Perguntar
Fechar

Bexiga

Sensação de bexiga cheia mesmo depois de urinar, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A sensação de bexiga cheia, mesmo depois de urinar, pode ser um sintoma de cistite. Trata-se de uma inflamação da bexiga muitas vezes causada por bactérias, sendo muito mais frequente na mulher do que no homem.

Além da sensação de bexiga cheia, mesmo depois de fazer xixi, a cistite pode causar dificuldade para urinar, dor ou ardência durante as micções, diminuição do volume de urina e vontade de fazer xixi várias vezes ao dia, muitas vezes com urgência. A presença de sangue na urina também pode ocorrer.

Normalmente a cistite não provoca febre. Quando está presente, é um sinal de que a infecção já tenha chegado aos rins ou à próstata, no caso dos homens. Nos rins, a infecção pode tornar-se bem mais severa e se generalizar caso a pessoa não receba o tratamento adequado a tempo.

Cistite

A cistite é um tipo de infecção urinária. Na uretra, ela recebe o nome de uretrite, enquanto que no rim ela é denominada pielonefrite.

As infecções urinárias atingem muito mais as mulheres do que os homens sobretudo pela diferença de tamanho da uretra e pela distância da uretra ao ânus, que são diferentes em ambos os sexos.

O fato da mulher ter a uretra mais próxima do ânus facilita a penetração de bactérias que habitam o intestino, que são as principais causadoras das infecções urinárias. Além disso, a uretra da mulher tem cerca de 5 cm, enquanto que a do homem tem em torno de 12 cm, o que facilita a chegada das bactérias à bexiga e aos rins.

Leia também: O que é cistite e quais os sintomas?

O tratamento da cistite e todas as demais formas de infecção urinária geralmente é feito com medicamentos antibióticos, visto a principal causadora ser a bactéria Escherichia coli. 

Veja também: Qual o tratamento para cistite?

A sensação de bexiga cheia depois de urinar, bem como outras alterações urinárias, é um sintoma que deve ser investigado para que a causa seja devidamente tratada. Consulte um clínico geral ou médico de família na presença desses sintomas.

Saiba mais em:

Dor ao urinar, o que pode ser?

O que pode causar ardência ao urinar?

Vontade de urinar toda hora, o que pode ser?

Vontade de urinar a toda hora e não conseguir. O que pode ser?

Quais os sintomas da bexiga baixa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O principais sintomas da bexiga caída são:

  • Perda involuntária de urina (incontinência urinária);
  • Desconforto ou dor durante a relação sexual;
  • Sensação de pressão na pelve e na vagina;
  • Sensação de corpo estranho ou de que existe uma bola na vagina;
  • Dificuldade de começar ou parar de urinar;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Necessidade urgente de urinar (urgência urinária);
  • Infecções urinárias recorrentes.

Os sintomas da bexiga baixa ou caída variam de acordo com o grau do prolapso. O problema é mais comum em mulheres com mais de 50 anos que estão na menopausa, mas pode acometer também mulheres jovens.

Quais as causas da bexiga baixa?

A cistocele (termo médico da "bexiga baixa") ocorre devido à perda de sustentação da bexiga, que é feita por músculos e ligamentos que estão no interior da pelve da mulher.

Dentre as principais causas de bexiga baixa estão:

  • Gravidez (veja também: Quem tem bexiga baixa pode engravidar?);
  • Parto prolongado ou múltiplos partos normais;
  • Idade (mais de 50 anos);
  • Menopausa;
  • Retirada do útero;
  • Cirurgias vaginais ou abdominais;
  • Obesidade.

O tratamento da bexiga baixa pode ser feito através do fortalecimento dos músculos do períneo, nos casos mais leves, ou cirurgia, quando o prolapso é mais acentuado.

Leia também: Bexiga caída, qual o tratamento?

Na presença desses sintomas, consulte o/a médico/a ginecologista ou urologista.

