Perguntar
Fechar
Sinusite é contagiosa?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, a sinusite não é contagiosa e não se transmite de pessoa para pessoa. Embora gripes e resfriados sejam contagiosos e estejam entre as causas da sinusite, a sinusite por si só não é transmissível.

A sinusite é uma inflamação da mucosa que recobre os seios paranasais, que são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz e atrás da maçã do rosto, da testa e dos olhos.

Dentro dos seios paranasais é produzido muco, que é escoado para o nariz através de pequenos túneis. Quando esses túneis ficam obstruídos por secreção, inchaço da mucosa ou outra causa qualquer, os seios da face perdem a comunicação com o nariz, ficando selados e sem ventilação.

Assim, o muco produzido pela mucosa fica acumulado e facilita a infecção por micro-organismos, dando origem à sinusite.

As causas mais comuns de sinusite são os distúrbios que provocam inchaço da mucosa, como rinite alérgica e infecções respiratórias causadas por vírus, pois o inchaço impede que o muco seja drenado normalmente para o nariz.

A sinusite pode ser causada por gripes e resfriados, alergia respiratória, desvio de septo nasal, rinite, asma, bronquite, amigdalite e faringite.

Qualquer situação que possa obstruir a comunicação entre os seios faciais e o nariz pode causar sinusite. Porém, uma vez com sinusite, o indivíduo não pode transmiti-a.

Consulte um médico de família ou clínico geral caso apresente sintomas de sinusite.

Saiba mais em:

O que é sinusite e quais as causas?

Sinusite tem cura?

Quais são os sintomas da sinusite?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os principais sintomas da sinusite são dor e sensação de peso ou pressão no rosto.

Dependendo da causa, pode haver também outros sintomas associados, como: espirros, tosse, obstrução nasal, coriza (nariz escorrendo), dor de cabeça, mau hálito, cansaço, diminuição do paladar e do olfato, febre e sensação de muco na garganta.

Os sintomas da sinusite são muito semelhantes com os sintomas de gripes e resfriados. Porém, nas sinusites, o tempo de duração é superior a 10 dias e o quadro não melhora. Além disso, a dor na face é localizada sobretudo ao redor do nariz e atrás dos olhos e piora ao andar ou inclinar a cabeça para baixo.

Os sintomas da sinusite aguda desaparecem em até 4 semanas, enquanto na sinusite crônica os sintomas permanecem por mais tempo.

Quais são os sintomas da sinusite bacteriana?

Na sinusite bacteriana, pode haver tosse, febre, mau hálito, cansaço, secreção nasal purulenta e falta de apetite. Durante a noite, a tosse pode piorar bastante, sobretudo nas crianças.

Outro sinal característico da sinusite bacteriana é a presença de mais secreção em uma das narinas, que pode ainda sair misturada com pus. O inchaço e a vermelhidão nas pálpebras também podem estar presentes, bem como vômitos e alterações na visão.

Os sintomas desse tipo de sinusite podem ser graves desde o início ou serem leves e piorar progressivamente em dias.

Quais são os sintomas da sinusite crônica?

Os sintomas da sinusite crônica são os mesmos da sinusite aguda. A diferença está na duração e na gravidade dos mesmos. Na sinusite crônica, os sintomas persistem por mais de 12 semanas consecutivas, mesmo que a pessoa esteja fazendo algum tipo de tratamento. Por outro lado, a sinusite aguda pode curar-se espontaneamente em poucos dias.

O seu sintoma mais característico, assim como a aguda, é a dor na face (atrás dos olhos e ao redor do nariz). A dor facial surge principalmente quando a pessoa anda ou abaixa a cabeça.

Geralmente, a sinusite crônica está associada a desvio de septo ou à presença de pólipos nasais. Tanto um como o outro obstrui a comunicação entre os seios paranasais, o que torna a cura da sinusite mais difícil, contribuindo assim para que a doença fique crônica.

O que é sinusite?

A sinusite é a inflamação dos seios paranasais, que são cavidades aeradas localizadas no rosto. Essa inflamação pode ser de causa infecciosa (num quadro gripal, por exemplo), alérgica (nas rinites ou rinossinusites) ou traumática (em caso de diferenças de pressão, como em viagens de avião ou mergulhos).

Os seios da face normalmente produzem uma quantidade de muco, que é constantemente drenada através de canais que desembocam na cavidade nasal. Esse muco serve para proteger as vias respiratórias.

Durante o quadro de sinusite, essa quantidade de muco aumenta muito, o que pode obstruir a drenagem, deixando os seios bloqueados e cheios de muco. Isso pode provocar infecção, dor e sensação de peso no rosto.

Com o passar do tempo, o muco pode se infectar, levando à sinusite bacteriana, que exige tratamento específico com antibióticos.

A sinusite também pode ser uma complicação da rinite alérgica, uma vez que a alergia deixa a mucosa nasal inflamada, o que obstrui os seios paranasais, dificultam a drenagem, oferecendo uma condição propícia para a proliferação de bactérias.

Quais as causas da sinusite?

Em geral, qualquer condição que dificulte a drenagem da secreção nasal, favorecendo o seu acúmulo, pode causar infecção e obstrução dos seios paranasais, levando à sinusite.

As alergias de origem respiratória são uma causa frequente de sinusite. Muitas vezes, as reações alérgicas são causadas por pó, polens e pelos de animais.

Outras causas desencadeantes de sinusite podem incluir clima frio, umidade, traumatismos do nariz, mudanças bruscas de pressão, poluição, fumaça de cigarro, higiene inadequada do nariz, desvio do septo nasal, uso de descongestionantes nasais em excesso e natação.

Qual é o tratamento para sinusite?

O tratamento da sinusite depende da sua causa, podendo incluir o uso de medicamentos orais, como os antibióticos, anti-inflamatórios ou analgésicos, ou tópicos como os descongestionantes nasais, além de sprays nasais com solução salina.

