Perguntar
Fechar
Fiz meu primeiro BETA HCG com apenas um dia de atraso...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não tem como saber ainda. O exame de beta HCG pode ser positivo, caso tenha ocorrido a gravidez, logo após uma semana da relação, entretanto o mais fidedigno, é que o exame seja feito após 15 dias de atraso.

Para esse caso, recomendamos aguardar os 15 dias e repetir o exame de sangue.

Leia também: Resultado do Exame de Gravidez - Beta-HCG

Outros sinais de gravidez

Embora o primeiro sinal sugestivo de gravidez seja o atraso menstrual, existem diversos outros sinais e sintomas que podem sugerir uma gestação, por isso fique atenta, podem ser úteis na consulta médica. São eles:

  • Náuseas, enjoos, especialmente pela manhã
  • Sonolência diurna
  • Aumento da sensibilidade nos seios
  • Cansaço além do habitual
  • Cólicas abdominais
  • Aumento da frequência urinária e
  • Aumento de apetite.

Nem sempre todos estão presentes, cada mulher tem sua resposta particular às alterações hormonais e modificações sofridas pelo corpo. Fique atenta as reações do seu organismo.

Na suspeita de gravidez, mesmo que o primeiro exame tenha sido indeterminado, procure seu médico de família, ou posto de saúde, para receber as orientações necessárias.

Pode lhe interessar também: Com quantos dias aparecem os primeiros sintomas de gravidez?

Ânsia de vômito: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Ânsia de vômito, também chamada de náusea ou enjoo, é uma sensação que caracteriza-se pela vontade de vomitar, independentemente de vir acompanhada ou não de vômitos. Algumas pessoas descrevem a ânsia de vômito como uma sensação de “estômago embrulhado”.

A ânsia de vômito pode ter várias causas, que inclui as doenças do estômago, gravidez (geralmente causa ânsia de vômito pela manhã), quimioterapia, radioterapia, além de emoções fortes, como ansiedade, preocupação ou estresse intenso.

A ânsia de vômito também pode ser sintoma de problemas de saúde mais graves, como apendicite, obstrução intestinal, câncer, ingestão acidental de medicamentos ou veneno (especialmente em crianças) e úlceras no estômago ou no intestino.

Outras possíveis causas para náuseas com ou sem vômitos:

  • Alergias alimentares;
  • Gastroenterite;
  • Intoxicação alimentar;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Enxaqueca;
  • Tonturas;
  • Dor intensa.

Quando a pessoa está enjoada, normalmente não quer comer. Isso pode levar à perda de peso. Quando a náusea provoca vômitos intensos, pode causar desidratação.

O que fazer em caso de ânsia de vômito?

Quando a pessoa está com náusea, a primeira coisa que deve fazer é sentar-se e permanecer quieta. Ficar andando de um lado para outro pode piorar o enjoo. Se continuar com vontade de vomitar, tome um remédio para ânsia de vômito, como dimenidrinato (Dramin), entre outros, desde que não tenha nenhuma contra-indicação ao uso desses remédios. Os remédios para náusea geralmente começam a fazer efeito depois de 30 a 60 minutos.

Em caso de enjoo e vômito, recomenda-se aumentar a ingestão de água para prevenir a desidratação. Nesses casos, a recomendação é beber de 8 a 10 copos de água por dia, aos poucos. As bebidas isotônicas também são indicadas, pois ajudam a repor os sais minerais perdidos ao vomitar. Para casos graves de vômito, pode ser necessário receber soro por via intravenosa.

As refeições devem ser menores e mais frequentes. Ao invés de fazer 3 grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar), uma pessoa com ânsia de vômito deve procurar fazer de 6 a 8 refeições pequenas ao longo do dia.

Os alimentos devem ser macios e de fácil digestão, como torradas, frango e peixe assado, batata, macarrão e arroz. Também são indicados alimentos que contenham bastante água, como sopas, picolés, geleia e gelatinas, sobretudo em casos de náusea e vômito.

