhos ou mesmo na nuca ser úteis.
Tratamento da dor de cabeça na gestação

O tratamento deve ser baseado na causa do problema, e sempre buscar opções não medicamentosas inicialmente, para não fazer mal ao bebê.

No caso de dor de cabeça na nuca durante a gravidez, informe o seu médico obstetra e siga rigorosamente as suas orientações.

Nunca se auto medique, especialmente grávida.

Para saber mais sobre este tema, você pode ler:

Dor de cabeça na gravidez: que remédios a gestante pode tomar?

Quais remédios posso tomar na gravidez?

Referência

Federação Brasileira da Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Amamentação e Remédios
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A maioria das medicações é permitida durante a amamentação. Porém, algumas devem ser evitadas ou são proibidas. Para confirmar se a medicação a ser usada é permitida, informe ao/à profissional de saúde que você está amamentando para que ele/ela avalie e indique ou contra-indique o uso.

1 - Quais os remédios permitidos na Amamentação?
  • Amoxicilina;
  • Amoxicilina-Clavulanato;
  • Ampicilina;
  • Penicilina (Benzetacil);
  • Cefalexina;
  • Contracep;
  • Diclofenaco;
  • Metoclopramida;
  • Ibuprofeno;
  • Paracetamol;
  • Aceclofenaco (Proflam);
  • Ciprofloxacino;
  • Omeprazol;
  • Loratadina;
  • Hidroxizine;
  • Dexclorfeniramina (Polaramine);
  • Sertralina;
  • Fluoxetina;
  • Amitriptlina;
  • Citalopram;
  • Clonazepam.
2 - Quais os remédios proibidos na Amamentação?
  • Nimesulida;
  • Bromazepam;
  • Mesigyna;
  • Perlutan;
  • Sibutramina;
  • Nefazodona;
  • Tranilcipromina.
3 - Estou amamentando, posso tomar a pílula do dia seguinte?

Sim, seis semanas após o parto a mulher já pode fazer uso da pílula do dia seguinte.

Leia mais em:

Estou amamentando e tomei pílula do dia seguinte, devo suspender a amamentação?

Com quantas semanas é possível ver o embrião no saco gestacional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O embrião é visto dentro do saco gestacional a partir da quinta ou sexta semana de gestação.

Pelo ultrassom transvaginal, o saco gestacional pode ser visualizado na quinta semana de gestação. Por estar no processo de implantação na camada interna do útero, o embrião não é identificado e o saco gestacional pode estar vazio ou "anembrionário". Apenas após a quinta semana de gestação o embrião pode ser visualizado dentro do saco gestacional.

O primeiro ultrassom feito na gestação é importante para precisar a idade gestacional e prever a data do parto, principalmente entre mulheres que não têm certeza da data da última menstruação ou para aquelas que engravidaram usando algum método contraceptivo.

Caso a mulher apresentar algum atraso menstrual, ela pode procurar um serviço de saúde para avaliação médica e possível solicitação desse ultrassom inicial.

O que significa o colo do útero fechado? É sinal de gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Ter o colo do útero fechado pode ser sinal de gravidez, mas também pode indicar que a mulher não está no seu período fértil, ou seja, não está ovulando. Portanto, nem sempre significa gravidez.

Se o colo do útero estiver fechado e rígido, provavelmente você não está grávida.

Regra geral, o colo do útero está aberto e macio nas seguintes situações:

  • Durante a menstruação, para permitir a saída do fluxo menstrual;
  • Quando a mulher está ovulando, para permitir a entrada do espermatozoide e ela poder engravidar;
  • No final da gravidez, para que o bebê possa sair.

Essa abertura do colo do útero pode ser percebida pelo exame de toque vaginal que a própria mulher pode realizar ou durante o exame ginecológico.

Durante a gravidez o colo do útero se fecha para não deixar o feto sair, mas ele também está fechado no período não-fértil da mulher.

Sinais como esse do colo do útero aberto ou fechado não é utilizado para diagnosticar a gestação. A detecção da gravidez é através de um exame de sangue ou urina. Se a sua menstruação estiver atrasada e desconfiar que está grávida, procure uma unidade de saúde para uma avaliação.

Existem doenças com sintomas parecidos com gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, existem doenças com sintomas parecidos com gravidez, como câncer de ovário e mioma. Eles podem distender o abdômen, causar inchaço e aumentar a frequência urinária, podendo ser confundidos com uma gestação.

Porém, nenhuma dessas doenças provoca atraso menstrual, que é o principal sintoma de gravidez.

