Perguntar
Fechar
Homem com apenas um testículo produz menos testosterona? Como resolver isso?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Homem com apenas um testículo não produz menos testosterona e, na maioria dos casos, os níveis de testosterona estão normais.

Grande parte dos indivíduos que nasce com apenas um testículo ou perde um testículo devido a tumores, acidentes ou processos inflamatórios, não apresenta alterações da função hormonal. Em alguns casos nem mesmo a própria produção de espermatozoides é alterada.

Isso porque, na maior parte dos casos de órgãos duplos, como testículos e rins, quando se perde um deles, o outro assume as necessidades do corpo.

A testosterona é um importante hormônio que apresenta diversas funções no corpo dos homens como atuar na diferenciação sexual, ser importante para a ereção e libido e ajudar na produção de células do sangue, ossos, além disso está envolvida em várias funções metabólicas.

Caso necessário consulte um médico para uma avaliação. Eventualmente pode ser necessário exames complementares para avaliação da testosterona e da função testicular.

Veja mais sobre o assunto em: O que fazer para aumentar o nível de testosterona?

Leia também: Quais os sinais de excesso de testosterona?

Varicocele causa infertilidade e impotência?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, varicocele pode causar infertilidade e impotência. No caso da infertilidade (incapacidade de gerar filhos), a varicocele pode ser a causa devido sua capacidade em alterar a produção de espermatozoides, tornarnando o homem infértil.

Já na impotência (incapacidade ou dificuldade de ter uma ereção), a varicocele é considerada uma causa indireta do problema. O testículo afetado reduz significativamente de tamanho e há uma queda na produção do hormônio testosterona, levando a uma diminuição do desejo sexual que afeta o desempenho sexual masculino como um todo.

No entanto, é importante lembrar que apesar da relação que existe entre varicocele e infertilidade, 70% dos homens com varicocele são férteis.

Por que a varicocele causa infertilidade?

Ainda não se sabe ao certo a razão exata da varicocele levar à infertilidade. As hipóteses mais aceitas são:

  • Aumento da temperatura testicular provocada pela estagnação do sangue no local, o que pode alterar a função das células que dão origem aos espermatozoides;
  • Essa mesma estagnação sanguínea pode provocar edema, dificultando a chegada de oxigênio ao testículo, danificando assim o tecido testicular;
  • Refluxo de sangue dos rins para os testículos, que pode trazer metabólitos renais e das glândulas adrenais para dentro do testículo, prejudicando a produção de esperma.

A varicocele tem cura é o seu tratamento é cirúrgico. Para maiores esclarecimentos, consulte um/uma médico/a urologista.

Leia também:

O que é varicocele?

Quais são as causas da infertilidade masculina?

Antidepressivo pode causar impotência ou infertilidade?

Quais são as causas da impotência sexual?

Homem com um peito maior que o outro, qual médico ir?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O ideal neste caso seria procurar uma sub-especialidade da Ginecologia, chamada Mastologia. O médico Mastologista é o mais indicado para seu caso. O tratamento (remédio ou cirurgia vai depender basicamente da causa (o que deixou uma mama maior que a outra), mas geralmente é cirurgia. O restante (preço e tempo de recuperação) é o médico que vai operar que vai te responder essas questões.

Quantas vezes é normal urinar por dia?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Em média, um adulto saudável, urina de 4 a 6 vezes em um dia. O volume total de urina nessas micções é estimado entre 1.000 a 2.000 ml em 24 horas; ou seja, de 1 a 2 litros por dia.

A criança já urina mais vezes, sendo considerado normal de 5 até 12 vezes por dia, desde que não existam outros sintomas ou queixas. O volume total de urina, também são 2 litros por dia.

Entretanto, muitos fatores podem modificar esses números, sem que indique um problema. A gestação, alimentação, o consumo de água, o clima, temperatura e até o estado emocional, podem interferir nesses valores.

Fazer xixi toda hora é normal?

Depende. Urinar muito durante o dia, para pessoas que bebem muita água, pode ser totalmente normal, principalmente em ambientes mais frios, quando suamos menos, perdendo menos líquido.

No verão, devido ao calor e a perda de líquidos pelo suor, é normal que urine menos, porque o corpo precisa reter mais água, como compensação natural do organismo e para proteger a função renal.

