Perguntar
Fechar

Saúde da Criança

O que pode causar cólicas no bebê?

As cólicas no bebê podem ser causadas por qualquer alimento que estimule a produção de gases intestinais. Alguns alimentos, se consumidos em excesso, podem causar cólicas no bebê e por isso a mulher deve evitar consumi-los em grandes quantidades durante a amamentação. Alguns deles:

  • Café;
  • Leite;
  • Chocolate;
  • Pimenta ou comidas apimentadas;
  • Brócolis;
  • Feijão;
  • Repolho.

Vale lembrar que não é o alimento em si que vai provocar cólicas no bebê, mas sim o exagero deles na alimentação da mãe. 

Para evitar as cólicas, recomenda-se também que a mulher durma bem e beba bastante líquido, porque aumenta a produção de leite materno. As cólicas também podem ser causadas por algum tipo de alergia ou intolerância ao leite artificial. 

O pediatra é o médico indicado para diagnosticar as causas das cólicas e prescrever alterações na alimentação do bebê.

Também pode lhe interessar: Que remédio posso usar para acabar com a cólica do bebê?

Autismo tem cura?

O autismo é um transtorno global do desenvolvimento e é considerado uma doença crônica, ou seja, sem cura até o momento.

De maneira geral, o tratamento tem 4 objetivos:

  • Estimular o desenvolvimento social e a comunicação;
  • Melhorar o aprendizado e a capacidade de solucionar problemas;
  • Diminuir comportamentos que interferem com o aprendizado;
  • Ajudar as famílias a lidarem com o autismo.

O autismo é um transtorno que nunca desaparece completamente, porém, com os cuidados adequado, o indivíduo se torna cada vez mais adaptado à sociedade.

O tratamento envolve diversos profissionais: pediatria, psiquiatria, psicólogo, fonoaudiólogo, pedagogo e terapeuta ocupacional, e é fundamental o papel dos familiares.

Em 2010, falou-se pela primeira vez em cura do autismo, a partir de uma pesquisa científica feita na Universidade da Califórnia, em que se conseguiu "curar" um neurônio "autista" em laboratório. Contudo, apesar de trazer esperança às famílias de pacientes autistas, ainda não há aplicabilidade clínica até o momento e muitas pesquisas ainda devem ser feitas para poder se falar na cura do autismo.

Tenho uma filha de 5 anos e percebi um carocinho no pescoço

O que você diz "carocinhos" são na verdade linfonodos, pequenos órgãos de defesa espalhados em todo o corpo eles aumentam de tamanho quando necessitam "trabalhar" para a defesa da região próxima de onde estão localizados. Então geralmente aumentam em casos de infecção e inflamação e em casos mais raros câncer (provavelmente essa é sua preocupação). Como sua filha já tem eles há muito tempo e eles não aumentaram de tamanho, então fique tranquila.​

O que fazer se o bebê engasgar?

Se o bebê engasgar, seja com leite, água, vômito, refluxo ou algum objeto pequeno, a primeira coisa a fazer é observar se ele está respirando ou não. Se ele estiver respirando mas continuar engasgado ou se estiver roxo, deve-se chamar uma ambulância (SAMU) e seguir os seguintes passos para ajudá-lo a desengasgar enquanto aguarda pelo socorro:

  1. Sentar e colocar o bebê de barriga para baixo apoiado no antebraço, com a cabeça ligeiramente mais baixa que o corpo e apoiada na mão. O antebraço de quem está socorrendo deve estar apoiado na coxa;
  2. Com a outra mão, bater 5 vezes nas costas da criança, entre as omoplatas. As pancadas devem ser firmes mas não muito fortes;
  3. Virar o bebê de barriga para cima e observar se ele já está respirando. Se continuar engasgado, o procedimento deve ser repetido por mais 3 vezes.

Se mesmo assim o bebê continuar engasgado sem respirar ou entrar em paragem respiratória, deve-se avançar direto para a massagem cardíaca e não fazer respiração boca a boca:

  1. Usando os dedos indicador e o dedo do meio, pressionar o osso esterno (entre os mamilos) do bebê por 5 vezes;
  2. O bebê deve estar apoiado numa superfície rígida e plana ou mesmo sobre o antebraço. Não deve estar sobre um colchão ou sofá.

​​É importante também não colocar o dedo na boca do bebê, nem levantá-lo para o alto chacoalhando ou soprar o seu rosto. 

Mesmo que o bebê desengasgue e se recupere, ele deve ser visto por um médico no mesmo dia.

Para que serve o exame de FSH?

O exame de FSH serve para investigar a causa da infertilidade masculina e feminina, auxiliar o diagnóstico da puberdade precoce ou tardia, distúrbios hipofisários e doenças que envolvem os testículos e os ovários, além de ser usado na investigação de irregularidade menstrual.