A cirurgia pode ser indicada quando o tratamento medicamentoso não é eficaz ou quando não é possível tratar a obstrução dos seios paranasais de outra maneira.

O tratamento da sinusite crônica é importante para prevenir lesões nos seios nasais. Isso pode incluir: cessação do tabagismo, uso de spray nasal contendo corticoide, lavagem nasal com solução salina ou uso de corticoide oral.

A definição da melhor proposta terapêutica deve ser feita e acompanhada pelo/a médico/a de família, clínico/a geral, pediatra ou otorrinolaringologista.

Saiba mais em:

Sinusite tem cura?

Selene: para que serve, como tomar e quais os efeitos colaterais?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O Selene ® é um anticoncepcional que tem como princípios ativos o etinilestradiol e o acetato de ciproterona, dois hormônios sintéticos. O medicamento está indicado como contraceptivo nos casos de alterações hormonais na mulher, como:

  • Tratamento de doenças de origem hormonal na mulher, como acne (sobretudo quando acompanhada de seborreia, inflamações ou formações de nódulos);
  • Crescimento anormal de pelos e
  • Síndrome dos ovários policísticos.

Apesar de ser um anticoncepcional, o Selene ® não é recomendado para uso exclusivo de contracepção. O medicamento é especialmente indicado para mulheres que apresentam acne, excesso de pelos e síndrome dos ovários policísticos.

O uso da medicação no tratamento da acne é indicado quando os cremes, as pomadas ou os medicamentos antibióticos não são os mais apropriados para tratar o problema ou não resultam em melhora.

O tratamento com Selene ® deve ser interrompido depois que a causa que originou a prescrição do medicamento estiver resolvida, após cerca de 3 a 4 ciclos. O uso de Selene ® não é recomendado para uso continuado apenas como anticoncepcional oral.

Como o Selene ® funciona?

O Selene ® é indicado para tratar doenças associadas aos hormônios andrógenos femininos. Cada comprimido de Selene ® possui uma combinação acetato de ciproterona, hormônio sintético com propriedades antiandrogênicas, e etinilestradiol, uma forma sintética do hormônio estrógeno. Trata-se de um anticoncepcional oral com baixas doses hormonais.

O acetato de ciproterona impede a ação dos hormônios andrógenos, por isso sua indicação no tratamento de doenças decorrentes dos efeitos desses hormônios, como a acne.

O Selene ® também diminui o funcionamento excessivo das glândulas sebáceas, responsável pelo aparecimento da acne e da seborreia, apesar de precisar de algum tempo para que a pessoa observe esse efeito. Depois de 3 a 4 meses de uso de Selene ®, as espinhas e os cravos começam efetivamente a desaparecer.

Mulheres em idade fértil que apresentam excesso de pelos (sobretudo na face), uma condição chamada hirsutismo, também têm indicação de tomar Selene ®. Nesses casos, os resultados só podem ser notados depois de vários meses.

Saiba mais em: O que é hirsutismo e qual é o tratamento?

No tratamento da síndrome dos ovários policísticos, o Selene ® ameniza os sinais de androgenização, regula os níveis hormonais, diminui a formação de cistos ovarianos e o tamanho do ovário e ajuda a regular a menstruação.

A combinação dos hormônios sintéticos acetato de ciproterona e etinilestradiol dá ao Selene ® a sua propriedade anticoncepcional. Desde que tomado da maneira correta, as chances de gravidez são muito pequenas. Por isso, durante o tratamento com Selene ®, não é necessário tomar outra pílula anticoncepcional.

Outro efeito benéfico da medicação é a redução de sangramento durante a menstruação, essa ação torna a menstruação menos dolorosa e ajuda a combater a deficiência de ferro.

Como tomar Selene ®?

A dose indicada de Selene ® é de 1 comprimido por dia. Recomenda-se tomar Selene ® preferencialmente à mesma hora, todos os dias, juntamente com meio copo de água.

Cada embalagem de Selene ® possui 21 pílulas anticoncepcionais, com indicações no verso da cartela dos dias da semana que cada comprimido deve ser tomado. Depois, basta seguir a direção das flechas, acompanhando os dias da semana, até tomar todas as 21 pílulas da cartela.

Quando a cartela terminar, a mulher deverá fazer uma pausa de 7 dias antes de iniciar a nova cartela. Durante essa pausa de uma semana, normalmente ocorre um sangramento parecido com a menstruação, em média após 2 a 3 dias da última pílula. A nova cartela de Selene ® deve ser iniciada então no 8º dia, mesmo que o sangramento ainda não tenha cessado.

O Selene ® tem uma eficácia de 99% na prevenção da gravidez. Porém, o medicamento torna-se menos eficaz quando a mulher esquece de tomar a pílula ou não toma o medicamento corretamente. A eficácia do Selene ® também diminui em caso de vômitos que ocorrem 3 a 4 horas após a mulher ter tomado o anticoncepcional, diarreia intensa e uso de certos medicamentos.

Selene ® engorda?

Sim, tomar Selene ® pode engordar. Contudo, isso não acontece em todos os casos. Apesar de ser considerado um efeito colateral comum, o aumento de peso só ocorre em uma a dez mulheres em cada 100 que tomam o medicamento, ou seja, em 1% a 10% dos casos.

Raramente, o uso de Selene ® pode causar efeito contrário, ou seja, pode emagrecer. No entanto, o emagrecimento é considerado um efeito colateral raro, sendo observado em 0,01% a 0,1% das mulheres que tomam Selene ®.

Quais são os efeitos colaterais do Selene ®?

Efeitos colaterais comuns (ocorrem em 1% a 10% dos casos): náuseas, dores abdominais, ganho de peso, dor de cabeça, depressão, mudanças de humor, dor e aumento da sensibilidade na mamas.Efeitos colaterais incomuns (ocorrem em 0,1% a 1% dos casos): Vômitos, diarreia, retenção de líquidos, enxaqueca, diminuição da libido, mamas inchadas, erupções na pele e urticária.Efeitos colaterais raros (ocorrem em 0,01% a 0,1% dos casos): formação de coágulos sanguíneos, rejeição a lentes de contato, reações alérgicas, perda de peso, aumento da libido, secreção vaginal, secreção nas mamas e doenças da pele.

