Perguntar
Fechar
Meu filho 13 anos queixa-se de caroço em seu peito esquerdo?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Nesta idade já existe uma grande quantidade de hormônios sexuais agindo no corpo de seu filho, isto sempre levanta a dúvida se um caroço ou nódulo de mama nesta idade representa apenas um problema hormonal ou pode ser um nódulo na mama mesmo. Seu filho precisa ser examinado por um médico, leve ele num pediatra (alguns não atendem crianças com mais de 12 anos) ou ginecologista que eles saberão conduzir a investigação adequada para esse tipo de situação.

Tenho dor nos seios 15 dias antes da menstruação?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, uma dor leve no período pré-menstrual é normal. A maioria das mulheres irá apresentar pelo menos uma vez na vida momentos de dor mamária antes da menstruação.

Os seios podem ficar doloridos de 7 a 10 dias antes da menstruação, a dor começa leve e pode se intensificar gradativamente, mas ela tende a aliviar e desaparecer quando ocorre a menstruação.

A dor nos seios que ocorre no período pré menstrual é chamada de mastalgia cíclica. É uma forma de dor relativamente comum, cerca de 60 a 70% das mulheres irão apresentar essa mastalgia pelo menos uma vez na vida.

A mastalgia cíclica atinge geralmente os dois seios, mas também pode acometer apenas uma das mamas. Normalmente é uma dor difusa, podendo atingir qualquer área da mama, inclusive o bico dos seios, axilas e braços.

As mulheres podem também notar que as mamas ficam mais ingurgitadas, como se estivessem inchadas ou maiores durante o período pré-menstrual. O aumento da sensibilidade nos seios e mamilos também é uma queixa frequente antes da menstruação.

Normalmente, a mastalgia cíclica é leve ou moderada, não interferindo nas atividades diárias das mulheres. Contudo, cerca de 10 a 15% das mulheres que apresentam mastalgia cíclica podem queixar-se de uma dor intensa e severa, podendo impossibilitar as atividades do dia-a-dia e levando a necessidade de uso de medicamentos para controle da dor.

A causa da dor na mama antes do período menstrual se deve as oscilações hormonais que ocorrem no organismo feminino, associadas à ovulação, que estimulam a proliferação do tecido glandular normal da mama e resultam em dor.

A dor mamária cíclica atinge principalmente mulheres entre os 30 e os 40 anos, mas pode atingir também outras faixas etárias.

Caso apresente dor nas mamas de forte intensidade ou outros sintomas e alterações na mama como vermelhidão, nódulos ou inchaço, consulte um ginecologista ou médico de família para uma avaliação.

Também pode ser do seu interesse:

Dor no bico dos seios, o que pode ser?

Estou com os seios inchados e doloridos o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Seios inchados e doloridos são queixas frequentes de mulheres em qualquer idade. A maioria desses problemas é explicada pelas flutuações hormonais ao longo do ciclo menstrual. Em geral, a época em que esses sintomas ficam mais intensos é na fase pré-menstrual, ou seja, dias antes de começar a menstruação.

Os outros tipos de dores ou sensibilidade nos seios são bem raros e podem acontecer não necessariamente vinculadas ao ciclo menstrual, e afetar apenas uma mama ou uma região dela. Nesse caso, havendo presença de outros sintomas como secreção mamilar, alteração da pele da mama, vermelhidão, coceira, nódulo ou caroço, é recomendada a consulta com o/a médico/a para avaliação e exame físico das mamas. 

O auto exame e observação do próprio corpo é muito importante para a compreensão do funcionamento de cada organismo e da percepção de alterações.

Também pode lhe interessar: Dor no seio durante a gravidez: o que fazer para aliviar?

O que é doença de Paget? Quais os sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A doença de Paget, conhecida também por osteíte deformante, é uma doença crônica osteometabólica, em que ocorre uma reabsorção exagerada do material ósseo e remodelação inadequada, com consequente formação de um osso anormal, de tamanho aumentado, matriz mais esponjosa, portanto mais frágil.

Doença de Paget

Pessoas com doença de Paget apresentam uma decomposição acelerada do tecido ósseo em áreas específicas, que levam a destruição e regeneração óssea anormal, causando deformidade nos ossos afetados.

