Perguntar
Fechar
Prednisolona: o que é, para que serve, como tomar e efeitos colaterais
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A Prednisolona é um anti-inflamatório esteroide utilizado principalmente nos casos de inflamação, dor e edema.

A medicação pode ser indicada também para outros tratamentos como, por exemplo, alergias, doenças endócrinas, problemas de pele, problemas na articulação, doenças autoimunes, doenças respiratórias e problemas oculares.

Quando associado a outros medicamentos, a prednisolona pode auxiliar no tratamento de câncer.

Indicações1. Alergias

O seu uso é igualmente indicado para rinite alérgica, dermatite de contacto e atópica e reações alérgicas a medicamentos. Pode ser indicado na forma de comprimidos ou pomadas.

2. Doenças endócrinas

Algumas doenças do sistema endócrino se beneficiam muito de corticoide, como doenças da glândula adrenal, doenças da tireoide e complicações do câncer.

3. Problemas de pele

Grande parte das doenças de pele, como micoses e dermatites são tratadas com corticoides, porém outras pioram com a medicação, por isso é importante fazer uso apenas com a indicação médica.

4. Problemas na articulação

É possível tratar reumatismo, artrite reumatoide, bursite, entre outras doenças articulares com prednisolona. Os resultados dependem da gravidade dos sintomas e doses utilizadas.

5. Distúrbios autoimunes

Usada no tratamento de doenças autoimunes, pela redução da imunidade natural, com menor formação de anticorpos. São exemplos as colagenoses, lúpus, psoríase e a cardite reumática aguda.

6. Doenças respiratórias

Tem indicação para os quadros agudos de asma, bronquite, pneumonias complicadas, sarcoidose, enfisema pulmonar e alguns casos de tuberculose.

7. Problemas oculares

Nos casos de conjuntivite alérgica, neurite ótica, úlceras de córnea e herpes zóster oftálmico, o uso de prednisolona é fundamental para tratar e para evitar complicações como a cegueira.

Outros problemas mais graves como distúrbios de sangue, como alguns casos de anemia, púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) e plaquetas baixas sem causa definida, também respondem bem ao tratamento com corticoides.

Assim como o tratamento paliativo de leucemias e linfomas.

Como tomar?

A dose de prednisolona varia muito em função da idade, peso, doença a ser tratada e a forma farmacêutica.

Pode ser usada em bebês, crianças e adultos.

O medicamento é encontrado em três diferentes formas: comprimidos de 5 ou 20 mg, xarope de 3 mg/ml ou 1mg/ml e solução em gotas de 11mg/ml.

O uso da medicação, a sua dose e a duração do tratamento devem ser orientados pelo/a médico/a.

Quais são os efeitos colaterais de Prednisolona?Efeitos coletaris mais comuns

Durante o tratamento com prednisolona os efeitos colterais mais relatados são o aumento do apetite e retenção de líquido, que levam ao aumento de peso; retardo na cicatrização de feridas; má digestão; fadiga, insônia, gastrite, azia e maior risco de úlceras gástrica.

Ainda, nas crianças com o uso prolongado de corticoides, observa-se um retardo no crescimento.

Efeitos raros

Apesar de serem considerados mais raros, também podem ocorrer problemas nos olhos como catarata, glaucoma, intolerância a carboidratos, aumento da necessidade de insulina ou hipoglicemiantes orais em pessoas diabéticas.

Quais as contraindicações?
  • Pessoas alérgicas à prednisolona ou algum componente da sua fórmula.
  • Em casos de infecções fúngicas sistêmicas ou infeções não controladas.
  • Mulheres grávidas ou que estão amamentando.

A prednisolona, como qualquer outro medicamento, somente deve ser utilizado com prescrição médica.

Existe diferença entre Prednisolona e Prednisona?

A prednisona é uma substância inativa que, quando ingerida, é ativada pelo fígado e transformada em prednisolona. Deste modo, a ação da prednisolona e da prednisona são as mesmas.

Para as pessoas que possuem problemas no fígado é mais vantajoso o uso da prednisolona, uma vez que esta não precisa agir na sua metabolização, para desempenhar as suas funções.