Bexiga caída, qual o tratamento?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

O tratamento a ser realizado para a correção da bexiga caída depende da sua gravidade, que é classificada em grau I, que é o mais leve, grau II, intermediário e grau III, o mais grave. Ele é definido pelo médico e conforme os sintomas e necessidades da paciente.

Tratamentos para a bexiga caída:

  • exercícios fisioterápicos para fortalecimento dos músculos que sustentam a bexiga (assoalho pélvico),
  • uso de pessário, é uma espécie de anel de silicone com diafragma, que é introduzido na vagina para auxiliar à sustentação da musculatura, geralmente usado em situações temporárias,
  • tratamento cirúrgico de correção da musculatura e estruturas que sustentam a bexiga.

A obesidade, a constipação ou  intestino preso constante e a tosse crônica podem piorar os sintomas da bexiga caída. Portanto, a redução do peso, o tratamento da tosse e a adoção de hábitos de vida mais saudáveis pode colaborar no tratamento da bexiga caída, principalmente se forem associados aos exercícios para fortalecimento dos músculos que a sustentam.

Leia também: Quais os sintomas da bexiga baixa?; Quem tem bexiga baixa pode engravidar?

Dependendo da técnica cirúrgica utilizada o tempo de internação pode ser de 1 à 3 dias. O tempo de recuperação após a cirurgia é de até duas semanas, não sendo aconselhado ter relações sexuais por até 40 dias. 

O ginecologista é o médico indicado para diagnosticar e orientar o tratamento para a bexiga caída.

A bexiga deve estar cheia para fazer o exame transvaginal?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, para fazer o exame transvaginal a bexiga não precisa estar cheia.Em alguns casos inclusive o médico pode solicitar que se esvazie a bexiga para melhor visualização e realização do exame. 

Na ultrassonografia pélvica transabdominal a bexiga precisa estar cheia para que se obtenha melhores imagens, uma vez que o útero fica atrás da bexiga.

Como o ultrassom não se propaga no ar, a bexiga precisa estar bem cheia para que as ondas do ultrassom passem por ela e chegue ao útero, gerando as imagens. 

Já no ultrassom transvaginal a bexiga não precisa estar cheia, porque pela vaginal o médico chega diretamente ao colo do útero. Assim, já não há necessidade de se usar a urina como meio de propagação para o ultrassom.

Eventualmente pode ser solicitado pelo médico a realização de um exame ultrassom pélvico transabdominal antes do transvaginal, nesse caso pode ser solicitado que se beba líquidos para encher a bexiga antes do exame. 

O exame transvaginal serve para observar o útero (endométrio, paredes uterinas), anexos uterinos e ovários. O exame pode detectar:

  • Anomalias no útero;
  • Aderências uterinas;
  • Pólipos;
  • Fibromas (tipo de tumor benigno);
  • Câncer.

Leia mais sobre o assunto em:

Como é feito o exame transvaginal?

Para que serve o exame transvaginal?

O médico ginecologista ou obstetra irá orientá- la sobre o procedimento antes da realização do exame transvaginal.

O que é bexiga hiperativa e quais os sintomas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Bexiga hiperativa é um distúrbio caracterizado pela contração involuntária do músculo da bexiga durante o seu enchimento com urina. Seus sintomas mais característicos são o aumento do número de micções (a pessoa pode urinar mais de 8 vezes ao dia) e a urgência urinária (vontade súbita de urinar).

Uma pessoa com bexiga hiperativa não consegue controlar a bexiga para que ela fique em repouso. Assim, o músculo da bexiga contrai, provocando bastante desconforto e desejo urgente de urinar, algumas vezes com perda de urina.

Quando a bexiga hiperativa não tem causa definida, recebe o nome de bexiga hiperativa idiopática. No entanto, diversos problemas de saúde podem estar relacionados com esse distúrbio, como doenças neurológicas (AVC, Parkinson, lesões medulares), diabetes, insuficiências cardíaca, entre outras.

Sintomas

Os sintomas da bexiga hiperativa podem incluir urgência urinária (necessidade súbita de urinar, que pode vir acompanhada de dor), aumento da frequência urinária, incontinência de urgência (necessidade súbita de urinar seguida de perda de urina) e vontade de urinar durante a noite.

