Perguntar
Fechar

Injeção

Injeção trimestral engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

É possível, esse é um efeito colateral frequentemente relatado, no entanto, nem toda mulher que faz uso da injeção anticoncepcional trimestral irá engordar, o efeito sobre o ganho de peso é variável e depende de mulher para mulher. Geralmente, a injeção provoca um aumento de 1 a 2 kg de peso com o seu uso, mais do que isso não é esperado.

Caso o uso da injeção seja associado a uma dieta equilibrada, atividade física e estilo de vida saudável a influência sobre o peso pode ser minimizada.

A injeção trimestral é composta pelo acetato de medroxiprogesterona, uma progesterona de depósito que tem efeito durante três meses. Apresenta uma alta eficácia contraceptiva se usado corretamente, ou seja, a injeção deve ser aplicada a cada 90 dias sem atrasos maiores que 2 semanas.

A injeção trimestral interfere na menstruação?

Sim, é possível que ocorram algumas modificações no padrão menstrual das mulheres que fazem uso da medroxiprogesterona.

Nos primeiros 3 meses é possível que ocorra uma irregularidade do sangramento menstrual ou mesmo prolongamento do período de sangramento. Com o decorrer do tempo é comum que o sangramento menstrual diminua, muitas mulheres chegam inclusive a entrar em amenorreia, ou seja, param de menstruar. Outras mulheres podem apresentar apenas uma redução do fluxo menstrual ou manter uma certa irregularidade no ciclo menstrual.

Quais são os efeitos colaterais da injeção trimestral?

Além do ganho de peso e das alterações no padrão e no ciclo menstrual, outros efeitos colaterais associados ao uso da medroxiprogesterona, são:

  • Dores de cabeça
  • Tontura
  • Desconforto gástrico
  • Inchaço
  • Alterações no humor
  • Diminuição do desejo sexual

Muitos desses efeitos podem diminuir com o decorrer do uso do injetável trimestral, caso se mantenham, aumentem de intensidade ou sejam incômodos consulte o seu médico de família ou ginecologista para uma avaliação.

Também pode ser do seu interesse:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Não tomei a injeção que era para tomar no dia 03 e agora?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode tomar a injeção já ou esperar sua menstruação, porém independente do que escolher, terá que usar camisinha ou não ter relações nos primeiros 30 dias, sob risco de gravidez devido a falha na continuidade do anticoncepcional.

Uso Mesigyna e tomei Primosiston, corta o efeito da injeção?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, o Primosiston provalmente não corta o efeito do anticoncepcional, seja oral ou injetável, no entanto, não está indicado tomar os dois ao mesmo tempo, isto porque ambos são compostos por associações hormonais muito semelhantes, que podem levar a alterações hormonais e menstruais

A Mesigyna é um anticoncepcional injetável composto por noretisterona e valerato de estradiol, já o Primosiston é composto também pela noretisterona e pelo etinilestradiol. Não há estudos sobre essa associação, portanto não é possível afirmar com certeza o quanto há segurança na proteção contra a gravidez ou outros efeitos.

O Primosiston é um medicamento usado no tratamento de sangramento disfuncional, contudo o seu uso deve ser prescrito por um médico após uma avaliação da provável causa do sangramento. Existem diferentes motivos que podem levar uma mulher a apresentar sangramentos e muitos podem exigir outra forma de tratamento.

Além disso, o próprio uso do anticoncepcional já tende a regular esse tipo de sangramento se mesmo com o seu uso essa irregularidade persiste ainda é mais importante a avaliação médica.

Portanto, consulte o seu médico ginecologista ou médico de família para uma avaliação e maiores esclarecimentos.

Podem também lhe interessar:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Anticoncepcional injetável tem efeitos colaterais?

Tomei injeção há 7 meses e não menstruei mais?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O que você pode e deve fazer é procurar um ginecologista e pode sim tomar algum remédio, o nome do remédio vai estar escrito na receita médica que o médico ginecologista vai dar para você tratar seu problema.

Tomo a injeção Contracep certinho, há risco de engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O uso correto do anticoncepcional Contracep®, e demais anticoncepcionais, confere à mulher uma segurança de mais de 99% contra a gravidez, ou seja, se faz o uso regular conforme as orientações médicas, a partir do segundo mês de uso, seu risco de engravidar é menor que 1%.

Além da gravidez, existem inúmeras causas para o atraso da menstruação, uma delas, bastante frequente, é o uso de anticoncepcionais. Um efeito colateral normal dessa medicação é exatamente a alteração das características da menstruação, como o atraso, a redução de volume do sangramento e ou mudanças na coloração.

Essas alterações são decorrentes dos mecanismos de ação do remédio no organismo. Trata-se de um efeito esperado que não sinaliza qualquer problema.

No entanto existem outras causas que merecem investigação, como síndrome do ovário policístico, uso de certos medicamentos, ansiedade ou estresse, menopausa, hiper ou hipotireoidismo, perda ou ganho de peso em curto período, atividade física em excesso.

