Perguntar
Fechar

Gravidez e Gestação

Dor de cabeça na nuca durante a gravidez, o que pode ser?

Dores de cabeça durante a gravidez são geralmente comuns. Decorrem principalmente de alterações hormonais (o aumento do estrógeno provoca vasodilatação, aumentando a probabilidade da ocorrência de cefaleias). Além disso, mudanças de hábitos como tomar menos café, mais estresse, alimentação irregular, desidratação, alterações metabólicas, etc. podem causar as cefaleias. Entretanto, é um sintoma muito inespecífico e pode ocorrer independente da gestação, isto é, sua causa deve ser investigada mais a fundo.

Geralmente, nestes casos, quando não há quaisquer outros sintomas de gravidade, o tratamento é sintomático (da dor), com analgésicos simples sempre receitados pelo médico, sendo a investigação feita em casos recorrentes ou sem melhora clínica com uso de remédios ou outras abordagens (veja abaixo). É fundamental saber qual a sua idade, antecedentes pessoais e características detalhadas da dor de cabeça (onde exatamente dói (aponte)? qual o tipo da dor - pontada, peso, pulsação, aperto, queimação? é de um lado da cabeça, cabeça toda ou só na nuca mesmo? é intensa? quão intensa (dê uma nota de zero a dez - zero é a dor mais fraca da vida e dez é a pior)? é a mais forte da vida? chega a despertar do sono, ter náuseas ou vomitar nas crises? irradia ("espalha") para algum lugar ou é restrita a essa região específica? há quanto tempo está com dor? ela é cíclica (vai e volta) ou contínua, durando dias? quando vem a dor dura quanto tempo? você já teve antes? é comum? tem algum horário do dia ou do mês em que acontece com mais frequência? piora com luz, som ou determinados alimentos? melhora com alguma coisa? está piorando, ao longo do tempo, ou apresentando novos sintomas concomitantes? e na família? é frequente? etc.), início dos sintomas, concomitância dos sintomas com febre ou outros sinais/sintomas de gravidade (dor abdominal, embaçamento da visão, edema em mãos e pés), etc.

Se houver apenas os sintomas citados na pergunta, simultaneamente, pode ser dor de cabeça "fisiológica" da gestação, decorrente das alterações hormonais e mudanças de hábitos supracitados, ou cefaléia tensionalmigrânea (enxaqueca), problemas de visão ou uso de óculos inadequados ao seu grau, mas também podem ser condições muito mais graves, como pré-eclâmpsiameningite, aneurismas / tumores cerebrais, se houver outros sinais e/ou sintomas concomitantes (como aumento da pressão arterial, febre e vômitos), enfim; é impossível dar o diagnóstico apenas com esses dados.

Para evitar as dores de cabeça ou tratá-las sem remédios, seguem algumas recomendações:

  • Estresse ou fadiga são fatores que podem desencadear crises, e devem ser evitados;
  • Tente fazer drenagem linfática para gestantes ou experimente fazer massagens com um profissional. Elas ajudam a diminuir o estresse e promovem a circulação sanguínea;
  • Tenha hábitos de alimentação saudáveis - evite alimentos gordurosos, como chocolates, queijos amarelos, alimentos cítricos e embutidos;
  • Procure fazer atividades físicas próprias para gestantes. Hidroginástica ou ioga podem ser boas idéias.
  • Coma mais vezes ao longo do dia e em quantidades menores;
  • Tente fazer outros exercícios de relaxamento ou mesmo acupuntura;
  • Evite ficar exposta a luz muito intensa, como ficar na praia, ao sol, especialmente sem usar proteção para a cabeça e olhos;
  • Cheiros fortes também podem causar dor de cabeça. Evite a exposição a fumaça de cigarro, perfumes fortes, cheiro de tinta, etc;
  • Evite locais com níveis muito altos de ruído;
  • Chá de camomila, na quantidade de 1 xícara por dia, não prejudica a gravidez e evita a dor por conter um pouco de cafeína;
  • Evite viajar para locais de grande altitude;
  • Tente manter um horário de sono regular. Dormir muito pouco ou em excesso não ajuda;
  • Certas dores aliviam bastante após repouso, ou se a pessoa conseguir pelo menos relaxar. Compressas de água morna ao redor dos olhos ou mesmo na nuca podem ajudar muito.

No caso de dor de cabeça na nuca durante a gravidez, um médico clínico ou preferencialmente seu ginecologista deverá ser consultado para avaliação (com anamnese completa, e exame físico detalhado) e exames complementares se julgar necessário. Com base nas informações obtidas, poderá fazer o diagnóstico e tratamento corretos, caso a caso.

