Perguntar
Fechar

Pneumologia

Cuspir sangue é normal? O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Cuspir sangue não é normal e pode ser sintoma de alguma doença ou de lesões menos importantes no nariz ou na garganta. Cuspir sangue com expectoração (catarro) e tosse significa que o sangramento vem do pulmão ou das vias aéreas, o que pode indicar a presença de alguma das seguintes doenças:

  • Infecções pulmonares, como bronquite aguda ou bronquite crônica;
  • Câncer de pulmão;
  • Tuberculose pulmonar;
  • Infarto pulmonar (morte de uma parte do tecido pulmonar causada por obstrução de alguma artéria);
  • Bronquiectasias (dilatações anormais do brônquios pulmonares);
  • Hipertensão venocapilar (aumento da pressão sanguínea nas veias pulmonares que pode provocar a ruptura de pequenos vasos);
  • Insuficiência do ventrículo esquerdo do coração;
  • Estenose (estreitamento) da válvula mitral do coração.

Cuspir sangue sem tosse pode ser sinal de alguma lesão no nariz ou na garganta. Por exemplo, se a garganta estiver inflamada ou infeccionada pode haver pequenos sangramentos devido a pequenas lesões na mucosa e, ao sair a secreção, ela é acompanhada de sangue..

O mais indicado é consultar o/a clínico geral ou médico/a de família para o início de uma abordagem e entendimento da causa do sangramento.

Leia também:

Tossir sangue o que pode ser?

Ao tossir tenho catarro com sangue, o que pode ser?

Espirrar sangue o que pode ser?

Sinto pontadas no peito. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

​Pontadas no peito normalmente não estão relacionadas com o coração. Podem ser sinal de gases intestinais, ansiedade, doenças pulmonares e digestivas, entre outras causas. A dor no peito causada pelo infarto tem características diferentes.

As pontadas no peito podem ser causadas por irritação da pleura, uma membrana dupla de tecido conjuntivo que recobre os pulmões e a parte interna do tórax.

A dor pleurítica é súbita, em pontada, e surge ou piora com a respiração, tosse ou bocejo. As pontadas são bem localizadas e parecem vir diretamente do coração.

Dentre as doenças ou condições que podem afetar a pleura e causar pontadas no peito estão a tuberculose, o câncer de pulmão, a pneumonia, o derrame pleural (excesso de líquido entre o pulmão e as costelas)e o pneumotórax (escape ou entrada de ar no espaço pleural que provoca um colapso total ou parcial do pulmão).

Quando a dor no peito é sintoma de infarto, a pessoa geralmente sente uma dor ou desconforto no peito que pode irradiar para a mandíbula e para o braço esquerdo. É uma dor intensa e prolongada, acompanhada por uma sensação de peso ou aperto no peito.

Saiba mais em: Quais os sintomas de um ataque cardíaco?

Consulte o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família em caso de pontadas no peito para que a origem da dor seja devidamente diagnosticada e tratada.

Veja também:

Quem tem gastrite e esofagite sente dor no peito?

O que fazer no caso de dor no peito?

Tosse com falta de ar, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Tosse com falta de ar pode ter causas variadas uma vez que a tosse é um mecanismo de proteção do organismo, ou seja, uma reação à algum estímulo irritativo nas vias aéreas. Quando a tosse é muito intensa e persistente pode causar falta de ar e, até mesmo, vômitos. 

Como pode ocorrer nas tosses alérgicas, no refluxo gastroesofágico, nas gripes fortes, sinusites, na tosse provocada por ansiedade, e ainda por medicamentos para baixar a pressão (anti-hipertensivos) como o captopril, enalapril e propanolol. 

Outros distúrbios que podem apresentar tosse com falta de ar são: asma brônquica, enfisema, derrame pleural, insuficiência cardíaca descompensada.

É importante procurar o atendimento médico sempre que a tosse permanecer por um período maior que 10 a 15 dias ou se for acompanhada de febre, suores noturnos, falta de ar, falta de apetite e eliminação de secreção com sangue.

Leia também:

Tosse persistente: o que fazer?

Tosse com catarro: o que fazer?

O clínico geral pode diagnosticar e indicar o tratamento ou encaminhamentos necessários no caso de tosse com falta de ar.

Também pode lhe interessar: Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Tosse com catarro: o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Todos os casos de tosse devem ser avaliados por um/a médico/a visto que trata-se de um sintoma comum, mas que pode estar sinalizando desde um simples resfriado, até casos mais graves, como uma infecção, pneumonia ou tuberculose. E apenas o profissional poderá diferenciar esses casos e tratar de forma adequada.

