Perguntar
Fechar

Preventivo

O que significa colo do útero fechado?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Significa que o colo do útero encontra-se na posição fechada, não permitindo a comunicação entre o útero e a vagina.

Colo do útero fechado

O colo do útero costuma se apresentar fechado nas seguintes situações:

  • Durante o período não-fértil da mulher - o que protege a mulher de contato constante com o meio externo;
  • Durante a gravidez - com objetivo de manter o bebê dentro do útero. Inclusive, uma das causas comuns de aborto tardio e parto prematuro, é a incompetência nessa função, chamada Incompetência istmocervical.
Colo do útero aberto

Enquanto nas situações de período fértil, para permitir a entrada dos espermatozoides, o colo se mantém aberto. Outra situação, é durante a menstruação, para que seja eliminado o sangue acumulado na parede do útero, através da vagina.

Colo do útero

O colo do útero é uma estrutura cilíndrica, localizada na porção inferior do útero até o fundo da vagina, comunicando essas duas estruturas, através de um canal central, o canal cervical. É pelo canal cervical que passam o sangue eliminado na menstruação, os espermatozoides e o bebê, durante o parto natural.

Portanto, trata-se de uma estrutura que é exposta a diversas situações e agressões, por isso apresenta maior risco de doenças como inflamação, infecção e câncer.

O câncer do colo do útero, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), representa o 3º tumor maligno mais frequente na população feminina, atrás apenas do câncer de mama e do colorretal, e a 4ª causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Entretanto, pode ser facilmente detectado no exame preventivo, e se precocemente, a grande maioria tem a possibilidade de cura completa com o tratamento.

Sendo assim, mantenha regular seu acompanhamento com médico ginecologista e faça os exames preventivos conforme orientação.

Pode lhe interessar também: Com qual idade a mulher deve fazer o preventivo pela primeira vez?

Quantas vezes no ano a mulher deve ir ao ginecologista?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não há necessidade de consulta anual com ginecologista.

A mulher deve procurar médico/médica sempre que tiver sentindo algum sintoma que necessite de cuidados de saúde.

Normalmente a procura pela ginecologia surge quando a mulher pretende começar ou adequar um método anticonceptivo, iniciar o acompanhamento da gravidez, compreender queixas vinculadas à sexualidade, fazer o exame preventivo ou mesmo resolver qualquer problema do sistema genital feminino. Muitas dessas questões podem ser resolvidas por médicos de família ou clínicos gerais.

Por isso, em qualquer momento destes procure o/a ginecologista ou médico de família ou clínico geral.

Eu tive algo que acredito ser uma fístula anal...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Deve procurar o médico sim para os seus exames anuais de rotina, mas em relação ao que teve no ânus, pode optar por comentar isso com seu médico, quando fizer seu próximo preventivo e ele pode dar uma olhada.

Eu fiz alguns exames ginecológicos e estou preocupada...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Bom você está com cistos nos ovários o que explicaria essa sua irregularidade menstrual. Pode sim ter haver com o que aconteceu com seu lado emocional. Em relação ao seu Papanicolau é uma infecção que precisa de tratamento adequado, assim como os cistos e seu problema emocional, todos precisam ser tratados.

Fiz o preventivo e fiquei com medo de ir levar o exame...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O exame sugere uma vaginose bacteriana (infecção vaginal), causada pela bactéria Gardnerella mobiluncus.

As vaginoses são infecções comuns nas mulheres, causadas por um aumento exagerado da população de bactérias presentes normalmente na flora vaginal.

E esse aumento da população de bactérias pode ser originado por situações e doenças que levem a redução da imunidade, como diabetes, depressão, estresse, uso de antibióticos, ainda, o tabagismo, uso regular de duchas vaginais, vários parceiros sexuais, até por gravidez.

Entretanto, esse resultado deve ser avaliado pelo médico ginecologista, em conjunto com seu exame clínico e ginecológico, para confirmar a suspeita da infecção e então, ser receitado a medicação para o tratamento definitivo da vaginose.

Infecção por Gardnerella

A Gardnerella vaginalis ou mobiluncus, são as bactérias responsáveis pela maioria das vaginoses evidenciadas. O quadro clínico pode ser assintomático, ou seja, a mulher não apresenta qualquer sintoma, outras vezes pode apresentar um corrimento branco acinzentado, de consistência mais pastosa, coceira local, embora pouco comum, e odor desagradável.

