Perguntar
Fechar

Boca

Gosto amargo na boca pode ser sintoma de quê?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Gosto amargo na boca pode ser sintoma de cáries ou inflamações na própria boca, alterações hormonais na gravidez, doenças ou ainda ser causada pelo uso de medicamentos.

Dentre as possíveis causas de gosto amargo na boca estão:

  • Língua com placa bacteriana (saburra);
  • Cáries;
  • Problemas nas gengivas;
  • Inflamações na boca, como abcessos dentários;
  • Boca seca, devido à diminuição da produção de saliva;
  • Doenças do fígado acompanhadas de icterícia (coloração amarelada de pele, olhos e mucosas);
  • Fumar ou mascar tabaco;
  • Uso de medicamentos como anti-inflamatórios, antibióticos, antialérgicos, anticonvulsivantes e antiparasitários;
  • Distúrbios digestivos como gastrite e esofagite de refluxo;
  • Transtornos de ansiedade e depressão;
  • Carência de vitamina B.

Leia também: Hérnia de hiato pode causar boca amarga?; Gosto amargo na boca pode ser gravidez?

O clínico geral é o médico que poderá diagnosticar a causa da sensação de gosto amargo na boca e tratá-la ou indicar um outro profissional da saúde para fazê-lo.

Saiba mais em: Tenho a boca seca constantemente. O que pode ser?

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar, o que pode ser?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar pode ter como primeira hipótese diagnóstica distúrbios da articulação temporomandibular (DATM), mas pode ocorrer devido a várias causas, tais como neuralgia do trigêmeo, fibromialgia, sinusite, mastoidite, otite, etc.

Discutiremos aqui os DATM, causa mais comum dos sintomas mencionados, para não tornar a resposta muito ampla, mas é fundamental consultar um médico para que ele possa, através de sua história detalhada, exame físico e complementares (quando necessários), determinar a causa exata da sua dor.

O profissional mais habilitado a tratar estes distúrbios (quando corretamente diagnosticados) é o cirurgião-dentista com especialização em oclusão dentária que trata adequadamente cada causa específica.

Causas

As principais causas dos DATM são aquelas que alteram os músculos faciais, espasmos nos músculos mastigatórios desencadeados por tensão ou estresse, depressão e ansiedade, artrites ou fixações na articulação temporomandibular, traumatismos na mandíbula, má oclusão dentária (mordida com defeitos), bruxismo (ranger dos dentes ao dormir), morder objetos estranhos, roer unhas, mastigar chicletes em excesso, tumores e problemas de crescimento na mandíbula.

Sintomas

Os principais sinais e sintomas (não é preciso que todos estejam presentes) compreendem principalmente dor facial (que piora ou só aparece ao abrir e fechar a boca, seja falando, bocejando ou ao se alimentar, que pode espalhar para qualquer lugar da face, ouvido, pescoço ou nuca), dificuldade para abrir a boca (com contraturas musculares e calcificações articulares), som de estalido ou rangido ao morder, sensação de mordida torta ou cruzada, desvio da mandíbula para um dos lados, edema (inchaço) em face, otalgia (dor no ouvido), surdez momentânea, vertigem ou zumbidos, ouvido "tampado" e perturbações visuais, além de cefaleias frequentes (dor de cabeça). Desse modo, o otorrinolaringologista é, frequentemente procurado, devendo estar familiarizado com o diagnóstico e tratamento.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por um médico ou cirurgião dentista que palpa, observa e ouve a movimentação da mandíbula; sente o estado das articulações, dos músculos, dos ligamentos, a oclusão dos dentes (a mordida e correta coaptação das arcadas dentárias superiores e inferiores). São feitas perguntas ao paciente em busca de informações que possam ser a causa da dor e de outros sintomas, tais como traumas, hábitos orais, tratamentos médicos e dentais prévios. ​Podem ser solicitados exames de imagem da mandíbula e da movimentação da articulação em estágios variados (abertura total, média e fechamento total). Foram desenvolvidas uma variedade de outras técnicas para diagnosticar DATM, inclusive para localizar as contrações musculares, chamada de eletromiografia de superfície, sonografia (SonoPak), termografia e cinesiografia. São exames que detalham com precisão as estruturas afetadas.​

Tratamento

O tratamento é inicialmente clínico; apenas em casos mais graves ou não responsivos à terapia conservadora deve-se recorrer a técnicas cirúrgicas. Os objetivos do tratamento são reduzir a dor, restabelecer função mandibular confortável, limitar a recorrência da dor e restabelecer o padrão de vida normal, o mais rapidamente possível.