Geralmente, nos casos mais graves, a tosse vem acompanhada de outros sintomas como febre, mal estar, dor no peito ou falta de apetite, embora não seja obrigatório. Pessoas com baixa imunidade, por exemplo diabéticos, idosos ou pessoas em uso de crônico de medicamentos, podem não apresentar esses sintomas no início, retardando seu diagnóstico e tratamento.

Além da avaliação médica, podemos sugerir como medidas benéficas em qualquer caso de tosse, o aumento da ingesta de água, praticar a inalação e fazer uso de chás caseiros, conforme orientação profissional.

Nunca tome medicações por conta própria!

Beber água

Nos casos de tosse com catarro sem mais sintomas, recomendamos que beba muita água, pelo menos 1,5 a 2 litros de água por dia. O aumento da ingestão de água é a principal medida que deve ser tomada, pois a água fluidifica o catarro auxiliando na sua eliminação.

Inalação

Outra recomendação valiosa é a inalação, que pode ser feita com soro fisiológico ou inalação de vapor de água quente. A inalação age aliviando os sintomas da tosse, fluidificando as vias aéreas, favorecendo também a eliminação da secreção.

Xarope

Xaropes que inibem a tosse (antitussígenos) não são recomendados, pois assim o catarro não será expelido. Vale lembrar que a tosse é um mecanismo de defesa do corpo para eliminar secreção (catarro), corpos estranhos e agentes infecciosos das vias aéreas.

Em algumas situações, os xaropes expectorantes podem ser indicados porque fluidificam a secreção (catarro), facilitando a sua expulsão e impedindo a obstrução das vias aéreas. Mas nos casos de tosse por infecção, pneumonia ou sinusite aguda por exemplo, apenas auxiliam na ação dos antibióticos, medicamentos que devem ser prescritos nesses casos.

Efeitos colaterais dos xaropes para tosse

Os xaropes para tosse podem conter em suas fórmulas anti-histamínicos (antialérgicos), descongestionantes e anti-inflamatórios, que podem causar efeitos colaterais indesejados e até problemas mais graves, inclusive com risco de morte. Alguns desses efeitos indesejados incluem: sonolência, aumento da frequência cardíaca ("batedeiras"), agitação e arritmia cardíaca.

Também é importante salientar que nem os xaropes, nem as pastilhas para tosse tratam a causa do problema, apenas aliviam o desconforto e a frequência desse sintoma.

Existe algum xarope ou remédio caseiro para tosse com catarro?Mel para tosse com catarro

Sabe-se que o mel tem propriedades que dilatam os brônquios e diminuem a irritação da garganta, além da ação anti-inflamatória. Por isso, é considerado um bom remédio caseiro para tosse, seca ou com catarro.

A dose indicada é de 1 colher de sopa (adultos) ou 1 colher de sobremesa (crianças) de mel, antes de dormir.

Gengibre para tosse com catarro

Outro produto natural que pode auxiliar o tratamento da tosse é o gengibre, pois possui gingerol, uma substância com ação anti-inflamatória e antibacteriana.

Nos casos de tosse com catarro que durem mais de uma semana, ou que apresentem outros sintomas, como febre, mal estar, dor no peito e ou falta de apetite, procure imediatamente um serviço de atendimento de urgência.

Pode lhe interessar também: Tosse persistente: o que fazer?

Sinto coração acelerado e falta de ar, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Coração acelerado e falta de ar, sem motivo aparente, podem ser sintomas de doenças cardíacas ou respiratórias, como arritmia, insuficiência cardíaca, bronquite, asma, entre outras. Contudo, o aumento da frequência cardíaca e a falta de ar podem ter diversas causas e nem sempre indicam a presença de alguma doença ou problema de saúde.

O coração pode bater mais acelerado devido ao estresse, ansiedade, emoções fortes, uso de medicamentos, consumo de bebidas alcoólicas ou estimulantes, fumo, desidratação, exercício físico, entre outras situações. 

Já a falta de ar pode ser decorrente de ansiedade, angústia, síndrome do pânico, falta de condicionamento físico ou ainda fraqueza muscular.

No entanto, existem várias doenças e condições que podem causar aumento da frequência cardíaca (taquicardia), tais como arritmias, fatores genéticos, desidratação, falta de açúcar no sangue (hipoglicemia), febre, anemia, hipertireoidismo, infecções, entre outras. Nesses casos, o coração pode disparar mesmo quando a pessoa está em repouso, sem estímulos internos ou externos.

Se não estiver relacionada a fatores emocionais ou esforço físico, a falta de ar pode ser um sintoma de doenças cardíacas ou respiratórias, como insuficiência cardíaca, gripe, bronquite, asma, enfisema pulmonar, rinite, sinusite.

Veja também: Falta de ar constante: o que pode ser e o que fazer?

