Perguntar
Fechar
Febre que não passa mesmo tomando remédio: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Febre que não passa mesmo tomando remédio pelo tempo indicado deve ser investigada. A febre é um mecanismo do nosso organismo de aumentar a temperatura corporal na presença de alguma infecção, doença auto-imune ou uma situação de alerta.

Normalmente, no início de um quadro febril, as pessoas usam algum tipo de medicamento para reduzir ou cessar a febre. Após o uso dessas medicações e a não melhora do quadro ou então do aparecimento de outros sintomas, a pessoa deve procurar um serviço de saúde para investigar a origem dessa febre e proceder com o tratamento específico indicado.

Em alguns casos, a febre apresenta como um sinal de alerta e que algumas vezes o próprio corpo é capaz de resolver.

Quando alguma infecção é confirmada, geralmente pode ser indicado o uso de antibiótico para tratar a infecção, destruir o micro-organismo causador da infecção e, por consequência, acabar o mecanismo que está produzindo a febre. Nesse caso, o antibiótico deve ser usado pelo tempo indicado na receita médica.

Quando a febre é o único sintoma apresentado, recomenda-se esperar mais 3 dias para que outros sintomas possam se manifestar. A exceção a essa indicação é para bebês com menos de 3 meses.

O que fazer para baixar a febre?

1. Tire as roupas quentes e vista roupas frescas;

2. Utilize o remédio antitérmico indicado pelo/a médico/a na dose prescrita na receita;

3. Tome banho com água morna (cerca de 34ºC);

4. Aumente a ingestão de líquidos.

Em caso de bebês com menos de 3 meses, com febre de 40ºC e ainda com presença de sintomas com gemidos, irritação, falta de ar ou manchas na pele, o/a médico/a pediatra ou o/a médico/a de família deverá ser contactado.

Adultos com febre que dura mais de 3 dias podem consultar o/a clínico/a geral ou médico/a de família.

Amamentação e Remédios
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A maioria das medicações é permitida durante a amamentação. Porém, algumas devem ser evitadas ou são proibidas. Para confirmar se a medicação a ser usada é permitida, informe ao/à profissional de saúde que você está amamentando para que ele/ela avalie e indique ou contra-indique o uso.

1 - Quais os remédios permitidos na Amamentação?
  • Amoxicilina;
  • Amoxicilina-Clavulanato;
  • Ampicilina;
  • Penicilina (Benzetacil);
  • Cefalexina;
  • Contracep;
  • Diclofenaco;
  • Metoclopramida;
  • Ibuprofeno;
  • Paracetamol;
  • Aceclofenaco (Proflam);
  • Ciprofloxacino;
  • Omeprazol;
  • Loratadina;
  • Hidroxizine;
  • Dexclorfeniramina (Polaramine);
  • Sertralina;
  • Fluoxetina;
  • Amitriptlina;
  • Citalopram;
  • Clonazepam.
2 - Quais os remédios proibidos na Amamentação?
  • Nimesulida;
  • Bromazepam;
  • Mesigyna;
  • Perlutan;
  • Sibutramina;
  • Nefazodona;
  • Tranilcipromina.
3 - Estou amamentando, posso tomar a pílula do dia seguinte?

Sim, seis semanas após o parto a mulher já pode fazer uso da pílula do dia seguinte.

Leia mais em:

Estou amamentando e tomei pílula do dia seguinte, devo suspender a amamentação?

Com injeção anticoncepcional a menstruação pode vir e ir?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O anticoncepcional injetável pode causar irregularidade menstrual e é provavelmente por isso que sua menstruação vem por pouco tempo e vai embora.

Os anticoncepcionais injetáveis, principalmente os trimestrais (toma 1 injeção a cada 3 meses), causam sangramentos irregulares com mais frequência e isso muda o padrão da sua menstruação comparado com o período anterior em que usava a injeção.

Além disso, o anticoncepcional injetável trimestral provoca uma importante atrofia do endométrio (camada interna do útero), que pode causar ausência de menstruação (amenorreia), sendo esse o seu principal efeito colateral.

Todos essas alterações no padrão da menstruação são normais e esperados da injeção anticoncepcional. Mesmo com essas alterações o efeito anticoncepcional continua ativo e, por isso, você deve continuar o uso correto da medicação como indicado e no dia marcado.

Caso você queira, pode passar por uma consulta com o/a seu/sua médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação de outras possíveis causas dessa alteração menstrual.

Leia também:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Tomei anticoncepcional injetável e continua descendo?

Vomitei depois de tomar o remédio: tenho que tomar novamente?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Depende.

  • Se vomitou em menos de 30 minutos depois de tomar o remédio, deve tomar o medicamento novamente. 
  • Se o vômito ocorreu passados mais de 30 minutos após tomar o remédio, não precisa tomar uma nova dose. 

Isso vale para qualquer tipo de medicamento, desde pílula anticoncepcional a medicamentos para bebês. No caso de ser um antitérmico, pode-se esperar uma hora para verificar se a temperatura não baixa e tomar novamente, se necessário.

Crianças ou bebês que vomitam persistentemente depois de tomar o medicamento podem estar com alguma intolerância ao remédio. Se isso ocorrer, o/a médico/a pediatra deve ser contactado/a.

Na dúvida se deve ou não tomar o medicamento novamente, leia a bula do medicamento e fale com o/a seu/sua médico/a para evitar uma sobredosagem.