Leia também: Bexiga hiperativa tem cura? Qual o tratamento?

Causas

A bexiga hiperativa pode ter diversas causas. As doenças e lesões neurológicas são causas comuns de bexiga hiperativa, tais como esclerose múltipla, derrame (Acidente Vascular cerebral), doença de Alzheimer, Parkinson, traumatismo craniano e lesões na medula espinhal.

No homem especificamente, pode ocorrer devido a um aumento da próstata, como ocorre na hiperplasia prostática benigna.

Outras doenças também podem ocasionar esse quadro, como: diabetes, insuficiência cardíaca, infecção urinária e cálculos vesicais.

Além disso, há uma associação entre depressão e quadros ansiosos com a presença da bexiga hiperativa.

A bexiga hiperativa tem tratamento, caso apresente sintomas procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial. Geralmente, se diagnosticado o quadro de bexiga hiperativa o seguimento é feito pelo urologista ou ginecologista, no caso das mulheres.

Também pode lhe interessar:

Bexiga neurogênica: Quais as causas, sintomas e tratamento?

Dor na bexiga, o que pode ser?

Bexiga caída, o que é?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Bexiga caída é uma situação na qual ocorre uma descida da bexiga da sua posição normal, geralmente forçando a parede vaginal devido à um enfraquecimento dos músculos e ligamentos que a sustentam (prolapso vaginal). Essa situação pode ter várias causas como predisposição genética, obesidade, envelhecimento e, principalmente, devido ao parto natural e à gravidezes repetidas.

Os sintomas da bexiga caída são perdas de urina (incontinência urinária) ao erguer peso, tossir e espirrar, que pioram à medida que o prolapso aumenta, e sensação de abaulamento e pressão na vagina, causando desconforto e dor nas relações sexuais.

Leia também: Quais os sintomas da bexiga baixa?

O tratamento da bexiga caída (cistocele) depende da sua gravidade. Sintomas moderados podem melhorar com exercícios de fisioterapia para fortalecer a musculatura da região pélvica e mudanças nos hábitos de vida, nos casos mais graves pode ser necessário um tratamento cirúrgico.

Leia também: Quem tem bexiga baixa pode engravidar?

O ginecologista-obstetra é o médico responsável pelo diagnóstico e tratamento dos casos de bexiga caída.

Fiz preventivo e o médico disse que tenho a bexiga baixa...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O resultado do seu preventivo, a constatação de infecção no colo uterino pelo seu médico e esse corrimento que você tem dizem respeito a mesma coisa (mesma doença) uma infecção que precisa de tratamento, seu médico pode providenciar esse tratamento. Com relação a questão da cirurgia esse é um ponto que precisa de maior cuidado, toda vez que o médico diz que necessita de cirurgia, mas essa indicação é relativa (como no seu caso) o ideal é procurar outro ginecologista, que ira fazer o mesmo exame e ver qual a opinião dele, se ele for favorável a cirurgia, tenha certeza que você realmente precisa dela, se ele discordar provavelmente você não precisa da cirurgia.

Dor na bexiga, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dor na bexiga pode ser um sintoma de infecção urinária (cistite). Trata-se de uma infecção ou inflamação na bexiga causada na maioria das vezes por bactérias que habitam o intestino. 

A cistite afeta sobretudo mulheres, podendo causar dor na bexiga ou desconforto ao urinar, ardor, aumento do número de micções, vontade constante e urgente de urinar, pouco volume de urina e ainda presença de sangue na urina.

Quando não é tratada devidamente e a tempo, a infecção pode chegar nos rins, tornar-se muito mais grave e se generalizar.

Em homens, a dor na bexiga muitas vezes está relacionada com o aumento do tamanho da próstata (hiperplasia benigna de próstata). O aumento da glândula pode causar obstrução do fluxo urinário, que pode levar à falência da bexiga e retenção da urina, o que aumenta o risco de infecções urinárias.

