Perguntar
Fechar

Coração

Sinto uma pulsação na minha barriga, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Uma pulsação na barriga pode ser apenas os batimentos cardíacos sentidos através da artéria aorta, mas também pode indicar um aneurisma nessa mesma artéria. Gravidez não provoca pulsação na barriga e, mesmo que a mulher esteja grávida, não é possível sentir o coração do bebê bater.

A artéria aorta é o principal vaso sanguíneo que sai do coração e atravessa o tórax e o abdômen (barriga). A porção abdominal da aorta é volumosa e pode ser facilmente sentida em pessoas magras. Daí a sensação de "pulsação na barriga".

Porém, existe um problema relacionado às artérias chamado aneurisma, em que o vaso sanguíneo fica dilatado e pode se romper, causando uma hemorragia interna que pode levar à morte.

Normalmente o aneurisma da aorta não causa sintomas, mas, quando estes aparecem, o paciente geralmente sente pulsação na barriga e dor na barriga ou nas costas. É importante lembrar que cerca de 75% dos casos de aneurisma da aorta ocorrem na porção abdominal.

Essa dilatação geralmente ocorre numa área mais frágil da parede da artéria, enfraquecida principalmente pela arterosclerose, o que faz com que a pressão sanguínea no interior da artéria provoque a protusão.

O aneurisma da aorta pode se romper a qualquer momento e quase sempre evolui para a ruptura, daí a importância de um diagnóstico precoce. Uma vez detectado, o tratamento do aneurisma é cirúrgico.

Em caso de sensação de pulsação na barriga, o mais indicado é procurar o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para que o abdômen seja devidamente examinado e as causas sejam identificadas.

Coração acelerado, tremores no corpo e formigamento nas mãos e braços, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

O coração acelerado, tremores no corpo e formigamento nas mãos e braços podem ser sintomas do transtorno do pânico ou do transtorno de ansiedade generalizada. Essas sensações podem surgir sem que haja uma causa bem definida, aparentemente sem relação com nenhum problema específico ou então serem exageradas para ele.

Outros sinais e sintomas presentes nesses distúrbios são: boca seca, tremores, taquicardia, falta de ar, dor no peito e no abdômen, sensação de sufocamento, tontura, sensação de morte, inquietação, sudorese, cansaço e tensão muscular.

Como vários desses sinais e sintomas também podem estar presentes no hipertiroidismo, que é um distúrbio no qual a glândula tiroide, que fica no pescoço, passa a produzir homônios tiroidianos (T3 e T4) em excesso, é fundamental procurar um médico para uma avaliação e tratamento adequados.

O clínico geral ou o endocrinologista podem ser consultados para o diagnóstico e orientação sobre esses distúrbios. 

Com quantas semanas é possível ouvir o coração do bebê?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

É possível ouvir o coração do bebê cerca de 22 dias após a concepção, ou seja, por volta da quinta semana após a última menstruação, através de um Doppler fetal, ultrassom vaginal e abdominal ou um fetoscópio.

Ultrassom vaginal: O batimento cardíaco fetal pode ser visto através de um ultrassom vaginal cerca de 6 semanas após a DUM.

Ultrassom abdominal: Os ultrassons abdominais normalmente detectam o batimento cardíaco fetal por volta de 7 a 8 semanas de gravidez.

Doppler fetal: Pode-se ouvir o coração do bebê com 12 semanas de gestação, desde que a mulher tenha pouca gordura abdominal.

Fetoscópio: Próximo da vigésima semana de gestação, um fetoscópio pode detectar um batimento cardíaco fetal.

Detecção tardia: Se a mulher tiver a placenta unida à parte anterior útero e gordura abdominal, pode interferir a detecção dos batimentos do coração do feto, podendo atrasá-la por 7 ou 14 dias. Contudo, esses fatores não interferem quando é feita uma ecografia vaginal.

Toda e qualquer gestação deve ser acompanhada por um ginecologista. Ele poderá ajudá-la a sanar quaisquer dúvidas adicionais sobre sua gestação.

Coração acelerado: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sentir o coração acelerado é normal em situações de nervosismo, ansiedade, estresse, emoções fortes, esforço físico, entre outras condições que podem deixar os batimentos cardíacos acelerados.

Porém, se o coração estiver acelerado em repouso, com mais de 100 batimentos por minuto e sem um motivo aparente, pode ser sinal de alguma doença cardíaca ou outro problema que precisa ser investigado.

