Perguntar
Fechar
Como eu conto a pausa de 7 dias do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A pausa do anticoncepcional deve ser contada da seguinte forma: a mulher inicia a cartela, toma 1 comprimido por dia sempre no mesmo horário. Quando acabar os comprimidos da cartela, a mulher deve ficar 7 dias sem tomar a medicação e voltar a tomar o primeiro comprimido da cartela nova no 8º dia.

Ou seja, se seu último comprimido foi tomado no domingo, você deverá iniciar a nova cartela na segunda-feira seguinte, fazendo o intervalo de 7 dias sem tomar a medicação.

A pausa do anticoncepcional é o intervalo entre uma cartela e outra. Nesses dias de intervalo, ocorrerá o sangramento equivalente à menstruação e, após essa pausa, a mulher deve iniciar a nova cartela e continuar tomando a medicação como indicada. 

Durante essa pausa, os hormônios da pílula continuam agindo no organismo da mulher e evitando a gravidez indesejada. 

O intervalo entre uma cartela e outra é recomendado de acordo com cada medicação, podendo variar de 4 a 7 dias

Evitar fazer o intervalo entre as cartelas não aumenta a eficácia da pílula, nem diminui a possibilidade de engravidar.

A pílula anticoncepcional deve ser usada corretamente e não é indicado realizar interrupções frequentes como usar por alguns dias, parar de tomar e voltar a usar. Dessa forma, ela não terá uma eficácia adequada e não fará seu efeito contraceptivo esperado.

Realize a pausa corretamente e continue tomando a medicação conforme indicado.

Quais os efeitos colaterais da fluoxetina?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os efeitos colaterais da fluoxetina mais comuns, ou seja, que ocorrem em mais de 10% dos casos, podem ser: dor de cabeça, insônia, sonolência, nervosismo, ansiedade, cansaço (fadiga), tremor, diminuição da libido (desejo sexual), diarreia, náusea, boca seca e e diminuição do apetite.

Outros efeitos secundários da fluoxetina que são considerados frequentes incluem:

  • Palpitação, dor no peito, aumento da pressão arterial;
  • Tontura, dificuldade para dormir, sonhos anormais, agitação, esquecimento;
  • Constipação, flatulência, vômitos, alteração do paladar, aumento do apetite, perda ou ganho de peso;
  • Visão turva;
  • Micções frequentes;
  • Dor no ouvido, sinusite, sangramento no nariz;
  • Distúrbios da ejaculação, impotência, sangramentos ginecológicos;
  • Erupções da pele, coceira e rubor.

De cada 100 pessoas que tomam fluoxetina, até 10 delas podem manifestar alguns desses efeitos colaterais. Muitas vezes esses efeitos duram poucos dias após o início do seu uso. Depois, com o organismo mais adaptado, os sintomas podem desaparecer.

Para que serve fluoxetina?

A fluoxetina é usada principalmente no tratamento da depressão. O seu princípio ativo é o cloridrato de fluoxetina.

A fluoxetina também serve para tratar bulimia nervosa, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), tensão pré-menstrual (TPM), irritabilidade e mal-estar causado por ansiedade.

A fluoxetina eleva os níveis de serotonina no cérebro, uma substância associada à sensação de prazer e bem-estar. Por isso, o seu uso melhora os sintomas da depressão e dos outros transtornos para o qual o cloridrato de fluoxetina é indicado.

Quanto tempo demora para sentir os efeitos da fluoxetina?

Os efeitos da fluoxetina levam algumas semanas para serem sentidos. Se os sintomas persistirem, o médico que receitou o medicamento deve ser informado, pois pode ser necessário reajustar a dose.

Como tomar fluoxetina?

Os comprimidos de fluoxetina devem ser tomados com um copo de água e podem ser ingeridos independentemente das refeições. As doses de fluoxetina variam conforme a doença a ser tratada e são indicadas conforme a avaliação médica.

Vale lembrar que cabe ao médico avaliar a necessidade de aumentar ou diminuir a dose de fluoxetina, de acordo com cada caso.

Todas as reações adversas decorrentes do uso de fluoxetina ou qualquer outra medicação, devem ser informadas ao médico que receitou o medicamento. Pode ser necessário suspender ou trocar a medicação, ou até manter o mesmo tratamento, conforme os efeitos colaterais presentes e tolerância do paciente, que serão discutidos durante a avaliação médica.

Também podem lhe interessar:

Grávida pode tomar fluoxetina?

Fluoxetina pode ser usada durante a amamentação?

Estou tomando antibiótico: posso consumir bebida alcoólica?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se está tomando antibiótico, o melhor é não consumir bebida alcoólica pois o álcool pode comprometer a ação do medicamento ou interagir com ele, causando efeitos colaterais indesejados.

No entanto, desde que a ingestão de álcool fique limitada a um drink ou uma taça de vinho ou 1 lata de cerveja, não há grandes problemas. Mais do que isso já é contraindicado.