O tratamento é baseado em medicamentos, sendo o mais utilizado, o metronidazol® 500 mg 2x ao dia, ou 250 mg 3x ao dia, por pelo menos 7 dias, ou a critério médico. Outra opção é a clindamicina® 300 mg 2x ao dia, também por 7 dias. O tratamento pode ser repetido se houver recidiva da doença.

Apesar de não ser considerada uma doença sexualmente transmissível, porque a bactéria faz parte da flora vaginal natural, a doença pode ser transmitida ao parceiro por via sexual, portanto, deve evitar relações até o final do tratamento, e o parceiro deve ser avaliado pelo seu médico assistente.

Saiba mais: O que é gardnerella e como se contrai?

Exame de preventivo

Também conhecido por Papanicolau, o exame preventivo é uma avaliação ginecológica, aonde são coletados materiais celulares do colo do útero e regiões ao redor, com o objetivo principal de detectar células anormais precocemente, como rastreio de câncer de colo de útero. Ainda, o exame é capaz de avaliar o equilíbrio da flora vaginal, e a presença de inflamação ou infecção local.

Leia também: Existe diferença entre papanicolau e preventivo?

Colposcopia pode ser feita durante a gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a colposcopia pode ser feita durante a gravidez.  

A colposcopia é um procedimento indicado para avaliar lesões pré cancerígenas no colo do útero. Normalmente, ela é indicada após a observação de alguma alteração na citologia, exame preventivo ou Papanicolau.  

A colposcopia pode ser feita durante a gravidez sem nenhum problema para o feto ou para a mulher. A diferença é que um dos exames que pode ser feito durante a colposcopia não poderá ser realizado em grávidas. Por isso, é importante informar ao/à médico/a a presença da gravidez antes de se iniciar o exame.  

Durante a gravidez é recomendado realizar adequadamente o pré-natal, bem como os exames solicitados pelo/a profissional assistente. Com isso, a mulher poderá ter uma gravidez bem acompanhada garantindo a sua saúde e de seu/sua bebê.  

O que é esfregaço hemorrágico?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

É o resultado de um exame de esfregaço com presença de hemácias, ou seja, sangue na amostra colhida.

O que pode causar a presença de sangue no esfregaço?

O resultado tem pouco significado clínico, porque na maioria das vezes a presença de sangue é decorrente de problemas durante a coleta, como pequenos traumas. Inclusive, quando existe uma quantidade elevada de hemácias, inviabiliza a análise do esfregaço, sendo necessário desprezar o material e solicitar nova coleta.

Entretanto, pode estar associado a alguma doença na região genital feminina, como um câncer de colo de útero ou infecções por Trichomonas vaginalis, por exemplo.

Portanto, esse exame deve ser avaliado de forma criteriosa pelo médico especialista, ginecologista, para definir a melhor conduta.

Esfregaço

O esfregaço é a análise do material colhido no exame preventivo da mulher, o Papanicolau. As amostras colhidas são espalhadas em finas lâminas de vidro, aonde mais tarde serão depositados corantes, que definem os tipos de células existentes em cada amostra.

Resultados do esfregaço

O resultado do esfregaço eutrófico, é o mais encontrado, indica normalidade. Descreve presença de células típicas daquela região.

Atrófica ou hipotrófica, são células evidenciadas nas fases da vida da mulher em que ocorre redução ou ausência de estímulo pelo estrogênio, como na infância, pós-parto e pós menopausa, por isso existem menos células na região. Sendo assim, estando dentro desse contexto, também é considerado um achado normal.

Leia também: É normal sangrar depois do preventivo?

Porque quando tenho relações tenho cistite no dia seguinte?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Cistites (infecção na bexiga) são comumente causadas pela relação sexual, procure um ginecologista, talvez precise fazer tratamento preventivo. Uma outra boa opção é o tratamento com remédios homeopáticos, procure um homeopata.

O que é colo uterino com conteudo hemático no seu interior?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Significa que foi observado a presença de sangue ("conteúdo hemático") no colo do útero.

A presença de sangue no colo do útero pode ser encontrada no exame preventivo e representar diversas situações, como:

  • Traumas, pode ocorrer pequenos traumas na região vaginal, até mesmo acidental durante a coleta do exame preventivo;
  • Fragilidade capilar,
  • Doenças inflamatórias ou infecciosas como vaginose bacteriana e
  • Câncer de colo de útero.

