Perguntar
Fechar
Gostaria de saber se tem vermes que andam no nosso corpo?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Existe um verme que percorre o corpo e deixa o seu rastro na pele, que é o "bicho geográfico", nome popular do Ancylostoma brasiliense ou  Ancylostoma caninum, causadores de uma doença chamada larva migrans cutânea.

A larva migrans cutânea recebe este nome porque as suas larvas penetram na pele e migram por baixo da mesma, deixando rastros pelo corpo.

Esse verme é comum em cães e gatos, podendo se instalar no homem e não chegar a completar o seu ciclo por este não ser um hospedeiro normal.

O bicho geográfico é transmitido pelo contato com o chão ou areia contaminados por fezes de cães ou gatos.

A larva migrans cutânea afeta sobretudo as áreas do corpo que entram em contato com o solo, como coxas, pernas, pés, mãos, antebraços e nádegas, causando erupções avermelhadas que coçam muito e podem também causar dor.

Além disso, o bicho geográfico pode causar distúrbios pulmonares, como tosse, falta de ar, e alergia, devido à liberação de substâncias tóxicas.

O tratamento da larva migrans cutânea é feito com medicamentos vermífugos aplicados no local sob a forma de pomadas ou administrados via oral.

Para saber realmente se existem vermes que andam pelo seu corpo, você deve consultar um/uma médico/a clínico/a geral para avaliação completa, realização de exames e orientação após os resultados. 

Saiba mais em: Quais são as doenças causadas por vermes?

Como tratar uma queimadura?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tratamento de uma queimadura provocada por fonte de calor, vai depender do tipo de queimadura, ou seja, se ela é de primeiro, segundo ou terceiro grau, que varia de acordo com a sua profundidade.

Como tratar uma queimadura de primeiro grau:

  • Fazer compressas de água fresca até que o local esteja frio;
  • Não colocar pasta de dentes ou manteiga;
  • Manter a queimadura hidratada passando óleo mineral ou vaselina líquida;
  • Tomar analgésico se necessário;
  • Usar protetor solar regularmente.

A queimadura de 1º grau normalmente é provocada pelo sol e atinge apenas a camada mais superficial da pele (epiderme).

Como tratar uma queimadura de segundo grau superficial:

  • As bolhas devem ser drenadas, preferencialmente por um médico, mas não devem ser removidas, pois servem de curativo natural;
  • Após o rompimento da bolha, devem ser feitos curativos com sulfadiazina de prata, além de limpeza conforme orientação médica e manter com curativo fechado;
  • Quando a queimadura cicatrizar, pode deixar sem curativo, mantendo sempre bem hidratada e com filtro solar para evitar o aparecimento de manchas;
  • Tomar analgésico se necessário;

A queimadura de 2º grau atinge também a derme (camada de pele logo abaixo da epiderme), provocando dor, vermelhidão e bolhas. No caso da superficial, a base das bolhas é de cor rosada úmida e dolorosa.

Como tratar uma queimadura de segundo grau profunda e de terceiro grau:

  • Na maioria dos casos é necessário internar o paciente devido às manifestações sistêmicas comuns nessas situações, como desequilíbrio dos níveis de eletrólitos, como o sódio, potássio e/ou cálcio, por vezes chegando a desidratação, assim como, algumas vezes é preciso remover tecidos necrosados e partículas estranhas na ferida;
  • No caso de feridas muito extensas e ou profundas pode ser indicado também cirurgias para limpeza com anestesia e enxertos posteriormente;
  • Tomar vacina contra o tétano;
  • Ingerir muito líquido;
  • Manter os membros acometidos elevados, para aliviar a dor e o edema (inchaço);
  • Se as queimaduras forem na face, nas mãos, nos pés e genitália, queimaduras elétricas ou de vias aéreas superiores, a pessoa deve ser leva imediatamente para um hospital.

Na queimadura de 2º grau profunda, as bolhas têm a base branca, seca e indolor. Já a queimadura de 3º grau atinge todas as camadas da pele, podendo chegar ao osso. Provoca pouca dor devido à destruição das terminações nervosas. A pele pode se apresentar de coloração mais pálida, com formação de placas esbranquiçadas, ou enegrecida, seca e com aspecto mais enrugado.

O/A dermatologista é o/a médico responsável pelo tratamento de queimaduras.

Também pode lhe interessar:

O que fazer em caso de queimadura?

O que manchas roxas na pele podem representar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Geralmente representa sangue abaixo da pele, são pequenos "hematomas", pode ser causado por algumas doenças ou ser uma característica da pessoa, a causa mais comum é traumatismo.

Bolinhas vermelhas na virilha: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Bolinhas vermelhas na virilha podem ser pelos encravados, quase sempre provocados pela depilação. Isso porque a depilação provoca uma irritação na pele, deixando-a mais grossa, o que dificulta a saída normal dos pelos. 

Como consequência, a pele fica inflamada e surgem as bolinhas vermelhas na virilha, uma condição denominada foliculite. Se a inflamação for mais intensa, podem aparecer nódulos maiores e doloridos e as bolinhas podem infeccionar e acumular pus.

Mulheres com pele mais espessa e que tenham pelos com tendência a encravar, apresentam maiores chances de desenvolver foliculite.​

A principal causa do encravamento dos pelos na virilha é o uso de cera quente ou fria na depilação. A utilização de lâminas com cremes deslizantes costuma irritar menos a pele, embora o atrito também possa causar algum encravamento.

Bolinhas vermelhas na virilha associada a um caroço ou uma enduração também podem ser sinais de alguma infecção sexualmente transmissível.

De qualquer forma, é importante consultar um/a médico/a de família ou clínico/a geral para uma avaliação detalhada dessas bolinhas vermelhas na virilha, identificação da causa e indicação de algum tratamento, caso seja necessário.