Inicialmente, na fase aguda, pode-se utilizar analgésicos simples e aplicação de bolsas de água quente com massagens na região afetada. Também é importante evitar dietas que demandem mastigação excessiva (carnes) ou abrir muito a boca (maçãs inteiras, por exemplo). Alguns pacientes podem precisar de antidepressivos, anticonvulsivantes ou analgésicos mais potentes (mas sempre deve-se começar o tratamento com os analgésicos mais fracos, e ir subindo gradualmente de intensidade se não houver melhora dos sintomas). Há evidências de que técnicas de relaxamento diminuem o sofrimento em casos de dor crônica. Respire lenta e profundamente, enrijeça e relaxe seus músculos alternadamente. A ioga e/ou hipnose são úteis para algumas pessoas.

Em casos mais graves, existem as seguintes opções:

  • Terapia de aplicação ortopédica (placa estabilizadora);
  • Terapia oclusal (ortodontia, reabilitação oral, etc...);
  • Correção de problemas dentários;
  • Cirurgia

Em caso de dor no maxilar ao abrir a boca e mastigar, um médico deverá ser consultado para avaliação, tratamento e/ou encaminhamento a um cirurgião bucomaxilofacial ou otorrinolaringologista, se necessário (distúrbios da ATM).

Gosto metálico na boca, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O gosto metálico na boca pode ter várias causas, como alterações hormonais na gravidez, alimentação, medicamentos ou ainda pode ser sintoma de alguma doença. O gosto metálico na boca é um tipo de alteração da sensação do paladar, chamada disgeusia.

Dentre as possíveis causas de gosto metálico na boca estão:

  • Uso de medicamentos como metronidazol, antibióticos, vitamina B12 e ferro;
  • Gravidez;
  • Boca seca por diminuição da produção de saliva (xerostomia);
  • Intoxicação por mercúrio ou chumbo;
  • Uso de prótese mal posicionada ou aparelhos ortodônticos por longos período sem revisão;
  • Infecção e alguns tipos de cirurgia no ouvido;
  • Dengue;
  • Doença de Ménière;
  • Distúrbios neurológicos;
  • Insuficiência renal.

Leia também: Gosto amargo na boca pode ser sintoma de quê?

A eliminação do gosto metálico depende da identificação e do tratamento específico da sua causa. Em algumas situações, como na gravidez, o gosto metálico irá desaparecer naturalmente ao longo da gestação ou após o nascimento do bebê.

O/a médico/a clínico geral ou médico/a de família pode diagnosticar a causa para as alterações do gosto ou orientar o encaminhamento para um/a outro/a profissional. 

Saiba mais em: Tenho a boca seca constantemente. O que pode ser?

Gosto amargo na boca durante a gravidez. O que pode ser?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Gosto amargo na boca durante a gravidez geralmente decorre de alterações hormonais que ocorrem neste período e pode ou não ocorrer, depende da mulher. Medicamente denominado como disgeusia (distorção ou diminuição do paladar) é um efeito colateral desagradável e irritante de uma gravidez normal, embora não ocorra em todas as gestações. Suas causas ainda não são determinadas com absoluta certeza, mas há muitas teorias que procuram explicar as razões pelas quais algumas mulheres experimentam um gosto desagradável, azedo, amargo, ácido ou metálico na boca durante a gravidez.

Na gestação normal, o corpo sofre uma série de alterações nos níveis hormonais que podem afetar os sentidos do olfato e paladar (acredita-se que o aumento da produção de estrógeno desempenhe um papel importante). Alguns estudos também mostram que as papilas gustativas na língua crescem mais durante a gestação, o que provocaria a alteração gustativa. O uso de vitaminas pré-natais, pílulas hormonais e antibióticos, entre outros medicamentos, durante a gravidez também pode causar como efeito colateral um gosto ruim ou metálico na boca.