Portanto deve sempre ser melhor investigado. Converse com seu ginecologista, que poderá interpretar o resultado do exame por completo e definir a conduta adequada para este caso.

Exame de preventivo ou Papanicolau

O exame Papanicolau, é o principal exame de rastreio para a prevenção ou diagnóstico precoce de câncer do colo do útero, entretanto esse exame pode diagnosticar também doenças inflamatórias, infecciosas, além das lesões tumorais.

As alterações celulares com alto risco de evoluir para câncer devem ser ressecadas para estadiamento e definição do tratamento completo. As doenças inflamatórias e infecciosas recebem tratamento a base de medicamentos.

Saiba mais no link: Qual o tratamento para vaginose?

Qualquer uma dessas situações podem levar a presença de conteúdo hemático no colo do útero, porém, embora não seja obrigatoriamente um sinal de câncer, é um sinal de alerta, o que exige uma investigação minuciosa.

Pode lhe interessar ainda: O que significa esfregaço hemorrágico?

Quanto tempo depois da primeira vez se faz exame Papanicolau?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

No Brasil, o exame preventivo é recomendado principalmente de acordo com a idade. Atualmente, a recomendação é para mulheres entre 25 e 64 anos e que já iniciaram atividade sexual. O exame deve ser repetido anualmente nos primeiros dois anos, e com resultados normais deve passar para 3 em 3 anos.

A única exceção é para mulheres portadoras do vírus HIV ou imunodeprimidas, as quais precisam repetir anualmente o exame, ou a critério médico.

No entanto, a recomendação não impede que o ginecologista, solicite o exame mais precocemente ou mais vezes, de acordo com a sua avaliação. Trata-se de uma recomendação geral, que deve ser avaliada caso a caso.

Tanto é que as recomendações sofrem alterações constantemente. Atualmente a recomendação mundial e adotada pela maioria dos países, é de iniciar o exame aos 21 anos, com citologia oncótica cérvico-vaginal, sendo repetido a cada 3 anos, ou com co-teste (citologia associado ao teste de DNA-HPV por captura híbrida) a cada 5 anos.

No Brasil, um grupo de São Paulo, em convênio com outros países, já participa de um projeto piloto, aonde avalia a substituição do exame preventivo pelo estudo de teste de DNA-HPV por captura híbrida. Mas ainda no Brasil, se mantém a recomendação do exame regularmente, conforme descrito acima, visto que é a medida comprovadamente mais efetiva contra o câncer de colo de útero, até o momento.

Como é feito o exame?

O exame é simples, rápido e não causa dor. Algumas mulheres queixam de incômodo, mas que não duram muito tempo. O médico passa uma "escovinha" especial no colo do útero e transfere para os recipientes adequados, depois para a lâmina de vidro, aonde será analisado.

Leia mais sobre o assunto em: Como é feito o exame preventivo feminino?

Cuidados antes do exame

Os cuidados e orientações antes da realização do exame, são fundamentais para garantir um resultado fidedigno, por isso siga todas as recomendações. São elas:

  • Não pode manter relações sexuais no dia anterior ao exame (mesmo com camisinha);
  • Evitar o uso de duchas higiênicas, dias antes do exame;
  • Evitar medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas antes do exame;
  • Não pode estar menstruada;
  • Evitar roupas apertadas no dia anterior.

Mulheres grávidas também podem realizar o exame, sem riscos para sua saúde ou a do bebê.

Vacina contra HPV

Vale ressaltar que o Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, desde 2014, a vacina contra o HPV, principal fator de risco para câncer de colo de útero, para todas as meninas entre 9 e 14 anos, com objetivo de erradicar o vírus, portanto, é importante que a população se informe sobre a vacina e procure manter seu calendário vacinal e dos seus filhos, atualizado.

A vacina que foi estendida mais recentemente para meninos, de 11 a 14 anos. Ela protege contra os tipos 16 e 18 do HPV, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

A vacina e a realização do exame preventivo se complementam no cuidado com a saúde da mulher.

O exame preventivo pode ser feito gratuitamente nas Unidades de Saúde da Família (USF) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) pelos profissionais de saúde da Medicina e Enfermagem.