Para escolher que tipo de medicamento usar, consulte o/a seu/sua médico/a.

Como interpretar os resultados da urocultura?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os resultados da urocultura, podem ser considerados: negativo ou normal, falso-negativo, positivo ou falso positivo.

Trata-se de um exame que permite identificar a presença e o tipo de bactéria na urina em casos de infeção urinária.

Colônia de bactéria em um meio de cultura. Urocultura negativa ou normal

Diz-se que a urocultura é negativa ou normal quando após um período de 48 a 72 horas de incubação da urina no meio de cultura, nenhum crescimento de colônias de bactérias é observado.

Urocultura falso negativa

Quando a urina apresenta um pH muito ácido (abaixo de 6) ou se estiver em uso de antibióticos ou diuréticos, o resultado da urocultura pode ser negativo, devido a essas condições, porém é considerado falso-negativo.

O uso de antibióticos pode inibir o crescimento de bactérias na urina. Neste caso, especialmente, o uso de medicações deve ser relatado durante a coleta do exame, e na consulta médica ao profissional que interpretará o exame.

Pode haver dúvidas se o número de colônias for inferior a 100.000 unidades formadoras de colônia. Isto pode ocorrer por contaminação da amostra de urina. É possível que o/a médico/a recomende repetir o exame para associar seus resultados aos sintomas de infeção urinária, o que possibilita um diagnóstico seguro.

Veja mais: Quais são os sintomas e causas de uma infecção urinária?

O risco de contaminação na urina é menor em homens. Por este motivo, valores superiores a 100.000 unidades formadoras de colônia devem ser valorizados e investigados pelo/a médico/a.

Urocultura positiva

A urocultura é considerada positiva quando são identificadas mais de 100.000 colônias de bactérias na amostra de urina analisada. Neste caso, o resultado do exame apresenta o nome da bactéria que está provocando a infeção.

Se o antibiograma ou Teste de Sensibilidade a Antimicrobianos (TSA) tiver sido solicitado junto com a urocultura o resultado também traz os antibióticos eficazes para tratar a infeção.

Veja também: Para que serve o exame de TSA?

Urocultura falso positiva

O resultado falso positivo pode ser observado quando a amostra de urina é contaminada por microrganismos, medicamentos ou sangue. Neste caso, é indicado repetir o exame.

O resultado da urocultura deve ser analisado pelo/a médico/a e somente este profissional pode indicar o antibiótico adequado. Não use antibióticos para tratar infeção urinária ou outras infeções sem prescrição.

Leia mais: Exame de Urina: como se preparar e entender os resultados

12 Benefícios da Pitaya e 7 formas de consumir
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A Pitaya é uma fruta originária da América Central, muito consumida e de popularidade crescente no Brasil. É rica em vitamina C, B1, B2, B3 e minerais, como ferro, cálcio e fósforo. Apesar de seu sabor doce, não é rico em açúcares. Tendo em conta as suas características, o seu consumo apresenta vários benefícios.

Há três variedades da fruta: amarela com polpa branca, rosa com polpa vermelha e, a mais comum no Brasil, pitaya rosa com polpa vermelha.

Pitaya 12 Benefícios da Pitaya 1. Melhora o sistema imunológico

A pitaya é rica em vitamina C e é esta a vitamina a responsável pelo reforço das defesas do organismo, efetuada pelo sistema imunológico. Em 100 gramas da fruta, é possível adquirir quase 35% da vitamina C diária que o organismo necessita. Além disso, a vitamina C estimula a atividade de outros antioxidantes, colaborando com a eliminação de radicais livres.

2. Ajuda no emagrecimento

Para quem está querendo emagrecer, a pitaya pode ser uma aliada, uma vez que em 100 gramas deste fruto são encontradas apenas 50 calorias. O consumo de pitaya também acelera o metabolismo, pois tem propriedades termogênicas.

3. Promove a sensação de saciedade

O glucagon e a grande quantidade de fibras solúveis, presentes na pitaya, provocam a sensação de saciedade e potencializam o emagrecimento.

4. Inibe o apetite

A pitaya também é rica em tiramina, um inibidor natural do apetite, especialmente por doces. Esta propriedade é importante para quem pretende emagrecer.

