Perguntar
Fechar

Dermatologia

O que fazer em caso de queimadura?

Nos casos de queimaduras provocadas por água quente, óleo quente, fogo ou qualquer fonte de calor é necessário seguir os passos descritos abaixo: 

  1. Lavar a área afetada com água corrente à temperatura ambiente, até esfriar o local. Se puder mergulhar a queimadura na água, melhor.

    • Se a queimadura for causada por produtos químicos, como ácido e soda cáustica, além de enxaguar o local com água corrente, por no mínimo 20 a 30 minutos; deve retirar a roupa contaminada com o produto, para evitar propagação da queimadura em outros locais.

  2.  Cubra o local com um pano limpo (evite tecidos ou materiais que grudam no ferimento, como algodão); e
  3. Procure um serviço de urgência ou posto de saúde o mais rápido possível.

Esses primeiros cuidados ajudam a aliviar a dor e limitar a extensão da queimadura.  

Se não houver posto de saúde ou hospital nas proximidades, ligue para os serviços de socorro do SAMU (192) ou do Corpo de Bombeiros (193).

Importante lembrar que além de saber o que fazer, também deve saber o que não fazer nessas situações, evitando piora da ferida e consequências indesejáveis.

O que não fazer em caso de queimadura?
  • Não passe manteiga, pasta de dente, borra de café, açúcar ou qualquer produto ou receita caseira na queimadura, pois só irão irritar ainda mais a pele queimada e podem facilmente infeccionar o local;
  • Não passe nenhuma pomada na queimadura. A pele queimada fica extremamente sensível e as pomadas lesionam ainda mais as células cutâneas, além do risco de infecção da região;
  • Não tente estourar ou drenar as bolhas causadas pela queimadura, pois o ferimento ficará exposto a instrumentos possivelmente contaminados e mais um fator de risco comum nos casos de infecção local;
  • As bolhas aparecem nas queimaduras de 2º grau e funcionam como um curativo natural. Devem ser manuseadas apenas por um profissional especializado e nunca devem ser removidas;
  • A vítima não deve tirar a roupa que está usando, para evitar que as bolhas se estourem e que a pele queimada seja arrancada. O mais indicado é molhar a roupa e ficar assim até chegar ao pronto-socorro.
O que fazer em caso de queimadura de 1º grau?

Depois dos primeiros socorros, o tratamento de uma queimadura de 1º grau, em geral deve ser feito da seguinte forma:

  • Primeira semana:

    • Lave toda a área da queimadura com água corrente durante 5 minutos, 3 vezes ao dia, com sabão neutro ou sabonete de glicerina;
    • Evitar exposição solar desde o primeiro dia da queimadura até a cicatrização completa da região;
    • Não precisa cobrir o local com curativos, a não ser que seja orientado pelo/a médico/a.
  • Segunda semana:
    • Aplique óleo mineral ou vaselina líquida a cada 12 horas, para manter a área hidratada e melhorar a coceira e a descamação;
  • Terceira semana em diante:
    • Aplique filtro solar com fator de proteção 30 ou superior durante o dia;
    • Passar hidratante neutro na queimadura todas as noites, até que melhore completamente.
O que fazer em caso de queimadura de 2º grau?

Depois dos primeiros socorros, o tratamento de uma queimadura de 2º grau, em geral, deve ser feito da seguinte forma:

  • Primeira semana:

    • Limpe a queimadura com água corrente e clorexidina e aplique creme de Sulfadiazina de Prata 1%, 1x ao dia, durante 7 dias;
    • Evite expor o curativo à sujeira e umidade;
    • Pode ser necessário reforço da vacina contra o tétano (dependendo da sua vacinação);
    • Procure atendimento médico se a queimadura estiver com mau cheiro ou com sinais de infecção (presença de pus ou mau cheiro).
  • Segunda semana:
    • Aplique óleo mineral ou vaselina líquida a cada 12 horas, para hidratar a pele e amenizar a coceira e a descamação;
    • Evitar exposição solar até a cicatrização completa da região;
  • Terceira semana em diante:
    • Aplique filtro solar com fator de proteção 30 ou maior, durante o dia;
    • Passe hidratante neutro no local todas as noites, até que a queimadura melhore completamente;
    • Vá ao médico para fazer uma reavaliação após 3 semanas.

