Perguntar
Fechar

Obstetricia

Dúvidas sobre menstruação, sangramentos e escapes
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Uma dica importante que talvez resolva a dúvida de muitas mulheres: menstruação não é o período fértil da mulher. Aliás, é o contrário. Quanto mais longe da menstruação, mais fértil são os dias, tanto antes como depois da menstruação. Outra recomendação importante: se sua menstruação atrasou ou veio, mas de forma diferente, e está desconfiando de gravidez, precisa fazer o exame de gravidez.

1. O que é a menstruação?

A menstruação é uma perda de sangue decorrente da descamação da camada mais interna do útero, o endométrio. O período menstrual ocorre por ciclos e tem uma duração que varia entre 2 e 7 dias.

Depois da primeira menstruação (menarca), os ciclos menstruais geralmente são irregulares e a menina pode ficar longos períodos sem menstruar.

A duração do ciclo menstrual e a quantidade de sangue perdido em cada menstruação podem ser influenciadas por diversos fatores. Por isso, os ciclos e o fluxo menstrual podem variar de um mês para outro.

2. Quanto tempo dura o ciclo menstrual?

Em média, os ciclos menstruais têm duração de 28 a 32 dias, podendo variar em algumas mulheres para mais ou menos. O ciclo menstrual começa no 1º dia da menstruação e termina no dia anterior à vinda da próxima menstruação.

3. Comecei a menstruar há pouco tempo e minha menstruação está desregulada. Isso é normal?

Isso é "normal" nos primeiros meses depois que a mulher começa a menstruar. No início, a menstruação costuma ser desregulada, às vezes vem certo, às vezes não vem ou até mesmo vem duas vezes no mesmo mês.

4. Qual é o tempo normal de uma menstruação?

Uma menstruação normal pode durar entre 2 e 7 dias.

5. O que é sangramento de escape?

O sangramento de escape ou spotting, como também é conhecido, é uma pequena perda de sangue que ocorre fora do período menstrual. Suas causas são variadas e, na maioria dos casos, não representam nada de grave.

Porém, é necessário fazer uma avaliação com um médico de família ou ginecologista, pois o spotting pode ser sinal de mioma uterino, pólipo endometrial, lesões no colo do útero, entre outras doenças e condições.

Os sangramentos de escape são muito comuns em mulheres que tomam pílula anticoncepcional. Ocorrem no meio do ciclo menstrual e fora do período de pausa entre uma cartela e outra.

Nesses casos, os sangramentos de escape ocorrem com mais frequência nos primeiros 3 meses de uso do anticoncepcional. Porém, com o tempo, o spotting torna-se esporádico e raramente ocorre em mulheres que tomam a pílula há mais tempo.

Vale lembrar que o sangramento de escape não é um sinal de que o anticoncepcional falhou. Por isso, a mulher deve continuar a tomar a pílula normalmente.

Sangramentos são muito comuns quando se toma anticoncepcional e não significam necessariamente que existe risco de gravidez. Podem ocorrer em qualquer época do ciclo e não significam que o anticoncepcional está fraco. Porém, quando se repete muito ou é contínuo, geralmente é preciso avaliar se é necessário trocar de anticoncepcional ou de método contraceptivo.

6. Por que o anticoncepcional causa sangramento de escape?

O sangramento de escape que ocorre no meio do ciclo é causado por uma atrofia do endométrio (camada mais interna do útero). Os hormônios presentes no anticoncepcional deixam o endométrio mais fino, o que deixa os vasos sanguíneos mais expostos e aumenta, assim, o risco de sangramentos.

Porém, o spotting também pode ser provocado pelo uso incorreto ou esquecimento da pílula, ou ainda pelo início do uso fora da época correta do ciclo menstrual.

Em alguns casos, pílulas anticoncepcionais com doses muito baixas de hormônios também podem causar esse efeito colateral. Nesses casos, pode ser um sinal de que o medicamento não está atuando de forma adequada e pode falhar. Quando isso acontece, recomenda-se utilizar outro método anticoncepcional e consultar o médico ginecologista.