À medida que a obstrução vai aumentando, a/o paciente pode começar a apresentar urgência miccional (perda involuntária de urina se não urinar rapidamente) ou ainda incontinência urinária.

A próstata aumentada requer tratamento apenas quando o paciente apresenta dificuldade para urinar.

Saiba mais em: Próstata aumentada: o que pode ser?

Em caso dor na bexiga ao urinar, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral, urologista ou ginecologista sobretudo se notar um ou mais dos sintomas apresentados acima.

Também pode lhe interessar:

O que é cistite e quais os sintomas?

Dor ao urinar, o que pode ser?

Bexiga hiperativa tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Bexiga hiperativa pode ter cura ou não, depende da causa desse problema.

Quando a bexiga neurogênica for causada por problemas tratáveis, como uma infecção urinária ou enfraquecimento da musculatura, por exemplo após cirurgias ginecológicas ou urológicas, grande parte dos pacientes atingem a cura completa com o tratamento específico.

Entretanto, causas irreversíveis, como lesão medular, paraplegia, esclerose múltipla ou doenças crônicas que levem a lesão nervosa e disfunção do músculo, não costumam responder aos tratamentos conhecidos. Portanto o objetivo passa a ser a prevenção de doenças renais, melhora do tônus muscular e orientações para uma melhor qualidade de vida, como o uso de cateterismo vesical intermitente, fisioterapia funcional, entre outros. 

O tratamento pode ser feito com:

  • Medicamentos
  • Fisioterapia
  • Aplicações de toxina botulínica tipo A no músculo responsável pela contração da bexiga
  • Mudanças de comportamento
  • Instalação de sondas vesicais, ou cateterismo vesical intermitente
  • Cirurgias

Nos casos graves de bexiga hiperativa, pode ser necessária a implantação de dispositivos eletrônicos na medula espinhal ou na própria bexiga (marcapasso) para regular a atividade do órgão.

Medicamentos

O uso de medicamentos como Detrusitol LA, Enablex, Retemic UD, relaxam a musculatura, com isso reduzem as contrações involuntárias da bexiga, melhorando sua função.

Fisioterapia

O papel da fisioterapia no tratamento da bexiga hiperativa pode ser realizado de 3 formas: reabilitação do assolho pélvico, eletroestimulação e treinamento vesical.

A reabilitação é feita através de um aparelho de biofeedback, que garante que o paciente está contraindo os músculos certos.

A eletroestimulação é realizada pela vagina ou através do nervo tibial posterior, localizado atrás do calcanhar.

Já o treinamento vesical é uma tentativa do paciente voltar a ter controle sobre a vontade de urinar, como uma boa taxa de sucesso.

Toxina botulínica tipo A (botox)

As injeções de toxina botulínica são aplicadas em vários pontos da bexiga, diminuindo as contrações do órgão. A duração do tratamento é de 6 a 9 meses. Após este período, é necessário fazer uma nova aplicação.

Mudanças comportamentais
  • Urinar com hora certa, a cada 2 horas;
  • Controlar a ingestão de líquidos;
  • Evitar bebidas com cafeina como café, chás, energéticos e refrigerantes à base de cola, com cafeina, produtos adoçados com aspartame, sucos cítricos e álcool;
  • Evitar comer alimentos à noite com muita água, como melancia e melão;
  • Deixar de beber líquidos 3 horas antes de ir dormir;
  • Dar preferência a alimentos ricos em fibra para favorecer o funcionamento do intestino, pois as fezes acumuladas pressionam a bexiga.

O cateterismo intermitente realizado pelo/a próprio/a paciente deve ser devidamente orientado pelo/a médico/a assistente. Tanto o cateterismo quanto a cirurgia, são medidas adotadas quando todas as opções foram tentadas sem alcançar a resposta esperada.

Leia também: O que é bexiga hiperativa e quais os sintomas?

O tratamento da bexiga hiperativa é da responsabilidade do/a médico/a urologista.

Saiba mais em:

Bexiga neurogênica: Quais as causas, sintomas e tratamento?