Para maiores informações sobre o uso de Selene ®, consulte um médico clínico geral, médico de família ou um ginecologista.

Pode lhe interessar também: Ovários policísticos têm cura? Qual o tratamento?

8 principais causas da coceira no bico da mama
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Os mamilos podem coçar devido a diferentes causas. Algumas delas são:

  • Irritações ou alergias
  • Ressecamento
  • Amamentação
  • Aumento dos seios
  • Outras doenças, como a doença de Paget, de Bowen e câncer

A coceira nos mamilos pode acometer mulheres e homens. Os homens também podem ter câncer de mama.

Saiba qual pode ser a causa da coceira no bico da mama conforme a presença de outros sinais.

1. Irritações, dermatites e alergias

As lesões causadas por esses fatores podem aparecer de repente ou estarem presentes já há algum tempo quando você começa a sentir a coceira. Quando aparecem de repente, bolinhas com líquido, crostas e feridas podem estar presentes nos mamilos. Quando são persistentes, os mamilos geralmente são secos e avermelhados, podendo ter placas ou descamações.

A coceira é o principal sintoma no caso de alergias. Ela pode ser causada:

  • Por resíduos de produtos usados na lavagem de roupas, especialmente dos sutiãs;
  • Por produtos aplicados na região;
  • Pelo tecido da roupa ou do sutiã;
  • Pelo suor.

Você ainda pode notar vermelhidão na região ao redor do mamilo. Tente identificar se há algo que possa estar causando a alergia.

Para evitar as alergias:

  • Enxágue melhor sua roupa durante a lavagem para evitar os resíduos de sabão e amaciante;
  • Prefira os sutiãs feitos com tecidos naturais e macios — lave-os com frequência;
  • Suspenda de cosméticos e medicamentos quando suspeitar serem os responsáveis pela coceira.
2. Ressecamento

O mamilo pode estar ressecado devido a banhos muito quentes, por exemplo. Além da coceira, você pode observar que a pele está esbranquiçada ao redor da região. Nesse caso, você pode aplicar um creme ou o gel extraído de dentro da folha da babosa (Aloe vera).

3. Aumento dos seios

O aumento dos seios é outra causa para a coceira nos mamilos. Isso pode acontecer quando a pessoa engorda, coloca uma prótese ou durante a gravidez.

O aumento dos seios é um dos primeiros sinais de gravidez. Se você tiver um atraso menstrual, seus mamilos coçarem, tiver mais vontade de urinar, mais sono ou enjoos, você pode estar grávida.

4. Amamentação

Sentir dor e coceira nos mamilos quando amamenta é comum nos quatro dias após o parto. Quando elas persistem após esse período, há duas possibilidades:

  • Elas podem surgir na mama quando o peito está cheio de leite, o que é mais comum;
  • Quando o bebê não pega direito os mamilos para mamar e os machuca, eles podem doer, arder, sangrar e coçar.

Se você amamenta e está com os mamilos feridos, procure um serviço de saúde. Lá, vão examinar as suas mamas para ver se há algum problema, como a mastite ou abscessos. Se estiver tudo bem, os profissionais de saúde podem ensinar como fazer para que seu bebê mame da forma certa.

O gel da folha da babosa é hidratante e cicatrizante. Ele pode ser aplicado nos mamilos feridos das mulheres que amamentam. Nesse caso, o mamilo deverá ser limpo com uma compressa com água antes das mamadas. Tenha cuidado, apenas, para evitar o uso do leite da folha.

5. Lesões benignas do mamilo

As lesões benignas da mama são muito mais frequentes do que as malignas. Entre elas, há alguns tumores raros dos mamilos:

  • Neurofibromas
  • Verrugas
  • Leiomiomas
  • Milium
  • Papilomatoses
  • Fibromas
  • Hemangiomas
  • Lipomas

Os sintomas que podem aparecer no mamilo se você tem um deles são parecidos aos da doença de Paget:

  • Coceira
  • Sangramento
  • Dor
  • Inchaço
  • Enrijecimento

Se tem esses sintomas, procure um médico de família ou clínico geral.

6. Doença de Paget

A doença de Paget começa no mamilo e depois se espalha para a aréola. Além de coceira, o mamilo pode:

  • Doer ou arder
  • Ter lesões escamosas
  • Ter pequenas bolhas ou feridas

Algumas vezes, pode sair sangue do mamilo e ele pode estar retraído.

A doença de Paget é um tipo raro de câncer de mama que pode ser identificado pela presença dos sintomas listados. Se você tem esses sintomas, precisa ser acompanhado por um médico de família ou clínico geral.

7. Doença de Bowen

O mamilo pode estar inchado, descamar e sangrar, sem alteração da aréola. Pessoas com a imunidade baixa, que têm HPV ou são idosas têm um risco maior de ter a doença.

É um tipo de câncer de pele que acomete raramente a região dos mamilos, por ser mais comum em áreas do corpo expostas ao sol. É importante identificar a doença rapidamente porque ela pode atingir o tecido da mama e causar câncer de mama.

Se suspeitar que pode ter a doença de Bowen, procure um médico de família ou clínico geral.

8. Câncer de mama

O câncer de mama também pode causar coceira e alterações do mamilo. Além delas, a mama pode ter assimetrias, dor e nódulos.

O tratamento para o câncer de mama também pode causar coceira do mamilo.

Você também pode querer ler:

Dor nos bicos dos seios. O que pode ser?

Dor e coceira nos seios, o que pode ser?

Tenho bolinhas nos mamilos. O que pode ser e o que fazer?