7. Pequeno sangramento “tipo borra” é sinal de gravidez?

Talvez. Pode ser apenas uma irregularidade ou o chamado “escape”, mas em alguns casos pode indicar gravidez. Esse sangramento é causado pela implantação do óvulo fecundado no útero e costuma acontecer entre de 7 a 15 dias após a relação sem proteção. Nesse caso, o ideal é esperar a próxima menstruação e se ocorrer atraso menstrual superior a 15 dias, deve fazer o exame de gravidez.

8. O sangramento pode ser nidação?

O sangramento de nidação é raro, nem sempre acontece, e somente ocorre se uma gravidez for possível, no caso de relação sem proteção durante o período fértil.

O sangramento de nidação somente ocorre no meio do ciclo (longe da menstruação) e dura poucas horas ou no máximo 1 ou 2 dias. O sangue pode vir com qualquer aspecto. Uma coisa é importante: se teve esse tipo de sangramento e sua menstruação atrasar (15 ou mais dias de atraso) é um bom indício de gravidez.

9. Minha menstruação atrasou. Estou grávida?

Talvez. Atrasos eventuais e de poucos dias são muito comuns e não necessariamente indicam gravidez. Os médicos consideram apenas indicativo de gravidez atrasos realmente consistentes, ou seja, 15 dias ou mais.

Isso é um bom indício de que algo está acontecendo e é prudente fazer o exame de gravidez (caso haja essa suspeita) e independente do resultado (positivo ou negativo) deve procurar um médico de família ou ginecologista para avaliar a causa do atraso.

10. Minha menstruação está atrasada. Fiz o exame de gravidez ou teste de gravidez e deu negativo. O que pode ser?

A causa do atraso menstrual precisa ser melhor avaliada por um médico de família ou ginecologista. Se está com menos de 15 dias de atraso, espere completar 15 dias e refaça o teste de gravidez. Se já está com mais de 15 dias de atraso e fez o exame depois desse período e ele veio negativo vale a pena consultar um médico para avaliar a razão do atraso menstrual.

11. Minha menstruação atrasou, tive infecção e tomei antibióticos. Pode ser por causa disso?

É uma possibilidade, tanto a infecção como os antibióticos podem interferir com o ciclo menstrual.

12. Minha menstruação está atrasada, mas não é gravidez, porque não tive relações. O que será?

Atrasos desse tipo são geralmente decorrentes de algum tipo de alteração hormonal ou alguma doença física ou emocional. Precisa procurar um médico para saber a causa.

13. Infecção urinária atrasa a menstruação?

Eventualmente sim.

14. Minha menstruação adiantou. É normal?

Eventualmente isso acontece e pode ser considerado "normal". Somente deve se preocupar caso isso aconteça com muita frequência.

15. Minha menstruação veio duas vezes esse mês. Isso é normal?

Normal não é. Porém, eventualmente, isso acontece e pode ser considerado "normal". Somente deve se preocupar caso isso aconteça com muita frequência.

16. Minha menstruação é desregulada e está atrasada, será que estou grávida?

Se sua menstruação é desregulada é difícil saber se ela está realmente atrasada. Espere mais alguns dias e, se continuar atrasada, faça o exame de gravidez.

17. Minha menstruação está desregulada. Quando ela vem novamente?

A previsão de uma nova menstruação somente é possível quando a mulher é bem regulada, tem um ciclo com uma duração fixa e a menstruação costuma vir sempre na mesma data. Nesses casos, a própria mulher já sabe quando ela vem. Porém, se está desregulada, não tem como saber quando vai descer novamente.

18. Depois que comecei a tomar anticoncepcional minha menstruação (fluxo) diminuiu e mudou seu aspecto. Isso é normal?

Pílula anticoncepcional de uma forma geral tende a reduzir a quantidade de dias e a quantidade do fluxo menstrual, além de alterarem o aspecto da secreção vaginal ou sangramento menstrual.