Pode acometer apenas um osso ou muitos ossos localizados em várias partes do esqueleto. Os locais mais acometidos são as clavículas, ossos dos braços, das pernas, da pelve, da coluna vertebral e do crânio.

A causa da doença de Paget não está bem estabelecida. Acredita-se haver influência de fatores genéticos, mas a doença também pode ser provocada ou deflagrada por uma infecção viral.

A doença é mais prevalente em homens com mais de 40 anos de idade.

Quais são os sintomas da doença de Paget?

O principal sintoma da doença de Paget é a dor óssea. Além da dor no osso, podem estar presentes outros sinais e sintomas como:

  • Fraturas patológicas;
  • Deformidades ósseas;
  • Osteoartrites;
  • Compressão de nervos;
  • Degeneração da coluna vertebral (estenose de canal);
  • Dor ou rigidez nas articulações e dor no pescoço;
  • Curvatura das pernas e outras deformidades visíveis;
  • Deformidades no crânio;
  • Dor de cabeça;
  • Perda auditiva;
  • Baixa estatura;
  • Aumento da temperatura da pele sobre as áreas afetadas.

No entanto, a doença de Paget não manifesta sintomas na maioria dos casos. O diagnóstico é feito acidentalmente, através de um exame de raio-x ou exames de sangue de rotina, que apresentam altos níveis de cálcio na circulação, ou quando ocorre a primeira fratura óssea.

Quais as possíveis complicações da doença de Paget?

As possíveis complicações da doença de Paget podem incluir: fraturas ósseas, surdez, deformidades, insuficiência cardíaca, hipercalcemia (níveis altos de cálcio no sangue), paraplegia e estenose espinhal. Em casos raros, a pessoa pode desenvolver osteossarcoma, um tipo de câncer ósseo.

Qual é o tratamento para doença de Paget?

O tratamento da doença de Paget inclui o uso de medicamentos inibidores de reabsorção óssea. Em alguns casos, pode ser indicada cirurgia, como nas compressões nervosas e osteoartrite grave, embora nenhum desses tratamentos seja totalmente eficaz contra a doença.

Não são todos os casos que necessitam do tratamento. Apenas em situações de doença ativa, ou situações específicas, deve ser iniciado o tratamento específico, como nos casos citados abaixo:

  • Acometimento de certos ossos, como os que sustentam o peso do corpo, estão comprometidos e o risco de fratura é maior;
  • Piora e evolução rápida das alterações ósseas;
  • Presença de deformidades ósseas;
  • Presença de dor refratária ou outros sintomas;
  • O crânio é afetado, o que pode levar à perda de audição;
  • Níveis de cálcio no sangue elevados e presença de sintomas decorrentes da hipercalcemia.

O tratamento com medicamentos ajuda a prevenir a degeneração e a formação óssea anormal. Os medicamentos mais indicados são:

  • Bisfosfonatos: Tratamento de primeira linha para a doença de Paget, ajudam a diminuir a remodelação óssea. Geralmente são administrados por via oral, mas também podem ser administrados por via intravenosa;
  • Calcitonina: Hormônio envolvido no metabolismo ósseo, diminuindo a concentração de cálcio no sangue e aumentando sua fixação nos ossos. Pode ser administrado sob a forma de spray nasal ou através de injeção subcutânea;
  • Paracetamol e anti-inflamatórios não esteroides: Medicamentos que podem ser administrados por via oral, para alívio da dor.

Na maioria das vezes, a doença de Paget pode ser controlada com medicação. A cirurgia ortopédica pode ser necessária para corrigir deformidades em casos graves. Alguns pacientes precisam realizar uma artroplastia.

Os principais objetivos do tratamento da doença de Paget são: diminuir as dores, restabelecer o metabolismo normal dos ossos e prevenir deformidades, complicações ósseas (artrites, fraturas) e compressão dos nervos.

A doença de Paget óssea deve ser diagnosticada pelo médico reumatologista ou ortopedista.

O que é a doença de Paget da mama?