Portanto, sentir falta de ar e o coração batendo acelerado pode ser uma reação normal do corpo a determinados estímulos. Todavia, é importante observar se a falta de ar e o aumento do ritmo cardíaco ocorrem em repouso, na ausência de estímulos ou vêm acompanhados de outros sintomas.

Saiba mais em: Como saber se os batimentos cardíacos estão normais?

Os sinais de alerta que podem indicar a presença de algo mais grave incluem dificuldade para falar, aumento da frequência respiratória, esforço respiratório, interrupções do sono, cansaço ao executar tarefas simples, lábios roxos, tosse, chiado no peito ou dor no tórax.

Procure um médico de família ou um clínico geral na presença desses sintomas ou se sentir falta de ar e o coração acelerar sem motivo aparente.

Também podem lhe interessar:

Tenho dificuldade para respirar, o que pode ser?

Coração acelerado: o que pode ser e o que fazer?

Batimentos cardíacos baixos: o que pode ser?

Tosse, falta de ar e um catarro branco que parece cola. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Tosse, falta de ar e catarro podem ser sintomas de asma, pneumonia ou ainda outro problema respiratório de origem alérgica ou viral.

A asma é uma doença inflamatória crônica que atinge as vias áreas. Também conhecida como bronquite alérgica, a asma deixa as vias respiratórias inchadas e mais estreitas, dificultando a passagem do ar.

Os principais sintomas da asma são:

  • Tosse que piora à noite ou após esforço físico;
  • Chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Respiração curta.

Veja também: Como identificar uma crise de asma?

O tratamento da asma é feito com broncodilatadores (“bombinhas”), fisioterapia respiratória e com o afastamento dos alérgenos que desencadeiam as crises.

Já a pneumonia é uma inflamação dos pulmões de causa infecciosa, que pode ser causada por vírus, bactérias, fungos ou parasitas.

Os sintomas mais frequentes da pneumonia são:

  • Febre;
  • Tosse com ou sem catarro;
  • Dificuldade para respirar;
  • Respiração acelerada;
  • Dor no tórax.

Saiba mais em: Quais são os sintomas de uma pneumonia?

O tratamento da pneumonia inclui:

  • Fornecer oxigênio, quando necessário;
  • Hidratação;
  • Medicamentos antibióticos, antivirais, antifúngicos ou antiparasitários, dependendo da origem da infecção;
  • Medicações anti-inflamatórias ou ainda outras, dependendo do caso.

Para saber a causa da sua tosse e falta de ar, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral ou pneumologista para receber um diagnóstico e tratamento adequados.

Também pode lhe interessar: Tenho dificuldade para respirar, o que pode ser?

Fumar narguilé faz mal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, fumar narguilé faz mal à saúde. A ideia de que o narguilé não faz mal porque inala-se vapor ao invés de fumaça não é verdadeira. Durante uma sessão de uma hora de narguilé, a quantidade de fumaça inalada equivale a fumar entre 100 e 200 cigarros.

Isso porque, ao fumar narguilé, a pessoa fica exposta por muito mais tempo à fumaça do tabaco, já que o tempo de duração de um cigarro é de apenas alguns minutos. 

Portanto, assim como o cigarro, o narguilé traz diversos malefícios para a saúde, pois reduz a capacidade respiratória, aumenta o risco de câncer de pulmão, insuficiência respiratória aguda (nos casos mais graves), transmissão de doenças infectocontagiosas, como a tuberculose, uma vez que a mesma piteira é usada por todos, doenças cardiovasculares (infarto, acidente vascular cerebral), câncer de boca e bexiga, além de poder criar dependência.

Também pode lhe interessar: 

Narguilé é mais prejudicial que cigarro?

É importante lembrar que o narguilé possui muitas das substâncias tóxicas do cigarro, como monóxido de carbono, hidrocarbonetos, nicotina, formaldeído, entre outros, o que pode causar bronquite e diminuir a capacidade respiratória após um ano de uso.

Além disso, o tabaco do narguilé possui uma concentração muito maior de nicotina, monóxido de carbono e alcatrão do que o cigarro.

Veja também: Quais são os efeitos da nicotina no organismo?Fumar pode causar ejaculação precoce?

Os malefícios do narguilé podem ser ainda maiores, já que ao fumar narguilé a pessoa inala as toxinas do tabaco e as do carvão, que estão associadas ao desenvolvimento de câncer de pulmão e outras doenças.

Fumar narguilé eletrônico faz mal?

Existem raras evidências científicas sobre os malefícios do narguilé eletrônico. Quando não há nicotina, pode haver uma menor possibilidade de causar dependência.