A taquicardia (frequência cardíaca acima de 100 bpm) é uma reação natural do organismo em situações em que corpo precisa de mais oxigênio para executar determinadas ações, como "fugir" ou "lutar", por exemplo.

Na atividade física, o coração precisa bater mais vezes para irrigar os músculos com nutrientes e oxigênio. O estresse e a ansiedade também provocam uma reação de alerta no corpo, que responde aumentando a frequência cardíaca.

Dentre as diversas causas da taquicardia, as mais comuns são as arritmias, ansiedade, estresse, fatores genéticos, consumo de bebidas estimulantes (café, chá, energéticos), ingestão excessiva de álcool, fumo, uso de certas drogas e medicamentos, desidratação, hipoglicemia, anemia, hipertireoidismo, infecções, febre e doenças reumáticas.

Para saber se o seu coração está acelerado, permaneça em repouso durante pelo menos 5 minutos e verifique a sua pulsação. Se possível, deite-se ou sente-se confortavelmente enquanto repousa.

A pulsação é medida colocando suavemente a ponta dos dedos indicador e médio sobre o pulso oposto, de maneira que se consiga sentir os batimentos cardíacos pela pulsação da artéria que passa pelo punho.

Para isso, movimente ou pressione os dedos para os lados, até sentir a pulsação. Depois, marque o tempo com um relógio ou cronômetro e conte as pulsações durante 1 minuto.

No adulto, a frequência cardíaca de repouso considerada normal varia de 60 a 100 batimentos por minuto (bpm). Se os batimentos cardíacos estiverem acima de 100 por minuto, significa que o seu coração está acelerado.

Procure um médico clínico geral ou médico de família se notar que o seu coração dispara sem motivo aparente. Alterações no ritmo cardíaco sem estímulos internos ou externos podem ser sinal de arritmia cardíaca. O diagnóstico pode ser feito clinicamente ou com auxílios de exames como o eletrocardiograma.

Saiba mais em:

Sinto coração acelerado e falta de ar, o que pode ser?

Como saber se os batimentos cardíacos estão normais?

Batimentos cardíacos baixos: o que pode ser?

Quem tem gastrite e esofagite sente dor no peito?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem tem gastrite e esofagite pode sentir dor no peito, principalmente a esofagite, já que o esôfago fica localizado dentro da caixa torácica. Muitas vezes os pacientes sentem dor no peito por causa da esofagite e ficam preocupados, pois acham que estão sofrendo de alguma doença do coração.

Já na gastrite, a dor localizada na boca do estômago pode irradiar para outros locais, podendo também provocar dor no peito.

Alguns dos sintomas da esofagite e gastrite:

  • Esofagite:

    • Sensação de queimação no peito, pescoço e garganta;
    • Regurgitação ácida;
    • Dificuldade para engolir alimentos;
    • Dor no peito, que nos casos mais graves pode parecer uma dor cardíaca;
    • Rouquidão;
    • Dor de garganta, 
    • Mau hálito;
    • Tosse seca.
  • Gastrite:
    • Dor na boca do estômago que pode irradiar para outras partes do corpo, incluindo o tórax;
    • Azia;
    • Perda de apetite;
    • Náuseas e vômitos;
    • Sangue nas fezes ou no vômito.

Leia também: Quais os sintomas de gastrite?; O que é esofagite erosiva e quais os sintomas?

Dentre as possíveis causas de dor no peito, além de gastrite e esofagite, estão:

  • Gases;
  • Ansiedade;
  • Infarto;
  • Doenças respiratórias, como pneumonia, pleurite, câncer no pulmão, embolia pulmonar;
  • Lesões musculares ou nas costelas;
  • Herpes-zoster;
  • Úlceras.

Para ter a certeza de que a dor no peito é mesmo proveniente da gastrite e da esofagite, é recomendável consultar o/a médico de família, clínico/a geral, ou o próprio gastroenterologista, de maneira a despistar outras possíveis causas mais graves.

Também pode lhe interessar: 

Esofagite causa perda de peso? O que fazer para evitar isso?

Esofagite pode virar câncer?

Sinto pontadas no peito. O que pode ser?

O que é alteração inespecífica da repolarização ventricular?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Uma alteração inespecífica da repolarização ventricular significa uma alteração na onda T do eletrocardiograma, muito observada em hipertensos e indivíduos acima de 40 anos. Na maioria dos casos não é sinal de doença, daí a designação "inespecífica", é possível que pessoas completamente saudáveis possam apresentar alterações inespecíficas da repolarização.

Eletrocardiograma

A onda t do eletrocardiograma representa a repolarização ventricular, que é a fase em que o coração está se preparando para uma nova contração.