Vale lembrar que só será considerado atraso menstrual, quando ultrapassar 15 dias do esperado. Antes disso pode acontecer mesmo em mulheres com ciclo menstrual regular.

Por isso mantenha o uso conforme tem feito habitualmente, e aguarde até completar 15 dias, caso não tenho chegado a menstruação procure um médico ginecologista para avaliação e maiores esclarecimentos

Pode lhe interessar também: Dúvidas sobre Anticoncepcional Injetável

Porque preciso ter receita para tomar injeção anticoncepcional?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Porque segundo os órgãos de saúde pública e sociedade de ginecologia, o anticoncepcional injetável, está incluído nos medicamentos que precisam ser avaliados e indicados por um médico capacitado. Devido principalmente aos riscos e efeitos colaterais inerentes às dosagens de hormônios contidos no medicamento.

Podemos exemplificar como um dos motivos, a contraindicação absoluta desse medicamento, para mulheres com alto risco de tromboses ou acidente vascular cerebral. E essa análise dos fatores de risco e sua classificação só pode ser realizada através de uma avaliação médica.

Outro caso de contraindicação, são para mulheres com risco elevado para câncer de mama, esse restrito apenas a alguns tipos de anticoncepcionais. Existem casos de contraindicação relativa, como mulheres com história de hipertensão arterial descompensada, diabetes, mulheres tabagistas de longa data, entre tantas outras.

Sendo assim, e sabendo que a automedicação tem sido uma hábito comum na população brasileira, levando a diversas situações prejudiciais à saúde, torna-se necessário medidas como essa, para que sejam cumpridas as normas de saúde básica.

Saiba mais no artigo: Todas as mulheres podem tomar anticoncepcional?

Automedicação

A automedicação pode levar a sérios problemas de saúde, com altas taxas de internação devido a reações, interações medicamentosas e intoxicação, fato que vem sendo confirmado anualmente, junto às campanhas de conscientização dos riscos dessa prática.

De acordo com a OMS (organização mundial de saúde), a "automedicação responsável" está recomendada desde que se refira a: “prática dos indivíduos tratar seus próprios sintomas e males menores com medicamentos aprovados e disponíveis, sem prescrição médica, e que são seguros quando usados segundo as instruções”, entretanto, é importante que seja praticada com a orientação de um profissional habilitado, seja ele médico ou farmacêutico.

Portanto, a OMS recomenda que mesmo quando se utiliza um medicamento isento de prescrição médica, exposto fora do balcão, este não deve ser visto como um artigo "inofensivo", porque trata-se de uma substância química. É fundamental que o paciente converse com o farmacêutico, informe o que mais usa de medicamentos regularmente, para que receba as devidas orientações e assim possa evitar interações medicamentos, efeitos indesejáveis como a intoxicação, especialmente em crianças.

Para mais esclarecimentos procure seu médico de família, clínico geral ou ginecologista.

Injeção anticoncepcional faz mal para a saúde?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A maioria dos anticoncepcionais orais ou injetáveis podem aumentar as chances de eventos vasculares isquêmicos (Acidente Vascular Cerebral - AVC).

Faz 3 meses que não tomo injeção, tem risco de engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não existe risco de engravidar se não houver relações, entretanto se houver relações deverá fazer uso de algum contraceptivo, de preferência contraceptivo de barreira, como a camisinha, para além de evitar a gravidez, evitar também as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A medicação injetável após alguns dias de atraso já não protege mais a mulher contra uma gravidez não planejada. Mais de 3 meses sem o uso, indica que o organismo provavelmente já está preparado para adequada ovulação e concepção.

No caso de desejar retornar o uso da mesma medicação, não há problemas, basta lembrar de fazer o uso como se fosse a primeira vez novamente, conforme orientação médica. A primeira injeção deve feita no dia estipulado pelo fabricante e demais doses a cada 30 dias (para medicação mensal) e 90 dias (para trimestral).

Lembrar também, que o primeiro mês não confere total proteção, o organismo irá se readaptar ao mecanismo de ação do anticoncepcional. Por isso, durante todo o primeiro mês de uso, no caso de relações, deverá acrescentar outro método de contracepção. O qual mais uma vez indicamos a camisinha, devido aos riscos de DSTs, doenças geralmente não visíveis, mas que causam graves problemas à saúde de ambos, e muitas vezes não tem tratamento definitivo, como a Aids e herpes genital.

Leia também: DST tem cura? Qual é o tratamento?

No caso de preferir trocar a medicação, recomendamos retornar ao seu médico ginecologista, para uma avaliação de quais opções de contraceptivos são adequadas para o seu caso, de acordo com as suas características clínicas, riscos e benefícios e também avaliar as contraindicações.

Pode lhe interessar também: Posso trocar de anticoncepcional sem ir ao ginecologista?

Injeção para não engravidar aborta?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. O anticoncepcional injetável não é capaz de provocar aborto.

Os anticoncepcionais injetáveis agem mantendo os hormônios estáveis no sangue, o que impede que ocorra a ovulação e consequentemente a gestação, contudo essa medicação não tem ação após a fecundação e início do desenvolvimento do embrião, portanto não causa aborto.