5. Excelente fonte de antioxidantes

Estudos mostraram que os antioxidantes auxiliam a neutralização dos radicais livres. A pitaya é rica em vitamina C, um dos mais seguros antioxidantes e eficazes para realizar esta função.

6. Fortalece a saúde cardiovascular

A pitaya pode ajudar a melhorar a saúde cardíaca, uma vez que reduz os níveis de colesterol ruim (LDL) e, ao mesmo tempo, eleva os níveis do bom colesterol (HDL).Deste modo, esta fruta pode prevenir doenças cardíacas e hipertensão.

7. Mantém o bom funcionamento cardíaco

A fruta é também uma boa fonte de gorduras monossaturadas que ajudam a manter a musculatura cardíaca em boas condições.

8. Auxilia no combate ao diabetes

O alto teor de fibras da pitaya ajuda a regular os níveis glicêmicos. Estas fibras auxiliam na estabilização dos níveis de açúcar no sangue e na redução dos picos de glicose.

9. Propriedades antinflamatórias

O consumo de pitaya pode aliviar dores e inchaços nas articulações decorrentes de artrite.

10. Estimula o bom funcionamento intestinal

A alta concentração de fibras presentes na pitaya estimula o funcionamento intestinal.

11. Colabora no processo de digestão

As fibras solúveis da pitaya podem auxiliar na digestão e no processo de desintoxicação por minimizar os efeitos de substâncias tóxicas ao organismo, a exemplo dos metais pesados.

12. Previne a anemia

Por ser rica em vitamina C, a fruta pode ajudar a prevenir a anemia.

7 formas de consumir pitaya
  • Polpa natural
  • Sucos
  • Geleias
  • Doces
  • Tortas
  • Iogurtes
  • Acompanhamento de saladas
Para que serve e como usar Meloxicam? Provoca sono?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O meloxicam é um anti-inflamatório indicado para tratar sintomas de osteoartrite e artrite reumatoide. Este medicamento inibe a enzima que provoca a inflamação e, além disso, provoca alívio da dor e da febre. Sua ação se inicia de 80 a 90 minutos após a sua ingestão.

Como usar meloxicam?

Os comprimidos de meloxicam devem ser ingeridos com água ou outro líquido sempre durante as refeições. A dose indicada deve ser tomada em dose única e a dose máxima do medicamento é 15 mg.

De forma geral, meloxicam é indicado nas seguintes dosagens:

Artrite reumatoide

Recomenda-se 15 mg por dia. De acordo com os efeitos da medicação em relação ao tratamento, o seu médico pode reduzir a dose para 7,5 mg por dia.

Osteoartrite dolorosa

Em casos de osteoartrite dolorosa indica-se a dose de 7,5 mg por dia. A dose poderá ser aumentada para 15 mg por dia pelo seu médico.

Adolescentes

Para os adolescentes de 12 a 18 anos, a dose máxima diária recomendada é de 0,25 mg/kg e não deve ultrapassar 15 mg. Meloxicam comprimido é contraindicado em crianças menores de 12 anos de idade, uma vez que ele não permite que a dosagem seja adequada para crianças nesta faixa etária.

A dosagem de meloxicam deve ser ajustada pelo médico/a. Não use meloxicam sem a prescrição adequada.

Meloxicam provoca sono?

Sim. O uso de meloxicam pode provocar sonolência, vertigem, tontura e visão borrada. Este são alguns efeitos do medicamento sobre o sistema nervoso. Portanto, se estiver em uso de meloxicam tenha cuidado ao dirigir ou operar máquinas. Se você apresentar algum destes sintomas o melhor é evitar estas tarefas ou qualquer outra que ofereça riscos.