Referências:

UpToDate. Common problems of breastfeeding and weaning

Drugs and Lactation Database (LactMed) [Internet]. Bethesda (MD): National Library of Medicine (US); 2006-. Aloe. [Updated 2021 Sep 20]

Spyropoulou GA, Pavlidis L, Trakatelli M, Athanasiou E, Pazarli E, Sotiriadis D, Demiri E. Rare benign tumours of the nipple. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2015; 29(1): 7-13.

Kitahara M, Hozumi Y, Watanabe A,Iijima T. Bowen's Disease of the Nipple. Case Rep Oncol. 2018; 11(3): 609–614.

UpToDate. Paget disease of the breast (PDB)

Para que serve o ultrassom com Doppler?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O ultrassom com Doppler serve para avaliar órgãos, estruturas, tecidos, vasos sanguíneos e o fluxo de sangue da região em análise. O ultrassom com Doppler é uma ultrassonografia realizada da mesma forma que as outras, porém, com um adicional que permite a visualização do fluxo sanguíneo do local, analisando a irrigação e a permeabilidade sanguínea.

O ultrassom com Doppler é usado para determinar se a pessoa tem uma condição que reduz ou obstrui a circulação sanguínea. Também pode ser usado para diagnosticar certas doenças cardíacas.

Na área da obstetrícia, por exemplo, o ultrassom com Doppler serve para avaliar o sentido e a quantidade de fluxo sanguíneo que chega para o feto, permitindo, assim, analisar a circulação sanguínea nos vasos uterinos e fetais, além de detectar possíveis alterações na placenta.

Em geral, o ultrassom Doppler serve para:

  • Avaliar o funcionamento do coração. Nesse caso, normalmente é feito em conjunto com um eletrocardiograma, que mede os sinais elétricos no coração;
  • Detectar obstruções na circulação sanguínea;
  • Detectar danos nos vasos sanguíneos e defeitos na estrutura do coração;
  • Identificar estreitamento dos vasos sanguíneos;
  • Monitorar a circulação sanguínea após uma cirurgia;
  • Verificar se a circulação sanguínea entre a gestante e o feto está normal.
Quando o ultrassom com Doppler é indicado?

O ultrassom com Doppler geralmente é indicado quando há presença de sinais e sintomas de fluxo sanguíneo reduzido ou doença cardíaca. Os sintomas variam dependendo da causa. Alguns sintomas comuns de problemas de circulação sanguínea incluem:

  • Dormência ou fraqueza nas pernas;
  • Cãibras dolorosas nos quadris ou músculos das pernas ao caminhar ou subir escadas;
  • Pernas ou pés frios;
  • Mudança na cor da pele ou brilho na pele da perna;
  • Dificuldade para respirar;
  • Inchaço em pernas, pés ou abdômen;
  • Fadiga.

O ultrassom Doppler também pode ser usado em casos de:

  • Derrame cerebral: após um acidente vascular cerebral (AVC), pode ser solicitado um tipo especial de ultrassom com Doppler chamado Doppler transcraniano, que serve para observar o fluxo sanguíneo no cérebro;
  • Lesão nos vasos sanguíneos;
  • Tratamento de distúrbios da circulação sanguínea;
  • Suspeita de problemas circulatórios na gravidez (feto muito pequeno, anemia falciforme, pré-eclâmpsia).
O que é o ultrassom com Doppler?

O ultrassom com Doppler é um exame de imagem que usa ondas sonoras (ultrassônicas) para mostrar a circulação sanguínea através dos vasos sanguíneos. O ultrassom comum também usa ondas sonoras para criar imagens de estruturas internas do corpo, mas elas não podem mostrar o sangue em circulação.

O ultrassom com Doppler funciona medindo as ondas de ultrassom que são refletidas nas estruturas em movimento, como os glóbulos vermelhos. Isso é conhecido como efeito Doppler.

Existem diferentes tipos de ultrassom Doppler:

Doppler colorido: esse tipo de Doppler usa um computador para converter ondas sonoras em cores diferentes, que mostram a velocidade e a direção do sangue em tempo real.

Power Doppler: novo tipo de Doppler colorido. Pode mostrar mais detalhes da circulação sanguínea do que o Doppler colorido comum, mas não mostra a sua direção, o que, em certos casos, pode ser importante.

Doppler espectral: mostra a circulação sanguínea em um gráfico em vez de imagens coloridas. Pode mostrar a forma como um vaso sanguíneo está obstruído.

Doppler Duplex: usa o ultrassom convencional para formar imagens de vasos e órgãos sanguíneos. Em seguida, um computador converte essas imagens em um gráfico, semelhante ao Doppler espectral.

Doppler de ondas contínuas: nesse exame, as ondas ultrassônicas são enviadas e recebidas continuamente. Permite uma medição mais precisa do sangue que flui mais rapidamente.

Como é feito o ultrassom com Doppler?

Geralmente, durante a realização do ultrassom Doppler, a pessoa fica deitada numa maca com a parte do corpo onde o exame será feito descoberta. O profissional espalha um gel especial na pele e sobre o local passa um transdutor, um dispositivo que envia ondas de ultrassom pelo corpo.

O movimento das células sanguíneas altera o tom das ondas sonoras. É possível ouvir sons que parecem assobios ou pulsos durante o procedimento. As ondas são gravadas e convertidas em imagens ou gráficos em um monitor.

Todo o procedimento dura de 30 a 60 minutos. O ultrassom com Doppler pode ser realizado em diversas regiões do corpo, como tireoide, rins, mamas, carótidas, bolsa escrotal, abdômen, coração, entre outras.

Se o ultrassom com Doppler detectar alguma anormalidade, pode ser um sinal de:

  • Obstrução ou coágulo na artéria;
  • Estreitamento dos vasos sanguíneos;
  • Circulação sanguínea anormal;
  • Aneurisma (protuberância em forma de balão nas artérias): faz com que as artérias se estiquem e se tornem mais finas. Se a parede ficar muito fina, a artéria pode se romper e causar uma hemorragia (derrame cerebral);
  • Anormalidade na circulação sanguínea do feto.