19. Tomo anticoncepcional bem certo e este mês a menstruação não veio. O que pode ser?

Isso é uma ocorrência relativamente comum para quem faz uso de anticoncepcional. Eventualmente, a menstruação não vem um mês e no mês seguinte ela vem normalmente. Pode até indicar gravidez, mas não é comum. Se tomou o anticoncepcional certo, não há porque se preocupar.

Volte a tomar a pílula no dia que é para voltar a tomar a próxima cartela normalmente e se ficar ansiosa ou preocupada faça um teste de gravidez para sair da dúvida.

O mesmo ocorre quando a menstruação vem menos ou diferente do habitual. Isso é comum usando anticoncepcional, sem que signifique algo a se preocupar. Na dúvida, consulte um ginecologista ou médico de família.

20. Tive relação durante a menstruação. Posso engravidar?

Não. Raramente ocorre gravidez se a relação ocorre durante a menstruação.

21. É normal ter dor forte na menstruação?

“Normal” não é a palavra mais adequada para se usar nesse caso. Existem mulheres que sempre têm cólica menstrual (antes e durante). Isso pode ser normal porque a menstruação delas sempre foi assim desde a primeira vez, mas existe tratamento.

Outras mulheres começaram a ter dor forte na menstruação depois de um tempo ou depois de terem filhos. Pode então ser alguma doença e não ser normal. Um exemplo é a endometriose (dores durante e logo depois da menstruação). Precisa procurar um médico.

22. Tenho 15 anos (ou mais ), já tenho corpo, mas minha menstruação nunca veio. O que pode ser?

alvez sua menstruação ainda venha. Porém, o esperado é vir até os 16 anos. A partir dos 16 anos de idade já é indicado fazer uma investigação para avaliar seu organismo e saber se não há algo de errado.

23. Como faço para atrasar minha menstruação ou fazê-la não descer?

Caso use anticoncepcional de 21 comprimidos, basta emendar uma cartela na outra, sem dar pausa. Caso tome anticoncepcional de 28 comprimidos, com cores diferentes, não deve tomar os últimos comprimidos de cor diferente e deve começar uma nova cartela, dispensando os comprimidos restantes.

Se não tomar anticoncepcional, basta iniciar um anticoncepcional pelo menos uns 10 dias antes da menstruação chegar. Importante: Nem sempre dá certo, mesmo que faça tudo corretamente, às vezes a menstruação vem mesmo assim.

Para maiores esclarecimentos sobre menstruação e sangramentos de escape, consulte um médico ginecologista ou médico de família.

Também podem lhe interessar:

Minha menstruação está irregular. O que pode ser?

Dúvidas sobre anticoncepcional

O que fazer para aumentar ou diminuir o fluxo menstrual?

Com quantos dias aparecem os primeiros sintomas de gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os primeiros sintomas de gravidez começam a surgir cerca de 40 dias depois da mulher ter engravidado, ou seja, a partir da ou 6ª semana de gestação. Isso geralmente acontece depois de 7 a 14 dias do dia esperado de vir a menstruação.

Em geral, o primeiro sintoma da gravidez é a ausência de menstruação ou atraso menstrual detectado quando o período não vem na data esperada. Após esse sintoma, outros podem ser percebidos no início da gestação, como náuseas, vômitos, aumento da sensibilidade nas mamas, aumento da frequência urinária e cansaço.

Normalmente, o atraso do período menstrual é notado pela mulher após uma a duas semanas de atraso. As náuseas e os vômitos podem ter início já nos primeiros dias de gravidez. Contudo, esses sintomas são mais frequentes no primeiro ou segundo mês de gestação e nem todas as grávidas os apresentam.

Portanto, os primeiros sintomas de gravidez aparecem a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação. Com o avançar da gravidez, outros sinais e sintomas vão aparecendo, como inchaço abdominal, constipação intestinal, azia, desconforto na região pélvica, alteração do humor, falta de ar e tontura.