Se estiver com vontade de vomitar ao comer ou sentir enjoo depois de comer, não deite após as refeições, mas permaneça na posição sentada.

Alguns alimentos e bebidas a evitar se estiver com ânsia de vômito:

  • Alimentos processados e gordurosos, bem como alimentos que contêm muito sal, como pães brancos, bolos, rosquinhas, salsichas, hambúrgueres, frituras, batatas fritas e alimentos enlatados;
  • Alimentos com odores fortes;
  • Bebidas com cafeína (café, chá mate, chá preto);
  • Bebidas alcoólicas;
  • Bebidas gaseificadas, como refrigerantes;
  • Alimentos picantes.

Procure atendimento médico se:

  • Tiver ânsia de vômito constante por mais de 48 horas;
  • Não conseguir reter nenhum alimento sólido ou líquido no estômago;
  • Vomitar 3 ou mais vezes por dia;
  • Sentir fraqueza;
  • Tiver febre;
  • A náusea vier acompanhada de dor no estômago ou dor abdominal intensa;
  • Não urinar por 8 horas ou mais.
  • Observar sangue ou material de cor marrom escura no vômito;
  • Tiver vômitos por mais de 24 horas;
  • Tiver dor de cabeça e rigidez de nuca (não conseguir encostar o queixo no peito).

Para maiores esclarecimentos, consulte um médico clínico geral ou médico de família.

Pode lhe interessar ainda: O que fazer para parar de vomitar?

Tomei 2 pílulas anticoncepcional juntas e senti muito enjoo?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Provavelmente, este é um efeito possível devido a dose dobrada do anticoncepcional. Os anticoncepcionais orais hormonais podem causar náuseas e enjoos durante o seu uso, principalmente quando se toma uma dose maior do que o usual ou se há irregularidade na tomada dos comprimidos devido a esquecimentos.

Por isso, é importante que o anticoncepcional seja tomado regularmente, de preferencia no mesmo horário e todos os dias, assim diminui a chance da ocorrência desse tipo de efeito adverso de forma tão intensa.

Além disso, a presença de náuseas é mais comum nos primeiros meses de uso do anticoncepcional hormonal, com o decorrer do tempo esse sintoma tende a diminuir.

O que fazer se enjoos e vômitos se tornarem persistentes?

Caso os sintomas de enjoos ou vômito persistam e se tornem muito intensos, mesmo com o uso regular da medicação, procure um médico para avaliar a manutenção do anticoncepcional, em algumas situações pode-se trocar o tipo de anticoncepcional por um de menor dose hormonal ou mesmo tentar outro método contraceptivo sem hormônios.

Quais os efeitos adversos mais comuns dos anticoncepcionais orais hormonais?

Os anticoncepcionais orais hormonais podem apresentar diferentes efeitos adversos, os mais frequentes são:

  • Alterações nos padrão menstrual como sangramento irregular, diminuição do fluxo menstrual ou ausência da menstruação;
  • Náuseas;
  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Sensibilidade ou dores nas mamas;
  • Alterações de humor;
  • Alterações no peso;
  • Mudanças na libido;
  • Acne (pode melhorar ou piorar, depende do tipo de progestógeno presente na pílula).

Consulte o seu médico de família ou ginecologista para mais informações sobre os efeitos adversos dos anticoncepcionais orais hormonais.

Estou sentindo enjoo e queda de pressão e muito mal estar após relação, posso estar grávida ?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. Os sintomas de enjoo, queda de pressão e mal-estar podem estar relacionados com as alterações no organismo da mulher nos primeiros meses de gestação. Entretanto são sintomas que também podem ser encontrados em outras situações de saúde, como nos casos de anemia, gastrite, carência de vitaminas e distúrbios hormonais.

