Perguntar
Fechar
Como saber que dia engravidei?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

É muito difícil calcular o dia em que engravidou, mas existem diferentes métodos para estimar essa data.

O mais simples é através da data da última menstruação. Outro método é pelo cálculo da idade gestacional, obtido através dos exames de ultrassonografia no pré-natal, pelo médico radiologista.

Como calcular:1. Através da data da última menstruação (DUM)

O método mais simples é calcular o período fértil do mês pela Data da Última Menstruação (DUM). O período fértil são os dias em que existe maior chance de engravidar.

A DUM é o primeiro dia da última menstruação. O dia mais fértil é o dia do meio do ciclo. Portanto, para ciclos de 28 dias, calculamos essa data somando 14 (metade do ciclo), ao dia da última menstruação. Para ciclos de 30 dias, somamos 15.

Sabendo o dia fértil, somamos mais 3 dias antes e 3 dias após, devido às variações que podem haver na ovulação e no tempo que os espermatozoides levam para alcançar os óvulos.

Exemplos:

  • Ciclo de 28 dias: Menstruou pela última vez no dia 06/07/19
    • 06 + 14 = 20 (20 é o dia mais fértil)
    • Período fértil: 17, 18, 19, 20, 21, 22 e 23 de Julho.
  • Ciclo de 15 dias: Menstruou pela última vez no dia 25/09/19
    • 25 + 15 = +5 termina o mês, 30/9, e mais 10 = 10/10 (10 é o dia fértil)

    • Período fértil: 7, 8, 9, 10, 11, 12 e 13 de Outubro.

Para ciclos irregulares existe um outro tipo de cálculo, que pode compreender melhor no seguinte artigo: Ciclo menstrual desregulado: Como calcular o período fértil?

2. Através da idade gestacional determinada pela US

A idade gestacional calculada pelos exames de ultrassonografia, especialmente no primeiro trimestre, é o cálculo de maior confiabilidade. Através do exame, o médico radiologista pode determinar as medidas de comprimento do bebê, com isso, a idade gestacional.

Com a idade gestacional definida, fica simples calcular o dia provável da gravidez.

Por exemplo, o exame descreve a idade gestacional como 10 semanas no dia 07/07/2019, basta contar 10 semanas para trás e encontramos a data provável da gravidez, nesse caso, dia 28/04/2019.

Existem diversas calculadoras ‘online’ que podem fazer essa estimativa, só precisa inserir o primeiro dia do seu último período menstrual e a duração média do seu ciclo para obter essa resposta.

Finalmente, para determinar o dia que engravidou com mais precisão e rigor científico, faça um teste mais específico, como uma ultrassonografia.

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Gosto amargo na boca durante a gravidez. O que pode ser?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Gosto amargo na boca durante a gravidez geralmente decorre de alterações hormonais que ocorrem neste período e pode ou não ocorrer, depende da mulher. Medicamente denominado como disgeusia (distorção ou diminuição do paladar) é um efeito colateral desagradável e irritante de uma gravidez normal, embora não ocorra em todas as gestações. Suas causas ainda não são determinadas com absoluta certeza, mas há muitas teorias que procuram explicar as razões pelas quais algumas mulheres experimentam um gosto desagradável, azedo, amargo, ácido ou metálico na boca durante a gravidez.

Na gestação normal, o corpo sofre uma série de alterações nos níveis hormonais que podem afetar os sentidos do olfato e paladar (acredita-se que o aumento da produção de estrógeno desempenhe um papel importante). Alguns estudos também mostram que as papilas gustativas na língua crescem mais durante a gestação, o que provocaria a alteração gustativa. O uso de vitaminas pré-natais, pílulas hormonais e antibióticos, entre outros medicamentos, durante a gravidez também pode causar como efeito colateral um gosto ruim ou metálico na boca.

Para minimizar este sintoma, recomenda-se escovar os dentes frequentemente com pasta de dente de hortelã, gargarejar com soluções diluídas de bicarbonato de sódio e água, preparados pela mistura de 1/4 colher de sopa de soda de cozimento com uma xícara de água (neutraliza o nível de pH no interior da boca), mastigar ou chupar balas ou gomas; frutas cítricas, sucos, limonadas (o citrino presente nesses alimentos neutraliza o sabor metálico e também aumenta a produção de saliva que podem tirar o gosto). Finalmente, beber bastante água, que não só irá mantê-la hidratada, mas também irá ajudar na eliminação das toxinas do corpo.  O gosto ruim na boca durante a gravidez não é um problema de saúde grave e não causará a você ou seu bebê qualquer dano. No entanto, pode incomodar, e os meios acima descritos minimizam este sintoma. De qualquer forma, é importante consultar o seu médico ginecologista para que ele esteja sempre informado de seus sintomas, possa diagnosticar a causa subjacente (se houver alguma, não fisiológica) e prescrever-lhe um tratamento.  