Contudo, o tratamento das queimaduras modem variar do plano recomendado acima, de acordo com a avaliação médica.

Por exemplo, casos de feridas extensas, pacientes com sobrepeso ou com hiperhidrose (sudorese excessiva) podem precisar trocar os curativos com mais frequência. Ainda, no caso de pessoas alérgicas a sulfadiazina de prata, será necessário a troca de pomadas e antissépticos tópicos.

Portanto, o mais adequado é seguir os primeiros passos e manter o tratamento e acompanhamento conforme o/a médico/a clínico geral, médico/a da família ou dermatologista, orientarem.

Também podem lhe interessar: 

Como tratar queimadura de água-viva?

O que fazer em caso de choque elétrico?

Quais são os primeiros socorros em caso de afogamento?

Qual é o tratamento para condiloma acuminado?

O tratamento para condiloma acuminado inclui uso de medicações que se passam na região afetada e cauterização elétrica (isto é, "queimar" as lesões).

O condiloma acuminado é uma doença sexualmente transmissível, causada pelo vírus HPV e que se caracteriza pela presença de verrugas que aparecem em áreas como vulva e vagina, ânus e reto, pênis e boca.

O acompanhamento da doença deve ser feito por dermatologista ou ginecologista.

Fungos na pele: Como identificar e tratar?

Os sinais e sintomas de fungos na pele que causam micoses variam conforme o tipo de infecção. As manifestações podem incluir a presença de manchas brancas, escuras ou vermelhas na pele, descamação ou coceira nas regiões afetadas, formação de crostas ou fissuras, entre outras.

Dentre os principais tipos de micose de pele estão as tineas, a pitiríase versicolor (pano branco) e a candidíase. Os fungos causadores dessas infecções podem estar presentes no solo, em animais ou ainda em outras pessoas.

SintomasTineas

Essa micose pode afetar a pele, o cabelo e as unhas. Os seus principais sintomas são o aparecimento de manchas vermelhas que apresentam bolhas ou crostas e a coceira.

Tineas na unhaPitiríase versicolor (pano branco)

Provoca o aparecimento de manchas brancas na pele que podem surgir em grupos ou isoladas. As manchas podem descamar e tendem a se manifestar no tronco, nos braços, no rosto e no pescoço. As manchas também podem ser escuras ou avermelhadas e ficar mais evidentes com a exposição ao sol.

O seu nome popular "pano branco" é devido a um sinal comum desse tipo de fungo, que normalmente deixa a pele ao redor da área afetada mais clara.

Pano branco no couro cabeludoCandidíase

A candidíase pode acometer qualquer parte do corpo, principalmente quando a imunidade se encontra diminuída; causando lesões como fissuras nos cantos da boca e nas regiões de dobras da pele, como axilas, virilha e embaixo das mamas.

Na região genital, esse fungo manifesta sintomas que incluem manchas avermelhadas, coceira e presença de secreção vaginal de coloração esbranquiçada. Na mucosa da boda se manifesta com placas esbranquiçadas.

Candidíase na línguaTratamento

Pitiríase versicolor: Medicamentos antifúngicos aplicados diretamente no local ou administrados via oral;

⇒ Tineas: Antifúngicos tópicos ou orais;

⇒ Candidíase: Medicamentos antifúngicos de aplicação local ou tomados por via oral.

Em caso de sintomas de fungos na pele que causam micoses, consulte um médico dermatologista para receber um diagnóstico e tratamento adequados.

Saiba mais em: Fungos na pele podem causar micose?

Como tratar sarna humana?