O sinal mais precoce para a suspeita de gravidez é o atraso menstrual, embora algumas mulheres apresentem sintomas de náuseas e ou vômitos mesmo antes do atraso.  

Portanto é importante que avalie além dos sintomas que está sentindo, se houve falha no método de contracepção que faz uso, se sua menstruação está atrasada, e se existem outros sintomas típicos de início de gestação, como sonolência e sensibilidade nas mamas.

Nos casos de suspeita de gravidez você deve sempre agendar consulta com médico/a clínico geral, médico/a da família ou ginecologista para avaliação, solicitação de testes de gravidez, como Beta-HCG, e outros que se façam necessário, para definir ou descartar essa possibilidade e dar seguimento a investigação e devidas orientações médicas.

Saiba mais sobre o assunto nos links abaixo:

Qual é a dosagem máxima de amoxicilina para bebê?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dose máxima é de 60 mg/kg/dia.

Nessa faixa etária, e até atingir o peso de 40 kg, a dose deve se basear no peso corporal. Além disso, a dose depende da idade, gravidade da doença, função renal e a sensibilidade da bactéria ao antibiótico (amoxacilina®).

Portanto, embora a dose máxima recomendada pelo fabricante seja de 60 mg por kg de peso por dia, essa dose deverá ser definida pelo médico assistente, de acordo com o quadro clínico e características da criança.

A dose diária prescrita para crianças, varia entre 25 a 50 mg/kg/dia, dividida em 2 ou 3 vezes.

O que é a amoxacilina® e para que serve?

A amoxicilina® é um antibiótico de amplo espectro indicado para o tratamento de infecções bacterianas, causadas por germes que sejam sensíveis à ação dessa medicação. As principais indicações são as infecções de vias respiratórias, afecções do ouvido, como a otite, infecções das vias urinárias e como parte do esquema de antibióticos contra a bactéria H.pylori.

Quais são os efeitos colaterais da amoxacilina®?

Os efeitos colaterais dessa medicação não são comuns, e quando acontecem costumam ser de leve intensidade. Os efeitos mais relatados são de diarreia e enjoo; que podem ser evitados se for administrado no início das refeições. Outros efeitos possíveis são as erupções da pele.

Na presença de qualquer um dos sintomas relatados, ou qualquer alteração após o início do antibiótico, deve ser informado ao médico, para avaliar a suspensão da medicação.

No entanto, no caso de diarreia liquida (mais de 5 episódios por dia), vômito frequente, dificuldade de aceitar água (ou aleitamento materno), urticária e ou coceira, procure um atendimento médico imediatamente. Devido ao risco de desidratação da criança.

Quais são os cuidados e contraindicações para o uso de amoxacilina®?

A amoxicilina® é um antibiótico do grupo das penicilinas, por isso não deve ser administrada a pacientes com histórico de alergia a essa classe de antibióticos.

Em pacientes diabéticos, apesar de não ser uma contraindicações, deve-se ter uma atenção especial, devido a presença de açúcar em sua composição.

Não é recomendado o seu uso desse antibiótico por mulheres grávidas, a não ser que seja por indicação e orientação médica ou do cirurgião-dentista.

A amoxicilina® pode ser administrada durante a lactação, sob supervisão médica.

Para maiores esclarecimentos, procure seu médico pediatra.

Há duas semanas tenho estes sintomas: pode ser gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Seios doloridos, barriga inchada e vontade de comer coisas diferentes podem ser sintomas de gravidez. Se a sua menstruação estiver com mais de 15 dias de atraso, então é provável que esteja grávida.