As alterações da repolarização ventricular podem ser localizadas, nesses casos é especificado no resultado do eletrocardiograma o local do coração em que ocorrem, por exemplo, alteração da repolarização ventricular em parede anterior, inferior, ântero-septal, lateral, etc.

Embora, de modo geral, uma alteração na repolarização ventricular não signifique que exista alguma doença cardíaca, muitas doenças do coração podem provocar essa alteração no eletrocardiograma. Algumas condições e doenças em que essa alteração é comum:

  • Hipertensão arterial;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Valvulopatia;
  • Hipertrofia ventricular esquerda (aumento do volume do músculo cardíaco);
  • Idade avançada;
  • Obesidade;
  • Pacientes que já sofreram infarto;
  • Gravidez.

O médico poderá esclarecer se há algum motivo para alteração da repolarização ventricular ou se trata-se apenas de um achado de exame sem repercussões, de acordo com o caso específico do paciente. 

Sinto coração acelerado e falta de ar, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Coração acelerado e falta de ar, sem motivo aparente, podem ser sintomas de doenças cardíacas ou respiratórias, como arritmia, insuficiência cardíaca, bronquite, asma, entre outras. Contudo, o aumento da frequência cardíaca e a falta de ar podem ter diversas causas e nem sempre indicam a presença de alguma doença ou problema de saúde.

O coração pode bater mais acelerado devido ao estresse, ansiedade, emoções fortes, uso de medicamentos, consumo de bebidas alcoólicas ou estimulantes, fumo, desidratação, exercício físico, entre outras situações. 

Já a falta de ar pode ser decorrente de ansiedade, angústia, síndrome do pânico, falta de condicionamento físico ou ainda fraqueza muscular.

No entanto, existem várias doenças e condições que podem causar aumento da frequência cardíaca (taquicardia), tais como arritmias, fatores genéticos, desidratação, falta de açúcar no sangue (hipoglicemia), febre, anemia, hipertireoidismo, infecções, entre outras. Nesses casos, o coração pode disparar mesmo quando a pessoa está em repouso, sem estímulos internos ou externos.

Se não estiver relacionada a fatores emocionais ou esforço físico, a falta de ar pode ser um sintoma de doenças cardíacas ou respiratórias, como insuficiência cardíaca, gripe, bronquite, asma, enfisema pulmonar, rinite, sinusite.

Veja também: Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Portanto, sentir falta de ar e o coração batendo acelerado pode ser uma reação normal do corpo a determinados estímulos. Todavia, é importante observar se a falta de ar e o aumento do ritmo cardíaco ocorrem em repouso, na ausência de estímulos ou vêm acompanhados de outros sintomas.

Saiba mais em: Como saber se os batimentos cardíacos estão normais?

Os sinais de alerta que podem indicar a presença de algo mais grave incluem dificuldade para falar, aumento da frequência respiratória, esforço respiratório, interrupções do sono, cansaço ao executar tarefas simples, lábios roxos, tosse, chiado no peito ou dor no tórax.

Procure um médico de família ou um clínico geral na presença desses sintomas ou se sentir falta de ar e o coração acelerar sem motivo aparente.

Também podem lhe interessar:

Tenho dificuldade para respirar, o que pode ser?

Coração acelerado: o que pode ser e o que fazer?

Batimentos cardíacos baixos: o que pode ser?

Sinto o meu coração bater bem forte, sinto ele se mexendo...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se fez os devidos exames e seu coração não tem nada então os sintomas podem ser de origem emocional (ansiedade ou estresse), precisa da ajuda de um médico para o correto diagnóstico e tratamento.

Pontada no coração ao respirar. O que pode ser e o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A pontada no coração ao respirar pode ser causada por fadiga muscular, tensão muscular decorrente de estresse ou ainda excesso de gases. A dor no peito também pode ter como causa a irritação da pleura, uma membrana dupla de tecido conjuntivo que recobre os pulmões e a parte interna do tórax.

Se a pontada no peito for provocada por fraqueza ou fadiga muscular, a origem da dor pode ter diversas causas. Dentre elas estão doenças neurológicas (esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla…), compressão de algum nervo, acidente vascular cerebral (AVC), poliomielite, falta de vitamina B12, distrofias musculares, doenças metabólicas, entre outras.

A fadiga muscular pode ter ainda como causa depressão, fibromialgia, anemia, intoxicação por veneno ou alimento, entre outras doenças e condições.

Pontada no coração pode ser estresse?