Por outro lado, um volume de urina maior do que 3 litros por dia não é considerado normal, mesmo que beba muita água. Assim como a presença de ardência e mau cheiro na urina. Nesses casos é preciso procurar um urologista para avaliação médica.

O que pode aumentar a vontade de urinar? O que fazer?

Situações que aumentam a vontade de urinar, são por vezes benignas e não necessitam de qualquer tratamento, como a gestação e o hábito de beber muita água. Porém, existem outras situações, que precisam de tratamento, como a infecção urinária e a diabetes.

A seguir detalhamos as principais causas de aumento da frequência do xixi.

1. Diabetes

A diabetes é a causa mais frequente de aumento do volume urinário. Trata-se de uma doença crônica caracterizada pelo aumento de açúcar no sangue, maior frequência urinária (poliúria), aumento da sede (polidipsia) e aumento do apetite (polifagia).

Os sintomas do diabetes então incluem sentir muita sede, muita fome e muita vontade de urinar, com volume de urina acima de 2 litros e meio nas 24 horas.

Na presença desses três sintomas, procure um endocrinologista o quanto antes, para uma investigação médica mais cuidadosa, e sendo confirmada, iniciar o correto tratamento.

2. Cistite

A cistite é uma infecção urinária, localizada na bexiga, que causa uma vontade quase constante de ir ao banheiro, porém só consegue eliminar pouca quantidade de xixi. Além disso, apresenta dor, ardência ao urinar, urina muito amarela e com mau cheiro, associada ou não a presença de corrimento e sangue na urina.

Acomete homens e mulheres, embora seja bem mais frequentes nas mulheres.

Na suspeita de uma infecção urinária, procure o seu médico de família, ou um urologista, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento. O tratamento é feito com antibióticos por 7 a 10 dias e aumento do consumo de água.

3. Gravidez

Durante a gravidez, pode ser normal, especialmente no terceiro trimestre, quando o bebê já está maior, ocupando mais espaço na cavidade abdominal da mãe. Nessa fase, a bexiga fica comprimida, com menor capacidade para armazenar a urina produzida.

Por isso, é esperado que a gestante faça mais vezes xixi, mas sem nenhuma outra queixa. A urina se mantém clarinha e sem cheiro. Na presença de sintomas de infecção, com ardência, mau cheiro ou urina escura, é fundamental que procure o seu médico para avaliação.

Importante lembrar que a gestante tem a imunidade mais comprometida, por isso maior predisposição à infecção urinária. Confirmando a doença, precisa iniciar o tratamento com antibióticos rapidamente, a fim de evitar complicações, como o parto prematuro.

4. Doenças da próstata

A próstata é uma glândula exclusiva dos homens, localizada logo abaixo da bexiga e por onde passa a uretra, canal que leva a urina para ser eliminada. A sua principal função é armazenar e secretar o líquido seminal, fluido que se junta aos espermatozoides, para dar origem ao sêmen.

As doenças da próstata causam o aumento do seu volume, que devido à localização, comprime a uretra, dificultando a passagem do xixi. Com isso, o esvaziamento durante a micção não é completo, dando a impressão de estar sempre com vontade de fazer xixi.

A dor, urgência, ou incontinência urinária, são sintomas típicos dessa doença.

O tratamento deve ser definido pelo médico urologista.

5. Bexiga hiperativa

A Bexiga Hiperativa que pode atingir tanto homens como mulheres, se caracteriza por contrações involuntárias da bexiga causando uma vontade constante e urgente de urinar.

Pessoas com bexiga hiperativa costumam urinar mais de 8 vezes por dia, inclusive durante a noite, associada a urgência ou incontinência urinária (perda de pequena quantidade de xixi na roupa, quando não dá tempo de chegar ao banheiro).

O tratamento é definido pelo urologista, com mudanças comportamentais, uso de medicamentos, fisioterapia pélvica, pode ser aplicado toxina botulínica ou, em casos refratários, cirurgias.

6. Ansiedade

A ansiedade é um distúrbio emocional que aumenta a liberação de neurotransmissores no sangue, causando entre outros sintomas, o aumento da vontade de urinar. Parece ter relação com uma estimulação exagerada da bexiga.

O tratamento deve ser feito com psicoterapia e urologia. Por vezes é tão grave e causa tantos constrangimentos, que precisa de tratamento medicamentoso.