Também não existe a queima do tabaco, que é um dos principais fatores prejudiciais do fumo devido à alta temperatura da fumaça e das substâncias tóxicas que ela contém.

Leia também: Fumante passivo é pior do que ativo?

Contudo, é preciso saber ao certo quais as substâncias que estão sendo inaladas no narguilé eletrônico e não há ainda análises químicas e estudos sobre os seus efeitos no organismo. Há ainda o risco do próprio fumo em si, que pode causar danos para o corpo.

Porém, já se sabe que o narguilé eletrônico pode afetar a saúde da pessoa que o utiliza.

Para maiores esclarecimentos sobre o uso de narguilé convencional ou eletrônico, fale com o seu médico de família ou consulte um clínico geral ou pneumologista.

Também podem lhe interessar;

Como funciona o adesivo de nicotina para parar de fumar?

6 Dicas para Parar de Fumar

Fumar durante a gravidez faz mal para o bebê?

Fumar e tomar anticoncepcional faz mal?

Fumar corta o efeito de alguns remédios?

Pontada no coração ao respirar. O que pode ser e o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A pontada no coração ao respirar pode ser causada por fadiga muscular, tensão muscular decorrente de estresse ou ainda excesso de gases. A dor no peito também pode ter como causa a irritação da pleura, uma membrana dupla de tecido conjuntivo que recobre os pulmões e a parte interna do tórax.

Se a pontada no peito for provocada por fraqueza ou fadiga muscular, a origem da dor pode ter diversas causas. Dentre elas estão doenças neurológicas (esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla…), compressão de algum nervo, acidente vascular cerebral (AVC), poliomielite, falta de vitamina B12, distrofias musculares, doenças metabólicas, entre outras.

A fadiga muscular pode ter ainda como causa depressão, fibromialgia, anemia, intoxicação por veneno ou alimento, entre outras doenças e condições.

Pontada no coração pode ser estresse?

O estresse, assim como a histeria, também pode causar pontadas no coração ao respirar devido a tensão muscular. Apesar de ser um sintoma psicológico, o estresse pode desencadear sintomas físicos. 

Além da tensão muscular, pode haver cansaço, formigamentos, boca seca, aumento da frequência cardíaca e respiratória, bem como da pressão arterial, diarreia, náuseas, gastrite, úlcera, coceiras pelo corpo, entre outros sinais e sintomas.

Saiba mais em: Estresse e nervosismo podem causar manchas roxas no corpo?

As reações no corpo causadas pelo estresse são desencadeadas pelo hormônio adrenalina, que é despejado na corrente sanguínea em maiores quantidades em situações de estresse.

Sentir pontadas no coração pode ser gases?

Sim. A presença de gases intestinais pode causar pontadas ou dor no meio do tórax, o que faz a pessoa suspeitar que está com algum problema no coração. Também pode haver dores abdominais, flatulência e o abdômen pode estar mais inchado. 

Os gases são produzidos durante a digestão por bactérias que habitam o intestino. Suas principais causas estão relacionadas com a ingestão de determinados alimentos e bebidas, como ovo, feijão, grão-de-bico, batata, brócolis, repolho, couve-flor, cebolas, carne de porco, bebidas com gás, cerveja, leite entre outros. 

Os gases também podem ser produzidos em excesso e provocar dor no peito em casos de prisão de ventre, intolerância à lactose, falta de atividade física, ansiedade, entre outras condições.

Veja também: Excesso de gases: o que pode ser e como tratar?

Pontada no coração pode ser problema pulmonar?

Pode. A dor pode ser causada por irritação da pleura, uma membrana que recobre os pulmões e a parte interna do tórax. A dor na pleura (dor pleurítica) é súbita, em pontada ou punhalada, que surge ou piora ao respirar, tossir, espirrar ou bocejar. Além disso, a dor é bem localizada.

Algumas doenças ou condições que podem afetar a pleura e causar uma dor torácica em pontada, que piora com a respiração, incluem tuberculose, câncer de pulmão, pneumonia, derrame pleural e pneumotórax (escape ou entrada de ar no espaço pleural que provoca um colapso total ou parcial do pulmão).

No entanto, existem várias outras doenças ou situações que provocam dor no peito ao respirar, embora nesses casos a dor nem sempre é em pontada ou agulhada. Alguns exemplos:

  • Embolia pulmonar;
  • Costela fraturada;
  • Costocondrite (inflamação da articulação de uma costela com o osso esterno, localizado no centro do peito);
  • Pericardite (inflamação da membrana que reveste o coração).

Se a pontada ou a dor no peito persistir, procure um médico clínico geral ou médico de família, para receber uma avaliação e, se necessário, o tratamento adequado.

Leia também: O que fazer no caso de dor no peito?