Sintomas menos comuns no início da gravidez

Algumas mulheres grávidas também podem apresentar outras manifestações menos frequentes no início, como cólicas ou sangramento no momento da implantação do óvulo no útero, o que geralmente acontece na metade do ciclo.

As aréolas ao redor dos mamilos também podem ficar mais escuras e muitas vezes vêm acompanhadas por inchaço e aumento da sensibilidade das mamas.

Outros sintomas iniciais da gravidez podem incluir ainda desejo por determinados alimentos, sonolência, sensação de gosto metálico na boca e alterações no olfato, que muitas vezes fica mais apurado.

Ao detectar uma gravidez, a mulher deve procurar o serviço de saúde para iniciar os cuidados de pré-natal.

Leia também: Dor ao urinar pode ser gravidez?

Posso estar grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

É possível eu estar grávida? A resposta pode ser:

Provavelmente SIM: se teve relação sexual sem proteção e a menstruação atrasou;

Provavelmente NÃO: se usa anticoncepcional corretamente, se usou camisinha, se toma injeção anticoncepcional e se a menstruação veio;

TALVEZ: Se teve relação e não usou camisinha no primeiro mês de uso de anticoncepcional oral ou injetável, se não tomou a injeção no dia certo, se esqueceu de tomar a pílula no dia certo, se usou a pílula do dia seguinte, se faz sexo com coito interrompido, se a camisinha estourou.

Importante: se menstruou, não deve estar grávida. Se quer saber se está grávida só existem duas maneiras de descobrir: fazer um exame de gravidez ou ultrassom.

Testes caseiros ou de testes de farmácia para gravidez não têm nenhum valor para a definição de estar ou não grávida, apenas testes feitos em laboratórios são confiáveis e levados em consideração para tomadas de decisões médicas.

1. Quais são os sintomas de gravidez?

O principal sintoma da gravidez é o atraso da menstruação, que deve estar pelo menos 8 dias atrasada para que a gravidez seja detectada nos exames de gravidez. O atraso menstrual normalmente é notado quando o período está de uma a duas semanas atrasado.

Além do atraso menstrual, outros sintomas podem estar presentes no início da gravidez (5ª ou 6ª semana de gestação), como náuseas, vômitos, aumento da sensibilidade nas mamas, cansaço, aumento do número de micções, urgência urinária, sonolência, alterações do paladar e do olfato.

À medida que a gravidez avança, outros sinais e sintomas começam a surgir, como inchaço abdominal, prisão de ventre, azia, desconforto no baixo ventre, variações de humor, falta de ar e tontura.

2. Posso fazer exame de gravidez ante mesmo da menstruação atrasar?

Sim. O exame de sangue Beta-HCG já dá positivo 1 semana após a gravidez ter ocorrido mesmo antes da menstruação atrasar.

3. Com quantos dias de atraso posso suspeitar que estou grávida e devo fazer o exame de gravidez?

Pode-se fazer exames de gravidez de sangue ou teste de farmácia de urina a partir do primeiro dia de atraso da menstruação. Porém, como pequenos atrasos menstruais de poucos dias são muito comuns, os médicos costumamos esperar 15 dias de atraso menstrual para considerar um bom indício de gravidez. O ideal é a partir desse período procurar o médico e fazer o exame de gravidez.

4. Atraso menstrual seguido por pequeno sangramento ou corrimento tipo "borra" pode ser gravidez?

Sim. Se há possibilidade de gravidez (relações sem proteção), pode sim ser gravidez.

5. Pequeno sangramento ou corrimento tipo borra antes ou nos dias que era para vir a menstruação, seguido de atraso menstrual, pode ser gravidez?

Sim. Se há possibilidade de gravidez (relações sem proteção), pode sim ser gravidez.

