Perguntar
Fechar

Saúde do Homem

Corrimento no pênis: o que pode ser e como tratar?

Corrimento no pênis pode ser uma infecção ou inflamação do canal urinário, uma condição chamada uretrite, que caracteriza-se por uma secreção ou corrimento amarelado, abundante e com mau cheiro e às vezes acompanhada de dor ao urinar.

A contaminação pode ocorrer através de relação sexual anal ou vaginal sem preservativo, mesmo que seja entre parceiros fixos. Os agentes principais da uretrite são: Neisseria gonorrhoeae (gonorreia) e Chlamydia trachomatis. As duas são doenças sexualmente transmissível.

O tratamento é feito com medicamentos antibióticos específicos, de acordo com o tipo de bactéria que provocou a infecção. É importante lembrar que o tratamento deve ser feito pelos dois parceiros, pois pode haver reinfecção se um dos parceiros ficar sem tratar.

Esses sintomas podem ser avaliados pelo/a clínico/a geral, medico/a de família ou urologista que poderão indicar o tratamento mais adequado em cada caso.

Também pode lhe interessar: 

Dor no pênis. O que pode ser?

Tenho feridas no pênis. O que pode ser e o que fazer?

Ter um testículo maior que o outro é normal?

Ter um testículo um pouco maior que o outro é normal. Geralmente o testículo esquerdo fica ligeiramente mais abaixo que o direito o que também pode causar a impressão de tamanhos diferentes. 

É comum haver uma pequena diferença de tamanho entre os testículos. Porém, quando essa  diferença for maior, com aumento anormal ou atrofia de um dos testículos, pode ser um sinal de doença ou uso de medicamentos.

Alguns problemas que podem causar aumento ou diminuição no tamanho dos testículos são:

  • Orquiepididimite (infecção do testículo e epidídimo);
  • Hidrocele (acúmulo de líquido no saco escrotal);
  • Hérnia encarcerada;
  • Torção testicular;
  • Tuberculose testicular;
  • Uso de anabolizantes;
  • Tumores.

O autoexame testicular pode ser realizado para auxiliar a identificação de anormalidades testiculares. O exame deve ser feito de preferência após um banho morno para um maior relaxamento do escroto, da seguinte forma:

  1. Em pé e em frente a um espelho, examine os testículos com as duas mãos;
  2. Localize o epidídimo atrás do testículo, que é um canal emaranhado que coleta e armazena os espermatozoides;
  3. A seguir, procure identificar alterações nos testículos.

No autoexame dos testículos, verifique:

  • Anormalidades na pele do escroto (bolsa testicular),
  • Alterações do tamanho dos testículos,
  • Sensação de peso no escroto,
  • Dor ou desconforto no testículo ou escroto,
  • Inchaço e líquido no escroto.

Qualquer alteração identificada deve ser comunicada ao urologista, que é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento dos problemas dos genitais masculinos.

Aparecem no meu pênis pequenas manchas vermelhas...

A única coisa que vem na minha cabeça agora e que pode causar esse tipo de lesão sem uma melhora pode ser herpes genital. Se for realmente herpes é um problema, porque herpes não tem cura, eu recomendaria você procurar um médico homeopata, geralmente esses tipos de lesão que não melhoram com a medicina alopática tradicional a homeopatia pode ajudar e muito.

Esperma amarelado e gelatinoso: o que pode ser?

Esperma amarelado e gelatinoso pode indicar algum grau de congestão ou infecção da próstata (prostatite). A cor normal do esperma deve ser branco nacarado, semelhante à cor da parte de dentro das conchas do mar.

Se for uma infecção, o tratamento pode ser feito através de medicamentos orais ou aplicados diretamente na próstata. O importante é diagnosticar a causa do esperma amarelado e gelatinoso o quanto antes, para que o problema não se torne crônico e difícil de tratar.

O ideal é que o tratamento seja feito ao casal, se for o caso, pois a mulher provavelmente também estará infectada. O mais indicado é procurar um urologista para que sejam feitos alguns exames para detectar o micro-organismo invasor e o problema possa ser devidamente tratado.

Mancha vermelha na cabeça de meu pênis pode ser sífilis?

Sífilis é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) que tem um tempo de incubação de aproximadamente 14 dias e a lesão inicial é um cancro (ferida) no local do contato, mas como você só tem tido relações com camisinha e o sintoma descrito por você não parece ser a lesão típica da Sífilis, ao que tudo indica não é sífilis.