Para minimizar este sintoma, recomenda-se escovar os dentes frequentemente com pasta de dente de hortelã, gargarejar com soluções diluídas de bicarbonato de sódio e água, preparados pela mistura de 1/4 colher de sopa de soda de cozimento com uma xícara de água (neutraliza o nível de pH no interior da boca), mastigar ou chupar balas ou gomas; frutas cítricas, sucos, limonadas (o citrino presente nesses alimentos neutraliza o sabor metálico e também aumenta a produção de saliva que podem tirar o gosto). Finalmente, beber bastante água, que não só irá mantê-la hidratada, mas também irá ajudar na eliminação das toxinas do corpo.  O gosto ruim na boca durante a gravidez não é um problema de saúde grave e não causará a você ou seu bebê qualquer dano. No entanto, pode incomodar, e os meios acima descritos minimizam este sintoma. De qualquer forma, é importante consultar o seu médico ginecologista para que ele esteja sempre informado de seus sintomas, possa diagnosticar a causa subjacente (se houver alguma, não fisiológica) e prescrever-lhe um tratamento.  

Gosto amargo na boca pode ser gravidez?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

O gosto amargo na boca pode ser um dos vários sintomas da gravidez (além de cólicas abdominais, inchaço abdominal, dor em mamas, enjoo / vômitos, acne, cansaço fácil, tontura, sono e aversão a cheiros fortes), mas também pode ser decorrente de outras condições clínicas diversas.

O gosto amargo na boca é uma alteração do paladar denominada disgeusia (distorção oudiminuição do paladar). Dentre suas possíveis causas, pode-se enumerar: alimentos, uso de medicamentos com este efeito colateral (anti-inflamatórios, tranquilizantes, antibióticos, antialérgicos, anticonvulsivantes, antiparasitários), boca seca (baixa umidade relativa do ar ou desidratação), diminuição da produção de saliva, alterações hormonais na gravidez, ou ainda como um sintoma de algumas doenças do organismo (em ordem de importância: 

  • gastrites ou esofagite; 
  • doenças hepáticas; 
  • malária; refluxo gastroesofágico
  • carência de vitaminas do complexo B;
  • alergias alimentares;
  • intoxicação por metais (chumbo, mercúrio, ferro ou selênio);
  • hábito de fumar e/ou mascar tabaco; 
  • abscessos dentários, inflamações das glândulas salivares ou cáries.

Leia também:

Gosto amargo na boca pode ser sintoma de quê?

Queimação no estômago pode ser gravidez?

Em caso de gosto amargo (ou qualquer alteração de paladar), um médico clínico geral deve ser consultado; ele poderá diagnosticar a causa da sensação e tratá-la, ou indicar um outro profissional da saúde para fazê-lo.

Caroço no céu da boca: o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Caroço no céu da boca pode ser sinal de câncer bucal ou doenças benignas, como fibroma, hiperplasia fibrosa, além de outras lesões, como o papiloma (HPV), por exemplo.

Além do céu da boca, os tumores que acometem a boca e a garganta podem se desenvolver nos lábios, língua, gengiva, amígdala e glândulas salivares.

Os sinais e sintomas do câncer de boca  incluem feridas na boca ou no lábio que não cicatrizam, caroços, inchaços, áreas de dormência, sangramentos sem causa conhecida, dor na garganta que não melhora, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na parte interna da boca ou do lábio, mau hálito, dificuldade para falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso (fase mais avançada).

Dentre os fatores de risco para o desenvolvimento do câncer bucal estão principalmente o tabagismo e o consumo de álcool. Além disso excesso de exposição solar sem proteção adequada está associado a uma maior risco de câncer nos lábios. Já o HPV também aumenta o risco de câncer na orofaringe.

Desde que seja diagnosticado e tratado no início, o câncer bucal tem uma taxa de cura que varia entre 85% e 100%.

Caroços no céu da boca causados por infecção viralOutras causas de caroço no céu da bocaFibroma

O fibroma é um nódulo revestido por uma cápsula de tecido fibroso, que surge devido à multiplicação das células de determinado órgão ou tecido. 

Contudo, os fibromas são tumores benignos, o que significa que não invadem tecidos e órgãos vizinhos, nem existe o risco do tumor aparecer em outras partes do corpo (metástase), como ocorre com os tumores malignos.

Leia também: Qual a diferença entre maligno e benigno?

Na maioria dos casos, a remoção cirúrgica garante a retirada total do tumor, a pessoa fica curada e o fibroma não volta a aparecer, o que nem sempre acontece nos casos de câncer.

