Pergunte ao Médico
Como Funciona

Diabetes

Urina doce é sinal de diabetes?

Urina doce pode ser um sinal de diabetes, porque quando a urina está doce significa que existe açúcar presente nela (glicosúria), o que acontece quando a quantidade de açúcar no sangue está aumentada (hiperglicemia) e esse excesso está passando para urina, sinais característicos do diabetes mellitus, mas para se ter certeza é necessário a realização de exames de sangue. Com esses resultados e o exame clínico do paciente, o médico poderá confirmar se é diabetes ou não.

Sinais e sintomas do diabetes:

  • fome aumentada (polifagia),
  • sede aumentada, com aumento da ingestão de líquidos (polidipsia),
  • urinar muito (poliúria),
  • perda de peso,
  • açúcar alto no sangue,
  • perda de açúcar pela urina.

Leia também: Diabetes tem cura?

O endocrinologista é o médico especialista no diagnóstico e tratamento do diabetes.

O que é Glicose?

O que é Glicose? A glicose é uma molécula química pertencente ao grupo dos carboidratos, é um carboidrato simples. A glicose é a unidade básica utilizada como combustível por um complexo sistema enzimático celular que degrada essa molécula para obtenção de energia para todas as funções do corpo humano. A glicose também participa como precursora de outras substâncias importantes.

Além da glicose existem outros carboidratos simples como a frutose e a galactose, todas possuem pequenas diferenças nas suas moléculas, porém, para fins de esclarecimentos da diabetes, essas pequenas diferenças não têm muita importância e vamos partir do princípio de que são todas iguais, irei citar apenas a glicose, sem entrar em detalhes muito específicos da bioquímica, já que este não é nosso interesse atual. Mais adiante quando discutiremos a questão de dietas para diabéticos essas pequenas diferenças terão alguma importância.

A glicose é produzida pelas plantas através de um processo chamado fotossíntese, onde moléculas de glicose são formadas através da união de moléculas de água e gás carbônico com o auxílio da energia solar e liberação de oxigênio. A glicose nas plantas serve como energia, reserva de nutrientes (sacarose e amido, entre outros carboidratos que são acumulados nas frutas, sementes, caules, folhas e raízes; cada planta tem sua forma particular de fazer sua reserva) e para a própria formação e crescimento da planta (todas as suas partes são feitas a partir da união das moléculas de glicose formando a celulose que dá estruturas as plantas).

Nós seres humanos direta ou indiretamente alimentamo-nos das reservas criadas pelas plantas e utilizamos a glicose como meio de obter energia. Todos os carboidratos (ou também chamados de açúcares) simples ou complexos, as gorduras e até as proteínas, todos eles são transformados em nosso organismo na sua forma mais simples possível, que pareça o máximo com a molécula da glicose de maneira que as células possam aproveitar todas essas substâncias no processo de respiração celular para obtenção de energia necessária para todas as funções responsáveis pela manutenção da vida. Cada grama de glicose fornece quatro calorias.

Quais os Sintomas para Suspeitar de Diabetes?

Dentro da medicina a diabete é a doença endócrina mais comum e um fator que vem preocupando muito os médicos é que o número de casos é cada vez maior, principalmente do diabete tipo 2 (não insulino-dependente) que está muito associado com a ocorrência da obesidade que vem crescendo muito, a ponto de torna-se um problema de saúde pública. Existem, também, o diabete tipo 1 (insulino-dependente) e o gestacional. Abaixo dou destaque as principais alterações no corpo humano que devem ser valorizadas numa suspeita de diabetes.

Os principais sinais e sintomas que devem levar à suspeita de diabetes são:

  • Aumento da sede;
  • Aumento da urina;

Estes dois sintomas isoladamente chamam muito a atenção para a diabetes e são altamente suspeitos. A pessoa começa a ter uma sede frequente, bebe várias vezes e a sede parece nunca terminar, em contra partida começa a urinar muito e urinar muitas vezes seguidas, geralmente a urina é bem clara, como se fosse apenas água.

  • Aumento da fome;
  • Perda de peso;

Leia também: Como reduzir o nível de açúcar no sangue?