Os principais objetivos do exame de FSH são:

  • Mulheres:

    • Investigar problemas de infertilidade;
    • Investigar ciclos menstruais irregulares;
    • Diagnosticar transtornos da hipófise ou doenças dos ovários.
  • Homens:
    • Avaliar uma contagem baixa de espermatozoides;
    • Avaliar se existe hipogonadismo ou insuficiência gonadal;
    • Avaliar disfunção testicular.
  • Crianças: Determinar a ocorrência de puberdade precoce ou tardia.

O médico endocrinologista, ginecologista (mulheres) ou urologista (homens) poderá dar maiores informações quanto às indicações do exame de FSH.

Veja também os artigos O que é FSH e qual a sua função?, Quais os valores normais de FSH?, FSH alto ou baixo, o que pode ser?

Quais as causas da icterícia neonatal e como é o tratamento?

A icterícia neonatal é causada pelo excesso de bilirrubina no corpo do recém-nascido. A bilirrubina é uma substância amarela proveniente do metabolismo da hemoglobina. Por isso, a pele e os olhos do bebê com icterícia ficam amarelados.

Essa concentração alta de bilirrubina no recém-nascido ocorre devido ao número elevado de glóbulos vermelhos presentes no sangue do bebê e também à imaturidade do seu fígado, que ainda não consegue metabolizar quantidades tão grandes de bilirrubina.

A bilirrubina é processada pelo fígado para depois ser eliminada. Contudo, como o fígado do recém-nascido ainda é muito imaturo, há um atraso na eliminação da bilirrubina, que se acumula no corpo, causando a icterícia neonatal.

Recém-nascido com icterícia neonatalQuais são os sintomas da icterícia neonatal?

A icterícia neonatal costuma surgir entre o 2º e o 4º dia após o nascimento e tende a desaparecer progressivamente a partir do 10º dia de vida. 

No início, a pele fica amarelada na face. A coloração amarelada se espalha depois para o tronco, abdômen, braços e pernas.

Os sinais da icterícia são mais intensos entre o 2º e o 3º dia depois do nascimento, o que permite que o tratamento seja feito já na maternidade. Após os primeiros 15 dias de vida, a icterícia neonatal tende a desaparecer.

É importante salientar que a icterícia neonatal não é considerada uma doença, mas uma adaptação do metabolismo do recém-nascido. 

Em geral, a icterícia neonatal não oferece riscos ao bebê. Contudo, há casos em que a icterícia neonatal tem como causas doenças e incompatibilidades sanguíneas entre a mãe e a criança.

Nesses casos, a quantidade de bilirrubina no corpo do recém-nascido pode estar muito alta e a icterícia pode estar presente no 1º dia de vida. Em situações muito raras, a quantidade de bilirrubina acumulada é tão alta que pode causar danos no sistema nervoso do bebê.

Qual é o tratamento para icterícia neonatal?

O tratamento da icterícia neonatal consiste na aplicação de luzes fluorescentes azuis na pele do recém-nascido. A fototerapia, como é conhecido o tratamento, favorece o metabolismo e a excreção da bilirrubina, auxiliando o organismo ainda frágil do bebê.

As mamadas devem ser frequentes e sem restrições. São indicadas cerca de 10 mamadas por dia (24 horas). Essa recomendação durante o tratamento da icterícia neonatal serve sobretudo para aumentar o aporte calórico e o volume ingerido, o que favorece a eliminação da bilirrubina pelas fezes e pela urina.

Quando a icterícia tem origem em alguma doença ou incompatibilidade sanguínea, a fototerapia deve ser mais intensa e as sessões mais longas. Em alguns casos, o recém-nascido pode precisar receber transfusão de sangue.

Contudo, em grande parte dos bebês, o excesso de bilirrubina acaba por ser eliminado aos poucos e a icterícia fica resolvida.

O tratamento da icterícia neonatal é da responsabilidade do médico pediatra.

Tenho 16 anos e 1,61m o que preciso fazer para crescer mais?

Precisa ir ao médico (endocrinologista ou neuroendocrinologista ou pediatra ou qualquer médico) que possa começar uma investigação para apurar as causa de sua baixa estatura e a partir do diagnóstico planejar um tratamento.

Fumar durante a gravidez faz mal para o bebê?

Fumar durante a gravidez acarreta profundos malefícios para o/a bebê.

O fumo durante a gravidez é associado com maiores riscos de:

  • Parto prematuro;
  • Ruptura da bolsa;
  • Placenta prévia;
  • Restrição de crescimento intra-útero;
  • Baixo peso ao nascimento;
  • Morte neonatal.

Essas consequências são advindas da restrição de oxigênio que o feto fica exposto. Com isso, o feto apresentará um aumento da frequência cardíaca e uma redução dos movimentos.

Toda mulher gestante não deve fumar e deve evitar ficar perto de quem fuma ou em ambiente com muita fumaça (fumante passiva). Mesmo o fumo passivo é nocivo ao feto e pode provocar as consequências detalhadas acima.

Leia também:

Estresse durante a gravidez faz mal para o bebê?

7 Coisas que uma Grávida Não Deve Fazer

Fumar narguilé faz mal?