Perguntar
Fechar

Dermatologia

Dor nos bicos dos seios. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Dor nos mamilos (bicos dos seios) pode ter várias causas. Normalmente são causas benignas, a dor pode estar associada a um aumento dos hormônios estrogênio e progesterona, portanto relacionada ao ciclo menstrual, ou pode ser decorrente de alterações locais.

Dentre as possíveis causas para a dor no bico dos seios estão: gravidez, período pré e pós-menstrual, pré-menopausa, uso regular de contraceptivos orais, terapia de reposição hormonal, uso de antidepressivos, seios muito grandes, irritação local pelo uso de sabonetes e detergentes, amamentação e infecções, como micoses.

É importante ficar atenta também a outros sintomas no mamilo e na mama, que, se estiverem presentes, podem indicar doenças potencialmente graves. Esses sinais e sintomas incluem:

  • Coceira e inchaço no mamilo;
  • Formação de fissuras;
  • Sangramento;
  • Presença de caroços ou inchaços ao redor da aréola;
  • Saída de secreção pelo mamilo;
  • Saída de leite, sem estar grávida ou amamentando. 
Coceira no bico do seio, o que pode ser?

A coceira no mamilo pode ser causada por um processo inflamatório na pele, conhecido por dermatite, ou por alergia. O tratamento, nesses casos, é feito com pomadas, que melhoram rapidamente os sintomas. 

Contudo, é importante frisar que coceira e vermelhidão no bico do seio também podem ser sintomas de doença de Paget, um tipo raro de câncer de mama.

Se a dor ou a coceira no bico dos seios permanecer por mais de 10 dias, procure um/a médico/a mastologista ou dermatologista para uma avaliação.

Não faça uso de qualquer medicação antes de ser avaliada, pois pode mascarar algum sinal importante para o seu diagnóstico.

Leia também: Mamilos sangrando. O que pode ser e o que fazer?

Coceira no corpo, o que pode ser e o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Coceira no corpo pode ser causada por diversas doenças, que vão desde alergias a tumores no fígado, passando por seborreia e micoses. Regra geral, o que se deve fazer é evitar coçar muito o local para evitar lesões e infecções. Dependendo do local do corpo que a coceira aparece, é possível saber o que pode ser:

  • Cabeça: Caspa;
  • Olhos: Conjuntivite ou blefarite (caspa ocular);
  • Lóbulo a orelha: Alergia ao brinco de bijuteria ou prata;
  • Abaixo da nuca: Alergia à etiqueta da roupa;
  • Axilas: Alergia ao desodorante;
  • Virilha: Micose;
  • Genitais: infecções, doenças sexualmente transmissíveis, alergias;
  • Corpo todo: Urticária ou dermatite atópica;
  • Dentro ou atrás da orelha: Dermatite seborreica;
  • Nariz: Rinite;
  • Pescoço e pálpebra superior: Alergia ao esmalte da unha;
  • Lateral do abdômen: pele seca;
  • Mãos: Alergia ao detergente ou sabão (veja mais em: Coceira nas mãos: o que pode ser e o que fazer?);
  • Pés: micose (leia também: Coceira nos pés: o que pode ser e o que fazer?).

Saiba mais em: Estou com coceira na garganta e sinto que ela está irritada. O que pode ser?

Causas comuns de coceira no corpo:

  • Dermatites: Caracterizam-se pelo aparecimento de manchas avermelhadas que descamam e coçam, podendo ter evolução crônica. Pode ser causada por produtos de limpeza, higiene pessoal e beleza, substâncias químicas, efeito secundário de algum medicamento, entre outros;
  • Escabiose ("sarna"): Geralmente provoca coceira à noite, principalmente no abdômen, parte interna dos braços, área genital e coxas. A doença é causada por um ácaro que pode facilmente ser transmitido através do uso comum de roupas de cama e roupas, embora o contato sexual seja o seu principal meio de disseminação;
  • Urticária: Caracteriza-se pelo aparecimento repentino de placas avermelhadas e elevadas na pele. Pode ter diversas causas, sendo que alguns medicamentos estão entre as principais;
  • Ansiedade e/ou estresse: Coceira generalizada pode ser sinal de ansiedade ou estresse severos, capazes de levar o indivíduo a ideias suicidas;
  • Alimentação: A coceira nestes casos é mais rara, com características semelhantes à urticária. O consumo de camarão está entre suas principais causas;
  • Picada de inseto: A picada de determinados insetos pode levar ao surgimento de bolinhas avermelhadas na pele que geralmente coçam muito;
  • Doenças mais graves: Dengue, catapora, viroses, hepatites B e C e até infecção pelo HIV podem causar erupções na pele que provocam coceira.