Esses dois sintomas, também nos levam a pensar muito em diabetes e se forem associados aos dois primeiros a suspeita é muito grande. A pessoa começa a ter uma fome insaciável, come repetidamente e a fome não passa e mesmo comendo mais que o normal apresenta uma perda de peso ou emagrecimento contínuos. Os sintomas seguintes são gerais e inespecíficos, porém são muito comuns na diabete e devem ser devidamente valorizados:

  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Sonolência;
  • Desânimo;
  • Tontura.

Leia também: Diabetes tem cura?

Resultado 132 de glicemia já pode-se considerar diabetes?

Um único exame com esse valor não indica diabetes, mas é um sinal de alerta para essa doença, isso é importante e deve ser levado a sério.

Exame de dosagem de insulina alterado o que significa?

Este exame não serve para diagnóstico de diabetes. O resultado significa que está aumentado (mais insulina que o esperado) pode significar uma resistência periférica à insulina (é um estado que pode anteceder o diabetes).

Diabetes interfere no ciclo menstrual?

Sim.

O diabetes, principalmente o do tipo 2, está quase sempre relacionado à obesidade e à resistência a insulina, ou seja, a alterações no efeito da insulina sobre as células do corpo.

Esses dois fatores podem levar a irregularidades menstruais e, consequentemente, a algum grau de infertilidade.

Porém, o contrário também é verdade: o ciclo menstrual pode interferir no controle do diabetes. Isso porque, ao longo do ciclo, os níveis de hormônios como estrógeno e progesterona variam. E eles também interferem no funcionamento da insulina.

Sendo assim, pode ocorrer flutuações nos níveis de glicemia, o que pode favorecer ou prejudicar o controle do diabetes ao longo do mês.

Consulte seu endocrinologista e seu ginecologista para saber mais detalhes.

Tenho sentido um tremor e formigação nas pernas e pés...

Seu peso está dentro do esperado, os seus outros sintomas são compatíveis com ansiedade ou problemas de circulação, mas como sua urina está doce o ideal é em primeiro lugar ir a um médico contar isso a ele e fazer exames para ver se não tem diabetes. E depois de ver o resultado dos exame ver o que fazer.

Estou com 114 de glicemia, já é diabete?

Não. Valores de glicemia de jejum entre 100 e 125 (este valor ainda é discutível), mas é o que eu costumo usar na minha prática do consultório, são valores considerados com um estágio "pré-diabetes", porém precisa ser tratado.

Levedo de cerveja é bom para o Diabetes?

O levedo de cerveja não é indicado para o tratamento do diabetes. Extraído da cevada, o levedo de cerveja é usado como suplemento alimentar, é rico em vitaminas do complexo B, mas não tem efeitos diretos no tratamento do diabetes.

Para um bom controle do diabetes deve-se:

  • manter o peso saudável e adequado para a altura: Índice de Massa Corpórea (IMC) entre 20 e 25 Kg/m². Para o cálculo do IMC: peso (Kg) dividido pela altura x altura (metros). Exemplo: Peso: 65 Kg; Altura: 1,70 m;  65 Kg : 1,70 m x 1,70 m = 65 Kg : 2,89 = 22,49 Kg/m²,
  • praticar exercícios físicos regularmente, 5 dias por semana,
  • alimentar-se com uma dieta equilibrada (consultar o endocrinologista ou a nutricionista),
  • não deixar de tomar as medicações prescritas (medicamentos orais e/ou insulinas),
  • manter controladas as taxas de açúcar no sangue (glicemia em jejum entre 70 mg/dl e 110 mg/dl e abaixo de 140 mg/dl 2 horas após a refeição),
  • não fumar,
  • visitar regularmente o médico.

Leia também: Como reduzir o nível de açúcar no sangue?

O tratamento adequado do diabetes evita as complicações futuras da doença. Deve ser realizado pelo clínico geral ou por um endocrinologista e, sempre que possível, contando com a orientação de outros profissionais como a nutricionista, o psicólogo e o preparador físico.

O que acontece se uma pessoa que não tem diabetes toma insulina?

Se uma pessoa que não tem diabetes tomar insulina, o seu nível de glicose (açúcar) no sangue pode ficar baixo e ela pode apresentar desde tontura e dor de cabeça até convulsão e coma, nos casos mais graves. Essa diminuição da glicose sanguínea chama-se hipoglicemia.