O álcool inibe a ação do hormônio antidiurético, o que faz com que a pessoa elimine mais urina. Isso pode acelerar a eliminação do antibiótico, tornando o intervalo prescrito do medicamento inadequado.

Por exemplo, se o paciente estiver tomando um antibiótico a cada 8 ou 9 horas e consumir bebidas alcoólicas, pode ser que antes de chegar a hora de tomar a outra dose, ele já não tenha uma quantidade suficiente de antibiótico na corrente sanguínea, comprometendo o seu efeito.

Além disso, alguns antibióticos, como metronidazol, tinidazol, cetoconazol, nitrofurantoina, rifampicina e isoniazida, podem interagir com o álcool e causar dor de cabeça, aumento da frequência cardíaca (palpitação), vômitos, queda da pressão arterial e até mesmo desmaios.

O consumo de bebidas alcoólicas com antibióticos também pode diminuir o tempo de metabolização do álcool pelo fígado, aumentando a sua permanência e toxicidade no cérebro, fígado e trato digestivo.

Outro motivo para evitar a combinação de álcool com antibiótico é que ambos são metabolizados no fígado, o que não só prejudica o processamento do medicamento como sobrecarrega o órgão.

Para maiores informações sobre o consumo de bebidas alcoólicas com antibióticos, fale com o/a médico/a que receitou o medicamento.

Também pode lhe interessar:

Existe alguma comida que corta o efeito do antibiótico?

Tomar muito antibiótico faz mal?

Posso engravidar logo depois de parar de tomar o anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, você pode engravidar a qualquer momento após parar de tomar anticoncepcional.

O anticoncepcional é uma medicação que faz efeito durante o tempo de utilização. Ao parar de tomar, a mulher volta a ovular normalmente e, portanto, ela pode engravidar.

A mulher que para de tomar o anticoncepcional e não deseja engravidar deve usar outro método contraceptivo para evitar gravidez indesejada.

No caso dos anticoncepcionais injetáveis, isso pode ser um pouco diferente.

Os efeitos do anticoncepcional injetável trimestral podem demorar de 6 a 8 meses para desaparecer depois da última injeção. Em mulheres com excesso de peso esse desaparecimento é ainda mais lento.

Após parar de tomar a injeção ocorrerá uma adaptação hormonal capaz de reordenar os hormônios e recomeçar os novos ciclos menstruais. Essa readaptação pode demorar um pouco de tempo a depender de cada mulher.

Nesses casos, pode haver uma demora maior para engravidar após parar de usar o anticoncepcional.

Se você deseja parar o uso do anticoncepcional, é importante marcar uma consulta com o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para avaliarem o uso de um método mais adequado para você ou iniciarem um planejamento familiar.

Quanto tempo a Benzetacil começa a fazer efeito?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Benzetacil começa a atuar assim que aplicada, porém seus efeitos somente são notados após várias horas. O efeito máximo do Benzetacil ocorre entre 24 e 48 horas após a aplicação.

Benzetacil pode não fazer o efeito desejado, muitas bactérias são resistentes à penicilina.

O que posso tomar para que a menstruação não desça?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O uso de medicamentos hormonais é o modo mais seguro de evitar que a sua menstruação aconteça. Podem ser utilizados Primosiston®, anticoncepcionais orais e o dispositivo intrauterino (DIU) de progesterona.

A indicação de qualquer um destes medicamentos deve ser feita por uma ginecologista após avaliação do seu estado de saúde.

Que remédios posso usar para que a menstruação não ocorra? 1. Primosiston®

O Primosiston® é um medicamento a base de hormônios que, dependendo do modo de utilização, pode ser administrado para retardar ou antecipar a menstruação. Ele pode ser útil se você quer atrasar ou adiantar a menstruação em 1 ou 2 dias.

Entretanto, este medicamento somente pode ser consumido após um exame clínico e ginecológico detalhado, pois há possibilidade de efeitos colaterais graves como inchaço (edema) da face e garganta, trombose, hepatite e aumento da pressão arterial.

Além disso, o Primosiston® é contraindicado em caso de suspeita de gravidez.

2. Anticoncepcionais orais combinados

Os anticoncepcionais combinados de uso oral podem ser utilizados para atrasar a menstruação. Para isto basta usar os comprimidos de forma ininterrupta, ou seja, emende uma cartela na outra sem aguardar a pausa de sete dias entre as cartelas.

Deste modo as taxas de hormônio no sangue permanecem estáveis e a menstruação não acontece.

Se você deseja permanecer sem menstruar durante um mês, o método mais seguro é emendar as cartelas do anticoncepcional que você já utiliza.

3. Anticoncepcionais de uso contínuo e dispositivo intrauterino (DIU)

As mulheres que não desejam menstruar durante alguns meses podem optar pelos anticoncepcionais de uso contínuo. Estes medicamentos podem ser utilizados em forma de pílulas orais ou do dispositivo intrauterino de progesterona.