É possível engravidar com inflamação no útero?

É possível, mas é mais difícil.

A inflamação do útero, chamada de doença inflamatória pélvica, acontece devido à infecção causada por alguns tipos de bactéria, frequentemente adquiridas por transmissão sexual.

Ela causa alteração nas secreções e nas paredes internas do útero, podendo inclusive favorecer ao aparecimento de aderências, que é quando essas paredes "grudam" uma na outra.

Isso tudo pode dificultar a engravidar durante a infecção. Além disso, essas modificações podem deixar sequelas no útero, e afetar a fertilidade mesmo depois do tratamento adequado.

Além disso, é importante lembrar que a infecção que acontece durante a gestação pode levar a sérios riscos para o bebê.

Leia também: Corrimento impede gravidez?

Por isso, essas pacientes precisam ser acompanhadas por um ginecologista, e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, a fim de se evitarem os riscos à fertilidade e ao bebê.

O que pode ser dor na virilha durante a gravidez?

Dor na virilha durante a gravidez é muito comum, pois, nesta época, as articulações ficam mais "soltas", o que é normal, especialmente no terceiro trimestre de gravidez, quando a barriga já está mais pesada. A dor na virilha por esta causa não traz prejuízo ao bebê.

A dor na virilha pode ser pior em algumas situações, como deitar de barriga para baixo, ao andar, ao abrir as pernas, no fim do dia e depois de algum tipo de esforço físico.

O tratamento para a dor na virilha consiste no uso de anti-inflamatórios e analgésicos, sob prescrição médica, e pode ser utilizada um tipo de lingerie especial que dá mais estabilidade à região pélvica. Podem ser benéficas também sessões de fisioterapia.

É importante lembrar que a gestante também pode ter dor na virilha por outras causas, como:

  • artrose ou bursite de quadril;
  • apendicite;
  • infecção urinária;
  • ínguas;
  • pedras nos rins;
  • inflamação dos intestinos.

Para determinar a causa da dor na virilha, deverá ser consultado um médico gineco-obstetra. No caso de associação com febre e alterações do hábito urinário e/ou intestinal, deverá ser procurado um pronto atendimento.

Chá de canela pode provocar aborto?

Os estudos divergem de opinião. Alguns sugerem que o chá de canela pode provocar aborto, enquanto outros dizem que não. Há mulheres que tomam o chá para fazer a menstruação descer, sem saber que estão grávidas, e não acontece nada. Porém, há relatos de casos de aborto associados ao consumo do chá de canela. 

Por isso, grande parte dos médicos e nutricionistas não recomendam tomar chá de canela durante a gravidez. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) também não recomenda que mulheres grávidas tomem chá de canela, devido à sua possível relação com abortos.

Uma possível explicação para o eventual efeito abortivo do chá de canela está no efeito que pode provocar na pele e nas mucosas. Se for consumido em excesso, o chá pode provocar reações alérgicas na pele e nas mucosas, além de hematúria (presença de sangue na urina).

Uma vez que a parte interna do útero, onde se fixa o embrião, é recoberta por uma mucosa, pode ser que o consumo do chá de canela possa interferir com a gravidez.

Desde que consumido fora da gestação, o chá de canela pode trazer benefícios para a circulação pela sua ação vasodilatadora e também é um estimulante do metabolismo, devido à sua ação termogênica.

Entretanto, como os estudos científicos divergem de opinião quanto à possibilidade do chá de canela causar aborto, recomenda-se suspender o seu uso durante a gestação. Para maiores informações, consulte um médico obstetra.

Leia também: Chá de arruda faz descer a menstruação? Pode provocar aborto?

Com quantas semanas dá para ver o bebê no ultrassom?

É possível ver o bebê no ultrassom a partir da 5ª semana de gestação, através do ultrassom transvaginal. Nessa fase, o "bebê" é ainda um saco gestacional que contém o embrião de apenas 5 ou 6 mm. Os seus órgãos começaram a se formar e já dá para ouvir os batimentos cardíacos.

Já para saber o sexo do bebê pelo ultrassom é preciso esperar, pelo menos, até à 13ª semana de gravidez. Mesmo assim, só com 15 semanas é que o/a médico/a pode saber com mais certeza o sexo da criança, dependendo da sua posição na hora do ultrassom.

O 1º ultrassom da gravidez é feito entre a 5ª e a 8ª semana de gestação. O exame serve para analisar o número de embriões, onde a gravidez está localizada (no útero ou fora dele, como nas trompas) e o tempo de gravidez.