Se estiver com coceira no corpo, o que deve fazer é procurar o/a médico/a dermatologista, médico/a de família ou clínico/a geral para que seja feito um diagnóstico das causas, seguido por um tratamento adequado.

Saiba mais em:

Coceira no ouvido: O que pode ser e o que devo fazer?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

Estou com caroços dentro da vagina, em um dos lados. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Caroço dentro da vagina ou nos grandes lábios pode ter como causa bartolinite, foliculite, hematoma, linfogranuloma venéreo, cisto sebáceo e outro tipos de cistos, lipoma, entre outras causas.

Com as características apresentadas (caroço pequeno, vermelho, com ponta branca e que não possui pus), pode tratar-se de uma inflamação no pelo da região, situação conhecida como foliculite.

O que é foliculite?

A foliculite é uma inflamação na raiz do pelo, causada por fungos, vírus ou bactérias. Porém, há casos em que não há uma infecção propriamente dita, mas uma inflamação, em que o próprio pelo provoca a resposta inflamatória.

A profundidade da foliculite pode variar. Costuma ser superficial, provocando apenas lesões pequenas na pele. Porém, há casos em que a foliculite é profunda. Nesse caso, o problema é mais grave, pois afeta camadas mais profundas da pele, normalmente com formação de furúnculos.

Quais são os sintomas da foliculite?

Os sinais e sintomas da foliculite incluem manchas pequenas ou pequenos caroços na pele, nesse caso, na vagina. O pus pode ou não estar presente. Pode haver ainda formação de crostas, dor, coceira e desconforto. 

O que fazer em caso de caroço na vagina?

Nesse caso, se for uma foliculite, não é indicado apertar, espremer ou estourar. Deve-se fazer a higiene local no momento do banho com água e sabão, sem a necessidade de usar nenhum outro produto de limpeza específico.

Caso a inflamação infeccione e transforme em abscesso com dor local, presença de pus, vermelhidão e inchaço, é necessária a drenagem para que o pus saia e alivie a dor, juntamente com uso de antibiótico.

Veja também: Existe algum tratamento para foliculite?

Se o caroço não regredir em alguns dias e vir acompanhado desses sintomas, a mulher deve procurar o/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para o diagnóstico e tratamento adequado.

Caroço na cabeça: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Caroço (nódulo) na cabeça, mais especificamente no couro cabeludo, pode ser sinal de dermatite seborreica, cisto sebáceo ou hematomas. 

A dermatite seborreica é uma das principais causas de caroços doloridos na cabeça. Trata-se de uma doença de pele que afeta sobretudo o couro cabeludo em qualquer idade, inclusive recém-nascidos/as.

Alguns sinais e sintomas de dermatite seborreica:

  • Presença de pedaços de crosta grossa que formam o nódulo;
  • Dor ao tocar o caroço na cabeça;
  • Área circundante ao caroço coça, é macia e dolorosa ao toque;
  • Pode ou não haver presença de caspa que sai em pedaços no couro cabeludo.

O tratamento da dermatite seborreica é variado e pode incluir:

  • Lavagens mais frequentes da cabeça;
  • Evitar o uso de pomadas, sprays e géis para o cabelo, bem como chapéus ou bonés;
  • Uso de shampoos com ácido salicílico, alcatrão, selênio, enxofre, zinco e antifúngicos;
  • Aplicação de cremes/pomadas que contenham antifúngicos, corticosteroide.