A sarna humana deve ser tratada com o uso de loções para o corpo próprias para matar o parasita que a provoca e com medidas de higiene. Existe também o tratamento com medicamento por via oral, que deve ser prescrito pelo médico. A sarna ou escabiose é causada por um pequeno ácaro parasita e é transmitida por contato direto, de pessoa para pessoa, ou através de roupas, roupa de cama e toalhas usadas pela pessoa com sarna.

Tratamento da sarna:
  • não compartilhar roupas, roupas de cama e toalhas,
  • lavar diariamente roupas, roupas de cama e toalhas; não é preciso fervê-las uma vez que o ácaro não sobrevive muito tempo fora da pessoa (hospedeiro),
  • retirar objetos do quarto, como bichos de pelúcia que não podem ser lavados, embalá-los em sacos plásticos e guardá-los em local distante das pessoas por alguns dias,
  • passar a loção em todo o corpo por vários dias, conforme as orientações do fabricante do produto,
  • no caso de medicação oral, usá-la conforme orientação médica,
  • manter as unhas curtas para evitar lesões causadas pela coceira,
  • banhos ou compressas frias podem ajudar a diminuir a coceira,
  • as outras pessoas da casa também podem necessitar de tratamento.

A sarna pode atingir todo o corpo, mas principalmente os dedos das mãos, punhos, mamilos, axilas, genitais, em volta do umbigo, nádegas, palma das mãos, planta dos pés e couro cabeludo. Sua coceira é pior durante à noite, causando escoriações nos locais atingidos pelo ato de coçar.

Leia também: Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

Mulheres grávidas e crianças em fase de amamentação devem utilizar medicamentos e dosagens próprias para essas fases. O médico clínico geral, o pediatra ou o dermatologista são os profissionais que podem diagnosticar e tratar a sarna.

Qual o tratamento para herpes genital?

O tratamento para herpes genital inclui higiene local, uso de pomadas e comprimidos antivirais. A doença é causada por um vírus (herpes simples), transmitido sobretudo por relações sexuais. Os principais sinais e sintomas incluem vermelhidão, dor e bolhas no local afetado.

O medicamento mais usado para tratar o herpes genital é o aciclovir, normalmente administrado por via oral ou diretamente sobre as lesões, sob a forma de pomada.

Quanto mais cedo o herpes genital começar a ser tratado, mais eficaz é o resultado. O ideal é começar o tratamento no máximo 2 dias após a manifestação dos sintomas.

O tratamento do herpes genital é eficaz e as lesões podem desaparecer inclusive sem deixar cicatrizes. Contudo, mesmo sem manifestar  sintomas, o vírus permanece "adormecido" nas células nervosas. Portanto, em qualquer momento em que a imunidade da pessoa estiver baixa, ele pode voltar a se manifestar e provocar novas lesões.

Veja também: Herpes genital tem cura?

Quais as possíveis complicações do herpes genital?

O herpes genital é uma doença relativamente pouco grave. Entre as suas principais complicações estão a encefalite herpética, que é a infecção do cérebro causada pelo vírus, embora seja uma complicação rara.

Outra forma grave da doença é o herpes congênito, transmitido da mãe para o bebê, principalmente durante o parto.

Leia também: 

Herpes na gravidez é perigoso? Como tratar?

Quem tem herpes pode engravidar?

Para saber o tratamento mais adequado para cada caso, é preciso consultar-se com um clínico geral, médico de família, dermatologista ou ginecologista.

Veja também: 

Quais são os principais sintomas do herpes genital?

Como se pega herpes genital?

Unhas amareladas podem ser sinal de doença?

Sim, unhas amareladas podem ser sinal de algumas doenças. Dentre elas podemos destacar as doenças do fígado, como hepatites e cirrose; doenças autoimunes, como a diabetes, artrite reumatóide e tireoidites; doenças do sistema sanguíneo, como as talassemia e ainda, doenças pulmonares como a bronquite e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). 

Contudo, ter as unhas mais amarelas nem sempre indica sinal de doença. Por exemplo os idosos podem apresentar unhas amareladas sem ser um sinal de anormalidade; o uso prolongado de medicamentos, como os antibióticos; o contato frequente com água e produtos de limpeza; a ingesta excessiva de alimentos com caroteno, por exemplo a cenoura, abobora e batata-doce, chamada carotenemia, podem levar a coloração amarelada tanto nas unhas quanto na pele. 