Os principais sintomas de gravidez são:

  • Enjoo: Varia de mulher para mulher. Enquanto umas podem senti-los logo no início da gravidez, outras só ficam enjoadas depois do 1º trimestre. Os enjoos costumam ser mais fortes pela manhã, mas pode continuar ao longo do dia e pioram quando a mulher está com o estômago vazio;
  • Seios inchados e doloridos: Os seios tendem a ficar bem doloridos logo no início da gravidez e os mamilos também podem ficar mais sensíveis. Esses sintomas normalmente passam assim que o organismo se adapta aos novos níveis hormonais;
  • Vontade de urinar várias vezes: Acontece devido aos hormônios e à pressão que o útero exerce sobre a bexiga quando começa a crescer;
  • Cãibras: A queda da quantidade de cálcio no organismo durante a gravidez pode causar cãibras, principalmente nas coxas, pés e batata da perna;
  • Sonolência e cansaço: Esses sintomas podem acompanhar a mulher ao longo da gravidez;
  • Azia: A válvula do estômago relaxa durante a gravidez, permitindo que o seu conteúdo ácido suba para o esôfago, causando azia e queimação.

Para confirmar se os sintomas são ou não de uma gravidez, consulte o/a médico/a de família, o/a clínico/a geral ou o/a ginecologista.

Sai do seio um líquido azulado, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A saída de um líquido azulado pelo seio poderá ser uma secreção causada pela toma de algum medicamento, por uma infecção, ou pelas mudanças hormonais normais do ciclo menstrual, que também podem causar dor, inchaço e aparecimento de nódulos nos seios. Esses sinais e sintomas ocorrem  principalmente no período pré-menstrual e melhoram durante a menstruação.

Também é comum sair um líquido do seio durante a gravidez, mas apenas isso não é sinal de gravidez. Embora menos comuns, o papiloma, que é uma lesão benigna, e o câncer de mama podem causar a saída de líquidos dos seios. Nesses casos, o líquido tem um aspecto sanguinolento ou cristalino como água, e sai apenas de um bico de seio (mamilo), de forma espontânea.

Algumas drogas que podem causar a saída de líquidos pelos seios: medicamentos para enjoos, medicamentos para úlcera, medicamentos para a hipertensão arterial, medicamentos para reposição hormonal na menopausa, anticoncepcional oral, medicamentos para ansiedade e depressão, analgésicos como opioides e codeína, drogas ilegais como cocaína e heroína.

O mastologista (especialista em mamas) deverá ser consultado para a realização de exames sempre que houver dúvidas em relação aos problemas nos seios.

Tomo a injeção Contracep certinho, há risco de engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O uso correto do anticoncepcional Contracep®, e demais anticoncepcionais, confere à mulher uma segurança de mais de 99% contra a gravidez, ou seja, se faz o uso regular conforme as orientações médicas, a partir do segundo mês de uso, seu risco de engravidar é menor que 1%.

Além da gravidez, existem inúmeras causas para o atraso da menstruação, uma delas, bastante frequente, é o uso de anticoncepcionais. Um efeito colateral normal dessa medicação é exatamente a alteração das características da menstruação, como o atraso, a redução de volume do sangramento e ou mudanças na coloração.

Essas alterações são decorrentes dos mecanismos de ação do remédio no organismo. Trata-se de um efeito esperado que não sinaliza qualquer problema.

No entanto existem outras causas que merecem investigação, como síndrome do ovário policístico, uso de certos medicamentos, ansiedade ou estresse, menopausa, hiper ou hipotireoidismo, perda ou ganho de peso em curto período, atividade física em excesso.

Vale lembrar que só será considerado atraso menstrual, quando ultrapassar 15 dias do esperado. Antes disso pode acontecer mesmo em mulheres com ciclo menstrual regular.

Por isso mantenha o uso conforme tem feito habitualmente, e aguarde até completar 15 dias, caso não tenho chegado a menstruação procure um médico ginecologista para avaliação e maiores esclarecimentos

Pode lhe interessar também: Dúvidas sobre Anticoncepcional Injetável

O que é pangastrite enantematosa leve? Quais os sintomas e como tratar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A pangastrite enantematosa leve é uma inflamação de toda a mucosa do estômago que provoca sintomas como dor no estômago, sensação de queimação, náuseas e vômitos.