6. A menstruação veio diferente neste mês, posso estar grávida?

Talvez. Nem toda alteração na menstruação significa gravidez. Menstruação que veio pouco ou veio tipo borra de café, ou veio mais que o normal, até podem significar gravidez, mas existem muitos outros motivos. Se teve relação sem proteção, faça o exame de gravidez.

7. Posso estar grávida e menstruar normalmente?

É algo que até pode acontecer, mas é raro, normalmente presença de menstruação indica ausência de gravidez.

8. Anticoncepcional altera o resultado do exame de Beta-HCG?

Não. O uso de anticoncepcional não interfere no resultado do exame de gravidez Beta-HCG.

9. Relação sem proteção com coito interrompido (ejacular fora) pode engravidar?

Pode engravidar, o coito interrompido, embora possa ser utilizado é um método de baixa eficácia, portanto pode ocorrer gravidez.

10. Penetração com o pênis sujo de esperma ou líquido seminal engravida?

Sim. Mesmo se lavar por fora e urinar, toda vez que se inicia uma nova relação e não se usa preservativo ou outro método anticoncepcional existe sim a chance de gravidez.

11. Encostar o pênis sujo de esperma ou líquido seminal na vagina engravida?

A chance é mínima, se não há penetração dificilmente há gravidez.

12. Lavar o pênis e começar de novo, engravida?

Sim. Mesmo se lavar por fora e urinar, toda vez que se inicia uma nova relação e não se usa preservativo ou outro método anticoncepcional existe sim a chance de gravidez.

13. Introduzir os dedos sujos de esperma ou líquido seminal na vagina pode engravidar?

Talvez sim. Sempre que espermatozoides viáveis chegam à vagina, existe a chance de gravidez.

Saiba mais em:
Quais remédios posso tomar na gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Por conta própria, não se deve tomar nenhum remédio durante a gravidez. Todo e qualquer medicamento usado durante a gestação deve ser receitado pelo médico. Dentre os remédios permitidos, estão:

  • Dramin B6 ou Plasil: Náuseas e vômitos;
  • Riopan ou Mylanta: Azia;
  • Buscopan: Cólicas;
  • Tylenol ou Dipirona: Dor de cabeça, febre;
  • Flogoral spray, Tylenol, inalação com soro fisiológico: Dor de garganta, tosse;
  • Rinossoro: Nariz entupido;
  • Pasalix ou Passiflora: Ansiedade, nervosismo;
  • Luftal: Gases intestinais;
  • Xyloproct ou Proctoxilodase: Hemorroida;
  • Tamarine ou Metamucil: Prisão de ventre.

Muitos outros remédios podem ser usados na gravidez, desde que a mulher tenha receita médica para poder usá-los. Outros medicamentos permitidos durante a gestação, ou seja, que não são contraindicados na gravidez, são:

  • Amoxicilina;
  • Ampicilina;
  • Buscoduo;
  • Buscopam Plus;
  • Benzetacil;
  • Cefalexina;
  • Cetirizina (levocetirizina);
  • Corticoides;
  • Metoclopramida;
  • Metronidazol (depois dos 3 meses);
  • Paracetamol (Tylenol).

Mesmo sendo permitidos na gravidez, esses remédios podem ter outras contraindicações específicas para a mãe ou para o bebê, por isso em hipótese alguma eles devem ser usados sem prescrição médica.

Quais os remédios proibidos na Gravidez?

Medicamentos completamente contraindicados na gravidez devido ao risco elevado de produzirem malformações fetais:

  • Metotrexato (antineoplásico, usado no tratamento do câncer);
  • Minociclina (antibiótico);
  • Misoprostol (antiulceroso);
  • Atorvastatina;
  • Sinvastatina;
  • Varfarina;
  • Finasterida;
  • Ribavirina (antiviral);
  • Talidomida (hanseniostático/hipnótico);
  • Tetraciclina (antibiótico).