Quais os efeitos colaterais que meloxicam pode causar? Efeitos colaterais comuns
  • Dor de cabeça
  • Dor abdominal
  • Indigestão
  • Diarreia
  • Náusea
  • Vômitos
Efeitos colaterais incomuns
  • Anemia
  • Alergia
  • Tontura
  • Vertigem
  • Sonolência
  • Aumento da pressão arterial
  • Vermelhidão na face
  • Sangramento do aparelho digestivo
  • Gastrite
  • Estomatite
  • Constipação
  • Flatulência
  • Prurido
  • Dificuldade para urinar
  • Inchaço
  • Atrasos na ovulação
Contraindicações do meloxicam
  • Pessoas com intolerância a lactose;
  • Crianças menores de 12 anos;
  • Mulheres grávidas ou que estão amamentando;
  • Pessoas alérgicas aos componentes da fórmula;
  • Pessoas que após o uso de ácido acetilsalicílico ou outros anti-inflamatórios e apresentaram: asma, obstrução nasal (pólipos), inchaço da língua, lábios e garganta ou placas elevadas na pele, geralmente com coceira;
  • Portadores de distúrbios gastrointestinais como úlceras ou perfuração ativa ou recente, sangramentos, doenças inflamatórias gastrintestinais;
  • Pessoas que tiveram sangramento cerebral recente.

É importante seguir a orientação do seu médico ou médica e respeitar as doses, os horários de tomar a medicação e duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem orientação médica.

Qual o tratamento no caso de insolação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

No caso de insolação, o objetivo inicial do tratamento é baixar a temperatura corporal lenta e gradativamente, além de hidratar abundantemente o corpo. As seguintes medidas devem ser tomadas:

1. Remover a pessoa para um local fresco, à sombra e ventilado;

2. Remover o máximo de peças de roupa;

3. Se estiver consciente, a pessoa deve ser mantida em repouso e recostada, com a cabeça elevada;

4. Pode-se oferecer bastante água fria ou gelada ou qualquer líquido não alcoólico;

5. Se possível, deve-se borrifar água fria em todo o corpo da pessoa delicadamente;

6. Podem ser aplicadas compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas;

7. Tão logo seja possível, a pessoa deve ser imersa em banho frio ou envolta em panos ou roupas encharcadas.

Quais são os sintomas da insolação?

Os sinais e sintomas de insolação surgem gradualmente. Os primeiros sintomas incluem dor de cabeça, tontura, náuseas, pele quente e seca, aumento dos batimentos cardíacos, aumento da temperatura corporal, alterações visuais e até confusão mental.

Nos casos mais graves de insolação, a pessoa pode apresentar ainda aumento da frequência respiratória, dificuldade para respirar, palidez, desmaio, convulsão, extremidades do corpo arroxeadas, fraqueza muscular, coma e morte.

A insolação é grave e requer atenção especial

A elevação da temperatura corporal faz com que a pessoa perca muitos líquidos e sais minerais, prejudicando o funcionamento e o equilíbrio do organismo.

Por isso, aos primeiros sinais e sintomas de insolação, a pessoa deve receber atendimento médico com urgência. Sem tratamento, a insolação pode causar a morte ou danificar órgãos e tecidos como rins, coração, cérebro e músculos.

O que é insolação?

A insolação ocorre pela exposição solar em excesso ou exposição ao calor intenso. A temperatura corporal nesses casos ultrapassa os 40º C, levando a uma falha do mecanismo de transpiração que não permite o corpo se resfriar.

Como prevenir a insolação?
  • Evitar permanecer sob o sol nos horários mais quentes do dia, ou seja, entre as 10 e as 16 horas;
  • Ingerir muitos líquidos ao praticar exercício físico nos dias mais quentes, antes durante e depois da atividade;
  • Beber mais líquidos do que sua sede sinaliza, evitando sempre bebidas alcoólicas, pois elas provocam perda de líquidos;
  • Evitar permanecer dentro do carro por muito tempo nos dias de muito sol;
  • Usar roupas leves e claras, de algodão;
  • Utilizar protetor solar com fator de proteção de 30 ou mais;
  • Consumir alimentos leves, como frutas e verduras.

Leia também:

Dor do lado direito da barriga: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dor do lado direito da barriga pode ser um sintoma de apendicite. Nesses casos, a pessoa sente uma dor abdominal que começa ao redor do umbigo e depois migra para o quadrante inferior direito do abdômen. Os pacientes geralmente se queixam de uma “dor no pé da barriga do lado direito”.