O estresse, assim como a histeria, também pode causar pontadas no coração ao respirar devido a tensão muscular. Apesar de ser um sintoma psicológico, o estresse pode desencadear sintomas físicos. 

Além da tensão muscular, pode haver cansaço, formigamentos, boca seca, aumento da frequência cardíaca e respiratória, bem como da pressão arterial, diarreia, náuseas, gastrite, úlcera, coceiras pelo corpo, entre outros sinais e sintomas.

Saiba mais em: Estresse e nervosismo podem causar manchas roxas no corpo?

As reações no corpo causadas pelo estresse são desencadeadas pelo hormônio adrenalina, que é despejado na corrente sanguínea em maiores quantidades em situações de estresse.

Sentir pontadas no coração pode ser gases?

Sim. A presença de gases intestinais pode causar pontadas ou dor no meio do tórax, o que faz a pessoa suspeitar que está com algum problema no coração. Também pode haver dores abdominais, flatulência e o abdômen pode estar mais inchado. 

Os gases são produzidos durante a digestão por bactérias que habitam o intestino. Suas principais causas estão relacionadas com a ingestão de determinados alimentos e bebidas, como ovo, feijão, grão-de-bico, batata, brócolis, repolho, couve-flor, cebolas, carne de porco, bebidas com gás, cerveja, leite entre outros. 

Os gases também podem ser produzidos em excesso e provocar dor no peito em casos de prisão de ventre, intolerância à lactose, falta de atividade física, ansiedade, entre outras condições.

Veja também: Excesso de gases: o que pode ser e como tratar?

Pontada no coração pode ser problema pulmonar?

Pode. A dor pode ser causada por irritação da pleura, uma membrana que recobre os pulmões e a parte interna do tórax. A dor na pleura (dor pleurítica) é súbita, em pontada ou punhalada, que surge ou piora ao respirar, tossir, espirrar ou bocejar. Além disso, a dor é bem localizada.

Algumas doenças ou condições que podem afetar a pleura e causar uma dor torácica em pontada, que piora com a respiração, incluem tuberculose, câncer de pulmão, pneumonia, derrame pleural e pneumotórax (escape ou entrada de ar no espaço pleural que provoca um colapso total ou parcial do pulmão).

No entanto, existem várias outras doenças ou situações que provocam dor no peito ao respirar, embora nesses casos a dor nem sempre é em pontada ou agulhada. Alguns exemplos:

  • Embolia pulmonar;
  • Costela fraturada;
  • Costocondrite (inflamação da articulação de uma costela com o osso esterno, localizado no centro do peito);
  • Pericardite (inflamação da membrana que reveste o coração).

Se a pontada ou a dor no peito persistir, procure um médico clínico geral ou médico de família, para receber uma avaliação e, se necessário, o tratamento adequado.

Leia também: O que fazer no caso de dor no peito?

Falta de ar, dor no peito, coração está apertado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Procure um médico, somente um médico na consulta médica e com exames pode te dar o diagnóstico correto, porém pela sua descrição para ser alguma coisa relacionada ao emocional.

Resposta Psicóloga:

Ideal seria atrelar essa ajuda a um acompanhamento terapêutico, pois pode ser a somatização do seu estado emocional.

Tremores no peito, sensação de peso e aperto no peito...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não sei qual sua idade nem sua história para doenças cardíacas, mas disparado a Ansiedade e/ou Depressão são as principais causas para esses sintomas em uma pessoa jovem e sem fatores de risco para doença cardíaca.

Coração grande tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Coração grande, também conhecido como cardiomegalia, não tem cura. Isso significa que o coração, que está grande, não volta ao seu tamanho normal. Porém, a maioria das cardiomegalias possuem tratamento específico.

Desde que o tratamento seja feito corretamente, e dependendo do grau de cardiomegalia, o paciente poderá ter uma vida normal, mas deverá sempre evitar esforços e seguir regularmente as orientações do seu médico.

Coração Grande (Cardiomegalia)

O tratamento para coração grande depende da causa, e pode incluir:

  • Medicamentos diuréticos, pois aliviam a pressão sobre o coração;
  • Medicamentos específicos para aumentar a contratilidade do coração;
  • Pacemaker, nos casos mais graves;
  • Cirurgia para trocar válvulas cardíacas;
  • Transplante de coração, em último caso;
  • Entre outros.

Leia também: O que é coração grande?

Para confirmação de coração grande, definição do tipo de cardiomegalia, causas e tratamento, o cardiologista é o médico responsável e deverá ser consultado.