Outra causa comum de caroço na cabeça é o cisto sebáceo, que ocorre quando o folículo piloso fica obstruído com sujeira, poeira, oleosidade natural da pele ou restos celulares.

O cisto sebáceo fica então inchado, formando um nódulo ou "caroço" cheio de pus e que muitas vezes provoca mau cheiro. Neste caso, a pessoa pode sentir dor ao lavar ou pentear o cabelo.

O tratamento mais indicado para cisto sebáceo é a remoção cirúrgica completa do mesmo e da sua cápsula. 

Os hematomas na cabeça são também percebidos como caroço. Eles são causados após a colisão da cabeça com algum objeto, parede, chão ou a cabeça de outra pessoa. Essa situação é transitória e o caroço fica presente até ocorrer a completa absorção pela pele local.

A presença de caroço na cabeça, seja no couro cabeludo, atrás da orelha ou em qualquer outra região da cabeça ou do corpo, deve ser avaliada pelo/a médico/a dermatologista, médico/a de família ou clínico/a geral.

Também pode lhe interessar: Caroço na nuca: o que pode ser?

Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Coceira no corpo que piora durante a noite pode ser escabiose, popularmente conhecida como "sarna". A coceira acomete principalmente abdômen, parte interna dos braços, áreas genitais e coxas. O rosto normalmente não coça, exceto quando a escabiose é em bebês.

A doença é causada pelo Sarcoptes scabieium ácaro que parasita o ser humano e provoca uma intensa coceira.

A transmissão da escabiose pode ocorrer pelo uso comum de vestuários e roupas de cama, embora o principal meio de disseminação do ácaro seja através do contato sexual.

O tratamento é feito com medicamentos de uso tópico ou via oral e visa eliminar os ovos do ácaro que são depositados sob a pele.

Leia também: Como tratar sarna humana?

Coceira que piora à noite pode ser problema no fígado?

Sim, além da escabiose, coceiras pelo corpo que pioram à noite também podem ser sinal de doenças no fígado, como tumores ou cirrose biliar primária.

Nesses casos, como não há formação de feridas na pele, a pessoa pensa que a coceira é alguma alergia e espera passar.

No caso da cirrose biliar primária, a coceira piora muito durante a noite, especialmente em locais de clima quente e úmido.

Há pessoas que se coçam tanto que chegam a provocar lesões na pele e no couro cabeludo. Existem também relatos de suicídio devido à coceira intensa.

Para um diagnóstico adequado da causa dessa coceira noturna, consulte o/a clínico/a geral, médico/a de família ou dermatologista para orientar o tratamento mais indicado.

Também pode lhe interessar: 

O que pode causar coceira nas pernas?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

Bolhas no corpo: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Bolhas no corpo podem ser sinal de diversas doenças, como catapora (varicela), epidermólise bolhosa, pênfigo, entre outras. Algumas das principais causas de bolhas no corpo:

  • Epidermólise bolhosa:

    • Doença genética que pode acometer pessoas de qualquer idade. Não é contagiosa;
    • Caracteriza-se pela fragilidade da pele e das mucosas devido à falta de aderência entre as camadas da pele. Assim, sob qualquer atrito ou pressão, as camadas da pele se separam e formam bolhas com muita facilidade;
    • As áreas do corpo mais afetadas são as regiões de dobras, extremidades, mucosas da boca e dos olhos;
    • Existem 3 tipos de epidermólise bolhosa:
      • Simples: Apesar das bolhas serem muito dolorosas, a cicatrização não provoca grandes danos permanentes;
      • Distrófica: As bolhas surgem espalhadas pelo corpo, são constantes e deixam cicatrizes;
      • Juncional: É a forma mais grave, pois atinge esôfago, estômago e intestino, provocando lesões internas que impedem o paciente de engolir ou digerir os alimentos.
    • A prevenção é o melhor tratamento para epidermólise bolhosa, ou seja, o paciente deve evitar machucados e traumatismos na pele. Casos com infecção são tratados com antibióticos (saiba mais em: O que é epidermólise bolhosa? Quais os sintomas e tratamento?)
  • Catapora (varicela):
    • Causada pelo vírus varicela-zóster, a doença é altamente contagiosa e está entre as mais comuns da infância, embora não seja considerada grave;
    • Uma vez exposta à catapora, a pessoa fica imune até o fim da vida. Mais de 90% dos adultos estão imunes à catapora porque já a contraíram em alguma fase da vida;
    • A transmissão da catapora ocorre através do contato direto com saliva ou secreções respiratórias de alguém infectado, ou pelo contato com o líquido que fica dentro das vesículas (pequenas bolhas);
    • Os sintomas da catapora são:
      • Febre alta;
      • Mal-estar;
      • Falta de apetite;
      • Cansaço;
      • Manchas vermelhas que coçam muito e depois se transformam em bolhas cheias de líquido;
      • As bolhas então se estouram e formam uma pequena ferida, que cria uma casquinha e sara espontaneamente.
      • Em geral, todo o processo da doença dura entre uma e duas semanas.
    • Mesmo após o fim da doença, o vírus da catapora fica "adormecido" no organismo, em gânglios nervosos perto da coluna vertebral. Se o vírus for reativado, pode causar uma outra doença chamada Herpes zoster, que caracteriza-se pela formação de pequenas bolhas agrupadas sobre uma base avermelhada que provocam dor, queimação e aumento da sensibilidade local.
  • Pênfigo:
    • Doença relativamente rara, que caracteriza-se pela formação de bolhas na pele, podendo também atingir as mucosas (boca, garganta, olhos, nariz e região genital);
    • Os pênfigos são doenças autoimunes, ou seja, são causadas pelo ataque do próprio sistema imunológico do paciente, portanto não são contagiosas;
    • Os anticorpos atacam estruturas da pele responsáveis pela união entre as células; Sem esse "cimento" que une as células, elas se separam e com a separação ocorre passagem de líquido e formação de bolhas;
    • As bolhas se rompem após horas ou dias, deixando feridas na pele e nas mucosas que demoram muito para fechar, e às vezes nem fecham;
    • São 2 os principais tipos de pênfigos:
      • Pênfigo vulgar: As bolhas geralmente começam nas mucosas, sobretudo na boca, podendo também surgir dentro do nariz e na região genital, passando depois para o couro cabeludo, costas, peito e depois para o corpo todo;
      • Pênfigo foliáceo: Também chamado de “fogo selvagem”, este tipo de pênfigo não forma bolhas nas mucosas, somente na pele.
    • O tratamento do pênfigo é feito com corticosteroides orais e, em alguns casos, acrescenta-se medicamentos imunossupressores;
  • Penfigoides:
    • É um outro grupo de doenças autoimunes que provocam a formação de bolhas no corpo e nas mucosas;
    • O principal deles é o penfigoide bolhoso, que acomete sobretudo idosos e caracteriza-se pelo aparecimento de bolhas grandes e firmes que demoram vários dias para romper;
  • Dermatite herpetiforme:
    • Doença autoimune, portanto não contagiosa, que provoca a formação de grupos de pequenas bolhas persistentes que causam muita coceira;
    • Em geral, a maioria das bolhas se concentra nos cotovelos, joelhos, nádegas, coluna lombar e atrás da cabeça, podendo também surgir na face e no pescoço;
    • Normalmente a doença é ativada pela ingestão de glúten, uma proteína presente em cereais e na aveia; Por isso, quase todos os pacientes apresentam também intolerância ao glúten (doença celíaca);
    • O tratamento consiste basicamente numa dieta sem glúten, com uso de medicamentos específicos para aliviar os sintomas, caso eles surjam.

Essas são apenas algumas das doenças que podem causar bolhas no corpo, por isso é fundamental consultar o/a médico/a dermatologista assim que se verifique os primeiros sintomas, para um diagnóstico e tratamento adequados.

Também pode lhe interessar:

Bolhas na boca, quais as causas?

Bolha na gengiva: o que pode ser e o que fazer?

Bolhas na garganta: o que pode ser?