O primeiro sintoma da apendicite costuma ser a dor ao redor do umbigo ou na parte média do abdômen superior. A dor abdominal pode ser leve no início, mas se torna mais aguda e intensa. É possível que também haja perda de apetite, náusea, vômito e febre baixa.

A dor tende a se mover para o lado direito da barriga, mais especificamente para parte inferior direita do abdômen, podendo piorar ao tossir ou fazer movimentos bruscos.

A dor abdominal do lado direito ocorre com mais frequência depois de 12 a 14 horas do início da crise de apendicite. Após esse período, podem surgir outros sinais e sintomas, como calafrios, tremores, endurecimento das fezes e diarreia.

Os sintomas de apendicite podem variar, podendo ser difícil de detectar em crianças pequenas, adultos mais velhos e mulheres em idade reprodutiva.

Dor do lado direito ou esquerdo da barriga: o que pode ser?

A dor do lado direito ou esquerdo da barriga pode ter várias causas. A dor abdominal pode ocorrer em qualquer área entre o tórax e a virilha.

Quase todas as pessoas experimentam dor no abdômen do lado direito ou esquerdo alguma vez na vida e, na maioria das vezes, não é nada grave.

Além disso, a intensidade da dor na barriga nem sempre reflete a gravidade da condição que a causa. Por exemplo, a pessoa pode sentir uma dor abdominal intensa se tiver cólicas ou gases no estômago devido a uma gastroenterite viral. No entanto, condições fatais, como câncer de cólon ou apendicite precoce, podem causar apenas dor leve ou nenhuma dor.

Dor abdominal generalizada

Esse tipo de dor é mais típico em casos de infecção estomacal causada por vírus, indigestão ou gases. Se a dor no abdômen se tornar mais intensa, pode ser causada por uma obstrução do intestino.

Dor abdominal localizada:

Ocorre em apenas uma área do abdômen. É provável que esse tipo de dor seja sinal de um problema em algum órgão, como apêndice, vesícula biliar ou estômago.

Dor abdominal tipo câimbra

Na maioria das vezes, essa dor abdominal não é grave e é mais provável que ocorra devido a gases e inchaço. Geralmente, é seguida por diarreia. Os sinais mais preocupantes incluem dor que ocorre com mais frequência, dura mais de 24 horas ou é acompanhada de febre.

Dor abdominal tipo cólica

Esse tipo de dor costuma ser intensa, ocorre em surtos e geralmente começa e termina subitamente. Rins e cálculos biliares são causas comuns desse tipo de dor abdominal.

Outras possíveis causas de dor abdominal:

  • Prisão de ventre;
  • Síndrome do intestino irritável;
  • Alergias ou intolerância a medicamentos e alimentos;
  • Intoxicação alimentar;
  • Gastroenterite viral;
  • Aneurisma da aorta abdominal;
  • Oclusão ou bloqueio intestinal;
  • Câncer do estômago, cólon (intestino grosso) e outros órgãos;
  • Colecistite (inflamação da vesícula biliar) com ou sem cálculos;
  • Diminuição do suprimento sanguíneo para os intestinos (isquemia intestinal);
  • Diverticulite (inflamação e infecção do cólon);
  • Acidez gástrica, indigestão ou refluxo gastroesofágico;
  • Doença inflamatória intestinal (doença de Crohn ou colite ulcerativa);
  • Cálculos renais;
  • Pancreatite (inflamação ou infecção do pâncreas);
  • Úlcera.

Às vezes, a dor abdominal pode ter origem em outro lugar do corpo, como tórax ou região pélvica. Por exemplo, uma pessoa pode ter dor abdominal se tiver:

  • Cólicas menstruais intensas;
  • Endometriose;
  • Fadiga muscular;
  • Doença inflamatória pélvica (DIP);
  • Gravidez tubária (ectópica);
  • Ruptura de um cisto no ovário;
  • Infecções do trato urinário.

Em caso de dor do lado esquerdo ou direito da barriga, sobretudo se vier acompanhada de outros sinais e sintomas, procure um médico clínico geral ou médico de família para uma avaliação.