A doença de Paget da mama é uma outra doença, com o mesmo nome. Trata-se de um tipo raro de câncer de mama que acomete a camada mais superficial da pele da região da aréola e do mamilo. A doença de Paget mamária ocorre principalmente em mulheres dos 60 aos 70 anos de idade.

Vale lembrar que a doença de Paget óssea não tem nenhuma relação com câncer.

Quais os sintomas da doença de Paget da mama?
  • Coceira e vermelhidão na aréola ou mamilo;
  • Pele espessa e áspera;
  • Ardência;
  • Bolhas com líquido;
  • Sangramento nos mamilos;
  • Presença de nódulos.

No início, a doença pode ser confundida com uma alergia, pois começa com uma vermelhidão e descamação que geralmente provocam ardência e coceira. A seguir surgem feridas, que podem eliminar secreção e provocar dor intensa. Pode haver sangramento dos mamilos e em cerca de metade dos casos existe um nódulo palpável na mama.

Qual é o tratamento da doença de Paget da mama?

O tratamento da doença de Paget mamária depende sobretudo do diagnóstico precoce e da extensão do tumor, sendo a cirurgia a forma de tratamento mais utilizada e resolutiva.

Nesses casos, a doença deve ser diagnosticada e acompanhada por um médico mastologista.

É possível aumentar os seios de forma natural, sem cirurgia?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

É possível aumentar o volume dos seios de forma natural se houver aumento da gordura mamária devido ao ganho de peso ou aumento da massa muscular da região das mamas (músculo peitoral) por meio de exercícios físicos localizados.

Os seios crescem e se desenvolvem durante a evolução da puberdade. Algumas mulheres apresentam um desenvolvimento mamário discreto e as mamas parecem ter parado de crescer na infância.

Em alguns casos, o uso de hormônios femininos presentes em algumas pílulas pode estimular um maior desenvolvimento dos seios, no entanto, esse tipo de medicamento não deve ser usado apenas para esse propósito e sem orientação médica.

Outras práticas como a aplicação de produtos nos seios, embora muito divulgadas, não têm comprovação de segurança e eficácia.

Como é a cirurgia para aumentar os seios?

Na cirurgia para aumentar as mamas através de implantes de silicone, a prótese pode ser colocada atrás ou à frente do músculo peitoral.

Em mulheres muito magras e com pouca mama, pode-se optar pela colocação da prótese atrás do músculo para não deixar a pele muito marcada. Essa técnica também é muito usada em mulheres mastectomizadas, que já não têm mamas e só possuem pele e gordura.

Porém, a grande vantagem em colocar a prótese à frente do músculo é o pós-operatório, que é mais rápido, com menos dor e complicações.

Qual é o formato das próteses usadas para aumentar os seios?

As próteses de silicone usadas para aumentar os seios podem ser redondas ou anatômicas. As redondas deixam o colo mais bem mais preenchido. Já as anatômicas deixam as mamas com uma forma mais natural, com uma transição mais suave na sua porção superior.

Aumentar os seios pode causar estrias?

O aumento dos seios pela colocação de próteses de silicone pode causar estrias, se o volume da prótese for demasiado exagerado para a quantidade de pele disponível.

Aumentar os seios diminui a sensibilidade dos mamilos?

A sensibilidade do mamilo geralmente não fica alterada com a cirurgia. Porém, a colocação de próteses muito volumosas pode diminuir ou até mesmo eliminar a sensibilidade. Se o acesso cirúrgico for pelas auréolas, também há uma maior chance de diminuir essa sensibilidade.

Se eu aumentar os seios posso amamentar?

O aumento das mamas pela colocação de próteses de silicone não interfere com a amamentação, pois a glândula mamária não sofre ressecção.

Aumentar os seios pode causar câncer?

As próteses mamárias não causam câncer, não impedem a realização de mamografia, nem aumentam os riscos de desenvolver câncer de mama.

O ginecologista e o endocrinologista são os especialistas a serem consultados para aumentar as mamas naturalmente. Em caso de cirurgia, o cirurgião plástico é o responsável pelo procedimento.