Outras causas menos comuns que aumentam a vontade de urinar ou causam a urgência e incontinência são: Consumo exagerado de bebidas alcoólicas, pedras nos rins, doenças neurológicas (AVC, Parkinson, traumatismo craniano), ou efeito colateral de certos medicamentos, como os diuréticos.

Urinar pouco é normal?

Urinar um volume abaixo de 500 ml (meio litro) por dia, não é normal, e deve ser investigado imediatamente.

Se urinar entre 500 ml e um litro durante o dia e antes urinava muito mais, é preciso avaliar se existe um motivo para essa redução, ou se é mesmo sinal de algo errado na sua função renal.

Hábitos ruins como: beber menos de 1 litro e meio de água por dia, praticar exercícios sem se hidratar adequadamente ou consumir muito sal na alimentação, podem sobrecarregar os rins por isso, produzir menor volume de urina. Nesses casos, basta ajustar as medidas sabidamente prejudiciais, para voltar a urinar normalmente.

No entanto, se não houve mudança de comportamento, bebe bastante água, se alimenta bem, e mesmo assim passou a urinar pouco, é fundamental procurar um urologista ou nefrologista, para avaliação do seu sistema urinário.

Quando devo me preocupar?

Os sinais e sintomas que são preocupantes e indicam a necessidade de uma avaliação médica, o quanto antes, são:

  • Urinar mais de 7 vezes ao dia (adulto) e mais de 12 vezes (criança);
  • Urinar mais de 3 litros por dia;
  • Urinar muito pouco (menos de 500 ml por dia);
  • Urina escura e/ou com mau cheiro;
  • Ardência ou incômodo ao urinar;
  • Sangue na urina;
  • Ir várias vezes ao banheiro mas fazer pouco xixi ou
  • Febre alta e perda de peso, junto com alterações na urina.

Para maiores informações sobre as doenças do trato urinário, converse com o seu médico de família ou com urologista, especialista nesse sistema.

Referências:

  • UpToDate. Daniel G Bichet, MD, et al. Evaluation of patients with polyuria. Sep.27, 2019.
  • Sociedade Brasileira de Urologia (Portal da Urologia).
A prática do coito interrompido tem riscos para a saúde?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A prática do coito interrompido pode apresentar algum risco para a saúde, pois sem o uso de preservativos durante a relação sexual, a pessoa pode contrair alguma doença sexualmente transmissível (DST), como por exemplo, AIDS, sífilis, gonorreia, etc.

O coito interrompido é um método de contracepção com alta taxa de falha, em torno de 20% (no período de 1 ano, 20 mulheres em cada 100 engravidam utilizando apenas esse método). Ou seja, a capacidade desse método evitar uma gravidez indesejada é baixa.

Isso pode ser explicado pelo fato de que no fluido que sai do pênis antes da ejaculação já pode conter espermas capazes de fecundar o óvulo. Além do fato de que alguns homens não conseguem controlar o exato momento de sua ejaculação e podem ejacular dentro da vagina, o que perde a eficácia do método.

Para o homem que ejacula, esse método pode trazer risco para a saúde, pois o pênis desprotegido entrará em contato com a mucosa da outra pessoa (ânus ou vagina) e esse contato pode causar algum tipo de DST.

É muito importante a utilização do preservativo (camisinha) para evitar a aquisição dessas DSTs e evitar gravidez indesejada.

Para evitar gravidez indesejada, é recomendado a possibilidade de associar outros métodos contraceptivos.  

Qual especialista para realizar um exame de espermograma?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Qualquer médico/a de qualquer especialidade pode solicitar o exame de espermograma.

A avaliação do resultado do espermograma pode ser avaliada pelo/a clínico/a geral, médico/a de família ou urologista.

O mais importante é a avaliação que deve ser feita continuamente pelo/a médico/a. O/a profissional será o responsável por interpretar o resultado do espermograma e investigar as possíveis causas de alterações no resultado.

Consulte o/a médico/a clínico/a geral, médico/a de família ou urologista para uma melhor investigação.