Quais os efeitos colaterais da losartana potássica?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os principais efeitos colaterais da losartana podem ser: 

  • Diarreia; 
  • Dor no peito; 
  • Tosse; 
  • Hipoglicemia; 
  • Anemia; 
  • Fadiga e cansaço; 
  • Queda da pressão; 
  • Tontura. 

Outros efeitos colaterais podem aparecer, mas são menos comuns

  • Náusea; 
  • Dor abdominal; 
  • Congestão nasal; 
  • Ganho de peso; 
  • Infecções; 
  • Gastrite. 

Na presença de algum efeito colateral, a pessoa deve comunicar ao/à médico/a. Esses efeitos colaterais podem ser provisórios a depender de cada caso. É importante relatar a presença desses efeitos para que o/a médico/a possa avaliar uma possível troca de medicação ou mudança na dosagem

Use medicações apenas com a receita médica e na dosagem devidamente indicada. 

Leia também: 

Para que serve a losartana potássica?

Anticoncepcional deixa os seios inchados?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Alguns anticoncepcionais podem deixar os seios inchados.

As pílulas anticoncepcionais podem ser combinadas, quando possuem na fórmula estrógeno e progestágeno juntos, ou podem conter apenas o progestágeno. Os anticoncepcionais orais que contêm estrógeno na fórmula podem aumentar a sensibilidade nas mamas. Esse efeito colateral do anticoncepcional geralmente desaparece com o passar dos meses de uso contínuo ou com a interrupção da medicação.

A maioria das mulheres que usa esse tipo de anticoncepcional oral sente os seios inchados, as mamas mais tensas e os mamilos sensíveis no início, porém isso não é sinal de malignidade e nem de preocupação maior. Esse inchaço decorre do aumento do hormônio estrogênio na corrente sanguínea e da regulação do ciclo hormonal que o anticoncepcional provoca.

Se a mulher estiver apresentando desconforto excessivo com esse efeito colateral, ela pode consultar o/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para uma avaliação mais detalhada ou a consideração de trocar o método anticoncepcional.

Terminei a cartela do anticoncepcional, quando a menstruação deve vir?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Em geral, a menstruação vem entre 3 a 7 dias após terminar a cartela do anticoncepcional. 

As pílulas anticoncepcionais podem ter 21, 24 ou 28 comprimidos em cada cartela.  

Na cartela com 21 comprimidos, a mulher faz uma pausa de 7 dias entre um cartela e outra e, durante essa pausa, ela apresentará a menstruação. 

Na cartela contendo 24 comprimidos, a pausa entre as cartelas deve ser de 4 dias e, nesse período haverá a menstruação.  

Nas medicações com 28 comprimidos, a mulher menstrua quando está nos últimos 4 comprimidos da cartela. 

Para uma melhor eficácia do anticoncepcional, a mulher deve fazer o uso contínuo da pílula, realizando apenas os intervalos programados entre uma cartela e outra, evitando pausas além dessas. 

Algumas pílulas de baixa dosagem e o uso direto sem intervalos entre cartelas fazem a mulher não menstruar. Isso não significa que o efeito anticoncepcional não esteja ativo. 

Em caso de dúvidas quanto ao uso do anticoncepcional, bem como na ausência de menstruação, procure um serviço de saúde para uma avaliação. 

Vômito e Diarreia Podem Cortar o Efeito do Anticoncepcional?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, vômito e diarreia podem cortar o efeito da pílula anticoncepcional, se ocorrerem em até 4 horas após ter tomado o medicamento ou caso esses sintomas persistam por mais de 24 horas.

Já o anticoncepcional injetável ou adesivo não perdem o efeito nem tem a sua eficácia diminuída se a mulher vomitar ou tiver diarreia.

No caso da pílula, ela demora cerca de 3 a 4 horas para ser absorvida pelo corpo. Ter vômitos ou diarreia durante esse período pode eliminar os componentes do anticoncepcional que ainda não tiveram tempo de ser absorvidos pelo organismo.

Se o comprimido ainda estiver no estômago, ele sai com o vômito e é como não ter tomado a dose daquele dia. A diarreia irá expelir e diminuir a absorção da pílula, caso ela já tenha saído do estômago e estiver no intestino.

Quanto aos anticoncepcionais injetáveis, eles são aplicados no músculo e entram diretamente na corrente sanguínea, enquanto que os adesivos são absorvidos pela pele e através dela chegam a circulação. Como não passam pelo estômago nem pelo intestino, pois chegam diretamente ao sangue por outras vias, não perdem o efeito em caso de vômito ou diarreia.

O que fazer se vomitar ou tiver diarreia após tomar a pílula anticoncepcional?

Em caso de episódios de vômito ou diarreia até 4 horas da ingesta do comprimido, o ideal é tomar novamente a pílula. Deve-se ficar atento ao fato de que a cartela irá nesse caso acabar um dia mais cedo, portanto, após a pausa, a nova cartela também reiniciará um dia mais cedo. Há ainda outra possibilidade para não confundir-se que é comprar outra cartela, tomar o comprimido correspondente ao do dia, e seguir esta nova cartela até o fim.

Se vômito ou diarreia persistirem por mais de 24 horas, pode-se seguir tomando a pilula no horário habitual, mas neste caso é imprescindível o uso de outro método contraceptivo de barreira, como a camisinha, até a próxima menstruação.

Se continuar com dúvidas, fale com o seu médico de família ou ginecologista para maiores orientações.

Leia também: 5 Coisas que Podem Cortar o Efeito do Anticoncepcional