O que é um fibroadenoma mamário e quais os sintomas?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Fibroadenoma mamário é um tumor benigno que surge na mama e ocorre sobretudo em mulheres negras com menos de 30 anos. Seu principal sintoma é a presença de um ou mais caroços na mama que podem ser notados mais facilmente durante a menstruação.

O nódulo se move durante a palpação, não causa dor, mede de 2 a 3 cm, é firme e as suas bordas são bem definidas. Contudo, uma vez que o fibroadenoma reage às alterações hormonais da mulher, ele pode aumentar de tamanho e ficar dolorido com a aproximação da menstruação.

Na mamografia, o fibroadenoma aparece como uma massa redonda, oval ou lobulada, com margens bem definidas. Eles podem ser únicos ou múltiplos e desenvolvem calcificações bastante características nas mulheres mais idosas.

Leia também: Calcificação na mama é perigoso? O que pode ser?

Na ultrassonografia, o fibroadenoma é ovalado, com a largura maior do que a altura – o que é comumente referido como orientação paralela à pele – margens circunscritas e ecos fracos em seu interior – ou hipoecoico. Ele se diferencia do câncer de mama ao ultrassom por essas características. Além disso, o carcinoma tem margens mal-definidas, formato irregular e ecos heterogêneos em seu interior.

Veja também: Fibroadenoma mamário pode virar câncer?O que é um nódulo hipoecóico e hipoecogênico?

O diagnóstico do fibradenoma mamário é feito pela biópsia do nódulo e pelo exame anatomopatológico. A biópsia pode ser feita de diversas formas. No entanto, o método cirúrgico tem a vantagem de poder remover completamente o tumor, atuando já como uma forma definitiva de tratamento do fibroadenoma.

Saiba mais em: Qual o tratamento para fibroadenoma mamário?

Se você palpar um caroço na mama durante o autoexame com as características listadas acima, consulte um mastologista, que irá orientá-la sobre como confirmar o diagnóstico e como será feito o tratamento.

Tenho seios pequenos, queria saber se eles crescem mais?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Provavelmente sim, mas o ideal é ser examinada por um médico, o tamanho dos seios está relacionado com a genética (que no seu caso parece favorável) e com outros fatores como alimentação e hormônios.

Caroço no seio que se movimenta e não dói o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A presença de caroço no seio é uma situação comum nas mulheres. Os cistos e fibroadenomas são as lesões mais comuns dentro das lesões benignas. E as lesões benignas são as mais comuns comparadas com as malignas.

Normalmente, as lesões malignas possuem as características de serem um caroço duro, que não se move, com bordas irregulares e único. Porém, cada pessoa pode haver uma manifestação diferente e não há um único padrão para identificar as lesões malignas.

Após identificar um caroço no seio, é importante procurar um/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para um exame detalhado das mamas. Após o exame físico, o/a médico/a pode solicitar algum exame complementar como a mamografia, ultrassonografia ou biópsia do caroço para caracterizar adequadamente o nódulo e saber a natureza dele enquanto benigno ou maligno.

Procure um serviço de saúde para marcar uma consulta.

Leia também: O que é um nódulo isodenso?

Perto de menstruar aparece caroço no meu seio...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você tem um nódulo no seio e precisa procurar um médico para ser examinada e se necessário ele solicitará exames, pela sua descrição ele parece benigno, mas só a avaliação médica poderá definir o tipo de nódulo.

Estou com caroço no bico do seio o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Provavelmente não há relação com seu tumor uterino, quando voltar ao seu ginecologista peça para ele examinar suas mamas. A presença de nódulo no mamilo pode corresponder a diferentes afecções mamilares.

Entre as possíveis causas de nódulo mamilar estão a ectasia ductal, o papiloma intraductal, a presença de um abcesso subareolar, ou mesmo um tumor maligno da mama.

Ectasia ductal da mama

A ectasia ductal ocorre quando um ducto de leite dilata-se, fica com as paredes espessadas e rígidas, levando ao acúmulo de líquido. Pode haver o bloqueio desse ducto, que ocasiona uma alteração no mamilo com formação de nódulo, pode também ocorrer sintomas de sensibilidade, vermelhidão e inchaço local.

