Perguntar
Fechar

Dermatologia

Tenho uma intensa coceira nos testículos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Esses sintomas lembram ou uma infecção de pele ou um quadro de alergia (dermatite ou eczema),precisa ir a um médico, se possível dermatologista para fazer o diagnóstico correto e só depois disso o tratamento.

O que pode causar coceira nas pernas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Coceira nas pernas pode ser sinal de diversas doenças e condições, como má circulação, pele seca, alergia, picadas de inseto, dermatite, uso de sabonetes antibacterianos ou buchas na hora do banho, entre outras causas.

Se a coceira nas pernas piorar à noite, pode ser sintoma de escabiose, popularmente conhecida como "sarna". Nesses casos, a coceira afeta também outras partes do corpo, principalmente abdômen, parte interna dos braços, áreas genitais e coxas.

Coceira no corpo que piora à noite também pode indicar doenças no fígado, como tumores ou cirrose biliar primária.

Veja também: Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

Quando a coceira nas pernas é causada por má circulação, a pessoa também poderá apresentar inchaço nos tornozelos e pés, presença de varizes, dor nas pernas ao caminhar, sensação de dormência, formigamento ou queimação, alterações na temperatura do membro inferior, presença de feridas e manchas nas pernas.

Saiba mais em: Má circulação nas pernas: como identificar e tratar?

dermatite é outra causa comum de coceira no corpo e caracteriza-se pelo aparecimento de manchas avermelhadas que descamam e coçam. Pode ser causada por produtos de limpeza, higiene pessoal e beleza, substâncias químicas, efeito secundário de algum medicamento, entre outros.

Já a urticária caracteriza-se pelo aparecimento repentino de placas avermelhadas e elevadas na pele que causam coceira intensa. Pode ter diversas causas, sendo que alguns medicamentos estão entre as principais delas.

Leia também: O que é urticária?

Em caso de coceira nas pernas ou em qualquer outra parte do corpo, procure o/a médico/a de família ou dermatologista para receber um diagnóstico e seguir um tratamento adequado.

Saiba mais em:

Coceira no corpo, o que pode ser e o que fazer?

Coceira no ouvido: O que pode ser e o que devo fazer?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

Tenho umas bolinhas na pele do meu testículo, é normal?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A presença de bolinhas no testículo não é incomum, principalmente por ser uma região que está constantemente coberta, quente e mais úmida. Portanto, o ambiente facilita o desenvolvimento de inflação local, as espinhas.

Outras causas possíveis para a formação de bolinhas nessa região são a infecção local, glândulas naturais aumentadas, HPV (papilomavirus humano), molusco contagioso e hidroadenite supurativa.

1. Espinhas

As espinhas, inflamação da glândula sebácea dos pelos, tão conhecidas no rosto, podem acometer outras regiões do corpo, como a região do pênis e testículos. Porém, nesses casos as bolinhas são mais avermelhadas e/ou causam dor.

O tratamento deve ser manter o local limpo e seco, procurar usar roupas com tecidos mais leves, ou que permitam a transpiração da pele.

Não é recomendado espremer as espinhas ou tentar retirá-las, pelo risco de ferir o local e desenvolver uma infecção.

2. Infecção

Os cravos ou espinhas podem evoluir com infecção, após sofrer uma lesão, seja por manipulação ou mesmo pelo calor local associado ao atrito com a roupa.

Nesse caso, além das bolinhas, pode haver dor, calor e vermelhidão local, além de mau cheiro e eventualmente, saída de secreção purulenta

Toda ferida infectada deve ser tratada rapidamente com antibióticos em pomada e ou comprimido, dependendo da extensão e gravidade da ferida. Para comprar esse medicamento é preciso receita médica controlada.

3. Glândulas de Tyson

Conhecidas também por "coroa perolada" ou glândulas prepuciais, são pequenas glândulas presentes no pênis de todos os homens, responsáveis pela lubrificação dos órgãos sexual masculino, além de função de proteção local.

As glândulas se caracterizam pela presença de pequenas bolinhas brancas ou rosadas, que se assemelham a espinhas, na glande ou testículos.

Em média, 10% dos homens nasce com essas glândulas um pouco aumentadas de tamanho, ou aumentam durante a puberdade, o que causa certa insegurança e incômodo para o homem. No entanto, é uma situação normal, sem relação com doenças sexualmente transmissíveis, ou problemas de saúde.

4. HPV

O papilomavirus humano é um vírus sexualmente transmissível, que se caracteriza pela presença de pequenas verrugas aglomeradas, que não causam dor ou sinais de infecção.

Apesar disso, por ser transmissível e altamente relacionado aos casos de câncer de colo de útero na mulher, deve ser uma das causas a ser investigada.

Saiba mais sobre HPV no link: Como é feito o diagnóstico do HPV?

5. Molusco contagioso

O molusco contagioso é uma infecção viral, comum em crianças, pessoas com imunidade baixa e portadores de dermatite atópica. Altamente contagiosa, transmitida através do contato direto com a pele.