Fiz um exame de Colpocitologia, o que significa resultado?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Provavelmente normal, a presença de lactobacilos e cocos corresponde a flora bacteriana vaginal normal, portanto não representam nenhuma doença e não exigem tratamento. No entanto, todo exame deve ser avaliado pelo médico que o solicitou que irá analisar o resultado conforme o contexto clínico individual de cada paciente.

Microbiologia na Colpocitologia

O exame de colpocitologia é realizado como rastreio do câncer de colo de útero, mas é também muito comum que ele mostre a presença de bactérias e outros micro-organismos, como fungos que podem estar presentes no ambiente vaginal.

Essa parte do exame vem descrito como Microbiologia. Em grande parte dos casos os micro-organismos descritos podem estar dentro da normalidade, em outros podem indicar uma infecção vaginal e exigir tratamento. Os achados do exame devem ser correlacionados com outros sinais e sintomas que a mulher possa apresentar.

Alguns resultados possíveis são:

  • Lactobacillus sp: corresponde a flora bacteriana normal;
  • Bacilos supracitoplasmáticos (sugestivos de Gardnerella/Mobiluncus): podem indicar a presença de alterações sugestivas de vaginose bacteriana, o médico irá correlacionar o achado com possíveis sintomas que a mulher apresenta e realizar tratamento;
  • Cocos: geralmente faz parte da flora bacteriana normal da mulher, não é necessário nenhum tratamento;
  • Candida sp: caso a mulher não apresente sintomas sugestivos de candidíase como coceira, corrimento vaginal, hiperemia e edema vulvar não necessita realizar tratamento, no entanto, caso a mulher apresente sintomas é necessário tratar com antifúngico;
  • Trichomonas vaginalis: esse é um protozoário que não está presente na flora bacteriana normal e quando aparece no exame necessita de tratamento tanto da mulher quanto do parceiro sexual, pois é uma causa um quadro de tricomoníase, uma doença sexualmente transmissível.
  • Sugestivo de Chlamydia sp: esse resultado pode exigir que seja realizado um outro exame confirmatório e de pesquisa da bactéria chlamydia, caso se confirme é importante realizar o tratamento;
  • Actinomyces sp: o tratamento dessa bactéria está indicado quando a mulher apresenta sintomas sugestivos de doença inflamatória pélvica, caso não apresente sintomas não é necessário tratar;
  • Efeito citopático compatível com vírus do grupo Herpes: nesse caso o médico também irá relacionar possíveis sintomas com o achado no exame e pode também ser necessário começar um tratamento contra o vírus do herpes.

Para mais informações consulte sempre o médico que solicitou o exame.

Quais são os riscos de ter osteoporose?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O maior risco oferecido pela osteoporose é a ocorrência de fraturas, devido ao enfraquecimento dos ossos e perda de massa óssea, principalmente na coluna, quadril e punho.

Além disso, as vértebras da coluna são achatadas, causando encurvamento das costas ("corcunda"), diminuição da altura e dor lombar.

Situações comuns como pequenas pancadas, quedas simples, tropeços, e até mesmo crise de tosse, podem ocasionar uma fratura espontânea em pessoas portadoras de osteoporose. É comum a pessoa fraturar o osso da coxa e cair pensando que a queda originou a fratura, quando na verdade foi o oposto, a fratura que ocasionou a queda.

A osteoporose é uma doença silenciosa, que muitas vezes não provoca sintomas. A dor, quando presente, normalmente está relacionada a fraturas espontâneas.

Veja também: O que é a osteoporose e quais os sintomas?

Dentre os fatores de risco para desenvolver osteoporose estão a menopausa (diminuição dos níveis de estrógeno), envelhecimento (perda de massa óssea), hereditariedade (casos de osteoporose na família), baixa ingestão de cálcio na alimentação, excesso de álcool e cigarro, imobilização prolongada e uso de medicamentos, como os corticoides.

O tratamento da osteoporose inclui uso de suplementos de cálcio e vitamina D, medicamentos, exercícios físicos e mudanças no estilo de vida. Além disso, é altamente recomendado o acompanhamento com exames de rastreio para diagnóstico precoce de osteoporose.

O/A médico/a ortopedista é o/a especialista indicado para diagnosticar e tratar a osteoporose.

Saiba mais em:

Tenho osteoporose, que cuidados devo ter?

Osteoporose tem cura? Qual o tratamento?

O que é osteopenia e quais os sintomas?