Hiperplasia fibrosa

A hiperplasia fibrosa inflamatória é uma lesão benigna que caracteriza-se pela presença de um caroço de coloração rosa ou vermelha, que pode surgir no fundo do céu da boca e no sulco entre a gengiva e os lábios. Sua principal causa são as próteses mal ajustadas.

O caroço pode evoluir para uma ferida bastante dolorosa, que pode regredir se for pequena e a prótese receber os ajustes necessários. Contudo, as lesões grandes precisam ser removidas cirurgicamente, mesmo depois da prótese ser reajustada. Em casos raros, a hiperplasia fibrosa pode evoluir para câncer.

Veja também: Quais são os sintomas de câncer de boca?

O tratamento da hiperplasia fibrosa inflamatória é feito através de cirurgia, muitas vezes com laser. O prognóstico é bom, mas dependendo do tamanho do nódulo, pode haver uma grande retração dos tecidos da boca após a operação. 

Papiloma

A infecção pelo vírus do HPV pode provocar diversas doenças, entre elas o papiloma, uma lesão nodular em aspecto de couve-flor. Portanto, o caroço no céu da boca também pode ser um sinal de que a pessoa está infectada pelo HPV. O papiloma também pode se manifestar na boca, bochecha, língua e nos lábios.

Também pode lhe interessar: Quais são os sintomas do HPV?

A transmissão do vírus HPV ocorre pelo contato principalmente sexual com uma pessoa infectada. O HPV também pode ser transmitido da mãe para o bebê no momento do parto.

O tratamento consiste na retirada ou destruição das lesões. Não existe um medicamento capaz de eliminar completamente o HPV do organismo, por isso a pessoa pode continuar infectada e as lesões podem voltar a aparecer.

Toda alteração observada na boca deve ser examinada por um dentista, ou médico de família, ou clínico geral, em alguns casos pode ser necessário o encaminhamento para o profissional especialista em lesões na boca, o estomatologista.

Saiba mais em: Tenho feridas na boca, o que pode ser?

Céu da boca dolorido e parece que tem uns caroços. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Céu da boca dolorido com caroços pode ser sinal de aftas, lesões inflamatórias ou ainda câncer de boca.

As aftas são feridas dolorosas, que normalmente são precedidas por ardência e coceira e também pelo aparecimento de uma área avermelhada, na qual irá se desenvolver a lesão.

Os caroços no céu da boca também podem ser bolhas causadas por:

  • Doença inflamatória do intestino;
  • Reações alérgicas a alimentos, medicamentos e produtos químicos;
  • Dermatite de contato;
  • Impetigo;
  • Estresse;
  • Queda da imunidade;
  • Pênfigo Vulgar.

Já o câncer de boca, além de caroços, também pode manifestar os seguintes sinais e sintomas:

  • Feridas no lábio ou boca que não cicatrizam;
  • Inchaço;
  • Dormência em algumas áreas da boca;
  • Sangramento sem razão aparente;
  • Dor na garganta que não passa;
  • Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas no lábio ou interior da boca;
  • Mau hálito;
  • Dificuldade para falar e engolir;
  • Caroço no pescoço;
  • Perda de peso.

Se os caroços e a dor no céu da boca não desaparecerem em alguns dias, procure o/a médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação detalhada e um diagnóstico adequado.

Dormência na boca: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dormência na boca pode ser sintoma de diversas doenças e condições. Uma delas é a compressão ou rompimento de algum nervo da face, que pode ocorrer após uma anestesia ou um implante dentário, por exemplo.

Outras possíveis causas de dormência na boca incluem doenças neurológicas (derrames, esclerose múltipla, paralisia facial), herpes labial, enxaqueca, síndrome da boca ardente e até câncer bucal.

O herpes labial caracteriza-se pelo aparecimento de grupos de bolhas dolorosas nos lábios. A sensação de dormência na boca geralmente antecede o surgimento da lesão e é localizada na mesma região da ferida. 

Em algumas pessoas, crises de enxaqueca também podem causar dormência ao redor da boca.

A síndrome da boca ardente é uma alteração hormonal que acomete principalmente mulheres após a menopausa. Pode causar formigamento ou dormência na boca ou na língua, embora o principal sintoma seja a dor intensa que pode afetar os lábios, a língua, o céu da boca e a gengiva. 