As lesões são pequenas, avermelhadas e com ligeira depressão no centro. Não coçam e são mais encontradas no tronco.

O tratamento deve ser realizado com dermatologista, por medicamentos específicos e algumas vezes, remoção manual, cirúrgica ou cauterização das lesões.

6. Hidroadenite supurativa

A hidroadenite é uma doença de pele, causada pela inflamação dos folículos pilosos, principalmente em região de dobras, como as axilas, virilhas, região genital, glútea e abaixo das mamas.

As lesões são dolorosas, avermelhadas, podem ter mau cheiro e drenagem de pus. O tratamento é feito com orientações gerais de higiene e uso de roupas adequadas, antibióticos e mais raramente, imunossupressores.

Sendo assim, recomendamos que, na presença de outros sintomas, procure um médico urologista, que deverá prescrever um tratamento direcionado ao seu problema.

Não havendo outros sintomas, apenas mantenha uma boa higiene local e faça uso de roupas adequadas, que permitam a transpiração da pele.

Leia também:

Qual o tratamento para micose na virilha?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

O tratamento para micose na virilha é feito com medicações de uso tópico.

A micose na virilha é uma doença cutânea infecciosa, causada por fungos, que tem cura e pode ser tratada. Hoje em dia, há diversas opções de pomadas, cremes e loções antifúngicos que podem ser utilizadas, cito alguns exemplos abaixo:

  • cetoconazol;
  • isoconazol;
  • miconazol;
  • ciclopirox olamina;
  • clotrimazol.

Cremes e pomadas à base de nistatina não tratam os fungos que causam a maioria das micoses inguinais.

Deve-se evitar pomadas que contenham corticóides na sua fórmula, como betametasona ou triancinolona, pois elas podem atrapalhar o tratamento e mascarar os sintomas, além de causar efeitos colaterais locais.

Há alguns casos, como em pacientes imunossuprimidos ou se houver falha ao tratamento tópico, em que será necessário o uso de comprimidos de antifúngicos por via oral, como terbinafina e itraconazol.

Outros cuidados locais devem ser tomados para evitar a recorrência da micose inguinal:

  • manter a região seca, por exemplo, com a aplicação de talcos;
  • evitar banhos quentes e roupas apertadas;
  • evitar roupas íntimas apertadas e de tecido sintético, que impede a transpiração corpórea;
  • secar bem a região após o banho, com toalha ou secador de cabelos;
  • evitar utilizar a mesma toalha que enxugou a região infectada em outras áreas e não compartilhar toalhas;
  • trocar diariamente a roupa íntima.

Para avaliar a micose inguinal e tratá-la adequadamente, deve ser procurado um médico dermatologista.

Tenho manchas brancas na pele. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Manchas brancas na pele podem ser sinal de vitiligo, micose, falta de vitaminas ou minerais ou ainda outros problemas dermatológicos. Manchas brancas no rosto ou no braço, tipo sardas, também podem podem ser causadas pelo excesso de exposição solar.

O vitiligo é uma doença cutânea que caracteriza-se pela perda de melanina, substância responsável pela pigmentação da pele. As manchas brancas do vitiligo podem surgir em qualquer parte do corpo e ter formas e tamanhos variados.

As manchas não coçam, nem provocam dor ou irritação no local. Em alguns casos, as manchas brancas podem adquirir uma cor marrom e formar escamas sobre elas. 

No caso da micose, as manchas brancas na pele aparecem principalmente nos braços, rosto, couro cabeludo, peito e costas, que são regiões do corpo com mais oleosidade.

A pitiríase versicolor, popularmente chamada de "pano branco", é uma infecção cutânea provocada por fungos, muito comum durante o verão. A micose não é contagiosa e o tratamento é feito com xampus, pomadas e medicamentos antifúngicos.

Manchas brancas no rosto podem ser causadas pelo excesso de exposição solar. Tomar sol sem proteção pode prejudicar o funcionamento dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção de melanina (pigmento que dá cor à pele).

A ausência de pigmentação deixa a pele mais clara ou sem cor em alguns locais, dando origem às manchas brancas que surgem principalmente na face, na perna e no braço.

As manchas brancas na pele também podem ter como causa a falta de vitaminas ou minerais. A carência de micronutrientes essenciais pode ser decorrente de maus hábitos alimentares ou dietas muito restritivas. Além de manchas na pele e nas unhas, a falta de vitaminas e minerais pode causar diversos problemas à saúde.

A presença de manchas brancas na pele deve ser avaliada pelo/a médico/a dermatologista, médico/a de família ou clínico/a geral, para diagnosticar a causa do problema e prescrever o tratamento adequado.

Também podem lhe interessar:

Mancha branca na unha: quais as causas e como tratar?

Mancha branca no dente: o que pode ser?

Vitiligo tem cura? Qual o tratamento?

Que tipos de micose existem?

Bolinhas no rosto parecidas com espinhas: o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Bolinhas no rosto semelhantes a espinhas podem ser milium, foliculite ou ainda ter outra causa. Apenas através de uma avaliação destas bolinhas é possível ter  a certeza de um diagnóstico. O milium é uma pequena lesão amarelada ou esbranquiçada que geralmente surge na face, sobretudo ao redor dos olhos. Já a foliculite é uma infecção do folículo piloso causada por bactérias. É semelhante a uma espinha e pode ou não conter pus.