Pessoas que têm as unhas dos pés muito compridas também podem ficar com as unhas amareladas. Nesse caso, a alteração da cor é causada pelo descolamento da unha que, por estar muito comprida, pode gerar uma alavanca e se descolar do seu leito.

Dentre as doenças, as principais responsáveis por deixar as unhas amarelas são a micose, o diabetes e os problemas pulmonares.

A onicomicose (micose na unha) é causada por fungos que consomem a proteína que forma a unha, deixando-a mais grossa, fraca e quebradiça ou rígida. Nas doenças respiratórias, as unhas engrossam, crescem muito devagar e vão ficando mais amarelas.

Veja também: Que tipos de micose existem?

As unhas saudáveis possuem uma aparência brilhante, não costumam lascar ou apresentar sinais de falta de hidratação. Unhas que mudam de coloração, descamam, escurecem, apresentam ranhuras ou manchas podem indicar diversos problemas de saúde.

Para avaliar se o amarelado da unha é ou não sinal de alguma doença, consulte um médico dermatologista.

Saiba mais em: 

Unhas escuras, o que pode ser?

Dor nas unhas: o que pode ser e o que fazer?

O que são Hifas nas unhas?

Feridas que não cicatrizam, o que fazer?

Esse tipo de ferida, que geralmente aparece em pessoas com diabetes ou problemas de circulação, ou ainda naqueles que têm mobilidade reduzida e que ficam muitas horas na mesma posição, exige um cuidado especial, já que tem grande potencial de complicações graves como infecção, necrose e necessidade de amputação do membro acometido.

Seu tratamento envolve alguns princípios, como alívio da pressão sobre as lesões com uso de palmilhas ou acolchoamentos apropriados, melhora da qualidade da circulação sanguínea, tratamento de infecções oportunistas, controle da doença de base (por exemplo, o diabetes), avaliação e curativos frequentes das feridas, desbridamento da ferida (remoção de tecidos mortos ou infectados), controle de secreções e constante hidratação do local, realização de curativos com materiais especiais e medicações que estimulem a cicatrização.

Tratamentos mais especializados como fototerapia, laserterapia, terapia hiperbárica e terapia de pressão negativa também podem ser úteis.

Em alguns casos, é necessário internar para realizar curativos e medicações sob supervisão mais direta.

De todo modo, o acompanhamento deve ser feito por uma equipe multiprofissional, composta por médico, enfermeiro e fisioterapeuta, quem tenham experiência no tratamento desse tipo de ferida.

Qual o tempo de cicatrização de queimadura?

O tempo de cicatrização de uma queimadura depende do grau de profundidade da lesão:

  • Queimadura de 1º grau (atinge apenas a epiderme - camada mais superficial da pele): Não chega a formar cicatriz e demora cerca de 4 dias para sarar;
  • Queimadura de 2º grau (atinge também a derme - camada de pele logo abaixo da epiderme): Entre 14 e 30 dias para cicatrizar;
  • Queimadura de 3º grau (atinge todas as camadas da pele, podendo chegar ao osso): Pode demorar até um ano para cicatrizar e causar graves deformidades.

A melhor forma de acelerar a cicatrização da queimadura é evitando que a ferida infeccione. Para isso, a queimadura deve receber um tratamento adequado desde o início.

Veja também: Como tratar uma queimadura?

A primeira coisa que se pode fazer em caso de queimadura é mergulhar a área queimada em água fria durante vários minutos, pois limita a extensão da queimadura e acalma a dor. Não se deve passar pasta de dente, manteiga ou outras substâncias sobre a queimadura.

A seguir, é necessário dirigir-se a um pronto socorro para que seja avaliado o grau de profundidade da queimadura.

As queimaduras de 2º grau profundas e de 3º grau necessitam de um acompanhamento constante de um médico, de preferência com experiência no tratamento de queimaduras.