O significado dos resultados depende da parte do corpo em que o ultrassom é realizado.

Tenho que me preparar para fazer o ultrassom com Doppler?

Para realizar o ultrassom com Doppler, é necessário tirar roupas e joias da parte do corpo onde o exame será realizado. Também deve-se evitar fumar ou utilizar produtos com nicotina duas horas antes do exame. A nicotina provoca um estreitamento dos vasos sanguíneos e pode interferir nos resultados.

Para alguns tipos de ultrassom Doppler, pode ser necessário fazer jejum de alimentos ou bebidas durante várias horas antes do exame.

O profissional que irá realizar o exame poderá esclarecer eventuais dúvidas em relação ao funcionamento do ultrassom com Doppler e ao procedimento em si.

Realize os exames solicitados pelo/a profissional de saúde e retorne na consulta após o resultado para a devida avaliação.

Sinusite crônica tem cura? Qual é o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sinusite crônica pode ter cura. O tratamento vai depender das características de cada pessoa, podendo ser com uso de medicamentos orais e tópicos, ou através de uma cirurgia corretiva.

Para casos de sinusite crônica por problemas físicos de obstrução, como um desvio importante de septo, por exemplo, a correção cirúrgica pode ser a medida principal no tratamento definitivo. Nos casos de doença por alergia crônica, viroses ou exposição a temperaturas extremas, o tratamento deve se basear em aplicação de spray nasal, medicamentos orais e mais raramente, indicação de cirurgia. Além das orientações gerais pelo médico otorrinolaringologista.

Por vezes, o principal objetivo do tratamento da sinusite crônica será de prevenir novas crises.

Enquanto a sinusite aguda, na maioria das vezes, resolve-se de maneira espontânea, a sinusite crônica exige maiores cuidados e apresenta pior resposta ao tratamento, nem sempre é alcançada a cura definitiva. Contudo, mesmo que apenas para aliviar os sintomas e manter a doença sob controle, já representa importante melhora na qualidade de vida dessas pessoas.

A sinusite aguda deve ser tratada por 10 a 14 dias. O tratamento da sinusite crônica geralmente é mantido por 3 a 4 semanas, ou mais.

Qual remédio posso usar para tratar sinusite crônica?

Nos casos de sinusite crônica de causa alérgica, o tratamento pode ser feito com vacina antialérgica específica, associada a spray nasal à base de antialérgicos e corticoides.

Se a sinusite crônica for causada por infecção fúngica, o tratamento inclui medicamentos antifúngicos. Contudo, a maioria das sinusites decorrentes de infecções provocadas por fungos necessita de cirurgia.

Geralmente as sinusites crônicas não são causadas por infecções bacterianas, portanto o uso de antibióticos não é útil nesses casos. Os antibióticos podem ser prescritos para:

  • Crianças com corrimento nasal e tosse que não melhora após 2 a 3 semanas;
  • Febre superior a 39°C;
  • Dor de cabeça ou dor no rosto;
  • Inchaço ao redor dos olhos.

É preciso ter cuidado com o uso de descongestionantes nasais como oximetazolina® ou neo-sinefrina®. Eles podem ajudar no início da crise, mas usá-los por mais de 3 a 5 dias pode piorar a congestão nasal.

Quando a cirurgia é indicada para tratar sinusite crônica?

A cirurgia pode ser indicada nos casos de :

  • Problemas físicos (desvio de septo importante, presença de pólipos nasais);
  • Refratário ao medicamento oral e tópico, quando os sintomas não desaparecem depois de 3 meses de tratamento;
  • Casos com mais de duas ou 3 crises de sinusite aguda por ano.

A cirurgia consiste em aumentar a abertura dos seios paranasais, além de limpar e drenar os mesmos, quando houver secreção.

Veja também: Sinusite tem cura?

Contudo, mesmo após a cirurgia, a maioria dos pacientes necessita de tratamento de manutenção, para evitar o retorno da sinusite crônica.

O que posso fazer em casa para tratar a sinusite crônica?

Algumas medidas indicadas para diminuir a falta de ventilação nos seios paranasais:

  • Aplicar panos úmidos e quentes no rosto várias vezes ao dia;
  • Beber bastante líquido para diluir o muco;
  • Inspirar vapor 2 a 4 vezes por dia (pode ser feito no banho, ligando a água quente);
  • Usar solução nasal salina várias vezes ao dia;
  • Usar umidificador de ar nos ambientes.

Para aliviar a dor ou a pressão nos seios paranasais:

  • Evitar andar de avião quando enquanto os seios estiverem congestionados;
  • Evitar temperaturas extremas, mudanças bruscas de temperatura e inclinar a cabeça para frente e para baixo;
  • Fazer uso de anti-inflamatórios (sob orientação médica).
Como prevenir as crises de sinusite crônica?

A melhor maneira de prevenção é manter medidas de higiene ambiental, além de evitar fatores que sabidamente estimulam as crises, como: poeira, fumaça de cigarro, poluição, temperaturas extremas e corantes alimentares.

Podemos indicar como medidas de higiene ambiental:

  • Evitar contato com fumaça de cigarro e outros tipos de poluentes ambientais;
  • Manter o quarto bem ventilado;
  • Evitar ao máximo o acúmulo de poeira;
  • Usar colchão e travesseiro com capa protetora;
  • Remover o mofo do ambiente;
  • Evitar o frio, odores irritantes e corantes artificiais;
  • Beber bastante líquido para aumentar a hidratação do corpo e a umidade dos seios paranasais;
  • Tratar as alergias de forma adequada e rápida;
  • Usar um umidificador de ar para aumentar a umidade dos seios.

Seja qual for a causa da sinusite crônica, é mandatório o cuidado e a prevenção de crises.

O que é sinusite?

A sinusite ocorre quando a mucosa que reveste os seios paranasais fica inflamada devido a uma infecção por vírus, bactérias ou fungos.