Milium

O milium é muito frequente em bebês e normalmente desaparece naturalmente nesses casos. Mas também pode aparecer em adultos e causar incômodo estético, já que não causa nenhum dano a saúde.

Para evitar o aparecimento do milium é necessário fazer uma limpeza diária do rosto com um sabonete facial apropriado para o tipo de pele. Geralmente o milium desaparece espontaneamente com o decorrer do tempo, em alguns casos pode ser retirado ou tratado com pomada tópica.

Assim como as espinhas, essas bolinhas também não devem ser espremidas para não marcar a pele e não causar infecções no local.

Já a foliculite tem a aparência de uma pequena espinha vermelha de ponta branca que surge ao redor de um pelo. Nos homens pode acometer a região da barba. A pele pode ficar avermelhada e inflamada, podendo haver coceira, dor e aumento da sensibilidade local.

Foliculite

A infecção geralmente é superficial e desaparece espontaneamente na maioria dos casos. Porém, casos mais graves e frequentes de foliculite devem ser avaliados por um médico.

Saiba mais em: Existe algum tratamento para foliculite?

Coceira nos pés: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Coceira nos pés pode ser sintoma de micose ("tinha", "frieira", "pé-de-atleta") ou ainda psoríase. Identificar a causa do comichão nos pés é fundamental para saber o que fazer e como tratar a doença.

Micose

No caso da micose nos pés, os sintomas incluem coceira no meio dos dedos, vermelhidão na pele, descamação, lesão com borda avermelhada, descamação esbranquiçada e fissuras entre os dedos.

Como aliviar a coceira nos pés causada por frieira?

O tratamento da micose é feito com medicamentos antifúngicos e aplicação de pomadas com antifúngicos nos pés. Deve-se ainda polvilhar os calçados com pó antifúngico.

Dentre os remédios usados no tratamento da micose estão: cetoconazol, miconazol, cotrimazol, butenafina, griseofulvina, terbinafina e fluconazol.

Psoríase

Já a psoríase é uma doença crônica da pele provocada por um processo inflamatório. Acredita-se que a doença seja desencadeada pelo ataque de células de defesa (linfócitos T) à pele.

A doença caracteriza-se por lesões avermelhadas e descamativas que aparecem principalmente em joelhos, cotovelos e couro cabeludo, podendo afetar ainda unhas, palmas das mãos, plantas dos pés ou toda a superfície do corpo.

Se a coceira nos pés for causada por psoríase, a pessoa poderá apresentar ainda os seguintes sinais e sintomas:

  • Manchas vermelhas na pele com descamação esbranquiçada ou prateada;
  • Pequenas manchas agrupadas;
  • Pele seca e rachada, que pode sangrar em alguns casos;
  • Coceira;
  • Queimação;
  • Dor;
  • Unhas grossas, com sulcos ou caroços;
  • Inchaço e rigidez articular.
Como aliviar a coceira nos pés causada por psoríase?

O tratamento da psoríase é feito com aplicação de pomadas, géis e cremes, fototerapia e uso de medicamentos orais ou injetáveis. Também é importante ter alguns cuidados como manter a pele bem hidratada, usar água morna para tomar banho, tomar sol diariamente, não fumar e combater e controlar o estresse e a ansiedade.

Todos os medicamentos usados nos tratamentos devem ser usados sob orientação médica. Para que a origem da coceira nos pés seja identifica e receba um tratamento adequado, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral ou dermatologista.

Saiba mais em:

O que é psoríase?

A psoríase tem cura? Qual o tratamento?

O que é rash cutâneo?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Rash cutâneo, ou exantema, é o aparecimento de manchas ou pápulas (quando as lesões são elevadas) na pele. As lesões usualmente são múltiplas e espalham-se por todo o corpo. Ocorre em consequência de doenças agudas provocadas por vírus, protozoários ou bactérias e também por parasitas helmínticos, como o Schistosoma mansoni, durante a fase inicial.

Na infância, as principais doenças associadas ao surgimento de exantema são:

  • Sarampo
  • Rubéola
  • Dengue
  • Escarlatina
  • Enteroviroses
  • Exantema súbito
  • Eritema infeccioso
  • Mononucleose
  • Kawasaki

Na idade adulta, o exantema pode surgir como manifestação de diversas doenças, sendo que não é possível concluir com certeza a causa deste, apenas olhando as lesões de pele. São importantes outros dados, como tempo de surgimento, associação com febre, artralgia, mialgia, mal estar, sangramentos, caroços no corpo, dor de garganta e hábitos sexuais. As possíveis causas de exantema são:

  • Dengue
  • Mononucleose
  • HIV
  • Sífilis
  • Reação a drogas
  • Toxoplasmose
  • CMV

O paciente que apresentar exantema deve procurar um médico clínico geral no pronto atendimento ou médico dermatologista.