O mais comum é a ectasia ductal da mama ser assintomática e geralmente a melhora ocorrer espontaneamente. Em algumas situações é necessário o uso de antibióticos para tratar uma infecção secundária.

A causa da ectasia ductal da mama não está bem estabelecida, mas há associação com o envelhecimento, tabagismo ou inversão mamilar.

Papiloma intraductal

Os papilomas intraductais são nódulos benignos que se desenvolvem em ductos de leite por trás da aréola mamária, não estão associados a um aumento do risco de câncer de mama. Geralmente, a mulher sente que tem uma nodulação embaixo da aréola, eventualmente pode ocorrer também a saída pelo mamilo de um líquido claro e pegajoso, podendo apresentar um pouco de sangue.

Na maioria das vezes esses papilomas não requerem tratamento, em algumas situações quando inflamam pode ser aconselhado uma intervenção cirúrgica para retirada do ducto afetado.

Abscesso subareolar da mama

O abcesso subareolar da mama ocorre quando há uma infecção bacteriana e consequente inflamação nos ductos terminais da mama. É um quadro que pode acometer principalmente mulheres entre os 30 e os 40 anos de idade, é também mais comum em mulheres fumantes.

O abcesso subareolar mamilar também apresenta outros sintomas importante como inchaço, vermelhidão e dor na região acometida, com a sua evolução pode ocorrer a formação de uma fístula com a saída de secreção pustulosa para o exterior da aréola.

O tratamento é basicamente através do uso de antibióticos e drenagem da secreção acumulada no interior do abcesso.

Quando suspeitar de câncer de mama?

Alguns sinais de alerta para a presença do câncer do mama são:

  • Presença de nódulo mamário geralmente endurecido e indolor, com conformação irregular;
  • Saída de líquido transparente ou com sangue do mamilo;
  • Endurecimento ou rigidez da mama, principalmente em volta do mamilo, a pele pode ficar com um aspecto enrugado;
  • Pele avermelhada e sensível na mama e na região das axilas.

Na presença de qualquer um desses sintomas é essencial procurar a avaliação de um médico para avaliação e investigação

Minha filha tem 7 anos e notei que os seios estão nascendo!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Esse inchaço pode ser o botão mamário, pode acontecer de iniciar num lado antes que ou outro, isso é sinal que os hormônios dela estão começando a entrar em atividade. Porém para saber com certeza o ideal é um médico examinar as mamas dela para realmente dar o correto diagnóstico.

Enquanto os seios doerem é porque estão crescendo?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, é possível que a dor nos seios esteja relacionada ao crescimento das mamas em adolescentes e mulheres jovens. Durante a puberdade a presença de hormônios leva ao crescimento do tecido mamário e estica a pele da mama, esse processo pode levar a uma maior sensibilidade dos seios e dor.

Enquanto a mama não se desenvolver completamente esses episódios de dor podem se repetir. É comum e frequente esse tipo de dor mamária e não representa nenhuma doença.

Em mulheres que já apresentam ciclos menstruais também são comuns episódios de dor mamária no período pré-menstrual, chamada mastalgia cíclica. Nessa situação, a mama torna-se um pouco mais ingurgitada devido à ação hormonal, o que pode ocasionar dor, desconforto e aumento da sensibilidade.

Eventualmente, também podem surgir pequenos nódulos mamários, móveis e dolorosos. Esta dor relacionada ao ciclo menstrual costuma cessar com a vinda da menstruação, em casos mais graves, no entanto, pode persistir por mais dias.

O que fazer para aliviar a dor nos seios?

As dores mamárias relacionados ao ciclo menstrual e a dor associada ao crescimento dos seios na adolescência costumam melhorar espontaneamente. Caso os episódios de dor sejam mais frequentes e incômodos algumas medidas podem ser tomadas para aliviar a dor, como:

  • Uso de sutiã esportivo;
  • Ter uma dieta livre de gorduras;
  • Não fumar;
  • Praticar atividade física.

No caso de dores intensas ou aparecimento de outros sintomas como nódulos endurecidos, secreção mamilar, inchaço e vermelhidão mamária, alterações na pele da mama é importante procurar um médico de família ou ginecologista para uma avaliação.