Seios paranasais

Existem 2 tipos de sinusite:

Sinusite aguda: os sintomas estão presentes durante no máximo 4 semanas. É causada por bactérias que se proliferam nos seios paranasais.

Sinusite crônica: Ocorre quando o inchaço dos seios paranasais está presente por mais de 3 meses. Pode ser causada por bactérias, reação alérgica ou fungos.

Quais as causas da sinusite?

Os seios paranasais são espaços cheios de ar no crânio. Eles estão localizados atrás da testa, dos ossos do nariz, das bochechas e dos olhos. Seios saudáveis não contêm bactérias ou outros micro-organismos infecciosos. Além disso, a parede desses seios produz um muco para sua defesa, porém o ar passa livremente por essas cavidades, o ar pode circular através delas.

Quando os seios paranasais ficam bloqueados ou há excesso de muco, pela reação inflamatória ou reação alérgica, as bactérias e outros micro-organismos podem se multiplicar mais facilmente, dando origem à sinusite.

A sinusite pode ocorrer quando:

  • Os cílios dos seios paranasais não conseguem remover o muco adequadamente;
  • Ocorre excesso de produção de muco e obstrução dos seios paranasais em resfriados e alergias;
  • A abertura dos seios paranasais fica bloqueada em caso de desvio de septo nasal ou presença de pólipos nasais.

Os seguintes fatores podem aumentar o risco de sinusite em adultos e crianças:

  • Rinite alérgica;
  • Fibrose cística;
  • Frequentar creches (contaminação viral);
  • Mudanças de altitude ou pressão (voar ou mergulhar);
  • Adenoides grandes;
  • Tabagismo (ativo ou passivo);
  • Sistema imunológico enfraquecido por HIV ou quimioterapia;
  • Estruturas anormais dos seios paranasais.
Quais são os sintomas da sinusite aguda e crônica? Sintomas de sinusite em adultos
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Congestão nasal;
  • Coriza;
  • Dor semelhante à pressão, atrás dos olhos ou sensibilidade facial;
  • Mau hálito;
  • Perda do olfato;
  • Tosse que geralmente piora à noite (pelo gotejamento da secreção ao se deitar);
  • Fadiga e sensação de desconforto geral;
  • Dor de garganta.

Os sintomas da sinusite aguda em adultos geralmente surgem após um resfriado que não melhora ou piora, passados 5 a 7 dias. Já os sintomas da sinusite crônica tendem a ser mais leves que os da sinusite aguda e duram mais de 3 meses.

Sintomas de sinusite em crianças
  • Doenças respiratórias ou resfriados que estão melhorando e começam a piorar;
  • Febre alta associada à secreção nasal escura por pelo menos 3 dias;
  • Corrimento nasal, com ou sem tosse, por mais de 10 dias.

Embora sejam raros, alguns casos de sinusite podem evoluir com complicações como a formação de abscesso, infecção óssea (osteomielite), meningite e infecção cutânea ao redor dos olhos (celulite).

Em geral, as sinusites são curadas com o tratamento médico e os cuidados pessoais. Episódios recorrentes de sinusite devem ser avaliados por um otorrinolaringologista, para investigar causas secundárias, como pólipos nasais ou outros problemas, como alergias.

Casos de sinusite crônica também devem ser avaliados por um médico otorrinolaringologista, que irá indicar o tratamento mais adequado, de acordo com cada caso.

O que é sinusite alérgica e quais os sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sinusite alérgica é uma inflamação dos seios paranasais causada por alergia respiratória.

Os sintomas mais comuns da sinusite alérgica incluem:

  • Dor na face;
  • Sensação de peso facial;
  • Dor de cabeça;
  • Tosse que piora à noite;
  • Secreção nasal;
  • Congestão nasal, sensação de nariz entupido;
  • Edema (inchaço) ao redor dos olhos.

Os seios paranasais são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz e atrás da maçã do rosto, atrás da testa e dos olhos. Os seios são revestidos por uma mucosa, que produz o muco, que é escoado para o nariz através de pequenos túneis.

Quando esses túneis ficam obstruídos por secreção, edema da mucosa ou outra causa, os seios paranasais perdem a comunicação com o nariz, ficando selados e sem ventilação. O muco fica então acumulado, facilitando inclusive a proliferação de vírus, bactérias ou fungos, por vezes originando quadro de sinusite infecciosa.

Os sintomas da sinusite alérgica também são encontrados nas rinites alérgicas. As alergias provocam com frequência uma reação na mucosa de edema, congestionando os seios, favorecendo a proliferação de germes e consequentemente infecções, ou seja, cria-se um círculo vicioso: a alergia causa sinusite e esta, por sua vez, piora a alergia.

Leia também: Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado

A sinusite alérgica não tem cura, uma vez que a alergia é uma herança genética. Por isso é fundamental identificar e afastar-se dos fatores que podem desencadear uma crise alérgica e manter acompanhamento médico regular.

O/A médico/a otorrinolaringologista é o responsável por acompanhar casos de sinusite alérgica.

Saiba mais em:

Sinusite faz o nariz sangrar?

Sinusite dá tontura?

Quais são os sintomas da sinusite?

Qual é o tratamento para sinusite alérgica?

Estou tentando engravidar e meus seios estão inchados. Posso estar grávida?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, se os seus seios estão inchados e você teve relações durante a ovulação, pode ser que esteja grávida. Seios inchados e doloridos são alguns dos sintomas de gravidez.

Outros sinais e sintomas de gravidez incluem:

  • Atraso da menstruação;
  • Cansaço;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Inchaço abdominal.

Porém, é importante lembrar que seios inchados também podem ser um sinal de que você vai menstruar. É muito comum as mulheres ficarem com os seios inchados e doloridos durante a TPM. Além disso, o próprio uso do anticoncepcional também pode deixar os seios inchados.

Espere pela sua menstruação. Se houver atraso, aguarde uma semana e faça um teste de gravidez de farmácia. Se der positivo, marque uma consulta com a/o ginecologista, médica/o de família ou clínica/o geral para iniciar o acompanhamento pré-natal. Se der negativo, espere mais uma semana e se a menstruação continuar atrasada, repita o teste. 