Pode ser provocada pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas, medicamentos anti-inflamatórios como ibuprofeno, por infecção da bactéria H.pylori e por doenças autoimunes como a Doença de Crohn.

É também chamada de gastrite enantematosa e o seu tratamento envolve o uso de antibióticos e inibidores da produção de ácido gástrico como o omeprazol. Conheça um pouco mais sobre a pangastrite na sequência desse artigo.

Sintomas de pangastrite leve

Os sintomas de pangastrite leve costumam surgir pouco tempo após as refeições e durar em torno de duas horas. Os sintomas mais comuns são:

  • Dor no estômago,
  • Sensação de queimação,
  • Falta de apetite,
  • Enjoo,
  • Náuseas,
  • Vômitos,
  • Gases e arrotos.

Na medida em que o tempo passa, esses sintomas vão se tornando mais intensos.

Tratamento da pangastrite enantematosa leve

O tratamento da pangastrite leve envolve o uso de medicamentos e hábitos alimentares saudáveis. A indicação do melhor tratamento é feita com base nos sintomas da doença e, se necessário, após a realização do exame de endoscopia digestiva alta (EDA).

Amoxicilina, Claritromicina

As pangastrites são geralmente causadas pela presença de uma bactéria chamada Helicobacter pylori que é identificada durante o exame de endoscopia digestiva. Nestes casos, o tratamento é feito com uso de antibióticos como amoxicilina e claritromicina.

Omeprazol, pantoprazol, esoprazol

Estes medicamentos que inibem a produção de ácido clorídrico no estômago são indicados em doenças como a pangastrite. São remédios que ajudam a reduzir a irritação das paredes do estômago, provocada pela doença e promover a sua cicatrização.

Cimetidina, famotidina e nizatidina

Há medicamentos que inibem a secreção de ácidos no estômago induzidas pela histamina e gastrina e causam a redução do volume de suco gástrico no estômago. A cimetidina, nizatidina e famotidina são os mais usados.

Alimentação saudável ajuda a tratar a pangastrite leve

A adoção de hábitos alimentares saudáveis faz parte, junto com os medicamentos, do tratamento da pangastrite leve. Você deve priorizar legumes e verduras cozidos, frutas, carnes magras, frango e peixe grelhados ou cozidos e ovos cozidos.

Devem ser evitados os alimentos gordurosos ou que irritam a mucosa do estômago. Estes alimentos incluem frutas ácidas, pimenta, frutas secas e cristalizadas, doces como os chocolates, café, refrigerantes, salsichas, linguiça, bacon, carnes gordas, alimentos enlatados ou em conserva e bebidas alcoólicas.

Quando devo me preocupar?

Quando não tratada, a pangastrite pode evoluir para o estágio moderado ou grave da doença, o que pode provocar sintomas graves como:

  • Dor e queimação de estômago que duram mais de 2 semanas
  • Febre,
  • Fraqueza,
  • Vômito com sangue,
  • Fezes escurecidas, pastosas e com odor forte (melena): este tipo de fezes são compostas por sangue digerido que transitou pelo sistema gastrointestinal.

Se você perceber qualquer um destes sintomas, especialmente, sangue no vômito ou nas fezes, busque atendimento em uma emergência hospitalar.

Para saber mais sobre pangastrite, leia:

Quais os sintomas da Pangastrite Enantematosa?

Pangastrite enantematosa moderada e urease positivo significa gastrite?

Referências:

  • Angência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Memento Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira. Brasília: ANVISA, 2016.
  • Ganguly, S.; Roy, S. Medicinal Plants and Herbs: A Review. International Journal of Pharmacy & Life Sciences, 6(3):4288-4290, 2019.
  • Federação Brasileira de Gastroenterologia
Ardência no estômago pode ser gravidez?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, ardência no estômago pode ser gravidez. As alterações hormonais bruscas que ocorrem no início da gestação podem causar azia e sensação de queimação ou ardência no estômago.