A dormência na boca também pode ser um sintoma de câncer bucal. Este tipo de câncer pode surgir nos lábios, no interior da boca, na garganta, nas amígdalas e ainda nas glândulas salivares. Suas principais causas são o tabagismo e o consumo excessivo de álcool. Outros sintomas de câncer bucal incluem: 

  • Feridas nos lábios, na gengiva e dentro da boca, que normalmente sangram com facilidade;
  • Caroços nas bochechas;
  • Manchas vermelhas ou brancas na língua e na gengiva;
  • Dificuldade engolir ou mastigar;
  • Mudanças na voz.

Saiba mais em: Quais são os sintomas de câncer de boca?

O diagnóstico e o tratamento da dormência na boca depende da condição ou da doença que provocou a perda de sensibilidade. Você pode consultar o/a médico/a de família ou clínico/a geral para que seja feita uma avaliação inicial. Caso seja necessário, o/a profissional poderá lhe encaminhar para outro especialista.

Também podem lhe interessar:

Tenho feridas na boca, o que pode ser?

Sinto dormência nos pés, o que pode ser?

Dormência no rosto, o que pode ser?

Bolhas na boca, quais as causas?

Bolhas na boca, quais as causas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Bolhas na boca podem ser sinal de herpes labial, mucocele, ou ainda de outras doenças como herpes zoster e infecções virais de garganta.

O herpes labial caracteriza-se pelo aparecimento de grupos de bolhas dolorosas nos lábios, que podem também surgir abaixo do nariz e no queixo. As bolhas são causadas pelo vírus Herpes Simples tipo 1, e mais raramente pelo tipo 2. 

Herpes Labial

A infecção pelo vírus Herpes Simples geralmente acontece na infância, mas pode acontecer em qualquer idade, ocorre quando entra-se em contato direto com as lesões presentes em outra pessoa, no entanto há casos em que se ocorre a transmissão do vírus mesmo quando não há bolhas ou lesões visíveis . Uma vez infectada, a pessoa permanece com o vírus no corpo, dentro dos gânglios nervosos. As crises em que surgem bolhas dolorosas podem ocorrer de tempos em tempos, normalmente quando há uma queda da imunidade. 

As bolhas do herpes labial tendem a desaparecer espontaneamente em uma semana. A doença não tem cura e as bolhas podem voltar a aparecer em qualquer situação que provoque uma mudança na imunidade, como estresse físico ou emocional, exposição excessiva ao sol, estado febril, entre outras situações.

O tratamento pode ser feito com medicamentos antivirais específicos, que ajudam a controlar os sintomas e a infecção pelo vírus. Em muitas infecções isoladas não há a necessidade do uso de nenhum medicamento específico, por conta da resolutividade espontânea dos sintomas.

Já a mucocele geralmente é causada pelo rompimento do ducto de uma glândula salivar. A saliva fica então acumulada e distende o tecido que reveste a boca, dando origem a bolha. Os locais mais afetados são a mucosa da boca, a língua e o assoalho bucal. As glândulas salivares mais propensas a se romperem são as menores, localizadas no lábio inferior, devido a ocorrência de mordidas acidentais na região.

Mucocele

O tratamento da mucocele pode ser feito através da remoção cirúrgica da bolha, bem como de toda a glândula salivar envolvida, mas existem outras técnicas de resolução menos invasivas, além disso, em alguns casos pode ocorrer a ruptura espontânea da mucocele e assim não haver necessidade de nenhuma intervenção.

Há ainda outras doenças que podem causar bolhas na boca:

  • Herpes zoster: Pode formar bolhas e lesões apenas em um lado da boca, bochecha, língua, gengivas e céu da boca, geralmente é muito doloroso e acomete principalmente idosos e pessoas com a imunidade comprometida;
  • Herpangina (infecção da garganta causada por vírus): Provoca a formação de bolhas na boca e na faringe, sendo mais frequente no verão, em crianças com menos de 4 anos (saiba mais em: Herpangina: o que é, quais os sintomas e qual é o tratamento?);
  • Doença da mão-pé-boca: Surgem bolhas na boca e na garganta, apresenta também lesões bolhosas em mãos e pés, ou mesmo em glúteos e genitais. É  mais comum em crianças com menos de 5 anos de idade;
  • Carcinoma mucoepidermoide: Trata-se de um tipo de tumor maligno que acomete as glândulas salivares.