Dor no seio durante a gravidez: o que fazer para aliviar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Para aliviar a dor no seio durante a gravidez, a gestante deve usar sutiãs adequados e mais confortáveis, feitos com tecidos macios, que tenham alças largas e apoio nas costas. Também é importante que o sutiã não tenha nenhuma armação de ferro, sustente bem a mama e tenha um tamanho ajustável.

Aplicar compressas de água morna nos seios também ajudam a amenizar a dor e o desconforto durante a gestação. Hidratantes com elastina e colágeno na composição podem auxiliar no alívio do incômodo, embora não sejam capazes de acabar com a dor.

Na hora do banho, a mulher deve lavar os seios com sabonete neutro, com movimentos circulares e delicados no sentido dos ponteiros do relógio.

No início da gravidez, é normal os seios ficarem mais sensíveis e doloridos devido às alterações hormonais. O aumento do volume da mama também pode causar algum desconforto e provocar dor.

Para maiores informações sobre como aliviar a dor no seio durante a gravidez, fale durante as consultas com o/a médico/a que está acompanhando seu pré-natal.

Também podem lhe interessar:

Estou com os seios inchados e doloridos o que pode ser?

Dor nos bicos dos seios. O que pode ser?

Dor e coceira nos seios, o que pode ser?

Diferenças entre Rinite, Sinusite e Resfriado
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A melhor forma de saber as diferenças entre rinite, sinusite e resfriado é conhecer um pouco de cada doença, o que são, suas causas e sintomas.

Rinite

O que é: Trata-se de um processo inflamatório da mucosa nasal. Pode ter várias causas. A forma mais comum é a rinite alérgica, frequente em pessoas atópicas e desencadeadas por alérgenos. A rinite alérgica está muito associada a fatores genéticos e ambientais.

Quais os sintomas mais comuns da rinite?

Os principais sintomas da rinite incluem coriza, congestão nasal, coceira no nariz, olhos e céu da boca, espirros, lacrimejamento e olheiras.

Outros sinais e sintomas que podem estar presentes: roncos nasais, tosse, falta de ar, respiração oral, dor de cabeça, rouquidão, diminuição do paladar e do olfato.

Os sintomas da rinite se manifestam após a exposição a algum tipo de alérgeno (pó, pólen, fungos, ácaros, pelos de animais), poluentes, como fumaça de cigarro, ou devido a mudanças bruscas de clima.

As infecções virais também podem provocar uma crise ou piorar os sintomas, uma vez que os vírus lesionam e irritam a mucosa que recobre o aparelho respiratório, tornando-a mais sensível aos alérgenos.

Quais as causas da rinite?

A rinite pode ser causada por inalação de alérgenos (ácaros, pó, pólen, pelos, fumaça, perfumes, entre outros), infecções virais, bacterianas ou fúngicas, inalação de irritantes respiratórios e fatores hormonais.

Sinusite

O que é: Inflamação dos seios paranasais, localizados atrás da testa, bochechas, olhos e osso nasal. Normalmente está associada a processos infecciosos causados por vírus, bactérias ou fungos, processos alérgicos ou irritativos.

A sinusite pode ser aguda ou crônica. Na aguda, a inflamação dos seios paranasais é recente, normalmente decorrente de complicações de algum resfriado. Já na sinusite crônica a inflamação dos seios paranasais pode durar meses ou anos.

Veja também: Qual a diferença entre sinusite aguda e sinusite crônica?

Quais os sintomas mais comuns de sinusite?

Os principais sintomas da sinusite incluem dor na face, dor de cabeça, febre, tosse, espirros, secreção, nariz entupido, dificuldade para respirar e inchaço ao redor dos olhos.

Saiba mais em: Quais são os sintomas da sinusite?

Se a sinusite for causada por bactérias, pode haver ainda mau hálito, perda do apetite e cansaço. Por inclusive haver presença de pus na secreção nesses casos.

Quais as causas da sinusite?

A sinusite tem como principais causas: infecção bacteriana, fúngica ou viral, gripes e resfriados, alergia respiratória e desvio de septo nasal.

Algumas doenças e condições favorecem o desenvolvimento da sinusite, como asma, rinite, bronquite, amigdalite, faringite, gripe ou resfriados.

A sinusite ocorre quando os túneis que escoam o muco produzido nos seios paranasais ficam obstruídos por secreção, inchaço da mucosa ou outra causa. Isso provoca acúmulo desse muco, favorecendo a proliferação de bactérias e causando sinusite.

Por essa razão, a principais causas da sinusite são os distúrbios que causam inchaço da mucosa, como rinite e infecções respiratórias virais.

Resfriado

O que é: Infecção do trato respiratório superior (nariz e garganta), causada por um vírus.

Quais os sintomas mais comuns do resfriado?

O resfriado caracteriza-se pela presença de coriza, congestão nasal, espirros ou tosse, lacrimejamento dos olhos e febre, normalmente baixa.

No início, a pessoa pode apresentar um pouco de dor de garganta. A tosse seca pode ainda permanecer durante semanas após o desaparecimento dos sintomas. A febre em adultos é rara, mas pode ocorrer.

Os sintomas do resfriado geralmente se manifestam entre 24 e 72 horas depois do contágio. O tempo de duração dos sintomas varia entre 5 e 7 dias. Em alguns casos de resfriado, os sintomas podem persistir por até duas semanas.

Qual a causa do resfriado?

Os resfriados são causados por vírus como Rinovírus (RV), Adenovírus e Parainfluenza.

A transmissão do resfriado ocorre pelo contato com vírus presentes em partículas de secreção expelidas por uma pessoa infectada.

Apesar de apresentarem sintomas semelhantes, rinite, sinusite e resfriado são doenças diferentes, mas que podem estar associadas umas às outras.

