Perguntar
Fechar

Pílula do Dia Seguinte

Qual o risco de gravidez neste caso?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A segunda cartela já está fazendo efeito, porém não é de 100%, deve usar camisinha durante esse mês, Ao tomar a Pílula do dia seguinte (que era desnecessária) deve continuar com a cartela do seu anticoncepcional normalmente. O risco de gravidez é muito pequeno neste caso.

Tomo o anticoncepcional YAZ e tive uma relação sem preservativo...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Eventualmente a menstruação pode não vir, principalmente por ter tomado a pílula do dia seguinte, recomece a nova cartela no dia certo independente de sua menstruação. Se toma anticoncepcional não precisa ter medo, não faz sentido usar a pílula do dia seguinte.

Vomitei depois de 12 horas que tomei a pílula do dia seguinte?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A mulher que vomita após 12 horas de ter tomado a pílula do dia seguinte não precisa tomar a medicação novamente.

Náusea e vômito são efeitos adversos da pílula do dia seguinte. Em alguns casos, é recomendado o uso de medicação que previna os vômitos juntamente com a pílula do dia seguinte.

Quando o vômito ocorre após 3 horas da ingestão da pílula do dia seguinte, é necessário tomar uma nova pílula. Porém, quando o vômito ocorre após esse período, a pílula já foi absorvida e fará seu efeito normalmente.

A pílula do dia seguinte é indicada para mulheres que apresentaram falhas no método contraceptivo habitual (esqueceu de tomar a pílula ou injeção, camisinha estourou) ou tiveram relação sexual desprotegida durante o período fértil ou em situações de estupro.

Ela é considera uma contracepção de emergência e não deve ser tomada como método contraceptivo de rotina.

Se a mulher deseja evitar gravidez é recomendado procurar o/a médico ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para indicar um método contraceptivo de longa duração. 

Leia também:

Se tomar a pílula do dia seguinte muitas vezes ela perde o efeito?

Pílula do dia seguinte e usada antes ou depois da relação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pílula do dia seguinte é um anticoncepcional de emergência e deve ser usado em situações especiais em que não foi possível se precaver de outra forma, se sabe que vai ter relação não é, então emergência, e deve usar outro tipo de anticoncepção mais seguro como a camisinha por exemplo.

Tive relação e não usamos camisinha, posso engravidar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Há chances sim de engravidar, você provavelmente estava entrando em seu período fértil e como já fazem 3 dias não faz mais sentido tomar a pílula do dia seguinte, terá que contar com a sorte, agora é só esperar.

Quem toma anticoncepcional injetável pode tomar pílula do dia seguinte?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A mulher que toma anticoncepcional injetável pode tomar a pílula do dia seguinte.

Quando o anticoncepcional é aplicado corretamente, no momento certo (a cada mês ou a cada três meses a depender da medicação) e sem esquecimento, não há necessidade da mulher tomar a pílula do dia seguinte mesmo tendo feito sexo vaginal desprotegido.

O anticoncepcional usado rotineiramente apresenta uma boa segurança para evitar gravidez indesejada.

Vale lembrar que a pílula do dia seguinte contém uma quantidade alta de hormônio capaz de desequilibrar o ciclo menstrual da mulher e não deve ser tomada constantemente.

A mulher que já usa o anticoncepcional injetável só precisa tomar a pílula do dia seguinte na situação:

  • atraso maior de 2 semanas na aplicação da injeção de Medroxiprogesterona (ex: Depo-Provera® ).

Fora dessas situações, não há necessidade de usar os dois métodos em conjunto.

Links úteis:

Pílula do dia seguinte corta efeito do anticoncepcional?

Como tomar a pílula do dia seguinte?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

As "pílulas do dia seguinte" devem ser usadas o quanto antes, se possível logo após a relação sem proteção. São duas - uma para ser tomada imediatamente (até 72 horas após a relação) e outra doze horas após.

Sua eficácia é maior quando a primeira dose é tomada até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%. Não se esqueça de que a segunda pílula deve ser tomada doze horas após a ingestão da primeira, e não devem ser ingeridos mais do que estes dois comprimidos.

A pílula do dia seguinte geralmente contém levonorgestrel, um tipo de progesterona sintética, em alta dose (0,75 mg). O mecanismo de ação é diferente dependendo do ciclo menstrual em que a mulher estiver. Pode provocar retardamento ou inibição da ovulação, alterar a motilidade tubária e dificultar a passagem do espermatozoide no muco cervical. Depois da implantação do óvulo fecundado no endométrio, não possui efeito.

É indicado após uma relação sexual que represente risco de gravidez, como por exemplo em casos de problemas com o método de uso regular (falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, eventual relação sem proteção). Deve ser usado apenas como método de emergência (o ideal é usar outros métodos contraceptivos muito mais seguros e eficazes, como a pílula anticoncepcional comum associada ao uso de camisinha).