Porém, a ardência no estômago não é considerada um sintoma típico de gravidez. Os principais e mais comuns sinais de uma gravidez são:

  • Atraso da menstruação;
  • Aumento da sensibilidade nas mamas;
  • Dor pélvica;
  • Inchaço;
  • Irritação.

Esses sintomas são semelhantes aos sintomas pré-menstruais, porém mais intensos. Os enjoos e a sonolência só costumam aparecer depois de 15 a 20 dias de gravidez.

Se essa ardência no estômago for mesmo uma gravidez, seguem algumas dicas para aliviar e evitar o desconforto:

  • Diminua as porções das refeições, comendo menos quantidades e mais vezes durante o dia, de 3 em 3 horas é uma boa opção;
  • Não beba líquidos durante as refeições;
  • Evite bebidas com gás ou quentes, pois aumentam a sensibilidade do estômago e podem causar ardência;
  • Beba chá de hortelã, pois não é contraindicado para grávidas e ajuda a aliviar a azia e a queimação;
  • Beba suco de batata, pois é um bom remédio caseiro para azia;
  • Evite dormir logo após as refeições. O ideal é esperar 3 horas para ir se deitar;
  • Evite comer alimentos gordurosos;
  • Eleve a cabeceira da cama, colocando um calço embaixo da cama para manter a cabeça e o corpo mais elevados.

De qualquer forma, para se certificar de que está grávida, consulte um médico ginecologista e faça um exame de gravidez.

Tomei Contracep e dos meus seios sairam leite?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não é normal, trata-se de um efeito colateral da medicação. Por isso deve ser informado ao médico para uma reavaliação.

A produção e saída de leite dos seios (galactorreia), é um dos efeitos colaterais possíveis, apesar de não ser comum, do uso dessa medicação.

Quais são os efeitos colaterais do Contracep®?

Os efeitos colaterais mais comuns no uso prolongado do Contracep® são:

  • Retenção de líquidos,
  • Dor de cabeça,
  • Náuseas, enjoo,
  • Ansiedade, nervosismo,
  • Dor ou desconforto abdominal,
  • Sangramento uterino anormal (menstruação fora do período esperado, irregular, aumentada, diminuída),
  • Amenorreia (ausência de menstruação) e
  • Variações de peso.

Outros efeitos menos comuns relatados foram: diminuição da libido ou ausência de orgasmo, depressão, insônia, tontura, ondas de calor, distensão abdominal (aumento do volume), acne (espinhas), queda de cabelo, rash (erupção cutânea), dor nas costas, leucorreia (corrimento), mastodinia (dor nas mamas), sensibilidade nas mamas, fadiga (cansaço) e astenia (fraqueza).

Efeitos mais raros, embora possíveis, são: episódios de convulsão, icterícia (deposição de pigmentos biliares na pele dando uma cor amarela intensa), crescimento anormal de pelos, prurido (coceira), urticária (erupção na pele, geralmente de origem alérgica, que causa coceira) e galactorreia (secreção de leite pelas mamas), febre, distúrbios de coagulação e função hepática.

No caso de reações adversas como a galactorreia, você deve comunicar imediatamente o seu médico ginecologista, para uma avaliação e conduta adequadas.

O contracep® é um anticoncepcional injetável composto por acetato de medroxiprogesterona, com eficácia de mais de 99% contra risco de gravidez. Entretanto, seu uso pode originar efeitos colaterais indesejados e danosos para a saúde.

Além disso, não são todas as mulheres que podem fazer uso desse ou outros anticoncepcionais, por isso não é recomendado iniciar qualquer medicação sem avaliação médica prévia.

Leia também: Todas as mulheres podem tomar anticoncepcional?