O câncer de ovário normalmente não causa sintomas específicos no início. Porém, conforme o tumor cresce, pode causar desconforto ou dor abdominal, náusea, indigestão, barriga inchada, prisão de ventre ou diarreia, vontade frequente de urinar e inchaço.

Em geral, os tumores malignos de ovário só manifestam sintomas em estágios mais avançados da doença.

Já o mioma normalmente não manifesta sintomas e também não provoca atraso menstrual. Contudo, quando presentes, o crescimento do mioma pode causar sintomas que podem ser confundidos com uma gravidez, tais como:

  • Crescimento da barriga: Decorrente do aumento de tamanho do próprio mioma;
  • Aumento da frequência urinária: O crescimento do mioma comprime a bexiga, diminuindo a sua capacidade de armazenar urina, assim como acontece na grávida;
  • Prisão de ventre: A compressão do útero sobre o intestino dificulta a passagem das fezes.

Leia também: Mioma atrasa a menstruação?

O principal e mais importante sintoma de gravidez é o atraso menstrual. Se a sua menstruação estiver atrasada há mais de uma semana, faça um teste de gravidez e consulte o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família se continuar com os sintomas.

Também podem lhe interessar:

Quantos dias de atraso são considerados como atraso menstrual?

Com quantos dias aparecem os primeiros sintomas de gravidez?

Corro risco de engravidar menstruada?

Chá de canela aborta?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Embora não exista um consenso de que o chá de canela provoque aborto, ele normalmente é contraindicado na gravidez.

Há estudos que indicam uma relação direta entre chá de canela e aborto, mas faltam ainda evidências científicas suficientes que comprovem o efeito do chá na gestação para levar ao aborto. Daí alguns defenderem que o chá aborta e, outros, que não aborta.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) não recomenda o uso de chá de canela durante a gravidez, assim como grande parte dos nutricionistas e obstetras.

Sabe-se que, em excesso, o chá de canela provoca reações alérgicas na pele e nas mucosas, além de hematúria (presença de glóbulos vermelhos do sangue na urina). Como a parede interna do útero é recoberta por uma mucosa, pode ser que o chá interfira, causando reações ou mesmo contrações, prejudicando a gestação.

De qualquer forma, o mais indicado é pedir orientação ao médico obstetra antes de tomar qualquer tipo de chá durante a gravidez.

É possível engravidar com inflamação no útero?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

É possível, embora seja mais difícil. A inflamação do útero, chamada de doença inflamatória pélvica (DIP), acontece devido às infecções causada por alguns tipos de micro-organismos, frequentemente adquiridos durante a relação sexual.

A infecção causa alteração nas secreções e nas paredes internas do útero, podendo favorecer na formação de aderências (quando as paredes do órgão se "grudam") o que é uma causa bastante comum de infertilidade.

A inflamação do útero pode impedir a implantação do embrião na parede do órgão. Caso a infecção chegue às trompas, podem surgir cicatrizes (aderências), que bloqueiam parcialmente ou totalmente as trompas, mesmo após o tratamento. Essas áreas de cicatriz podem bloquear a passagem do óvulo para o útero, dificultando a gravidez.

Essa obstrução inclusive pode fazer com que a fecundação ocorra na trompa, gerando uma gravidez ectópica (gestação fora do útero), uma situação grave que necessita de cirurgia de urgência na maioria dos casos.

Portanto, todas essas modificações podem deixar sequelas no útero interferindo diretamente na fertilidade, mesmo depois de um tratamento adequado.

Por isso, todos os casos de inflamação no útero devem ser devidamente tratados, pelo/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologista, a fim de se evitar riscos de fertilidade para a mulher ou riscos na saúde e desenvolvimento do bebê.

Leia também:

Qual o tratamento para a inflamação do útero?

Quais os sintomas de inflamação no útero?

Quais são as causas da inflamação no útero?

Urinar depois da relação pode previnir gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. Urinar depois da relação não previne gravidez.

A gravidez ocorre a partir do encontro do óvulo da mulher com o espermatozoide do homem. Durante uma relação sexual desprotegida, os espermatozoides são depositados no fundo da vagina e isso fará com que algum deles alcance o óvulo para ocorrer a fecundação.

A urina sai da bexiga da mulher. Ao urinar, a mulher apenas elimina a urina de sua bexiga e não as secreções vaginais. Por isso, urinar após a relação sexual não previne gravidez.

A gravidez é prevenida com o uso de preservativo ou outros métodos contraceptivos como pílula anticoncepcional, injeção, adesivo, anel vaginal, etc.

Caso você não queira uma gravidez indesejada, utilize algum desses métodos contraceptivos além do preservativo em todas as relações sexuais.