Procure um médico Urologista que examinará a lesão, fará o correto diagnóstico e tratamento.

Saiba mais em: 

Como ocorre a transmissão da sífilis?

Quais os sintomas e tratamento da sífilis?

Homem com apenas um testículo pode ter filhos?

Sim. Homem com apenas um testículo pode ter filhos.

A fertilidade do homem é vinculada às características do esperma como a quantidade de espermatozoides, a capacidade de se mover e sua morfologia. Essas características são vinculadas a certos problemas nos testículos, níveis hormonais e problemas genéticos. O homem que possui apenas 1 testículo, mas não apresenta nenhum outro problema desses continuará fértil.

Os testículos são responsáveis pela produção de espermatozoides e, na ausência de um dos testículos, o outro pode devidamente continuar a produzir na quantidade suficiente capaz de garantir a fertilidade do homem.   

Um casal em idade fértil que deseja ter filhos pode tentar de forma natural. Caso a gravidez demore mais de 1 ano para efetivar-se, convém realizar uma consulta para iniciar conjuntamente (o homem e a mulher) uma avaliação da fertilidade em ambos.

Quais são os valores de referência do PSA?

Os valores de referência do PSA (antígeno prostático específico total) dependem de cada laboratório, mas, em média, são:

  • Até 59 anos: < 4,0 ng/mL
  • Entre 60 e 69 anos: até 4,5 ng/mL
  • Idade igual ou superior a 70 anos: até 6,5 ng/mL

O PSA, ou antígeno prostático específico total, é útil como marcador de câncer de próstata, associado ao toque retal e ultra-som, ou como seguimento de pacientes com câncer de próstata já diagnosticado.

É importante frisar que ocorrem alterações fisiológicas do PSA. Toque retal, massagem prostática, prostatite, instrumentações uretrais, biópsia prostática e ejaculação recente elevam o resultado.

Quando os níveis de PSA estão entre 4 e 10 ng/mL, é difícil interpretá-los, porque podem ser causados pela hipertrofia benigna da próstata (quando a próstata aumenta de tamanho, mas não por câncer). Quando isso acontece, é aconselhado fazer a associação com a avaliação do PSA livre.

A relação PSA livre/ PSA total é menor nos pacientes com câncer. Os valores de referência para a relação PSA livre/PSA total não estão bem estabelecidos, mas, quando inferiores a 0,20, parecem se correlacionar com câncer de próstata, enquanto valores acima de 0,2 parecem estar associados a doenças benignas.

A análise isolada do exame de PSA não permite o diagnóstico de doença prostática. É necessária correlação com a história e o exame físico do paciente, sendo o toque retal fundamental. Para maiores esclarecimentos, procurar um urologista ou clínico geral.

Dor incômoda no pé da barriga e vontade de urinar. O que pode ser?

Dor no pé da barriga e sensação de querer urinar podem ser sintomas de infecção urinária. Outros sintomas incluem:

  • Dor e ardência ao urinar;
  • Vontade de urinar várias vezes ao dia, mas com pouca urina em cada micção;
  • Presença de sangue na urina;
  • Dores abdominais.

A infecção urinária geralmente ocorre quando bactérias provenientes do intestino chegam ao trato urinário e ali se multiplicam, especialmente na bexiga (cistite).

A doença afeta principalmente as mulheres devido à anatomia do corpo feminino, que tem uma uretra mais curta e maior proximidade entre a vagina e o ânus, o que favorece a passagem dessas bactérias.

Leia também: Quais são os sintomas e causas de uma infecção urinária?

Se for mesmo infecção urinária, é importante começar o tratamento o mais rápido possível para evitar que a infecção chegue aos rins.

Na maioria dos casos, o/a médico/a pode iniciar o tratamento com antibióticos mesmo sem a realização de exame de urina.

Caso não haja melhora dos sintomas e resolutividade com o tratamento instituído, , a infecção e o tipo de bactéria responsável pela doença devem ser determinados pelo exame de urina e urocultura que ficam prontos em até 72 horas.

Após a identificação da bactéria, o medicamento prescrito pode ser mantido ou substituído por outro mais específico para aquele tipo de bactéria.

Veja aqui qual é o tratamento para infecção urinária.

Procure o/a médico de família, clínico/a geral ou ginecologista para receber um diagnóstico e tratamento adequados.