Leia também: Entendendo os Resultados do Espermograma

Possíveis causas de diminuição da libido no homem
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

As causas de diminuição da libido no homem são bem variadas; podendo ser dividida em causas psicológicas, orgânicas e medicamentosa, sabendo que na maioria das vezes estão interligadas; podemos citar entre as mais comuns:

  • Problemas psicológicos: baixa autoestima, descontentamento como o próprio corpo, ansiedade, depressão;

  • Problemas financeiros/pessoais relacionados ao trabalho, ou a família, gerando mais uma vez ao quadro de estresse e preocupações, que resultam no transtorno de ansiedade;

  • Problemas orgânicos: Hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, doenças de próstata, entre outras, levando a episódios de impotência ou ejaculação precoce, resultando na fuga de relações para evitar possíveis constrangimentos;

  • Até uso regular de medicamentos que possuem como efeito colateral a redução de libido (p.ex.:Classes de antidepressivos, anti-hipertensivos, suplementos e calmantes).

Para todos esses casos existem tratamentos e ou orientações adequadas para solucionar esse problema em questão. Agende uma consulta com Urologista para dar início ao seu tratamento.

Pode lhe interessar também os links abaixo:

Após almoçar tive relação e fui para o banho e desmaiei...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, o que aconteceu pode ter tido relação com a atividade sexual após o almoço. Uma condição conhecida por hipotensão pós-prandial. Nada de grave, pode ser evitado com orientações, porém essa suspeita precisa ser confirmada.

Além da hipotensão pós-prandial, outras situações e doenças podem ocasionar esses sintomas, como a síndrome vasovagal, arritmia cardíaca, isquemia cerebral transitória, hipóxia cerebral devido ao esforço físico e situações psicológicas.

Portanto, para definir o motivo exato dos seus sintomas e principalmente evitar novo episódio como esse, recomendamos procurar um médico clínico geral ou cardiologista, que saberá como conduzir essa investigação e posterior tratamento.

Hipotensão pós-prandial

A hipotensão pós-prandial, acontece porque o organismo após uma refeição, exige um desvio de grande quantidade de sangue para os intestinos, com objetivo de facilitar o processo digestivo. Para que isso seja possível, acontece uma vasodilatação e consequente redução da pressão e da frequência cardíaca. O que justifica a fraqueza e sonolência que a maioria das pessoas sentem após as refeições.

Entretanto, quando acontece outro evento que também exige uma maior vascularização e gasto energético, como a relação sexual, essa vasodilatação e relaxamento muscular podem ser exagerados, resultando em queda importante da pressão arterial, ocasionando os sintomas de vista escura, fraqueza, dificuldade de se manter em pé e sincope (desmaio).

No caso de hipotensão pós-prandial o tratamento é simples, com medidas gerais e orientação de se deitar e repousar quando perceber os sintomas.

Síndrome vaso vagal

A síndrome vasovagal ou "neurocardiogênica" é uma situação comum, talvez a causa mais frequente de síncopes, que não representam obrigatoriamente uma doença.

Caracterizada por um reflexo agudo de hipotensão e/ou bradicardia, que pode ser desencadeado por jejum prolongado, ansiedade, situações de estresse ou se manter de pé em ambientes fechados por muito tempo.

Os sintomas se iniciam com tontura, borramento visual, palpitação, sudorese e por fim, o desmaio. Sintomas que melhoram rapidamente quando a pessoa se deita, permitindo o reequilíbrio da circulação sanguínea pelo corpo.

Saiba mais em: Síndrome vasovagal: como identificar e tratar?

Síncope

Síncope é definida como a perda da consciência e do tônus postural, que ocorre por um curto período de tempo e apresenta uma recuperação rápida e espontânea.

As causas da síncope podem ser cardiovasculares, neurológicas, metabólicas, psiquiátricas e idiopáticas (sem causa definida).

Dentre as causas vasculares, as mais comuns são: hipotensão, arritmia cardíaca, angina e infarto agudo do miocárdio e síndrome vasovagal. No sistema neurológico, a síncope pode ser decorrente de uma isquemia cerebral (AVC ou AIT) ou doenças com comprometimento do sistema nervoso autônomo, como a doença de Parkinson e atrofia múltipla de sistemas. Dentre as causas metabólicas, a hipoglicemia e hipóxia cerebral são as mais comuns. Nos distúrbios psiquiátricos, destacam-se a histeria e a ansiedade.

Vale ressaltar que as síncopes de origem cardíaca estão relacionadas a um maior risco de morte súbita, por isso devem ser acompanhadas por cardiologista, regularmente.

O diagnóstico e tratamento para cada uma das causas deve ser definido pelo médico clínico geral, médico da família ou cardiologista.

Leia também: O que é uma síncope?