Este método contraceptivo é bastante eficaz, atingindo mais de 99% de proteção quanto a gestação não planejada, embora apresente alguns efeitos colaterais que devem ser avaliados junto ao seu médico assistente.

Além de contraceptivo, os anticoncepcionais injetáveis podem ser indicados para outras situações como: tratamento do hiperandrogenismo (excesso de hormônio masculino), melhora dos sintomas de tensão pré-menstrual, cólicas menstruais e nos casos de menorragia (aumento excessivo do fluxo menstrual).

Pode lhe interessar também:

Como saber se a injeção anticoncepcional faz efeito?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O método anticoncepcional injetável tem seu efeito comprovado desde que seja feita a sua aplicação de maneira correta.

As medicações para serem aprovadas e colocadas no mercado para uso, precisam passar por diversas etapas e exigências, por isso, se estão liberadas pelo órgão regulador, o risco de gravidez é muito baixo. Basta seguir rigorosamente o modo de uso.

Atualmente os anticoncepcionais injetáveis garantem uma eficácia em média de 99,6% contra a gravidez.

Como administrar corretamente o anticoncepcional injetável?
  1. A administração da medicação deve ser realizada apenas por profissionais capacitados, visto que a aplicação incorreta reduz consideravelmente a sua eficácia, aumentando o risco de gravidez;
  2. O anticoncepcional injetável deve ser aplicado apenas por via intramuscular profunda, preferencialmente no músculo glúteo, ou em caso de impossibilidade, no músculo do braço;
  3. NÃO MASSAGEAR o local após a aplicação;
  4. Permanecer em repouso por um tempo, com uma compressa limpa protegendo o local injetado, evitando assim a perda do produto.
Como funciona o anticoncepcional injetável?

O anticoncepcional é injetado em um músculo profundo, onde ficará armazenado, depois absorvido pela corrente sanguínea e liberados gradual e continuamente, mantendo assim os níveis hormonais estáveis. Dessa forma, não acontece o pico hormonal, responsável pela ovulação, impedindo a possibilidade de gravidez.

Vale ressaltar, que se houver a formação de calombo importante no local da aplicação, pode significar uma aplicação muito superficial, comprometendo o efeito do remédio, assim como em casos de extravasamento de grande parte do produto.

Por isso, caso aconteça uma das duas situações, recomendamos que faça uso de mais um contraceptivo durante esse mês, como a camisinha.

Leia também: Dúvidas sobre Anticoncepcional Injetável

Tomo anticoncepcional injetável e na hora da injeção...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Nesse caso recomendamos fazer uso de contraceptivo de barreira, como a camisinha, até o próximo mês.

A recomendação é baseada nas orientações do fabricante do produto. O modo de administração é fundamental para assegurar a proteção contra gravidez, oferecida pelo anticoncepcional. A perda de grande parte da medicação, reduz a ação do remédio e com isso a sua eficácia.

Portanto, em situações de aplicação incorreta ou ocorrência de imprevistos, como o descrito, o mais seguro é que acrescente um método de contracepção durante esse mês. O método mais recomendado é o contraceptivo de barreira, camisinha, porque além de evitar a gravidez, evita infecções sexualmente transmissíveis.

Não é indicado tomar nova injeção antes do período recomendado.

Leia também: Dúvidas sobre Anticoncepcional Injetável

Como deve ser feita a aplicação de um anticoncepcional injetável?

A aplicação de um anticoncepcional injetável deve ser sempre realizada por profissional capacitado, via INTRAMUSCULAR profunda, preferencialmente na região glútea ou, caso não seja possível, no braço (região deltoide), nunca deve ser administrada por outra via.

Antes da administração é importante avaliar a região, se houver sinal de ferida, infecção ou irritabilidade na pele, deve ser avaliada outra opção. Lembrando de alternar a região aplicada mensalmente. Se um mês aplicar no glúteo direito, no mês seguinte convém aplicar no esquerdo e assim sucessivamente.

Definindo o local de aplicação, deve ser realizada uma adequada limpeza, e só então aplicar a medicação, lentamente.

Após o término da aplicação, o local NÃO DEVE SER MASSAGEADO. E como última recomendação, a mulher deverá permanecer deitada ou em repouso por algum tempo, com uma compressa limpa protegendo o local, para evitar perdas e ou desperdício da medicação.

Para maiores esclarecimentos, converse com seu médico ginecologista.

Tive um falso sangramento e fui logo tomar injeção anticoncepcional. Quando minha menstruação de fato vir, poderei tomar de novo a injeção?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Jamais deve repetir a dose neste caso, correndo risco com a grande quantidade de hormônios, deve aguardar a data da segunda dose e tomar conforme a receita de sua médica. Basta seguir a receita que vai dar certo. Não precisa validar nada se tomou a injeção tomou e pronto ela já faz o efeito, porém pode ter alguma irregularidade menstrual por não ter tomado no dia certo.