O que é aneurisma cerebral?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O aneurisma cerebral, também conhecido como aneurisma sacular, é uma dilatação que se forma na parede uma artéria do cérebro. Geralmente ocorre em artérias do Polígono de Willis, responsáveis por parte da irrigação cerebral.

Acredita-se que a predisposição genética possa ser a origem do aneurisma cerebral, inclusive em indivíduos com pressão arterial normal, embora seja muito mais frequente em pessoas com pressão alta.

A formação do aneurisma parece ocorrer por uma pressão exercida na região menos resistente da artéria, dando origem a uma espécie de bexiga que vai crescendo lenta e progressivamente. Ou uma malformação do vaso congênita (a pessoa já nasce com essa alteração.)

Com o tempo, pode haver a rotura da artéria nessa região, devido sua distensão, causando volumosa hemorragia, ou compressão de outras áreas do cérebro ao redor do aneurisma.

Os episódios de ruptura e sangramento costumam ocorrer entre os 40 e 50 anos de idade, são mais comuns em mulheres e tornam-se mais frequentes à medida que a pessoa envelhece. Nestes casos, apenas dois terços dos pacientes sobrevivem e, dentre esses, metade permanece com sequelas que comprometem a qualidade de vida.

Quais são as causas do aneurisma cerebral?

O aneurisma cerebral tem como possíveis causas: predisposição genética, hipertensão arterial, dislipidemia (colesterol ou triglicerídeos altos), diabetes, tabagismo e consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

Quais são os sintomas do aneurisma cerebral?

Um aneurisma cerebral pequeno e que não se rompeu pode não causar sintomas.

Quando se rompe, causando hemorragia cerebral, os sintomas ocorrem pela irritabilidade que o sangue (fora do vaso sanguíneo), banhando o cérebro, pode causar. Os sintomas mais comuns são: dor de cabeça súbita, náuseas, vômitos, crise convulsiva e perda da consciência ou coma.

Em caso de ruptura do aneurisma cerebral, o risco de morte é alto, variando entre 30 a 50%, dependendo dos estudos.

O diagnóstico do aneurisma cerebral é realizado por exames de imagem, como arteriografia, angiotomografia ou angiorressonância cerebral, tornando a detecção precoce infrequente, já que esse exame não faz parte da rotina dos exames de check-up.

Qual é o tratamento para aneurisma cerebral?

Uma vez feito o diagnóstico, o tratamento do aneurisma cerebral deve ser realizado o quanto antes, seja através de cirurgia aberta ou embolização (cateterismo cerebral).

O melhor método deverá ser avaliado, de acordo com as características do aneurisma e as condições clínicas da pessoa. O risco da cirurgia deve ser menor do que os riscos oferecidos pela história natural da doença.

A cirurgia aberta do aneurisma cerebral é feita através de uma abertura no crânio. O procedimento consiste em colocar um clipe de titânio que comprime a base do aneurisma.

Contudo, atualmente o tratamento da maioria dos casos de aneurisma cerebral tem sido feito por embolização. Esse procedimento é minimamente invasivo e consiste na colocação de um material no interior do "saco" aneurismático, por via de um cateter, bloqueando o aneurisma.

O objetivo do tratamento de um aneurisma cerebral que se rompeu é evitar que o mesmo volte a sangrar. Uma nova hemorragia aumenta as taxas de mortalidade.

Em caso de pessoas que não podem, não devem ou não querem passar por cirurgia, deve-se manter controle rigoroso da pressão arterial, evitar esforços físicos e não fumar.

Portanto, é importante lembrar que dores de cabeça intensas, com surgimento súbito e repentino (como se tivesse levado uma pancada), acompanhada de enjoo e vômitos, indica a necessidade urgente de atendimento médico-hospitalar.

Em caso de suspeita de aneurisma cerebral, um médico clínico geral, médico de família ou, preferencialmente, um neurologista deverá ser consultado para avaliação e tratamento.

Leia também: Quais os sinais e sintomas de um aneurisma cerebral?