Em caso de bolhas na boca, consulte um médico de família, ou clínico geral ou dentista para receber diagnóstico e orientação adequados.

Também pode lhe interessar:

Tenho feridas na boca, o que pode ser?

Bolhas na garganta: o que pode ser?

Bolha na gengiva: o que pode ser e o que fazer?

Dormência na boca: o que pode ser?

Gosto de podre na boca o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Gosto de podre na boca geralmente está associado a produção de pus em algum local que no seu caso podem ser as glândulas salivares ou os seios paranasais (uma sinusite pode dar como único sintoma um gosto ou cheiro de podre na boca). Precisa ir a um médico, procure um Otorrinolaringologista.

Estou com os lábios inchados. O que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Lábios inchados podem ser um sinal alergia ou ter várias outras causas não alérgicas, como infecções, dermatites, doenças autoimunes e até mesmo câncer.

Quando a boca inchada é o resultado de uma reação alérgica, o inchaço normalmente desaparece depois de algumas horas ou ainda dias, espontaneamente ou após uso de medicamento anti alérgico. Contudo, as reações mais graves podem evoluir com anafilaxia (choque anafilático) e comprometer as vias aéreas, impedindo a respiração.

Nesses casos, além dos lábios inchados, a pessoa também sente coceira na boca, podendo haver dor e vermelhidão local.

O inchaço nos lábios também pode ser causado por fatores não imunológicos, como dermatites provocadas por agentes irritantes ou traumas, urticárias, radiação, obstrução de veias e linfedema.

Outras causas possíveis são a doença de Crohn, sarcoidose, queilite de Miescher, síndrome de Melkersson-Rosenthal, celulite, impetigo, hanseníase Virchowiana, tuberculose, hepatite B, doenças da glândula parótida, tumores, lúpus eritematoso discoide, esclerodermia, entre outras.

Como existem muitos fatores e causas que podem deixar os lábios inchados, sendo alguns deles bastante graves, é importante verificar quando a boca começou a inchar, o tempo de duração dos sintomas, se o inchaço vai e volta, se existe dor ou ainda outras manifestações.

Para receber um diagnóstico e tratamento adequado, consulte um médico clínico geral ou médico de família.

Também pode lhe interessar: Tenho a língua inchada: o que pode ser?

Sapinho na boca: Quais os sintomas e como tratar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O sapinho na boca, também chamado pelos médicos de candidíase oral, caracteriza-se pelo aparecimento de placas esbranquiçadas na língua, parte interna das bochechas e céu da boca. Os sinais e sintomas incluem ainda dificuldade para sentir o sabor dos alimentos e sensação de algodão na boca.

Bebês com sapinho na boca apresentam pequenos pontos brancos que se parecem com restos de leite. Essas manchinhas brancas são difíceis de sair, podem ser dolorosas e surgir nos lábios, parte interna das bochechas, gengivas e língua. É importante não raspar ou tentar tirar os pontinhos brancos da boca do bebê, pois além de provocar dor e sangramento, pode piorar a infecção. O sapinho na boca do bebê também pode causar perda de apetite e prejudicar a amamentação.

Em pessoas com imunidade baixa, a candidíase oral pode cobrir toda a boca, a língua e chegar ao esôfago, causando dificuldade e dor para engolir. Os sinais e sintomas nos casos mais graves podem incluir febre, tosse e distúrbios digestivos.

Tratamento

O tratamento do sapinho na boca é feito com medicamentos antifúngicos. A administração da medicação pode ser por via oral, sob a forma de comprimidos, ou tópica, aplicada diretamente sobre o local.

Pessoas que usam dentadura devem manter uma boa higiene da prótese, ter uma alimentação saudável e estar atentas ao tempo de uso da dentadura.

O tratamento do sapinho pode incluir ainda a suplementação nutricional, já que é comum indivíduos com infecções fúngicas frequentes terem também carências nutricionais.

A candidíase oral é uma infecção fúngica que afeta a boca, sendo mais comum em pessoas com imunidade baixa, como pacientes com HIV, transplantados renais, diabéticos, indivíduos que usam dentaduras e próteses dentárias, entre outros. O uso prolongado de medicamentos antibióticos também pode favorecer o aparecimento de sapinho na boca.

Saiba mais em: Sapinho na boca de bebê: O que é, quais os sintomas e como tratar?