Caso apresente sintomas de rinite, sinusite ou resfriado, consulte o seu médico de família ou clínico geral para uma avaliação, diagnóstico e tratamento adequados. Em casos de recorrência de sintomas da rinite ou sinusite pode ser necessária uma avaliação pelo médico otorrinolaringologista.

O que é sinusite e quais as causas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sinusite é uma inflamação da mucosa que recobre os seios paranasais, que são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz, na região frontal (testa) e entre os olhos.

A sinusite pode ser causada por bactérias, vírus, fungos ou reação alérgica. Algumas condições facilitam o desenvolvimento da sinusite, como o desvio de septo nasal, rinite, asma, bronquite, amigdalite, faringite, gripe ou resfriados.

Nadar ou mergulhar a cabeça na água pode permitir a entrada de água e bactérias para os seios da face, causando irritação e infecção, resultando na sinusite. Até mesmo infecções dentárias podem se alastrar pelos seios da face e infectá-los diretamente, causando sinusite.

Seios Paranasais

Existem 2 tipos de sinusite: aguda e crônica. A sinusite aguda é uma inflamação recente dos seios paranasais, geralmente uma complicação de um resfriado. Já a sinusite crônica é a inflamação dos seios da face que dura meses ou anos.

Como ocorre a sinusite?

Dentro dos seios paranasais é produzido um muco, que é escoado para o nariz através de pequenos túneis. Quando esses túneis ficam obstruídos por secreção, inchaço da mucosa ou outra causa qualquer, os seios da face perdem a comunicação com o nariz, ficando selados e sem ventilação.

Assim, o muco produzido pela mucosa fica acumulado, o que facilita a proliferação de bactérias, dando origem à sinusite.

Por isso, as causas mais comuns de sinusite são os distúrbios que provocam edema, ou inchaço da mucosa, como rinite alérgica e infecções respiratórias causadas por vírus. 

Quais são os sintomas da sinusite?

A sinusite tem como principais sintomas a dor e a sensação de peso no rosto (região frontal). Além desses sinais e sintomas, dependendo da causa, pode haver febre, espirros, coriza, nariz entupido, entre outras manifestações.

Quando a sinusite é causada por bactérias, a pessoa pode apresentar também mau hálito, diminuição do apetite e cansaço. Nesses casos, a secreção nasal pode inclusive vir acompanhada de pus.

Saiba mais em: Quais são os sintomas da sinusite crônica?

Como tratar a sinusite?

O tratamento da sinusite depende da sua causa e do tipo de sinusite (aguda ou crônica).

Em geral são indicados:

  • Medidas gerais, de limpeza e manutenção de ambiente higienizado;
  • Medicamentos tópicos, como spray nasal com antialérgicos e corticoides;
  • Vacinas;
  • Medicamentos orais, como antialérgicos, antifúngicos e corticoides;
  • Cirurgia.

A sinusite aguda melhora espontaneamente em alguns dias, enquanto que na sinusite crônica os cuidados são maiores e o tratamento muitas vezes tem como objetivo apenas controlar os sintomas.

Leia também: 

Qual é o tratamento para sinusite bacteriana?

Sinusite tem cura?

Além dos medicamentos, é importante ter alguns cuidados com o ambiente para evitar alergias e irritação das vias respiratórias. Tais medidas incluem evitar fumaça de cigarro e outros poluentes, manter o quarto bem arejado, limpar e aspirar pó frequentemente, usar capa protetora no colchão e no travesseiro, evitar exposição ao frio, cheiros irritantes e evitar o consumo de alimentos com corantes artificiais.

O diagnóstico e tratamento da sinusite é da responsabilidade do médico otorrinolaringologista.

Também podem lhe interessar:

Sinusite crônica tem cura? Qual é o tratamento?

Será que a sinusite pode causar paralisia facial?

Pílula do dia seguinte engorda?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não há estudos que comprovem que o uso da pílula do dia seguinte engorda. Portanto, a resposta é não. A pílula do dia seguinte não engorda.

Por ser administrada em dose única ou em duas doses, o primeiro comprimido nas primeiras 24 horas e o segundo, 48 horas após a relação sexual desprotegida, a pílula do dia seguinte é usada por um período muito curto de tempo para provocar o aumento do peso.

Entretanto, é possível que você se sinta inchada devido à dosagem alta de hormônio.

A pílula do dia seguinte pode causar sensação de inchaço

As pílulas do dia seguinte com alta dose de progesterona podem provocar a retenção de líquidos no corpo e causar a sensação de inchaço ou mesmo de ganho de peso. No entanto, este é um efeito passageiro que cessa espontaneamente, sem precisar usar qualquer medicamento e não tem relação com o aumento do peso corporal.

Se você se sentir inchada, aumente a ingestão de água para ajudar o corpo a eliminar os líquidos acumulados pelo uso da pílula do dia seguinte.

Efeitos colaterais da pílula do dia seguinte

Geralmente, a pílula do dia seguinte é bem tolerada pelo organismo. Algumas mulheres podem sentir alguns efeitos colaterais, dentre os quais os mais comuns são:

  • Náuseas e/ou vômitos,
  • Tontura,
  • Cansaço,
  • Dor de cabeça,
  • Diarreia,
  • Sangramento de escape e
  • Aumento da sensibilidade dos seios.

Lembre-se que pílula do dia seguinte não deve ser utilizada como anticoncepcional de rotina e deve ser usada apenas uma vez a cada mês. Além disso, ela não protege contra infecções sexualmente transmissíveis, o que indica uso de camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais.

Converse com o seu médico de família ou ginecologista para escolherem juntos o método contraceptivo mais adequado.

Para saber mais sobre a pílula do dia seguinte, você pode ler:

Como tomar a pílula do dia seguinte?

Como saber se a pílula do dia seguinte funcionou?

Pílula do dia seguinte dose única pode falhar?

Sangramento após tomar pílula do dia seguinte é normal? Por que ocorre?

Referência:

FEBRASGO. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.