Coceira na virilha, o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

A causa mais comum de coceira na virilha é a tinea cruris, uma infecção da pele causada por algumas espécies de fungo. Outras causas são: dermatite seborréica, dermatite eczematosa e neurodermite. Abaixo, cito alguns detalhes sobre essas doenças:

  • Tinea cruris: clinicamente se caracteriza pela presença de lesão avermelhada, especialmente na periferia, com descamação fina e algumas vezes presença de pústulas (bolinhas de pus). As lesões costumam ser pruriginosas. Pode acometer ambas as virilhas ou apenas um lado. O tratamento é simples e consiste no uso de antifúngicos tópicos, como cetoconazol, isoconazol, miconazol, ciclopirox olamina, dentre outros. Não é recomendada a associação de antifúngico e corticóide tópico (como betametasona), pelos efeitos colaterais potencialmente deletérios.
  • Dermatite seborréica: clinicamente se caracteriza pela presença de lesão avermelhada, com descamação mais grosseira e amarelada e também pode ser pruriginosa. Normalmente as lesões são recorrentes e podem piorar no verão e nos meses em que a temperatura é mais alta. O tratamento pode ser feito com medicações tópicas, como cetoconazol xampu e tacrolimus;
  • Dermatite eczematosa: clinicamente, se apresenta com lesões avermelhadas, com vesículas e que exsudam (são úmidas). Se a causa não é afastada, a pele pode engrossar, adquirindo coloração acinzentada e aspecto "enrugado". Pode ocorrer como consequência ao contato com substâncias irritantes, como cáusticos, ou com substâncias a que a pessoa adquire alergia, como sabões, detergentes ou tecidos sintéticos. O tratamento consiste em afastar o irritante e eventualmente o uso de corticóide tópico, somente com prescrição médica;
  • Neurodermite: clinicamente se apresenta com uma região em que a pele fica mais "grossa", de coloração acinzentada e "enrugada". É consequência da coçadura crônica. O tratamento por vezes é desafiador e inclui pomadas tópicas e comprimidos.

Outra doença que pode acometer a virilha é a psoríase, contudo, não é comum a queixa de prurido.

Para uma melhor avaliação, deve ser procurado um médico dermatologista.

Língua branca é sinal de doença?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A língua branca pode ter diversas causas, mas na maioria das vezes não é sinal de doença. Normalmente, a língua esbranquiçada é causada por bactérias, restos de alimentos e células mortas que se acumulam entre as papilas gustativas (saburra lingual).

Entretanto, quando apenas uma parte pequena da língua é branca, em especial quando a lesão branca é aveludada ou elevada como uma ferida, pode sim ser sinal de alguma doença.

Dentre as possíveis condições que podem deixar a língua saburrosa estão a má higiene bucal, consumo de bebidas alcoólicas, tabagismo, febre, boca seca, desidratação, efeito adverso de algum medicamento, falta de ferro ou vitamina B7, língua geográfica, entre outras.

Contudo, há casos em que a língua branca pode ser sinal de alguma doença. Problemas no fígado ou no aparelho digestivo podem prejudicar a absorção de vitaminas, levando ao aparecimento de um manto branco na boca. 

A leucoplasia também provoca a formação de uma placa esbranquiçada ou manchas brancas sobre a língua. Enquanto que a saburra lingual sai com raspagem, a camada branca nesse caso persiste. A leucoplasia requer atenção devido ao risco de evoluir para câncer. 

Veja também: Leucoplasia é câncer?

O aparecimento de placas ou manchas brancas na língua ocorre também na candidíase oral, uma infecção bucal causada por um fungo. Além da língua, a doença também pode se manifestar nas mucosas da boca, no céu da boca e na garganta (orofaringe). As lesões podem causar dor e sangrar em alguns casos.

Saiba mais em: Quais são os sintomas da candidíase?

Consulte o/a dentista ou médico/a de família se a sua língua permanecer branca por várias semanas ou se você não conseguir remover a camada branca com raspagem ou escovação.

Também podem lhe interessar:

Como tratar língua branca?

Língua geográfica: o que é, quais os sintomas e como é o tratamento?

Língua rachada o que pode ser? Qual o tratamento?