Se o exame detectar mais de 1 embrião, significa que a gravidez é de gêmeos, trigêmeos e assim sucessivamente, conforme a quantidade de embriões. Nesses casos, já é possível, pelo ultrassom, saber se os bebês estão na mesma placenta ou não, o que irá determinar se serão ou não idênticos. 

Também é nesse ultrassom que se mede a idade do feto, pois é o período da gestação em que a margem de erro para se calcular a idade gestacional do bebê é menor, sendo de apenas 5 a 7 dias. 

A via pela qual é realizado o 1º ultrassom geralmente é a transvaginal, pois permite visualizar melhor o feto. Contudo, há casos em que pode ser necessário realizar também um ultrassom abdominal para uma melhor visualização, dependendo da posição do útero.

Veja também: Fazer a endovaginal ou o ultrassom?

Para maiores informações, consulte um médico obstetra.

Saiba mais em:

O que é ultrassom obstétrico e para que serve?

Para que serve o ultrassom com Doppler?

Ultrassom vaginal pode detectar qualquer doença no útero?

Pode estar grávida sem sintoma algum, só atraso menstrual?

Sim. É possível estar grávida sem sintoma algum, apenas atraso menstrual.

Os primeiros sintomas de gravidez começam a surgir a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação. Portanto, antes disso, a mulher não apresenta nenhum sintoma da gravidez.

Em geral, o primeiro sintoma da gravidez é a ausência de menstruação ou atraso menstrual detectado quando a menstruação não vem no período esperado.

Após este sintoma, outros podem ser percebidos no início da gestação como:

  • Náusea e vômitos;
  • Aumento da sensibilidade nas mamas;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Cansaço.

Esses sintomas de gravidez aparecem a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação, ou seja, aproximadamente entre 7 a 14 dias após o dia esperado de vir a menstruação.

Algumas mulheres podem não sentir sintoma algum mesmo após esse período.

Caso você apresente atraso menstrual, procure um serviço de saúde para uma avaliação ou detecção de gravidez.

Que medicamentos ou situações podem interferir no resultado do teste de gravidez?

O teste de gravidez de farmácia é um método é eficaz para detectar uma possível gestação quando realizado da maneira correta. Algumas situações podem interferir em seu resultado:

  • É necessário esperar pelo menos uma semana de atraso na menstruação antes de realizá-lo.
  • Se a mulher ficar com dúvida em relação ao resultado. poderá repetir o teste depois de uma semana. O nível de hCG aumenta de forma rápida nas primeiras semanas de gravidez, e por isso, se houver gravidez, uma semana depois o resultado será mais claro.
  • Alguns remédios que contêm o hormônio ßHCG podem interferir no resultado do teste.
  • Hepatite, cistos, tumores no ovário, infecções urinárias, sangue ou proteínas na urina, ovarianos também podem causar alterações no resultado dos testes.
  • Remédios como analgésicos, antibióticos ou mesmo anticoncepcionais não interferem com o resultado.

É essencial estar atenta ao tempo adequado para verificar o resultado. A urina não deve ser introduzida em um recipiente contaminado ou sujo. Muitos testes já disponibilizam um recipiente apropriado, caso contrário, a urina pode ser introduzida em um copo descartável. É muito importante ler com cuidado a bula do produto antes de começar o processo. Quando o risco aparece na janela de resultado, mesmo que seja bem clarinho, é indicação da existência de gravidez. Apesar disso, quando a utilizadora fica com dúvidas, o teste deve ser repetido.

Diante de dúvidas ou necessidade de maior certeza, é aconselhável consultar-se com seu ginecologista. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese e exames complementares, se você está grávida ou não, orientá-la e iniciar o pré-natal, se necessário.

Posso fazer luzes amamentando?

Sim, pode-se fazer luzes durante a amamentação desde que para fazê-las não se utilize tinturas que contenham chumbo. As tinturas que contém amônia também devem ser evitadas porque ainda não existem estudos sobre a segurança do seu uso durante a amamentação. Já a água oxigenada utilizada no clareamento dos cabelos não tem qualquer contra-indicação.

Alguns produtos podem ser passados da mãe para a criança pelo leite, durante a amamentação, como é o caso do chumbo, presente em algumas tinturas, que pode causar problemas no desenvolvimento da criança e em muitos dos seus órgãos.

O médico obstetra e o pediatra são os profissionais responsáveis pelas orientações no período da amamentação.