Cansaço durante a gravidez é comum?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O cansaço na gravidez é um sintoma muito comum. Geralmente, inicia-se no primeiro trimestre, e é causado pelas alterações hormonais do começo da gestação, sendo a progesterona o principal hormônio envolvido.

Com a elevação desse hormônio, há um aumento do fluxo sanguíneo para o útero, além de relaxamento muscular e consequentemente uma diminuição na atividade motora fina (por exemplo, fica mais difícil colocar a linha no orifício da agulha), agindo como um potente sedativo.

A progesterona é responsável pelas alterações de humor, esquecimento ocasional e constipação intestinal. O cérebro adquire tolerância aos altos níveis do hormônio durante a gestação.

No segundo trimestre, normalmente o cansaço desaparece, retornando no terceiro trimestre, quando está relacionado ao peso do bebê, à dificuldade de expansão dos pulmões devido ao tamanho do útero e à anemia natural da gravidez.

Certo grau de cansaço é esperado na gestação e não traz prejuízos ao bebê. Contudo, na presença de cansaço excessivo, é necessário consultar seu médico de família ou obstetra para que sejam afastadas outras causas de cansaço como:

  • hipotireoidismo
  • insuficiência cardíaca
  • insuficiência renal
  • diabetes mellitus
  • doenças pulmonares
  • reações a medicamentos
  • doenças do sono

Não deixe de comparecer às consultas de pré-natal regularmente. Em caso de dúvidas, converse com o médico durante a consulta.

Também pode lhe interessar:

Fadiga constante significa que tenho uma doença?

O que pode causar cansaço excessivo?

Para que serve e como tomar cloridrato de ciclobenzaprina (miosan)? Provoca sono?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Cloridrato de ciclobenzaprina, ou miosan®, um dos representantes mais conhecidos da classe, é um relaxante muscular indicado para dores musculares agudas como torcicolo, lombalgias, fibromialgia, periartrite escapuloumeral, cervicobraquialgias.

Como tomar cloridrato de ciclobenzaprina (miosan®)?

Cloridrato de ciclobenzaprina é um medicamento de uso oral e se apresenta em comprimidos revestidos de 5 mg e 10 mg.

Uso adulto

A dose prescrita para adultos pode variar de 5 mg a 40 mg, de uma a 3 vezes ao dia. A dose diária não deve ultrapassar 60 mg de medicamento.

O tratamento com as doses diárias de medicação deve durar no máximo de 2 a 3 semanas com acompanhamento médico. Os comprimidos não devem ser abertos, partidos ou mastigados.

É importante lembrar que a ciclobenzaprina deve ser utilizada apenas sob orientação e supervisão médica.

Cloridrato de ciclobenzaprina (miosan®) provoca sono?

Sim, devido a sua ação sobre o sistema nervoso central, pode provocar sonolência. É necessário evitar dirigir veículos ou operar máquinas, uma vez que seu reflexos podem ficar mais lentos. Algumas atividades da vida diária também podem ser afetadas por causa do sono provocado pelo medicamento.

Contraindicações do cloridrato de ciclobenzaprina (miosan®)
  • Pessoas alérgicas a ciclobenzaprina ou a qualquer outro componente da fórmula;
  • Pessoas portadoras de doenças neurológicas como a miastenia gravis ou miopatias;
  • Mulheres grávidas ou que estão amamentando;
  • Menores de 15 anos;
  • Pessoas que têm glaucoma ou retenção urinária;
  • Pacientes em fase de recuperação de infarto de miocárdio;
  • Portadores de arritmia cardíaca, bloqueio, alteração de conduta, insuficiência cardíaca congestiva ou hipotireoidismo.
Efeitos colaterais do cloridrato de ciclobenzaprina (miosan®)

Os efeitos colaterais mais comuns associados ao uso oral do cloridrato de ciclobenzaprina são:

  • Sonolência
  • Boca seca
  • Vertigem

Este efeitos devem cessar rapidamente. Qualquer outra reação deve ser reportada ao/a. médico/a.

Utilize cloridrato de ciclobenzaprina (miosan®) respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento indicado por seu/sua médico/a. Não consuma medicamentos sem prescrição.