Perguntar
Fechar

Transtorno opositor desafiador tem cura? Como é o tratamento?

Transtorno opositor desafiador tem cura. Se não for devidamente tratado, o transtorno de oposição desafiante pode evoluir para outros distúrbios, como o transtorno de conduta e o transtorno de personalidade antissocial.

Na adolescência, o TOD pode aumentar o risco de transtorno de ansiedade, abuso de álcool, uso de drogas e delinquência.

Quanto mais cedo o tratamento do transtorno opositivo desafiador tiver início, maiores são as chances de recuperação e de prevenir que o distúrbio evolua para quadros mais graves.

O tratamento deve abordar diversos métodos, levando em consideração sobretudo os ambientes sociais e familiares em estão inseridos as crianças.

Além da psicoterapia infantil, também fazem parte do tratamento a terapia familiar e a orientação aos pais.

Quando a criança apresenta outros transtornos mentais associados, como ansiedade, TDAH, depressão e bipolaridade, o uso de medicamentos pode ser necessário.

Com o tratamento adequado, é possível controlar os sintomas do transtorno de oposição desafiante. Através da psicoterapia, a criança ou o adolescente aprende a controlar as emoções, sobretudo a raiva, lidar com as frustrações e relacionar-se socialmente.

Para os pais, a terapia familiar e as orientações do psicólogo ajudam a elaborar melhores métodos de disciplina.

É importante frisar que o sucesso do tratamento depende muito das mudanças que devem ocorrer nos ambientes sociais e familiares que cercam a criança. Por isso, os resultados podem demorar para aparecer e o tratamento pode levar anos.

Saiba mais em:

Como identificar o transtorno opositor desafiador (TOD)?

Quais as causas do transtorno opositor desafiador (TOD)?