É normal sair um líquido transparente da vagina durante a gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, é normal sair um líquido transparente da vagina durante a gravidez. Trata-se de uma secreção vaginal normal e que aumenta à medida que a gravidez avança, sendo mais intensa no 2º e no 3º trimestre de gestação.

Mesmo antes de engravidar, as mulheres já possuem um corrimento vaginal fisiológico, ou seja, normal, que é estimulado pelo hormônio estrogênio. 

Porém, durante a gravidez, devido à maior produção hormonal e ao aumento do aporte sanguíneo para a região da vagina, o corrimento torna-se mais intenso.

É importante lembrar que para ser considerado "normal", a secreção vaginal deve ser constituída por um líquido transparente ou esbranquiçado semelhante à clara do ovo, não ter cheiro forte e não causar coceira ou ardência.

Se o corrimento for branco, amarelo ou esverdeado, com cheiro tipo peixe podre ou azedo, pode ser sinal de alguma infecção ou inflamação vaginal.

Neste caso, é preciso consultar o/a médico/a que está realizando seu pré-natal para que o problema seja tratado e não traga riscos para você e para o feto.

Como saber se a pílula do dia seguinte funcionou?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A única forma de saber se a pílula do dia seguinte funcionou é fazendo um teste de gravidez, de preferência após uma semana de atraso da menstruação, no caso dos testes de farmácia. 

A eficácia da pílula do dia seguinte é cerca de 98%, mas deve ser tomada até 72 horas após a relação sexual, de preferência nas primeiras 24 horas.

A pílula do dia seguinte evita a ovulação da mulher e impe que o espermatozoide se una ao óvulo. Se esta união já ocorreu, mas o ovo ainda não se fixou no útero, a pílula também atua.

Contudo, se já houve fixação do ovo no útero, a pílula já não pode fazer efeito e a gravidez está estabelecida.

Porque meu teste beta-hcg é negativo mesmo grávida?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O exame de gravidez pode vir negativo mesmo a mulher estando grávida, quando isso ocorre trata-se de um resultado falso-negativo.

Diferentes razões podem levar a um falso-negativo, como a realização do teste numa fase muito precoce de gravidez, ciclos menstruais irregulares, uso de medicamentos, urina diluída, erro de leitura, teste de gravidez com a validade vencida ou gravidez ectópica.

Teste de gravidez feito muito precocemente

Os testes de gravidez de urina, ou teste de farmácia, são os mais suscetíveis a apresentarem resultados falsamente negativos, principalmente quando são realizados muito antes do preconizado, quando os níveis de hormônio beta-hcg estão ainda baixos e não conseguem ser detectados pelo exame.

Por isso, geralmente é recomendado que a mulher aguarde o atraso menstrual para realizar o teste e o repita em uma semana, de modo a ter um resultado mais preciso.

A maioria dos testes atuais são sensíveis o suficiente para diagnosticar uma gravidez a partir do primeiro dia de atraso menstrual, ou mesmo alguns dias antes, no entanto, essa sensibilidade pode variar de teste para teste.

Portanto, é importante, sempre conferir o quanto o teste é sensível na embalagem ou bula do próprio teste de gravidez.

Ciclos menstruais irregulares

Mulheres que apresentam ciclos menstruais irregulares podem não conseguir identificar adequadamente o atraso menstrual e realizar o teste também prematuramente, o que pode levar a não detecção dos níveis de beta-HCG.

Nessa situação, a recomendação também é a repetição do teste em pelo menos 1 semana.

Urina diluída

Algumas situações podem fazer com que a urina fique diluída e apresente uma menor concentração do hormônio beta-HCG, dificultando a avaliação desse hormônio.

O uso de medicamentos da classe dos diuréticos podem tornar a urina diluída a ponto de dificultar a detecção do hormônio beta-HCG num momento precoce da gravidez.

Se a mulher beber muito líquidos pode ocorrer também grande diluição da urina dificultando a concentração do beta-HCG e a sua detecção pelo teste.

Por isso está recomendado que o teste seja feito de preferência durante a manhã com a primeira urina do dia.