Os anticoncepcionais orais de uso contínuo trazem uma dosagem baixa de hormônio específica para que possa ser tomada diariamente sem a necessidade da pausa de 7 dias, na qual ocorreria a menstruação.

Já o dispositivo intrauterino (DIU) de progesterona é um dispositivo de plástico em formato de T que é colocado dentro do útero. A progesterona presente no DIU é liberada lenta e continuamente e impede a menstruação. O procedimento para colocar o DIU é feito em consultório pelo ginecologista.

Apesar de provocarem a ausência da menstruação, as mulheres que usam os anticoncepcionais de uso contínuo ou o dispositivo intrauterino podem apresentar pequenos sangramentos em qualquer período do mês. Estes sangramentos são considerados normais.

É possível parar a menstruação imediatamente?

Não. Não existem métodos seguros e eficazes com a capacidade de fazer com que a sua menstruação pare imediatamente de descer. Por este motivo, é importante que você conheça o seu ciclo e se planeje, caso queira atrasar a sua menstruação por causa de um compromisso que terá na próxima semana ou no próximo mês.

Outro passo importante é conversar com o seu médico de família ou ginecologista para juntos, decidirem a melhor forma de retardar a chegada da sua menstruação.

Não uso anticoncepcional e não quero menstruar, o que posso fazer?

As mulheres que não utilizam nenhum método anticoncepcional e não desejam menstruar podem iniciar o uso de um anticoncepcional ou usar Primosiston®.

Entretanto, esta escolha deve ser efetuada com orientação de um ginecologista ou médico de família.

Posso utilizar alguma receita caseira para atrasar a menstruação?

Não. As receitas caseiras que prometem retardar a menstruação não são seguras, não são comprovadas cientificamente e podem trazer danos à saúde.

Existem contraindicações para o uso de anticoncepcional?

Sim. Existem diversas contraindicações para o uso de anticoncepcionais. Você não deve usar anticoncepcionais em caso de:

  • Gravidez ou qualquer possibilidade de estar grávida
  • Tabagismo (o hábito de fumar aumenta o risco de trombose)
  • Obesidade (o sobrepeso também eleva o risco de trombose)
  • História de trombose
  • Doenças no fígado
  • História de derrame cerebral ou infarto agudo do miocárdio
  • Diabetes sem controle adequado da doença
  • História de câncer
  • Se for diabética e estiver sem controle adequado da doença.

A escolha do método e da forma de uso do método para atrasar a menstruação deve ser feita considerando a condição clínica da pessoa, os benefícios, os riscos, a conveniência e os custos financeiros.

Esta decisão deve ser feita pela mulher e pelo médico de família ou ginecologista. Não utilize anticoncepcionais sem orientação médica.

Leia mais:

Vou para a praia, o que faço para menstruação não descer?

O que fazer para parar a menstruação?

O sangramento de escape dura quantos dias?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O sangramento de escape geralmente dura menos dias que o período menstrual habitual da mulher, que varia de 2 a 7 dias.

Ele pode ocorrer em mulheres que usam anticoncepcional ou no início da gravidez (primeiros 3 meses).

Normalmente, o sangramento de escape tem uma coloração diferente do sangue vivo da menstruação.

A frequência do escape é maior nos primeiros meses de uso do anticoncepcional. Fazendo o uso correto, o escape não está associado com a eficácia do anticoncepcional.

Para as mulheres que fumam é recomendado parar de fumar.

Em alguns casos, há necessidade do uso de outras medicações para cessar o sangramento. Por isso, procure seu ginecologista para orientar a melhor escolha.

Tomar duas pílulas de anticoncepcional faz mal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tomar duas pílulas de anticoncepcional juntas não faz mal.

Porém não há necessidade de tomar mais de uma pílula por dia, isso não irá aumentar a eficácia do anticoncepcional.

As pílulas anticoncepcionais foram planejadas para serem tomadas 1 a cada dia e de preferência no mesmo horário todos os dias.

Essa situação de tomar 2 pílulas no mesmo dia pode acontecer quando a mulher esquece de tomar uma pílula, e então ela deve tomar a pílula esquecida o mais breve possível. Quando o esquecimento ocorre, alguma falha pode acontecer e é recomendado o uso de outro método anticoncepcional em conjunto como o preservativo masculino ou feminino para garantir a proteção.

Caso a mulher tome duas pílulas no mesmo dia, no dia seguinte ela deve continuar a tomar a medicação normalmente tomando um comprimido por dia. Dessa forma, ela terminará a cartela um dia antes do previsto.

Mesmo assim, deve fazer a pausa prevista de acordo com o anticoncepcional (alguns 7 dias e outros 4 dias) e começar a nova cartela como habitualmente.

Também pode lhe interessar: 2 pílulas de anticoncepcional tem o mesmo efeito da pílula do dia seguinte?