Outros medicamentos contraindicados na gravidez, mas que podem ser indicados pelo médico em casos de doenças graves para as quais não existam outros remédios:

  • Captopril;
  • Cataflan;
  • Ciprofloxacino (nos primeiros 3 meses de gravidez);
  • Diclofenaco;
  • Enalapril;
  • Propranolol;
  • Omeprazol.

Lembrando que uma grávida não deve tomar qualquer medicamento sem o conhecimento do/a seu/sua médico/a ginecologista-obstetra ou médico de família.

Também pode lhe interessar:

Posso tomar colágeno durante a gravidez e durante a amamentação?

Grávida pode fazer acupuntura?

Dor no pé da barriga durante a gravidez, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A dor no pé da barriga ou na região inferior da barriga durante a gravidez é comum, principalmente a partir do 2º trimestre e deve-se, geralmente, à compressão das estruturas internas do abdômen causadas pelo aumento do volume do útero e pelo estiramento dos ligamentos pélvicos.

É importante observar se há outros sinais e sintomas associados a essa dor, como sangramentos ou febre, por exemplo.

Também deve ser realizado um exame clínico para avaliar outras possíveis causas para as dores abdominais, como contrações uterinas, constipação intestinal, formação de gases, verminoses, cálculos nas vias urinárias ou infecção urinária. 

É preciso estar atenta a dores no pé da barriga parecidas com uma cólica menstrual forte, pois podem ser sinal de contrações uterinas.

Também pode lhe interessar o artigo: É normal sair leite antes do bebê nascer?

O/a médico/a obstetra, clínico/a geral ou médico/a de família deve ser consultado/a sempre que houver dúvidas em relação ao desenvolvimento da gravidez.

O que pode ser dor na virilha e o que fazer?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Dor na virilha pode ter várias causas. As causas mais comuns nas mulheres e homens são citadas abaixo:

  • prática de exercícios ou esportes de alto impacto, como atletismo, hóquei, tênis e futebol, em que a dor ocorre por distensão muscular;
  • osteoastrite (artrose) do quadril, ou bursite;
  • apendicite;
  • prostatite (inflamação da próstata);
  • litíase renal (pedras nos rins);
  • gravidez, especialmente nos meses finais;
  • linfonodos aumentados (ínguas);
  • inflamação ou tumores no testículo;
  • inflamação nos intestinos;
  • diferença no comprimento dos membros;
  • infecção de urina;
  • hérnia inguinal.

O tratamento dependerá da causa da dor na virilha e, para um correto diagnóstico, deve ser procurado um clínico geral, para os casos mais crônicos (que duram semanas a meses) ou um pronto atendimento se a dor for aguda e especialmente se estiver associada a febre e alteração do hábito intestinal ou urinário.

No caso das distensões musculares, artrose, bursite e a associada à gestação, muitas vezes o tratamento será baseado no uso de analgésicos potentes e anti-inflamatórios, além de fisioterapia ou acupuntura. É importante que estas drogas sejam prescritas pelo médico.

Saiba mais em: Distensão muscular: O que é, quais os sintomas e como tratar?

No caso de apendicite, hérnia inguinal e inflamação nos intestinos, é necessário avaliação de urgência, pois poderá ser necessária cirurgia.

No caso de prostatite, infecção de urina e de ínguas, poderá ser necessário o uso de antibióticos.

No caso de tumores no testículo e pedras nos rins, é necessária a avaliação de um médico urologista.

No caso de diferença no comprimento dos membros, deve ser procurado um médico ortopedista.

Para uma avaliação adequada da causa da dor na virilha, pode ser procurado um pronto atendimento ou médico clínico ou cirurgião geral.

Com quantos dias aparecem os sintomas de gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os sintomas de gravidez começam a surgir a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação, ou seja, cerca de 40 dias depois da mulher ter engravidado. 

Em geral, o primeiro sintoma da gravidez é a ausência de menstruação ou atraso menstrual, detectado quando a menstruação não vem no período esperado.