Erro de leitura

Ver o resultado do teste muito cedo ou muito rapidamente também pode fazer com que se entenda que o teste é negativo enquanto, na verdade, não foi esperado o tempo de funcionamento do teste. Por isso, deve-se proceder às recomendações de leitura do fabricante do teste utilizado.

Teste com a validade vencida

Testes utilizados fora do prazo ou armazenados em condições inapropriadas podem perder a sua capacidade de avaliação e sensibilidade. Confira sempre a validade do teste e repita com outro kit se necessário.

Gravidez ectópica

Uma gravidez ectópica apresentar menores índices de hormônio beta-HCG, podendo levar a um teste falso-negativo. A gravidez ectópica ocorre quando o embrião se implanta fora do útero, é diagnosticada através da realização de uma ultrassonografia.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o resultado de um teste de gravidez negativo, repita-o em sete dias. É valido lembrar que o atraso menstrual pode ser causado por outras condições, portanto, caso o atraso da menstruação persista na ausência de gravidez. consulte um médico de família ou ginecologista para uma avaliação.

O sangramento de escape dura quantos dias?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O sangramento de escape geralmente dura menos dias que o período menstrual habitual da mulher, que varia de 2 a 7 dias.

Ele pode ocorrer em mulheres que usam anticoncepcional ou no início da gravidez (primeiros 3 meses).

Normalmente, o sangramento de escape tem uma coloração diferente do sangue vivo da menstruação.

A frequência do escape é maior nos primeiros meses de uso do anticoncepcional. Fazendo o uso correto, o escape não está associado com a eficácia do anticoncepcional.

Para as mulheres que fumam é recomendado parar de fumar.

Em alguns casos, há necessidade do uso de outras medicações para cessar o sangramento. Por isso, procure seu ginecologista para orientar a melhor escolha.

Grávida pode tomar dipirona?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Grávida pode tomar dipirona entre o e o 6º mês de gravidez, sendo contraindicada no primeiro e último trimestre.

Os riscos e benefícios do uso da dipirona depende da dose, da idade gestacional e da duração do tratamento.

O uso da dipirona no primeiro trimestre de gestação pode causar malformação fetal. A partir da 30ª semana de gravidez (final do 7º mês), a dipirona pode provocar o fechamento prematuro do ducto arterial, além de prejudicar a coagulação do sangue na mãe e no feto.

Sabe-se que a dipirona atravessa a barreira placentária. Entretanto, faltam evidências suficientes de que o uso de dipirona seja seguro durante a gravidez. Por isso, o medicamento deve ser evitado no primeiro trimestre de gestação, uma fase muito importante no desenvolvimento embrionário.

Mesmo depois dos primeiros 3 meses de gravidez, o uso de dipirona no segundo trimestre de gestação só deve ser feito após uma avaliação médica cuidadosa dos riscos e benefícios em tomar a medicação.

No último trimestre de gravidez, a dipirona pode causar um fechamento precoce do ducto arterial e causar complicações no momento ou depois do parto devido a alterações na coagulação do sangue da mãe e do recém-nascido.

A dipirona é considerada um medicamento com categoria de risco na gravidez D. Isso significa que a dipirona pode causar danos ao feto, mas os benefícios do uso do medicamento para a grávida podem superar os possíveis riscos ao bebê. Alguns exemplos dessas situações são os casos de doenças graves ou que trazem risco de morte e para as quais não existem outros medicamentos seguros.

Além disso, a dipirona pode causar uma diminuição do número de glóbulos brancos (células de defesa) no sangue, o que aumenta a predisposição da gestante desenvolver infecções.

Durante a amamentação, a mulher não deve dar de mamar ao bebê nas 48 horas seguintes à toma de dipirona, já que os metabólitos da dipirona são eliminados no leite materno.

Antes de tomar qualquer medicamento durante a gravidez, a mulher deve consultar o médico de família ou ginecologista que irá indicar o momento exato para tomar a dipirona.

Posso pintar o cabelo amamentando?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Sim, pode pintar o cabelo enquanto estiver amamentando, desde que não utilize tintas que contenham chumbo.

As tintas que contém amônia também devem ser evitadas porque não existem estudos que comprovem a segurança do seu uso.

Alguns produtos utilizados pela mãe podem passar para a criança através do leite materno como é o caso do chumbo presente em algumas tinturas de cabelo que pode causar problemas no desenvolvimento da criança e em muitos dos seu órgãos.

O pediatra e/ou o obstetra são profissionais que podem dar orientações durante a amamentação.