Fogo selvagem é contagioso?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Fogo selvagem não é contagioso.

Fogo selvagem é o nome popular do pênfigo foliáceo. Essa doença é uma desordem autoimune causada pelo desequilíbrio nos anticorpos produzidos pela pessoa que não reconhecem as células sãs e as atacam. Com isso, algumas lesões começam a surgir na pele e mucosa.

Diante disso, as pessoas que possuem fogo selvagem não transmitem a doença para outras pessoas, nem pelo contato direto entre pele-pele nem através do contato com objetos e utensílios domésticos como talheres, copos, pratos, etc.

Portanto, a pessoa com fogo selvagem pode se relacionar normalmente com seu entorno social sem causar nenhum prejuízo infeccioso para as outras pessoas.

Leia também:

O que é pênfigo?

Qual é o tratamento para pênfigo?

Molusco contagioso: qual é o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O tratamento do molusco contagioso é feito através da retirada ou destruição cirúrgica das lesões. As técnicas mais usadas são a cauterização, a criocirurgia (destruição pelo frio), a eletrocirurgia e a curetagem (raspagem), esta última tende a ser o método mais escolhido pelos médicos pela sua fácil execução, eficácia e presença de poucos efeitos adversos.

Outra opção de tratamento para o molusco infeccioso é a aplicação local de produtos em forma de cremes ou pomadas. Alguns produtos, como o imiquimode, ajudam a e estimular uma resposta imunológica do organismo da criança ao molusco infeccioso, auxiliando assim a sua eliminação.

Molusco contagioso

Pessoas com o sistema imunológico saudável podem não necessitar de tratamento. Isso porque o molusco contagioso geralmente desaparece espontaneamente depois de um período de tempo, que pode durar meses ou anos.

Crianças com molusco contagioso podem ser tratadas com pomadas, como o imiquimode, hidróxido de potássio, extrato de folha de mirtilo-limão, cantaridina, entre outras, por ser um tratamento menos agressivo e que pode ser feito em casa.

Contudo, o tratamento tópico apresenta ainda eficácia incerta. Por isso, a decisão sobre a necessidade de tratamento ou não e qual a melhor forma de se realizar o tratamento deve ser discutido com o médico.

Em algumas situações, como de crianças que convivem em creches, o tratamento pode ser importante para evitar a proliferação da doença.

Em casa, é importante ter alguns cuidados, como evitar coçar, espremer ou tocar nas lesões.

O que é molusco contagioso?

O molusco contagioso é uma infecção causada por um vírus. É mais comum em crianças, mas também pode surgir em adultos.

Quais os sinais e sintomas do molusco contagioso?

O molusco contagioso caracteriza-se pelo aparecimento de pequenas bolinhas na pele, que podem ter a cor da pele ou serem um pouco amareladas. As lesões podem ser do tamanho da cabeça de um alfinete ou chegar aos 3 milímetros de diâmetro, podendo surgir em grupos com dezenas de lesões.

Como o molusco infeccioso é transmitido?

A pessoa contrai molusco infeccioso pelo contato direto com o vírus, geralmente em locais úmidos, como piscinas. A umidade facilita a entrada do vírus.

O molusco contagioso não é grave, nem influencia a saúde geral da criança.

O diagnóstico e tratamento do molusco contagioso pode ser realizado por um médico de família, clínico geral ou pediatra capacitados. Em casos de maior gravidade pode ser necessária a avaliação de um dermatologista.

Quais são os sintomas do condiloma acuminado?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

O condiloma acuminado é caracterizado por verrugas, que aparecem em áreas como vulva e vagina, ânus e reto, pênis e boca.

Trata-se de uma doença sexualmente transmissível, causada pelo vírus HPV e que se trata por meio de medicações ou da cauterização elétrica ("queimar") das lesões.

O acompanhamento da doença deve ser feito por dermatologista ou ginecologista.

O que fazer em caso de alergia na pele?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. Vai depender sobretudo da localização da alergia, causa e da extensão da alergia.

Nos casos de alergia de pele em locais como braço, perna, em áreas pequenas, causadas por exemplo por uma picada de inseto, pode aplicar uma compressa de água fria no local para diminuir o inchaço e incômodo. Para aliviar a coceira, também pode aplicar loção de calamina. Alergias maiores, ou com pouca resposta as medidas indicadas, pode acrescentar uma pomada com antialérgico, que tenha em casa.

Caso não haja melhora, ou perceba a piora da alergia, procure imediatamente um atendimento médico.

Esteja atento aos sintomas. As crises alérgicas mais leves desaparecem espontaneamente ou respondem rápido às pomadas antialérgicas.

A presença de um ou mais desses sinais e sintomas pode indicar uma reação alérgica grave e a pessoa precisa receber atendimento médico com urgência:

  • Dificuldade para respirar;
  • Inchaço nos lábios ou na garganta;
  • "Coceira na garganta";
  • Desmaio;
  • Tontura;
  • Confusão mental;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Urticária (lesões vermelhas na pele, parecidas com vergões, que surgem rapidamente e coçam muito);
  • Cólicas;
  • Náuseas e vômitos.

Saiba mais em: O que fazer em caso de reação alérgica?

A alergia na pele pode ser causada por infecções, alimentos, estresse, medicamentos, contato com produtos de limpeza, bijuterias, cosméticos ou outros materiais ou substâncias irritantes.

Veja também:

O que pode causar alergia na pele?

Quais são os sintomas de alergia nas mãos e quais são as causas?

Se a alergia for frequente, mesmo que de forma leve e que melhore com as pomadas, é recomendado que agende uma consulta com dermatologista ou alergologista para determinar a causa da alergia e receber o tratamento adequado.