Após este sintoma, outros podem ser percebidos no início da gestação, como náusea, vômitos, aumento da sensibilidade nas mamas, aumento da frequência urinária e cansaço.

O atraso da menstruação geralmente é percebido pela mulher depois de uma a duas semanas que a menstruação não veio.

Algumas gestantes podem manifestar sintomas menos comuns no início da gravidez, como cólicas e sangramento, principalmente nos momentos em que o óvulo fecundado é implantado no útero.

Veja também: Quais as possíveis causas de sangramento durante a gravidez?

Há ainda grávidas que manifestam desejo por certo tipo de alimentos, sonolência diurna e alterações no paladar e no olfato.

Lembrando que os enjoos (náuseas) e os vômitos podem surgir já nos primeiros dias de gestação. Contudo, a maioria das grávidas podem nem manifestar esses sintomas e, quando presentes, costumam surgir no 1º ou 2º mês de gravidez.

Leia também: Quando começam os enjoos na gravidez?

O aumento da sensibilidade das mamas é sentido quando a mulher toca ou pressiona os seios, que podem estar mais inchados. As aréolas ao redor dos mamilos também podem ficar mais escuras.

Saiba mais em: Seios inchados fora do período menstrual: o que pode ser?

Outro sintoma comum no início da gestação é o aumento da frequência urinária, ou seja, a mulher começar a ir ao banheiro mais vezes e, muitas vezes, com urgência para urinar.

Esses sintomas de gravidez aparecem a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação. Com o avançar da gravidez, outros sintomas vão aparecendo, tais como: inchaço abdominal, constipação intestinal, azia, desconforto na região pélvica, alteração do humor, falta de ar e tontura.

Ao detectar uma gravidez, a mulher deve procurar o serviço de saúde para iniciar os cuidados de pré-natal.

Dor na barriga do lado direito durante a gravidez, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A dor na barriga do lado direito durante a gravidez pode ter muitas causas, mas se for localizada na região inferior da barriga, geralmente está relacionada com a compressão das estruturas internas do abdômen causadas pelo aumento do volume do útero e pelo estiramento dos ligamentos pélvicos.

Porém, é importante que seja realizado um exame clínico para avaliar outras causas possíveis para as dores abdominais, como as dores devido a contrações uterinas, constipação intestinal e formação de gases, cálculos (pedras) nos canais urinários, diverticulose, dor de estômago, pedras na vesícula, presença de vermes intestinais, flacidez abdominal ou apendicite.

A dor abdominal do lado superior direito pode indicar um distúrbio de coagulação sanguínea (síndrome HELLP), principalmente se ocorrer no 3º trimestre de gestação e houver pré-eclâmpsia associada.

Contudo, vale lembrar que dor na barriga na gravidez é uma condição bastante comum, sobretudo a partir do 4º mês de gestação, podendo atingir o lado direito, esquerdo ou a porção inferior do abdômen.

Em geral, essas dores na barriga são provocadas pela compressão dos órgãos da cavidade pélvica devido ao aumento de tamanho do útero e pelo estiramento dos ligamentos pélvicos.

No começo da gestação, algumas mulheres podem sentir também um pouco de desconforto abdominal. A sensação é parecida com a da cólica menstrual, como se alguma coisa estivesse torcida dentro da barriga. Esse sintoma é causado pelo aumento da circulação sanguínea no baixo ventre, necessário para nutrir o embrião e permitir o desenvolvimento da gravidez.

Contudo, dores intensas na barriga durante a gravidez, semelhantes a cólicas menstruais fortes, devem ser avaliadas com atenção. Se a dor surgir após algum esforço físico, normalmente ela desaparece com o repouso. Quando a dor permanece, pode ser um sintoma de contrações uterinas, com risco de aborto ou parto prematuro.

Também é importante verificar se a dor na barriga aparece juntamente com outros sinais e sintomas, como sangramentos ou febre.

O médico obstetra deve ser consultado sempre que houver dúvidas em relação ao desenvolvimento da gravidez.