Nestes casos, um médico, preferencialmente um ginecologista, deverá ser consultado para prescrição do medicamento e avaliação correta, caso a caso.

Tomo anticoncepcional Yasmim e acabei não tomando...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode acontecer de reduzir um pouco a eficácia do anticoncepcional, dependendo de quantos dias ficou sem tomar, mas pela sua precaução de tomar a pílula do dia seguinte, não deve haver grande risco de gravidez.

Pílula do dia seguinte causa aborto?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. Pílula do dia seguinte não causa aborto.

A pílula do dia seguinte é indicada para mulheres que apresentaram falhas no método contraceptivo habitual (esqueceu de tomar a pílula ou injeção, camisinha estourou) ou tiveram relação sexual desprotegida durante o período fértil ou em situações de estupro.

A pílula do dia seguinte não é abortiva pois ela não impede a gravidez caso seja tomada depois da concepção (junção entre o óvulo e o espermatozoide). O mecanismo de ação dela é explicado pelo atraso da ovulação, impedindo assim a liberação do óvulo e o encontro deste com o espermatozoide.

Ela é considera uma contracepção de emergência e não deve ser tomada como método contraceptivo de rotina.

Se a mulher deseja evitar gravidez é recomendado procurar o/a médico ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para indicar um método contraceptivo de longa duração. 

Teste de farmácia pode dar positivo devido a pílula do dia seguinte?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não. 

Os hormônios presentes na pílula do dia seguinte não interferem no resultado do teste de gravidez. Portanto, quando o teste acusa positivo, isso se deve à presença de gestação ou algumas patologias, como a doença trofoblástica gestacional.  

A pílula do dia seguinte é eficaz quando usada até no máximo 72 horas após uma relação sexual desprotegida. Porém, como toda medicação, ela apresenta uma porcentagem de falha que pode variar de 2 a 3% dos casos.  

Como a pílula do dia seguinte não é abortiva, ela não impede a gravidez que já esteja efetivada.  

Por todas essas condições, algumas mulheres que fizeram uso da pílula do dia seguinte podem engravidar e apresentar um teste de farmácia positivo. 

Leia também: 

Teste de farmácia pode dar resultado errado?

Tomei pílula do dia seguinte e a menstruação não desceu

Pílula do dia seguinte dose única pode falhar?

A pílula do dia seguinte é uma medicação anticoncepcional de emergência. Caso você deseja utilizar métodos anticoncepcionais de longo prazo, procure um/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para escolherem juntamente com você o método mais adequado no seu caso. 

Quais os riscos para o bebê de tomar pílula do dia seguinte enquanto estiver amamentando?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Em geral, nenhum efeito adverso no crescimento ou desenvolvimento do/a bebê foi observado em estudos científicos. Portanto, o uso esporádico da pílula do dia seguinte, após 6 semanas do parto pode ser feito por mulheres que estão amamentando.

O uso da pílula do dia seguinte pode acarretar riscos às mulheres quando usado nas 6 primeiras semanas após o parto. Isso se deve ao aumento de chance na ocorrência de eventos trombogênicos na mulher

Mulheres que estão amamentando podem usar a pílula do dia seguinte após as 6 primeiras semanas do parto. Porém, é importante lembrar que a pílula do dia seguinte é uma medicação de emergência e não um método anticoncepcional que deve ser usado de rotina.

A mulher que está amamentando e não deseja engravidar deve usar um método anticoncepcional apropriado a seu perfil. Por isso, consulte o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico geral para decidirem a melhor opção no seu caso.

Leia também:

Quem não pode tomar pílula do dia seguinte?

Como a pílula do dia seguinte pode afetar alguém com problema de tireóide?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A pílula do dia seguinte não afeta o funcionamento da tiroide. O hormônio presente na pílula, derivado da progesterona, não interfere nos problemas da tiroide, quer seja no hipotireoidismo, quando há uma diminuição da produção dos hormônios T3 e T4, ou no hipertireoidismo, quando há um aumento na produção deles.

A pílula do dia seguinte deve ser tomada o mais cedo possível, até 72 horas após a relação sexual, quando há a suspeita de falha dos métodos usados para evitar a gravidez (contraceptivos) ou no caso de eles não terem sido usados. O seu uso frequente leva à uma diminuição da sua eficácia, por isso deve ser usada somente em uma situação de emergência. Ela impede a gravidez através de sua ação nos ovários inibindo a ovulação, dificultando o encontro do óvulo com o espermatozoide ou não permitindo a fixação do óvulo fecundado (ovócito) no útero. Não havendo contra-indicação para o seu uso por pessoas com problemas no funcionamento da tiroide.

O ginecologista é o médico indicado para orientar a melhor forma para evitar a gravidez e o endocrinologista para os problemas na tiroide.