Pedra na bexiga: Quais os sintomas e como é o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os sinais e sintomas de pedra na bexiga podem incluir dor na região do púbis, dor ao urinar, interrupção da saída de urina no momento da micção, presença de sangue na urina e vontade constante de urinar, inclusive durante a noite.

Pessoas com cálculos na bexiga podem apresentar ainda dor na extremidade do pênis, nos testículos, nas costas e no quadril. Esses sintomas normalmente pioram com atividade física e movimentos bruscos.

Tratamento

O tratamento para pedra na bexiga geralmente é feito através de ondas de choque que quebram o cálculo em pedaços bem pequenos, permitindo assim que sejam eliminados juntamente com a urina. 

O aparelho emite essas ondas de choque fora do corpo humano, por meio de laser, ultrassom, ondas eletromagnéticas ou ainda energia eletro-hidráulica. As complicações são raras e os outros órgãos dificilmente sofrem alguma lesão.

Porém, para pedras muito grandes ou duras, o tratamento é cirúrgico, geralmente através de técnicas pouco invasivas.

O procedimento é feito por meio de pequena incisão na bexiga ou pela introdução de um aparelho (endoscópio) no canal da urina capaz de quebrar ou pulverizar o cálculo biliar.

Pessoas com pedra na bexiga também devem ingerir pelo menos de 2 a 3 litros de líquidos por dia, pois aumenta o volume de urina e ajuda a eliminar os cálculos menores.

Na presença de sintomas de pedra na bexiga, consulte um médico urologista.

Saiba mais em:

O que pode causar pedra na bexiga?

O que causa pedra nos rins?

Quais os sintomas para quem tem pedra nos rins?

Bexiga neurogênica: Quais as causas, sintomas e tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A bexiga neurogênica é um conjunto de disfunções que afetam o enchimento, o esvaziamento e a capacidade de armazenamento da bexiga. Pode estar presente em algumas doenças neurológicas e outras como diabetes e SIDA, provocando perda da capacidade de controlar a micção.

Indivíduos com bexiga neurogênica não conseguem perceber quando a bexiga está cheia e não são capazes de eliminar a urina voluntariamente. Em bexigas com funcionamento normal, à medida que a urina se acumula no seu interior, as suas paredes relaxam para ir acomodando um volume cada vez maior de urina.

Causas

Em crianças, as principais causas de bexiga neurogênica são as doenças neurológicas congênitas, como mielomeningoceles, paralisia cerebral, entre outras.

Nos adultos, a bexiga neurogênica está relacionada com lesões na medula espinhal (paraplegia, tetraplegia), Parkinson, diabetes, esclerose múltipla, diabetes, derrames (AVC), tumores cerebrais, entre outras doenças e problemas neurológicos.

Sintomas

A bexiga neurogênica pode causar aumento da pressão no interior da bexiga, esvaziamento incompleto da bexiga, incontinência urinária, incapacidade de começar ou interromper uma micção, aumento do intervalo entre as micções, jato de urina fraco, perdas involuntárias de urina e infecções urinárias recorrentes.

Tratamento

O principal exame usado para diagnosticar a bexiga neurogênica é o teste urodinâmico, que permite avaliar a capacidade de armazenamento e a pressão interna da bexiga.

O tratamento para bexiga neurogênica depende da causa e pode compreender medicamentos, fisioterapia, uso de sonda para esvaziar a bexiga ou cirurgia.

O tratamento geralmente é realizado pelo médico urologista.

Saiba mais em:

O que é bexiga hiperativa e quais os sintomas?

Bexiga hiperativa tem cura? Qual o tratamento?

Inflamação na bexiga e garganta posso tomar 2 antibióticos?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Até pode, apesar que o ideal seria você tomar apenas um que servisse para os dois problemas, mas como deve estar tomando um e agora vai começar o outro o jeito é tomar pá dois mesmo. importante: desde que você tenha receita dos remédios, jamais tome antibióticos ou qualquer outre medicamento sem receita médica.