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e que tem como função transportar a glicose para dentro das células para ela ser transformada em energia.

Esse açúcar, a glicose, é a principal fonte de energia utilizada pelo corpo e é essencial para manter o funcionamento do cérebro.

Os diabéticos produzem pouca ou nenhuma insulina e há casos em que produzem o hormônio, mas o organismo não é capaz de utilizá-lo.

Se um indivíduo com diabetes não tomar insulina, ou outra medicação específica, o seu nível de açúcar no sangue fica elevado (hiperglicemia), pois sem insulina a glicose não consegue entrar nas células e o seu corpo precisa queimar músculos e gordura para obter combustível.

No entanto, se alguém que não tem diabetes toma insulina, o excesso deste hormônio irá rapidamente diminuir a quantidade de glicose circulante no sangue, podendo então provocar um quadro de hipoglicemia.

Os sintomas de hipoglicemia são causados pela falta de açúcar no cérebro e pelo aumento da liberação de adrenalina, que é uma tentativa do corpo em fazer subir o nível de glicose.

Dentre os sintomas relacionados com a falta de glicose no cérebro estão:

  • Visão turva;
  • Tonturas;
  • Fraqueza;
  • Dor de cabeça;
  • Raciocínio lento;
  • Formigamentos;
  • Fome;
  • Dificuldade de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Alterações de comportamento;
  • Convulsão e coma, nos casos mais graves.     

Já os sintomas mais frequentes causados pelo aumento de adrenalina são;

  • Transpiração;
  • Tremores; Palpitações.

Veja também: O que é a hipoglicemia?

Para combater a hipoglicemia, a pessoa pode tomar um copo de suco de fruta ou refrigerante não diet, colocar um pouco de açúcar embaixo da língua ou chupar balas até melhorar os sintomas.

Em caso de desmaio, ela deve ser colocada de lado e uma ambulância deve ser chamada com urgência, através do número 192.

Diabetes podem alterar o resultado dos exames TGO e TGP?

Sim, Diabetes pode alterar o resultado dos exames TGO e TGP.

A diabetes tipo 2 pode causar um tipo de inflamação no fígado chamada esteatose hepática. Isso pode causar uma elevação no valor das enzimas hepáticas e alterar o resultado do exame de TGP e TGO.

O exame de TGP é um exame laboratorial que avalia a presença de alguma inflamação no fígado. Em algumas hepatites, no entanto, o resultado do exame pode estar normal e haver inflamação no fígado na mesma.

As doenças hepáticas e condições que aumentam os níveis de TGP são:

  • Alcoolismo;
  • Hepatites virais; Hepatites não-alcoólicas;
  • Cirrose;
  • Colestase;
  • Hemocromatose.

O exame de TGO também serve para detectar inflamação no fígado. Pode estar normal em algumas hepatites, e, ainda assim, existir inflamação no fígado.

Algumas doenças que provocam alteração nos níveis de TGO:

  • Hepatite alcoólica: Os níveis de TGO se elevam e chegam a ser duas vezes maiores que os de TGP;
  • Casos especiais de anemia, como quando os glóbulos vermelhos do sangue são destruídos;
  • Doenças cardíacas, como o infarto agudo do miocárdio (ataque cardíaco).

TGP e TGO são indicadores sensíveis de danos no fígado em diversos tipos de doenças.

No entanto, é importante lembrar que níveis mais altos que o normal dessas enzimas não indicam, necessariamente, que você tenha uma doença hepática já estabelecida.

Isso pode indicar algum problema ou não. A interpretação do resultado dos exames de TGO e TGP depende do quadro clínico geral do/a paciente e da correlação com outros exames e deve ser feita pelo/a médico/a que está acompanhando o/a paciente.

Minha glicose deu 95 e dois meses depois deu 106?

Não precisa repetir o exame ele está alterado e pronto, precisa ir ao médico fazer outros tipos de exame para que o médico possa situar a situação do seu "início de diabetes" e começar a tratar, provavelmente no seu caso uma dieta e prática regular de exercícios deve ser suficiente.